Maciço de Brasília: composição, topografia e relevo

O Maciço de Brasília é uma formação geológica localizada na região central do Brasil, dentro do Distrito Federal. Com uma área de aproximadamente 6.000 km², o maciço é conhecido por sua composição geológica diversificada, formada por rochas cristalinas, quartzitos, gnaisses e granitos.

A topografia do Maciço de Brasília é caracterizada por colinas suaves, planaltos e vales, com altitudes que variam entre 800 e 1.200 metros acima do nível do mar. O relevo da região é marcado por grandes extensões de cerrado, com vegetação típica do bioma, como árvores de pequeno porte, arbustos e gramíneas.

Além disso, o Maciço de Brasília abriga diversas nascentes de rios importantes, como o Rio Descoberto e o Rio São Bartolomeu, que contribuem para o abastecimento de água da região. Sua importância ambiental e geológica faz com que seja uma área de preservação e conservação, protegida por legislação específica.

Geografia e características do relevo do Distrito Federal: planaltos, chapadas e vales.

A geografia do Distrito Federal é marcada por uma diversidade de formações geológicas, sendo predominantemente composta por planaltos, chapadas e vales. Essas características influenciam diretamente no relevo da região, tornando-a única e especial.

Os planaltos são áreas de terreno elevado, com altitudes superiores a 1000 metros acima do nível do mar. No Distrito Federal, essas formações são encontradas principalmente na região central, onde está localizada a capital Brasília. A topografia dos planaltos é geralmente plana, com algumas elevações suaves.

As chapadas são grandes superfícies elevadas, com topos planos e vertentes íngremes. No Distrito Federal, a Chapada dos Veadeiros é um exemplo famoso desse tipo de formação geológica. As chapadas são importantes para a preservação da biodiversidade e para a regulação do clima na região.

Os vales são depressões entre montanhas ou colinas, geralmente formados pela ação da água ao longo do tempo. No Distrito Federal, os vales são encontrados principalmente nas margens dos rios que cortam a região, como o Rio Descoberto e o Rio São Bartolomeu. Essas áreas são importantes para a agricultura e para a preservação dos recursos hídricos.

Maciço de Brasília: composição, topografia e relevo.

O Maciço de Brasília é uma formação geológica que se destaca no Distrito Federal. Composto principalmente por rochas cristalinas, como o granito e o gnaisse, o maciço é conhecido por sua resistência e durabilidade. Sua topografia é caracterizada por grandes blocos de rocha, formando paisagens únicas e impressionantes.

O relevo do Maciço de Brasília é marcado por elevações suaves e vales profundos, criando uma paisagem de grande beleza e diversidade. A região é um importante ponto turístico, atraindo visitantes de todo o país em busca de aventuras e contato com a natureza.

Solo fértil do Distrito Federal: fonte de vida e prosperidade para a região.

O Maciço de Brasília é uma formação geológica localizada no Distrito Federal, conhecida por seu solo fértil que é fonte de vida e prosperidade para a região. Composto por rochas sedimentares e cristalinas, o Maciço de Brasília possui uma topografia marcada por colinas suaves e vales férteis.

O relevo do Maciço de Brasília é caracterizado por suas elevações suaves e vales profundos, criando um ambiente propício para a agricultura e a pecuária. A presença de nascentes e rios que cortam a região contribuem para a fertilidade do solo e para a manutenção da biodiversidade local.

Relacionado:  Os 7 rios da região amazônica mais importante

O solo fértil do Maciço de Brasília é responsável por abastecer a região com alimentos e recursos naturais, garantindo a sustentabilidade econômica e ambiental da área. Além disso, a preservação desse solo é fundamental para a manutenção da qualidade de vida das comunidades que dependem da agricultura e da pecuária para sua subsistência.

Preservar essa região é essencial para garantir o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida das gerações futuras.

Características do solo do Distrito Federal: composição, textura e fertilidade.

O solo do Distrito Federal é caracterizado por uma composição predominantemente de rochas cristalinas, como granitos e quartzitos, resultando em um solo bastante ácido. Quanto à textura, o solo da região varia de arenoso a argiloso, com presença de cascalho em algumas áreas. Em relação à fertilidade, o solo do Distrito Federal apresenta baixa fertilidade natural devido à sua acidez e baixo teor de matéria orgânica.

Maciço de Brasília: composição, topografia e relevo.

O Maciço de Brasília é composto por formações rochosas antigas, como o Complexo Cristalino, que compõem o relevo acidentado da região. A topografia do Maciço de Brasília é caracterizada por morros, serras e vales, proporcionando paisagens únicas na região. O relevo do Maciço de Brasília apresenta elevações que chegam a mais de 1.100 metros de altitude, proporcionando vistas panorâmicas da capital do país.

Hidrografia do Distrito Federal: Principais rios, lagos e nascentes que abastecem a região central do Brasil.

A hidrografia do Distrito Federal é caracterizada por uma rede hidrográfica composta por diversos rios, lagos e nascentes que abastecem a região central do Brasil. Entre os principais rios que cortam o Distrito Federal, destacam-se o Rio Descoberto, o Rio São Bartolomeu e o Rio Preto.

Além dos rios, o Distrito Federal também possui importantes lagos, como o Lago Paranoá e o Lago Corumbá, que contribuem para o abastecimento de água da região. As nascentes presentes no Planalto Central também desempenham um papel fundamental na hidrografia local, garantindo o fornecimento de água para a população e a manutenção da biodiversidade.

Maciço de Brasília: composição, topografia e relevo

O Maciço de Brasília é uma formação geológica que abrange parte do território do Distrito Federal. Composto por rochas metamórficas e graníticas, o Maciço de Brasília possui uma topografia acidentada, marcada por morros, vales e escarpas.

O relevo do Maciço de Brasília apresenta altitudes que variam entre 800 e 1.300 metros, sendo uma das regiões mais elevadas do Planalto Central. Essa característica influencia diretamente o clima e a vegetação da região, contribuindo para a formação de ecossistemas únicos e diversificados.

Maciço de Brasília: composição, topografia e relevo

O maciço de Brasília , também conhecido como maciço brasileiro ou planalto brasileiro, é uma região geográfica localizada na República Federativa do Brasil, um país pertencente à América do Sul. Como o nome indica, é uma grande área de terra, principalmente plana, que abrange grande parte do Brasil.

Esta região geográfica é conhecida no idioma português como Planalto Brasileiro. O maciço de Brasília ocupa quase metade do território do Brasil. Especialmente, esta região está localizada nas regiões sul, sudeste e leste central do país, que por sua vez são as que têm os centros mais populosos.

Maciço de Brasília: composição, topografia e relevo 1

Imagem via: emaze.com
Relacionado:  As 5 encostas da Colômbia

A área ocupada por essa região é de aproximadamente cinco milhões de quilômetros quadrados. A maioria da população brasileira vive nas montanhas da região ou na zona costeira, com cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Além de possuir uma população grande, essas regiões estão na vanguarda do desenvolvimento tecnológico e industrial do Brasil.

Essa região diminui e termina em outros ecossistemas de países vizinhos, como Argentina, Paraguai, Uruguai, além do Oceano Atlântico. Limita ao norte com a planície que precede a floresta amazônica e ao sul com a zona dos Pampas. Ao leste, ao contrário, faz fronteira com o pântano do estado brasileiro de Mato Grosso, uma planície que se alimenta de água da chuva e é a maior zona úmida do mundo.

O maciço de Brasília não é o único nas Américas. Próximo a ele está o Maciço da Guiana, que ocupa toda a região das Guayanas na Venezuela, Guiana, Suriname, França e, claro, Brasil. Também na América do Sul é o maciço da Patagônia na parte sul. Tanto o maciço de Brasília quanto a Guiana são as formações terrestres mais antigas do planeta.

O maciço de Brasília tem uma origem muito antiga, com rochas que constituem uma camada de basalto, um produto de lava. Esta pedra é corroída pela quantidade de anos que tem estado na área. Atualmente, o escudo impede a formação de terremotos de grande magnitude e também não possui atividade vulcânica.

Localização

A área ocupada pelo planalto brasileiro é maior que a da maioria dos países do globo. Com aproximadamente cinco milhões de quilômetros quadrados, é mais da metade do território brasileiro, que mede 8.515.770 quilômetros quadrados.

O maciço possui território em vários estados da federação brasileira. São eles: Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí.

O maciço traça suas fronteiras com a aparência das bacias hidrográficas do rio Amazonas e do Rio da Prata. No leste, a fronteira é visível com o surgimento de áreas costeiras cercadas por morros, como pode ser visto na cidade do Rio de Janeiro, protegida pelo Morro do Corcovado e pelo Pão de Açúcar (Núñez, 1994).

Essa fronteira costeira também pode ser vista em cidades como Fortaleza e Bahia. No sul, o maciço tem como limite geográfico o ponto trifinio no qual Argentina, Brasil e Uruguai limitam com as Cataratas do Iguaçu. (Núñez, 1994).

Maciço de Brasília: composição, topografia e relevo 2

A leste, a fronteira é delimitada quando o maciço diminui para atingir o Pantanal localizado no estado de Mato Grosso, que recebe água da chuva e inunda a maior parte do ano. Esta região constitui o maior pantanal do planeta Terra.

Origem

Para entender a origem do maciço de Brasília, é necessário voltar ao éon proterozóico, no qual surgiram as primeiras células eucarióticas.

Sua origem, no entanto, não é anterior à do escudo da Guiana, onde podem ser encontradas rochas do éon arcaico. Durante o Paleozóico, o escudo foi firmemente constituído no continente de Gondwana, produto da partição de Pangea (Borsdoff, Dávila, Hoffert e Tinoco, s / f).

Composição:

O maciço de Brasília é composto principalmente por uma camada de roupas cristalinas que constituem um manto de pedras basálticas. Este platô pode ser considerado um platô de basalto.

Relacionado:  Projeção homolográfica ou Goode

Nele, predominam rochas metamórficas, como mica-xisto, quartzitos e gnais. O maciço, composto por rochas extrusivas, é constituído por estratos escalonados que às vezes se sobrepõem (Borsdoff, Dávila, Hoffert e Tinoco, s / f).

Após o surgimento da costa atlântica no mesozóico, o maciço foi formado com sedimentos jovens, que também são encontrados na encosta ocidental que faz fronteira. O maciço é caracterizado por possuir um tipo de paisagem com estrato escalonado, formando solos secos como resultado das rochas que foram corroídas violentamente (Borsdoff, Dávila, Hoffert e Tinoco, s / f).

Topografia e relevo

No que diz respeito à altitude do maciço, varia de acordo com o local onde está localizado. Ela pode variar entre 305 e 915 metros acima do nível do mar. Na região dos vales e em um tipo específico de bioma chamado fechado, especialmente na região Centro-Oeste, que são planícies cheias de florestas.

Uma série de elevações de magnitude considerável pode ser elucidada no maciço. Um dos grupos de montanhas mais importantes é a Serra do Mar, que se estende por 1200 quilômetros do estado da Bahia a Santa Catarina. O ponto mais alto é o pico de Freiburg, com 2310 metros acima do nível do mar (Cordeiro, do Nascimento, Salamuni, 2016).

Outra das cadeias montanhosas importantes da região é a serra da Mantiqueira, que se estende pelos estados da região sudeste: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A formação montanhosa data do arcaico e é formada por rochas cristalinas (Buckup e Ingenito, 2007). O ponto mais alto desta cordilheira é a Pedra da Mina, com 2798,39 metros acima do nível do mar.

Essa cordilheira é comumente visitada por turistas que são atraídos por suas formações rochosas, além de espécies de animais e diferentes plantas que vêm da costa atlântica brasileira.

Referências

  1. Borsdoff, A., Dávila C., Hoffert H. e Tinoco, C. (s / f). Áreas naturais da América Latina: da Terra do Fogo ao Caribe. Institut for Geographie der Universität Innsbruck.
  2. Buckup, P. e Ingenito, L. (2007). A Serra da Mantiqueira, sudeste do Brasil, como barreira biogeográfica para peixes. Journal Of Biogeography, 34 (7), 1173-1182. doi: 10.1111 / j.1365-2699.2007.01686.
  3. Cordeiro, L., do Nascimento, E. e Salamuni, E. (2016). Morfo-estrutura da Serra do Mar, Paraná, Brasil. Jornal dos mapas, 1263-70. doi: 10.1080 / 17445647.2016.1158130.
  4. Dowdle, J. (2009). Como você sobrevive a ficar preso no meio do planalto brasileiro? Revista Texas, 21.
  5. Hoffmann, D., Martins, R. e Vasconcelos, M. (2015). Como as mudanças climáticas podem afetar a faixa de distribuição e o status de conservação de uma ave endêmica das terras altas do leste do Brasil: o caso do Tachuri-cinzento, Polystictus superciliaris (Birds, Tyrannidae). Biota neotrópica, 15 (2), e20130075. Recuperado de dx.doi.org.
  6. Núñez, A. (1994). Um mundo à parte: abordagem da história da América Latina e do Caribe. Madri: Edições da torre.
  7. Minas Tourism (8 de setembro de 2016). Serra da Mantiqueira: 7 cidadeszinhas charmosas para você tan tan region. Turismo de Minas. Recuperado em blog.turismodeminas.com.br.

Deixe um comentário