História Literária: Origem, Características e Exemplos

A história literária é um campo de estudo que se dedica a analisar e compreender a evolução da literatura ao longo do tempo, desde suas origens até os dias atuais. Ela busca investigar as influências culturais, sociais e políticas que moldaram as obras literárias, assim como as características e tendências que marcaram cada período histórico. Neste contexto, a história literária se torna fundamental para a compreensão da literatura como forma de expressão artística e cultural, refletindo as mudanças e os valores de uma determinada sociedade. Neste artigo, exploraremos a origem, as características e apresentaremos exemplos de obras literárias que marcaram diferentes épocas e movimentos literários.

Origens da literatura: de onde surgiram as primeiras formas de expressão escrita.

A literatura é uma forma de expressão que tem origens antigas na história da humanidade. As primeiras formas de escrita surgiram em diferentes civilizações, como no Egito, na Mesopotâmia e na China, por volta de 3000 a.C. Nessas sociedades, a escrita era utilizada principalmente para registrar informações comerciais, religiosas e políticas.

Com o passar do tempo, a escrita foi evoluindo e se tornando mais elaborada, dando origem a diferentes gêneros literários. Na Grécia Antiga, por exemplo, surgiram as epopeias, poemas épicos que narravam as aventuras de heróis lendários como Ulisses e Aquiles. Já na Idade Média, a literatura estava fortemente ligada à religião, com textos que abordavam temas como a fé e a moral.

Na Renascença, a literatura ganhou um caráter mais individualista, com autores como William Shakespeare e Miguel de Cervantes criando obras que exploravam as emoções humanas e questionavam as convenções sociais. Já no século XIX, o Romantismo trouxe uma nova abordagem, valorizando a emoção, a natureza e a liberdade criativa.

Hoje, a literatura continua a se reinventar, refletindo as mudanças sociais, políticas e culturais de cada época. Através das palavras, os escritores são capazes de expressar suas ideias, sentimentos e visões de mundo, criando obras que atravessam gerações e inspiram novas formas de pensamento.

Conheça as narrativas que fazem parte da literatura mundial ao longo dos séculos.

A História Literária é um campo de estudo que busca compreender e analisar as diferentes formas de expressão literária ao longo dos séculos. Através dela, podemos conhecer as narrativas que fizeram parte da literatura mundial e entender a evolução das diferentes correntes literárias.

A origem da História Literária remonta à Antiguidade, com os primeiros registros de textos literários produzidos pelos povos da Mesopotâmia e Egito. Ao longo dos séculos, a literatura se desenvolveu em diversas culturas e regiões do mundo, dando origem a uma variedade de estilos e gêneros literários.

Entre as características da História Literária, destacam-se a análise dos contextos históricos, sociais e culturais em que as obras literárias foram produzidas, bem como a identificação das influências e interações entre os diferentes escritores e movimentos literários. Através dela, podemos compreender como a literatura reflete e influencia a sociedade em que está inserida.

Alguns exemplos de narrativas que fazem parte da literatura mundial ao longo dos séculos incluem a Odisseia, de Homero, considerada uma das obras fundadoras da literatura ocidental, e Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, que inaugurou o romance moderno. Estas obras são apenas alguns dos muitos exemplos que demonstram a diversidade e riqueza da literatura mundial.

Em resumo, a História Literária nos permite mergulhar nas narrativas que marcaram a literatura ao longo dos séculos, compreendendo a sua importância e influência na formação da cultura e da identidade de diferentes povos ao redor do mundo.

Origem e evolução da literatura ao longo dos séculos: uma breve análise histórica.

A literatura é uma forma de arte que tem origem na antiguidade e que se desenvolveu ao longo dos séculos, refletindo as mudanças culturais, sociais e políticas de cada época. A literatura começou a ser produzida através da tradição oral, com narrativas transmitidas de geração em geração, antes mesmo da invenção da escrita.

Relacionado:  Geração Decapitada: História, Representantes e Suas Obras

Com o surgimento da escrita, a literatura ganhou novas formas e possibilidades, permitindo a criação de textos mais elaborados e complexos. Ao longo da história, a literatura passou por diversas fases e movimentos, como o Classicismo, o Romantismo, o Realismo, o Modernismo e o Pós-Modernismo, cada um com suas características e influências específicas.

Na Idade Média, por exemplo, a literatura estava diretamente ligada à religião, com obras que exaltavam a fé e os valores cristãos. Já no Renascimento, houve um resgate das obras da Antiguidade Clássica, com um foco na valorização da razão e da estética.

No século XIX, com o surgimento do Romantismo, a literatura passou a explorar emoções e sentimentos, rompendo com as regras clássicas. Já no século XX, com o Modernismo, os escritores buscaram inovar e experimentar novas formas de expressão, questionando as convenções literárias estabelecidas.

Atualmente, a literatura continua a se reinventar, refletindo as questões e desafios da sociedade contemporânea. Autores de diferentes partes do mundo exploram temas como a identidade, a globalização, a tecnologia e o meio ambiente, criando obras que dialogam com a realidade atual.

Em resumo, a literatura é uma forma de arte que acompanha a história da humanidade, refletindo as transformações e os questionamentos de cada época. Através de textos escritos, os escritores são capazes de expressar suas ideias, emoções e visões de mundo, contribuindo para o enriquecimento da cultura e do conhecimento.

Literatura: conceito e principais características em destaque.

A Literatura é uma forma de arte que utiliza a linguagem escrita para expressar ideias, sentimentos e experiências. É uma das manifestações culturais mais antigas da humanidade, sendo uma forma de registro e reflexão sobre a sociedade e a vida em geral.

As principais características da literatura incluem a criatividade, a originalidade, a estética, a sensibilidade e a capacidade de provocar reflexão no leitor. A literatura pode ser classificada em diversos gêneros, como poesia, prosa, drama, entre outros, e cada um possui suas próprias características e técnicas específicas.

Alguns dos exemplos mais conhecidos de obras literárias incluem “Dom Quixote”, de Miguel de Cervantes, “Romeu e Julieta”, de William Shakespeare, e “Cem Anos de Solidão”, de Gabriel García Márquez. Essas obras são consideradas clássicos da literatura mundial, pois transcendem o tempo e continuam sendo lidas e apreciadas por gerações.

A literatura desempenha um papel fundamental na formação cultural e intelectual das sociedades, contribuindo para o desenvolvimento do pensamento crítico e da criatividade. Por meio da leitura de obras literárias, é possível ampliar horizontes, compreender diferentes pontos de vista e enriquecer o repertório cultural de cada indivíduo.

História Literária: Origem, Características e Exemplos

A história literária é uma narrativa curta e simples, baseada em eventos imaginários, que é edificada e disseminada através da escrita. O objetivo é entreter o receptor lírico e, ao mesmo tempo, transmitir uma mensagem de caráter moral e ético que pode gerar uma mudança, um aprendizado.

A história literária tem uma estrutura unilateral, elemento marcado que a diferencia do romance. A simplicidade de suas formas e a natureza direta e rápida de sua mensagem fazem dele um dos gêneros literários mais abordados. Testemunhamos na história literária – sem subestimar seu antecessor, a história oral – uma evolução propiciada pela letra.

História Literária: Origem, Características e Exemplos 1

Édgar Alan Poe, principal representante da história literária

Esse fato deu-lhe tranquilidade e inalterabilidade em sua estrutura. Através da escrita, é necessário um tempo, um lugar e uma época que circunscrevem os eventos que lhe acontecem.

Essa mudança causada pela escrita nas convenções da história abriu as portas para centenas de criadores. Esses emissores líricos – inspirados em narrativas populares anteriores e fórmulas temáticas, ou com a necessidade de inovar com novas tramas – viram na simplicidade desse gênero o meio perfeito para transmitir suas idéias.

Relacionado:  Xavier Villaurrutia: biografia, estilo, obras e frases

Origem

Como qualquer obra literária, sua origem está ligada à invenção da escrita. É sempre devido aos mesopotâmios e seus personagens cuneiformes terem contribuído formalmente com os sinais que lhes permitiram dar o salto do oral para o escrito.

Agora, em relação às primeiras histórias literárias registradas após a invenção da escrita, existem alguns documentos que se referem aos trabalhos iniciais em cartas com as características do gênero da história que data de 1650 aC. C. e eles são egípcios.

No ano 182 no Egito antigo, Henry Westcard – um globetrotter britânico – conseguiu um papiro (o antecessor do papel, inventado nas margens do Nilo) com escritos hieráticos. Após ser estudado e traduzido, este documento mostrou um total de cinco histórias mágicas sobre a cultura do Egito antigo.

O pergaminho antigo foi chamado de papiro Westcard, em homenagem a seu descobridor. De acordo com o que foi visto na decodificação, as histórias são contadas na corte do Faraó Keops por seus próprios filhos: Baefra, Kefren, Dyedefra e Hardedef. Abaixo está um trecho de uma das histórias, The Imhotep Story :

“Então sua majestade, o rei do Alto e Baixo Egito Khufu, disse:

‘Que seja feita uma oferta de mil pães, cem jarros de cerveja, um boi e duas bolas de incenso ao rei do Alto e Baixo Egito Zoser, justificado, e que lhes sejam dados um bolo, uma caneca de cerveja, uma grande servir carne e uma bola de incenso ao principal leitor sacerdote [Imhotep], desde que vi uma amostra de seu conhecimento. ‘

Isso foi feito em tudo como sua majestade havia ordenado.

A história literária na cultura hispânica

Quanto ao idioma espanhol, os contos literários mais antigos desse idioma estão localizados na Idade Média. Eles vieram das mãos do príncipe de Villena, Don Juan Manuel. Ele escreveu o trabalho narrativo Conde Lucanor.

O livro de exemplos do conde Lucanor e Patronio, nome completo da obra do príncipe de Villena, consiste em 51 histórias.

Estes têm conteúdo que procurava entreter e dar exemplos de moralismo aos leitores. Compile histórias clássicas e árabes e, em certas obras, denota-se uma influência marcante da narrativa japonesa.

Caracteristicas

Tema variável

Ao acomodar um número maior de autores – e imerso em seus contextos particulares de produção -, o conto literário apresenta uma ampla variedade de temas.

Essa qualidade, juntamente com a brevidade do gênero, tornou a opção mais rica e fácil de acessar quando a diversidade de conteúdo é desejada em curtos períodos de tempo; A melhor opção para eventuais leitores.

Conteúdo estável

Quando enquadrado nas letras, seu enredo se torna invariável, algo que não acontece com a história oral, que pode ser enriquecida ou resumida a qualquer momento pelo narrador.

Essa particularidade confere legitimidade e singularidade, o que facilita seu reconhecimento e o de seu autor em qualquer espaço.

Autor conhecido

O que era praticamente impossível de julgar em histórias de tradição oral, na grande maioria das histórias escritas, é comum.

Essa qualidade permite uma identificação pelo receptor lírico, que pode colocar o criador do texto para dar mais valor ao fato comunicativo.

Projeção individual

Esse recurso está vinculado ao anterior. A possibilidade de apresentar suas próprias idéias e abandonar as convenções típicas dos temas impostos há anos pela tradição oral, permitiu que novos autores ao longo da história tornassem suas obras conhecidas e ganhassem um lugar nas letras do mundo.

Complexidade estrutural e discursiva

Embora a história ainda seja uma unidade curta de comunicação (entre mil e cinco mil palavras), a liberdade dada pelas cartas facilitou o acesso a uma variedade de possibilidades comunicativas, sujeita às habilidades dos autores.

Relacionado:  Para que serve uma biografia? 5 usos importantes

A estrutura é enriquecida junto com o discurso, dando maior profundidade à mensagem, à moral intrínseca de cada obra desse gênero literário.

Exemplos de histórias literárias famosas

Abaixo estão fragmentos das obras mais representativas desse gênero:

Chapeuzinho Vermelho, dos irmãos Grimm

“Não se preocupe, eu farei tudo certo”, disse Chapeuzinho Vermelho, pegou as coisas e se despediu carinhosamente. Vovó morava na floresta, a cerca de um quilômetro de sua casa. E não havia mais Chapeuzinho Vermelho entrando na floresta, sempre dentro do caminho, quando ele conheceu um lobo.

“A trilha do seu sangue na neve”, de Twelve Pilgrim Tales, de Gabriel García Márquez

“Nena Daconte era quase uma garota, com felizes olhos de pássaro e uma pele de melaço que ainda irradiava o sol do Caribe no crepúsculo sombrio de janeiro, e estava enfiada no pescoço com um casaco de pele que não podia ser comprado com o salário de um ano de toda a guarnição de fronteira ”.

“O gato preto”, de Édgar Alan Poe

“Um gemido surdo e agitado no início, semelhante ao choro de uma criança, que depois cresceu rapidamente para se tornar um grito longo, agudo e contínuo, anormal, desumano, um uivo, um grito de lamentação, metade de horror, metade de triunfo … ”

“A galinha abatida”, de Contos de amor, loucura e morte de Horacio Quiroga

“- Deixe-me ir! Deixe-me! Ele gritou, balançando a perna. Mas foi atraído.

Mãe! Oh mãe! Pai mãe! Ele chorou imperiosamente. Ele ainda tentou segurar a borda, mas sentiu-se arrancado e caiu.

– Mãe, infelizmente! Ma …

Ele não conseguia mais gritar. Um deles apertou o pescoço dela, puxando as alças como se fossem penas, e os outros a arrastaram com uma perna para a cozinha, onde naquela manhã ela sangrara até a galinha, bem segurada, rasgando sua vida segundo a segundo.

Mazzini, na casa oposta, pensou ter ouvido a voz da filha.

“Acho que ele liga para você”, disse ele a Berta.

Eles ouviram inquietos, mas não ouviram mais nada. No entanto, um momento depois, eles se despediram e, enquanto Berta deixava o chapéu, Mazzini avançou no pátio.

“Berita!”

Importância

Desde sua aparência formal, a história literária tem servido como uma ferramenta concisa e excelente para transmitir idéias e pensamentos ao longo do tempo.

Além disso, esse gênero literário serviu para motivar centenas de milhares de pessoas a começar no papel de emissor lírico (criador) e, não menos importante, receptor lírico (leitor). Isso facilitou o crescimento intelectual e criativo das diferentes culturas do mundo.

A história literária, por permitir uma abordagem simples a temas não suspeitos, conseguiu atravessar fronteiras sociais, alcançando locais preferenciais entre comunidades de leitores em todo o mundo.

Inquestionavelmente, a história também passou a representar um dos recursos literários mais didáticos para o início de crianças e jovens na produção escrita. Sem dúvida, esse gênero literário é um recurso pedagógico-literário valioso.

Referências

  1. Sifuentes, R. (2017). A história literária. Colômbia: panorama cultural. Recuperado de: panoramacultural.com.co
  2. Conceito de história literária. (S. f.). (n / a). 537 histórias. Recuperado de: sites.google.com/site/537 descontos
  3. Kaufman, R. (2011). História literária. Uruguai: Prolee. Recuperado de: anep.edu.uy
  4. Morote Morán, P. (S. f.) A história da tradição oral e a história literária: da narração à leitura. Espanha: biblioteca virtual Miguel de Cervantes. Recuperado de: cervantesvirtual.com
  5. História oral, história literária e história curta (S. f.). (n / a): ABC Color. Recuperado de: abc.com.py

Deixe um comentário