Método experimental: características, etapas, exemplo

Método experimental: características, etapas, exemplo

O método experimental , também conhecido como científico-experimental, caracteriza-se por permitir ao pesquisador manipular e controlar as variáveis ​​de uma investigação o máximo possível, com o intuito de estudar as relações existentes entre elas com as bases do método científico .

É um processo usado para investigar fenômenos, adquirir novos conhecimentos ou corrigir e integrar conhecimentos anteriores. É usado em pesquisas científicas e baseia-se em observação sistemática, medição, experimentação, formulação de testes e modificação de hipóteses.

Este método geral é realizado nos diferentes ramos da ciência; biologia, química, física, geologia, astronomia, medicina, etc. A principal característica do método experimental envolve a manipulação das variáveis. Graças a isso, é possível observar e registrar os comportamentos dessas variáveis, a fim de antecipar resultados e explicar comportamentos ou circunstâncias.

O método experimental busca obter informações o mais precisas possível e inequívocas. Isso é alcançado graças à aplicação de operações e procedimentos de controle; através deles, pode-se afirmar que uma determinada variável influencia outra de tal maneira.

Características do método experimental

– No método experimental, o pesquisador tem controle absoluto sobre as variáveis.

– É baseado no método científico.

– O objetivo do método experimental é estudar e / ou antecipar as relações que são geradas entre as variáveis ​​consideradas na pesquisa.

– Procura coletar dados o mais preciso possível.

– As variáveis ​​consideradas no método experimental podem ser manipuladas de acordo com as necessidades dos pesquisadores.

– Os instrumentos de medição utilizados devem ter um alto nível de exatidão e precisão.

– A manipulação das variáveis ​​permite ao pesquisador criar o cenário ideal que permita observar as interações desejadas.

– Como o pesquisador produz as condições de que precisa quando as exige, ele estará sempre pronto para observá-las efetivamente.

– No método experimental, as condições são totalmente controladas. Portanto, o pesquisador pode replicar o experimento para confirmar sua hipótese e também promover verificações de outros pesquisadores independentes.

– O método experimental pode ser aplicado em estudos de natureza exploratória ou que buscam confirmar estudos anteriores.

Etapas do método experimental

A seguir, detalharemos nove etapas pelas quais um pesquisador deve passar ao aplicar o método experimental em um trabalho de investigação:

Declare o problema e as observações

Consiste na descrição do principal motivo pelo qual uma investigação é realizada. Deve haver informações desconhecidas que você deseja saber. Deve ser um problema ou situação que possa ser resolvido e cujas variáveis ​​possam ser medidas com precisão.

O problema surge de observações, que devem ser objetivas, não subjetivas. Em outras palavras, as observações devem ser verificáveis ​​por outros cientistas. Observações subjetivas, baseadas em opiniões e crenças pessoais, não fazem parte do campo da ciência.

Exemplos:

  • Declaração objetiva: nesta sala a temperatura é de 20 ° C.
  • Declaração subjetiva: é legal nesta sala.

Declare a hipótese

A hipótese é a possível explicação que pode ser dada antes de um fenômeno desconhecido. Essa explicação procura relacionar as variáveis ​​entre si e antecipar que tipo de relacionamento elas têm.

As hipóteses geralmente têm estruturas semelhantes usando um modo condicional. Por exemplo, “se X (…), então Y (…)”.

Defina as variáveis

Na declaração do problema, as principais variáveis ​​que serão levadas em consideração já são consideradas. Ao definir as variáveis, o objetivo é caracterizá-las da maneira mais precisa possível, para poder estudá-las com eficiência.

É muito importante que não haja ambiguidades na definição das variáveis ​​e que elas possam ser operacionalizadas; isto é, eles podem ser medidos.

Nesse ponto, é muito importante considerar também todas as variáveis ​​externas que podem influenciar diretamente aquelas que serão consideradas no estudo.

Você deve ter controle absoluto das variáveis ​​a serem observadas; caso contrário, os resultados gerados pela experimentação não serão totalmente confiáveis.

Definir um desenho experimental

Nesta fase do método experimental, o pesquisador deve definir qual será o caminho pelo qual ele realizará seu experimento.

O objetivo é descrever em detalhes quais serão as etapas para o pesquisador alcançar o objetivo do estudo.

Realize o procedimento e colete os dados correspondentes

Essa fase corresponde à realização da investigação como tal. Nesse momento, o pesquisador deve realizar as ações concretas pelas quais ele poderá observar e registrar o comportamento das variáveis, bem como as relações que são geradas entre elas.

Todo o processo de investigação deve ser devidamente descrito e registrado; Dessa forma, o pesquisador terá um registro preciso que lhe permitirá ter muito mais precisão na execução, além de uma melhor compreensão dos resultados finais.

Analise os dados

As informações obtidas graças ao método experimental devem ser analisadas estatisticamente. Isso permitirá que a veracidade dos resultados seja verificada e dará sinais importantes sobre a importância dos dados obtidos.

Generalizar

Essa fase pode ser muito importante para determinar a importância que os resultados de um determinado estudo podem ter. Através da generalização, as informações obtidas podem ser extrapoladas e estendidas para populações ou cenários maiores.

O escopo da generalização dependerá da descrição que foi feita das variáveis ​​observadas e de quão representativas elas são em relação a um conjunto específico.

Prever

Com os resultados obtidos, é possível fazer uma previsão que tenta afirmar como seria uma situação semelhante, mas que ainda não foi estudada.

Essa fase pode acomodar novos trabalhos de investigação focados em uma abordagem diferente para o mesmo problema desenvolvido no presente estudo.

Apresentar as conclusões finais

Depois de analisar os dados, fazer as generalizações do caso e considerar as previsões correspondentes, é hora de capturar as conclusões da investigação.

Como o método experimental se concentra na obtenção de resultados precisos, as conclusões devem ser descritas o mais detalhadamente possível, enfatizando as implicações dos dados coletados. As conclusões devem confirmar ou negar a hipótese proposta originalmente.

Exemplo de aplicação

– A declaração do problema que foi observada é a seguinte: algumas crianças sentem pouca motivação para aprender na sala de aula. Por outro lado, foi determinado que, em geral, as crianças são motivadas a interagir com a tecnologia.

– A hipótese de pesquisa é que a incorporação de tecnologia no sistema educacional aumentará a motivação de crianças entre 5 e 7 anos para aprender em sala de aula.

– As variáveis ​​a serem consideradas são um grupo de crianças entre 5 e 7 anos de idade de uma determinada instituição educacional, um programa educacional que inclui o uso da tecnologia em todas as disciplinas ensinadas e os professores que implementarão o referido programa.

– O desenho experimental pode ser descrito da seguinte forma: os professores aplicarão o programa escolhido às crianças durante o ano letivo. Cada sessão inclui uma atividade que busca medir o nível de motivação e compreensão que cada criança possui. Os dados serão coletados e analisados ​​posteriormente.

– Os dados obtidos indicam que as crianças aumentaram seus níveis de motivação em relação ao período anterior à aplicação do programa tecnológico.

– Diante desses resultados, é possível projetar que um programa tecnológico possa aumentar a motivação de crianças entre 5 e 7 anos de idade de outras instituições de ensino.

– Da mesma forma, pode-se prever que o referido programa também terá resultados positivos se aplicado a crianças mais velhas e até adolescentes.

– Graças ao estudo realizado, pode-se concluir que a aplicação de um programa de tecnologia promove a motivação de crianças entre 5 e 7 anos para aprender em sala de aula.

Referências

  1. “Método científico” na Universidade Nacional Autônoma do México. Retirado em 31 de outubro de 2019 na Universidade Nacional Autônoma do México: unam.mx
  2. “O método experimental” no Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores. Retirado em 31 de outubro de 2019 no Instituto Nacional de Tecnologias Educacionais e Formação de Professores: educalab.es
  3. “O método experimental” na Universidade de Jaén. Recuperado em 31 de outubro de 2019 na Universidade de Jaén: ujaen.es
  4. Murray, J. “Por que fazer experimentos” em Science Direct. Retirado em 31 de outubro de 2019 em Science Direct: sciencedirect.com
  5. “Método Experimental” na Indiana University Bloomington. Obtido em 31 de outubro de 2019 na Indiana University Bloomington: indiana.edu
  6. Dean, A. “Design experimental: visão geral” em Science Direct. Retirado em 31 de outubro de 2019 em Science Direct: sciencedirect.com
  7. Helmenstein, A. “Seis etapas do método científico” na Thought Co. Retirado em 31 de outubro de 2019 na Thought Co: thoughtco.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies