Nao de China (Galeão de Manila): História, Primeira Viagem, Rota

O Nao de China, também conhecido como Galeão de Manila, foi uma embarcação utilizada para o comércio entre a China e o México durante o período colonial espanhol. Sua primeira viagem ocorreu em 1565, quando partiu de Manila, nas Filipinas, em direção a Acapulco, no México. A rota do Nao de China passava pelo Oceano Pacífico, contornando a costa da América do Norte e chegando ao destino final após vários meses de viagem. Essa rota foi fundamental para o intercâmbio de mercadorias entre a Ásia e a América durante os séculos XVI e XVII.

Por que a rota de navegação foi modificada?

A rota de navegação do Nao de China, também conhecido como Galeão de Manila, foi modificada devido a uma série de fatores que influenciaram a decisão dos navegadores. Durante a Primeira Viagem do Galeão de Manila, em 1565, os exploradores perceberam a necessidade de ajustar a rota original para evitar certos perigos e maximizar o sucesso da viagem.

Uma das razões para a modificação da rota foi a presença de piratas ao longo do caminho original, que representavam uma ameaça constante para a segurança da tripulação e da carga preciosa a bordo. Além disso, as condições climáticas adversas, como tempestades e ventos fortes, também influenciaram a decisão de alterar a rota de navegação.

Outro fator importante que levou à modificação da rota foi a busca por novas oportunidades comerciais e a exploração de novos territórios. Os navegadores perceberam que ao desviar da rota tradicional, poderiam descobrir novas rotas comerciais e estabelecer relações comerciais com outros povos e civilizações.

Em resumo, a rota de navegação do Nao de China foi modificada para garantir a segurança da tripulação, evitar ameaças como piratas e condições climáticas adversas, e explorar novas oportunidades comerciais. Essas mudanças foram fundamentais para o sucesso das viagens do Galeão de Manila e para a expansão do comércio marítimo na região.

Nao de China (Galeão de Manila): História, Primeira Viagem, Rota

Os Naos da China ou galeões de Manila eram navios comerciais espanhóis que viajavam das Filipinas (antiga colônia espanhola) até o México atual, que formava a colônia da Nova Espanha. Os navios navegavam com carga de Manila, nas Filipinas, para Acapulco.

Relacionado:  Cultura Nazca: Características, Religião, Economia, Arte

Depois de chegar a Acapulco, fizeram a mesma viagem de volta, trazendo a riqueza obtida do continente americano. A razão pela qual esses galeões também são conhecidos como Naos da China é porque os produtos importados para a Nova Espanha eram principalmente do país asiático, principalmente seda e algodão.

Nao de China (Galeão de Manila): História, Primeira Viagem, Rota 1

A porcelana geralmente ficava nas Américas e não voltava para a Espanha, e isso serviu de influência para muitos artistas do novo mundo para a criação de embarcações e pratos únicos, do continente americano, mas com toques asiáticos. Essa rota funcionou por mais de 250 anos, até que a guerra da independência do México parou os navios espanhóis.

História

A primeira expedição relacionada aos galeões de Manila foi comandada por Fernando de Magallanes em 1521, quando descobriu em sua jornada a existência das Filipinas e das Ilhas Marianas, reivindicando-as em nome da Espanha.

A ilha espanhola então teria que ter alguma maneira de estabelecer rotas comerciais com a América, mas não havia rota conhecida ou corrente marítima capaz de levar galeões ao novo continente.

O grande problema que os navegadores da época tinham de se deslocar entre os continentes era a presença de ventos constantes que empurravam navios suficientes para fazer longas viagens intercontinentais. No início dos anos 1500, não havia registro de fluxo de ar capaz de transportar um navio de Manila para Acapulco.

Descoberta e viagens

Em 1542, o navegador Juan Rodríguez Cabrillo viajou perto do 38º paralelo norte, o que levou à descoberta da rota Acapulco-Manila.

Depois que a viagem foi feita por Cabrillo, que o transportou do México para a Rússia, Alonso de Arellano e Andrés de Urdaneta descobriram a rota que os galeões de Manila usariam para retornar a Acapulco.

Ambos tomaram rotas diferentes de Manila em 1565, perto do 38º paralelo norte, e foram capazes de alcançar as Filipinas sãos e salvos.

Importação da China

A rota foi utilizada por dois séculos e meio e teve como objetivo principal a importação de mercadorias chinesas para o continente sul-americano, considerando a proximidade das Filipinas com a grande massa do continente asiático. No caminho de volta para Manila, os navios transportaram riquezas como ouro e prata.

Deve-se notar que, antes do seu fim, devido à guerra de independência do México, a rota já havia perdido força econômica no final do século 18, quando outras potências mundiais começaram a entrar em rotas comerciais com a China.

Primeira viagem

A primeira viagem de um navio na rota dos galeões de Manila foi comandada por López de Legazpi, com Andrés de Urdaneta como seu navegador. Legazpi e Urdaneta chegaram às Filipinas em fevereiro de 1565, partindo da Nova Espanha em 25 de dezembro do ano anterior.

A rota de Acapulco para Manila acabou sendo muito mais direta e mais curta que a rota oposta. Isso foi verificado em junho do mesmo ano, quando o navio San Pedro partiu de Manila na direção da Nova Espanha: a tripulação não voltou a pisar até outubro.

A primeira viagem de ida e volta teve uma duração total de pouco mais de 8 meses, levando em consideração o tempo em que os navios estavam no mar.

Principais rotas do Nao da China

Tendo em vista que os navios tiveram que navegar com o vento a seu favor, duas rotas diferentes foram usadas nas viagens de ida e volta:

1- A viagem de Acapulco a Manila

A navegação foi bastante simples nessa direção, e a rota foi bem estabelecida logo após a primeira viagem.

Os barcos partiram de Acapulco na direção norte, procurando a latitude 18 ao norte da Terra. Uma vez localizados, os navios seriam transportados por ventos alísios e permaneceriam entre as latitudes 10 e 15, ao norte do planeta, até conhecerem as Filipinas.

2- O retorno de Manila a Acapulco

A viagem de Manila de volta a Acapulco foi muito mais entediante do que a jornada inicial.

Para chegar à Nova Espanha, o navio teve que passar primeiro pelas águas próximas às costas de Taiwan e Japão, depois fazer a viagem intercontinental à Califórnia e daí descer para Acapulco. No total, os barcos levavam seis meses para fazer essa viagem.

A viagem de Manila ao Japão foi afetada por um fator principal: as chuvas das monções no verão, que causaram fortes mudanças nas ondas e na maré, dificultando a passagem dos galeões. A partida de Manila foi bastante complicada, porque o mau tempo obrigou os navios a um retorno oportuno à terra.

Relacionado:  Mariano Arista: Biografia e Presidência

Confrontos em alto mar

Depois de passar pelo Japão, chegou a parte simples da viagem. O navio só deve seguir uma direção reta constante e lutar contra os ventos fracos que empurraram o galeão para o leste. A parte complicada foi a final: a chegada na Califórnia.

O galeão chegou a uma área da costa conhecida como “zona de hidromassagem”, onde piratas e bucaneiros eram militantes em busca de carga de embarcações comerciais. Uma vez deixada para trás na Califórnia, a chegada a Acapulco foi quase garantida.

Produtos que transportam navios

Além dos produtos que os galeões de Manila carregavam para o comércio, os navios também tiveram que transportar comida suficiente para os passageiros, além de armas, balas e pólvora para se defender de ataques de piratas.

Como conseqüência, os navios carregavam muito mais carga do que as leis reais permitiam. Os principais produtos transportados pelos galeões de Manila para o comércio são os seguintes:

De Manila para Acapulco

– Ouro

– produtos chineses como seda, diferentes tipos de roupas para o público e membros da igreja, e porcelanas, vasos e tecidos.

– bosques asiáticos.

– Marfim em várias apresentações.

– Especiarias e produtos vegetais asiáticos.

– Tabacos.

– Animais e escravos.

De Acapulco a Manila

Ouro e prata do Novo Mundo foram transportados principalmente da Nova Espanha. No entanto, os registros da época também incluem:

– cacau.

– Cochonilha

– atacadores de flamenco.

– Óleos

Vinhos.

Referências

  1. Manila Galeão, (sd). Retirado de britannica.com
  2. Manila Galleon, (nd), 11 de fevereiro de 2018. Extraído de wikipedia.org
  3. O Manilla Galleon, Museu Metropolitano de Artes de Johana Hecht, outubro de 2003. Extraído de metmuseum.org
  4. Schurz, W. (1918). México, Peru e Galeão de Manila. The Hispanic American Historical Review, 1 (4), 389-402.
  5. Navegação e carga dos Galeões de Manila, (nd). Retirado de guampedia.org
  6. Trinidad (navio), (nd), 13 de fevereiro de 2018. Extraído de wikipedia.org

Deixe um comentário