Manuel de Ascázubi e Matheu: biografia e contribuições

Manuel de Ascazubi y Matheu era um político equatoriano que ocupava os cargos de presidente, vice-presidente, prefeito, senador e embaixador de seu país, nascido em Quito em 30 de dezembro de 1804.

Embora fosse presidente constitucional, nunca foi eleito, pois chegou ao poder em três curtos períodos graças a vários aspectos técnicos eleitorais.

Manuel de Ascázubi e Matheu: biografia e contribuições 1

Ele é reconhecido como uma das maiores e mais prolíficas figuras políticas de seu país no século XIX, pois mesmo com pouco tempo no cargo de Presidente do Equador, fez importantes contribuições à nação em questões econômicas, fiscais, tributárias, Educação e infraestrutura

Ele morreu em 1876 aos 72 anos por causa de pneumonia.

Biografia

Ascázubi era filho de José Javier de Ascázubi e Dona Mariana de Matheu, e desde cedo teve que enfrentar a ausência de seus pais.

Seu pai foi perseguido por ter participado da primeira reunião do governo autônomo de Quito e permaneceu fugitivo até praticamente o fim de sua vida, enquanto sua mãe morreu quando Ascázubi tinha apenas 9 anos de idade.

Quando ele ficou órfão, sua educação era incompleta, no entanto, ele era um autodidata reconhecido. Desde jovem, ele se interessou pela política de seu país, fortemente influenciado pela perseguição política sofrida por seu pai na luta pela liberdade do Equador.

Presidência de Manuel de Ascázubi

Após ser senador em 1846 e assumir o cargo de vice-presidente em 1847, um empate técnico nas eleições presidenciais entre Antonio Elizalde e Diego Noboa motivou o congresso legislativo a nomear provisoriamente Ascázubi para servir como Presidente Constitucional Interino em 1848.

Embora ele não tenha sido eleito pelo voto popular, ele foi o quinto presidente constitucional da história do Equador. Ele ficou no poder executivo por três breves períodos:

Relacionado:  Modo de produção asiático: características e estrutura

– Entre fevereiro e abril de 1848.

-Julho e agosto de 1849.

– outubro de 1849 e março de 1850, quando um golpe de estado colocou Diego Noboa como o primeiro presidente nacional.

Prefeitura de Quito

No final de 1860, ele foi escolhido como prefeito Quito no período de janeiro a dezembro de 1861, cargo que ocupou em importantes obras de infraestrutura.

O prefeito de Quito seria a última posição política que Manuel de Ascázubi ocuparia em seu país, pois entre 1865 e 1868 atuou como embaixador na Argentina.

Contribuições

Durante seus mandatos, um elemento que sempre caracterizou Ascázubi foi sua incrível ética de trabalho, motivo pelo qual ele foi altamente respeitado pelo povo equatoriano e pela maioria da liderança política.

Seu profissionalismo, retidão e amor genuíno pelo país o colocaram como um dos melhores exemplos políticos de sua geração.

Dedicou boa parte dos recursos do Equador a melhorias para os cidadãos, incluindo a construção de escolas, a melhoria de hospitais e centros ambulatoriais, pontes e estradas, além da fundação da Escola de Obstetrícia em Cuenca.

Sanitizou a economia local, restaurando o crédito público e tratando a contabilidade nacional de uma maneira muito mais pública e transparente. Também promoveu cultura e arte, especialmente em escolas com pessoas mais jovens.

Referências

  1. Manuel de Ascazubi e Matheu (18 de abril de 2010). Recuperado em 23 de dezembro de 2017, do Presidential Ecuador.
  2. Manuel de Ascazubi (sf). Recuperado em 23 de dezembro de 2017, da Academic.
  3. Manuel de Ascázubi (Reino Unido do Equador) (sd). Recuperado em 23 de dezembro de 2017, no Histórico alternativo.
  4. Manuel Ascazubi Matheu (sf). Recuperado em 23 de dezembro de 2017, do EcuRed.
  5. Lista de Presidentes do Equador (sf). Recuperado em 23 de dezembro de 2017, da Ecuaworld.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies