Neurônios de Purkinje: suas funções e características

Os neurônios de Purkinje são um tipo de célula nervosa localizada na camada de células de Purkinje do córtex cerebelar. Essas células desempenham um papel fundamental na coordenação dos movimentos voluntários e no equilíbrio do corpo. Os neurônios de Purkinje possuem um corpo celular grande e ramificações dendríticas extensas, que recebem sinais de outras células nervosas e transmitem informações para o cerebelo. Além disso, essas células têm um padrão de disparo complexo e uma alta taxa de disparo de potenciais de ação, o que as torna essenciais para a regulação da atividade cerebral.

Localização dos neurônios de Purkinje no cérebro humano e sua importância no sistema nervoso.

Os neurônios de Purkinje são encontrados na camada de células de Purkinje do cerebelo, uma região do cérebro responsável pelo controle motor e coordenação dos movimentos. Esses neurônios são caracterizados por seus grandes corpos celulares e extensas ramificações dendríticas, que formam uma densa camada no córtex cerebelar.

Os neurônios de Purkinje desempenham um papel fundamental no sistema nervoso, pois são responsáveis por transmitir sinais inibitórios para outras células cerebelares, como os neurônios granulares. Essa inibição é essencial para a regulação fina dos movimentos e para a manutenção do equilíbrio e da postura.

Além disso, os neurônios de Purkinje estão envolvidos em processos de aprendizagem e memória, contribuindo para a adaptação dos movimentos com base nas experiências passadas. Eles também desempenham um papel importante na modulação da atividade dos neurônios cerebelares durante o desenvolvimento e em condições patológicas, como a ataxia.

Sua localização no cerebelo e suas conexões sinápticas especializadas tornam essas células únicas e vitais para o bom funcionamento do organismo.

Localização das células de Purkinje no cerebelo: uma visão detalhada sobre sua distribuição.

As células de Purkinje são um tipo de neurônio localizado na camada de células de Purkinje do cerebelo, uma parte do sistema nervoso central responsável pela coordenação motora e equilíbrio. Estas células são caracterizadas por seu corpo celular grande e ramificações extensas, chamadas de dendritos, que se estendem horizontalmente na camada molecular do cerebelo.

As células de Purkinje estão distribuídas em uma camada única no cerebelo, conhecida como camada de células de Purkinje. Elas são encontradas entre a camada de células granulares, onde estão os neurônios granulares, e a camada de fibras de Purkinje, onde estão as fibras de Purkinje. Esta localização estratégica permite que as células de Purkinje recebam informações dos neurônios granulares e enviem sinais para as fibras de Purkinje, desempenhando um papel crucial na regulação do movimento e na coordenação motora.

Além disso, as células de Purkinje possuem projeções para o núcleo denteado do cerebelo, uma região responsável por modular a atividade dos circuitos cerebelares. Esta conexão entre as células de Purkinje e o núcleo denteado é fundamental para a integração de informações sensoriais e motoras, permitindo que o cerebelo ajuste a precisão e o timing dos movimentos.

Seu corpo celular grande e dendritos ramificados permitem que recebam e processem informações sensoriais e motoras de forma eficiente, contribuindo para a precisão dos movimentos e para a manutenção do equilíbrio.

Relacionado:  Sistema endócrino: anatomia, partes e funções

Características essenciais dos neurônios: o que é importante saber sobre essas células nervosas.

Os neurônios são as células nervosas responsáveis pela transmissão de informações no sistema nervoso. Eles possuem características essenciais que os tornam únicos e fundamentais para o funcionamento do nosso corpo.

Uma das principais características dos neurônios é a sua capacidade de transmitir sinais elétricos e químicos de um lado para o outro. Isso permite a comunicação entre diferentes partes do corpo e a realização de diversas funções vitais.

Além disso, os neurônios possuem uma forma alongada e ramificada, com diversas extensões chamadas dendritos e axônios. Essas estruturas permitem que os neurônios se conectem entre si, formando redes complexas que são essenciais para o funcionamento do sistema nervoso.

Os neurônios de Purkinje são um tipo específico de neurônio encontrados no cerebelo. Eles desempenham um papel fundamental no controle do movimento e na coordenação motora. Os neurônios de Purkinje possuem dendritos densamente ramificados que recebem sinais de outras células nervosas e um axônio único que transmite informações para outras partes do cérebro.

Esses neurônios são essenciais para a aprendizagem motora e para a realização de movimentos precisos e coordenados. Eles são altamente especializados e desempenham um papel crucial na manutenção do equilíbrio e na execução de tarefas motoras complexas.

Sua capacidade de transmitir sinais e formar redes de comunicação é essencial para a coordenação de atividades corporais e para a realização de funções vitais.

Qual a principal função desempenhada pelos neurônios no corpo humano?

Os neurônios desempenham um papel fundamental no corpo humano, sendo responsáveis por transmitir sinais elétricos e químicos entre as diferentes partes do sistema nervoso. Essas células nervosas são essenciais para o funcionamento do cérebro, da medula espinhal e dos nervos periféricos, permitindo a comunicação e coordenação de diversas atividades do organismo.

Os neurônios de Purkinje são um tipo específico de neurônio encontrados no cerebelo, uma parte do cérebro responsável pelo controle motor e pela coordenação dos movimentos. Esses neurônios possuem uma forma característica, com um corpo celular grande e ramificações dendríticas extensas.

Uma das principais funções dos neurônios de Purkinje é receber informações de outras células cerebelares e integrar esses sinais para regular a atividade dos músculos e coordenar os movimentos voluntários. Eles atuam como intermediários essenciais no processo de aprendizado motor e na adaptação do corpo a diferentes situações.

Além disso, os neurônios de Purkinje também desempenham um papel importante na regulação do equilíbrio e da postura, garantindo que o corpo se mantenha estável durante a execução de movimentos complexos. Sua atividade é fundamental para a realização de tarefas motoras precisas e coordenadas.

Sua atividade contribui para a manutenção do equilíbrio e da postura, além de ser crucial para o aprendizado motor e a execução de movimentos voluntários de forma precisa e coordenada.

Neurônios de Purkinje: suas funções e características

Neurônios de Purkinje: suas funções e características 1

Estima-se que, no momento do nosso nascimento, tenhamos aproximadamente 80 milhões de neurônios ou células cerebrais. Graças à sua atividade, nosso sistema nervoso é capaz de funcionar com força total.

Relacionado:  Neuro-hipófise: estrutura, funções e doenças associadas

Um dos tipos de neurônios que habitam nosso cérebro são neurônios ou células de Purkinje . Ao longo deste artigo, explicaremos em que consistem esses neurônios, como eles funcionam e para que servem, bem como as patologias associadas a eles.

O que são neurônios de Purkinje?

As células ou neurônios de Purkinje recebem o nome do anatomista, fisiologista e botânico tcheco Jan Evangelista Purkyne, descobridor desses elementos. Essas células grandes são encontradas em todos os animais invertebrados , são um tipo de neurônio GABAérgico e constituem as unidades funcionais do cerebelo .

Após sua descoberta, muitos pesquisadores tentaram decifrar os enigmas desse neurônio. Os conhecidos cientistas Camillo Golgi e Santiago Ramón y Cajal passaram anos de suas vidas estudando essas células . Graças a essas investigações, atualmente temos conhecimento praticamente absoluto sobre a anatomia e estrutura dos neurônios de Purkinje, bem como os detalhes e funções específicas deles.

Embora sejam encontrados principalmente no córtex cerebelar, formando a camada de Purkinje entre a camada molecular e a camada granular, também podem ser encontrados no miocárdio, isto é, na parte muscular do coração .

Conexões de célula Purkinje

Apenas cerca de 30 milhões de neurônios desse tipo são encontrados no cerebelo , cada um dos quais está ligado a cerca de um milhão de terminações nervosas de outros tipos de células diferentes. Essas células às quais os neurônios de Purkinje estão ligados são classificadas em dois tipos:

Células musgosas

Eles vêm do tronco cerebral e da medula espinhal . Como estão mais próximos dos neurônios de Purkinje, eles se ramificam em fibras localizadas paralelamente.

Células de escalada

Eles ascendem da medula oblonga e do tronco cerebral . No entanto, esses tipos de células trepadeiras só se ligam a um único neurônio Purkinje.

Qual é a estrutura dessas células nervosas?

Como discutido anteriormente, os neurônios de Purkinje são uma das maiores células encontradas em nosso cérebro. Seu eixo dendrítico é extremamente complexo e se distingue por apresentar um grande número de espinhos dendríticos emaranhados.

Essas células são colocadas uma em frente à outra, como se fossem dominós, formando camadas entre as quais passam as fibras paralelas que vêm das camadas mais profundas.

Através das sinapses, as fibras paralelas transmitem impulsos excitatórios de potencial fraco aos espinhos dendríticos dos neurônios de Purkinje . No entanto, os pulsos das fibras ascendentes que vêm do núcleo inferior da azeitona da medula emitem impulsos excitatórios de grande intensidade. Além disso, essas fibras paralelas circulam em ângulos retos através do eixo dendrítico da célula de Purkinje. Essas fibras, que podem ser contadas por centenas de milhares, formam sinapses com um único neurônio desse tipo.

Finalmente, os neurônios de Purkinje transmitem projeções de fibras inibidoras para os núcleos cerebelares profundos, tornando-se a única via de escape do córtex cerebelar com efeitos na coordenação motora.

Relacionado:  Tipos de ondas cerebrais: Delta, Theta, Alfa, Beta e Gama

Que funções eles têm?

Os neurônios de Purkinje exercem seus efeitos através do uso de atividade eletrofisiológica . Esse tipo de atividade pode ocorrer de duas maneiras diferentes, dependendo se os picos de neurônios são simples ou complexos.

1. Atividade em picos simples

A taxa de atividade eletrofisiológica de espículas simples varia de 17 a 150 Hz . Essa atividade pode aparecer espontaneamente ou quando os neurônios de Purkinje são ativados por fibras paralelas.

2. Atividade em picos complexos

No caso de picos complexos, a intensidade diminui consideravelmente, variando de 1 a 3 hz de potência.

Os picos complexos se distinguem por ter um pico inicial longo de alta amplitude, que se segue em um disparo de alta frequência, mas com uma amplitude menor. Essas explosões de atividade elétrica são causadas pela ativação das fibras trepantes , nomeadas acima.

O que se sabe sobre eles através de pesquisas

O sódio e o cálcio desempenham um papel fundamental na atividade eletrofisiológica dos neurônios de Purkinje e, portanto, na função correta do cerebelo. Além disso, nos últimos anos, foi revelado que o estímulo das fibras trepadeiras desencadeia uma alteração na atividade da célula, passando de um estado de repouso para um ativo e, pelo contrário) como se fosse uma espécie de botão ou botão.

No entanto, os resultados dessas investigações foram amplamente debatidos. O motivo é que os dados obtidos em outros estudos apontam para a ideia de que essas alterações na atividade só ocorrem quando a pessoa ou o animal é anestesiado; enquanto estão acordados, os neurônios de Purkinje sempre trabalham em um estado de atividade completa.

Finalmente, os resultados extraídos de pesquisas recentes sugerem que os neurônios de Purkinje têm a capacidade de descarregar substâncias endocanabinóides que podem reduzir o potencial de sinapses , tanto excitatórias quanto inibitórias.

Patologias e doenças associadas

Como os neurônios de Purkinje são encontrados em animais e humanos, há uma variedade de fatores que podem causar anomalias específicas e específicas para cada espécie.

No caso de pessoas, há um grande número de causas que podem causar a deterioração ou lesão dos neurônios de Purkinje. Alterações genéticas, doenças auto-imunes ou neurodegenerativas e elementos tóxicos presentes em certas substâncias, como o lítio, podem causar sérios danos a esse tipo de célula.

Além disso, na doença de Alzheimer , uma diminuição nos ramos dendríticos desses neurônios foi descrita.

Por outro lado, no mundo animal, existe uma condição estranha que causa atrofia e mau funcionamento desses neurônios por muito tempo após o nascimento. Esta doença conhecida como abiotrofia cerebelar se distingue por apresentar um grande número de sintomas entre os quais:

  • Hiperatividade
  • A falta de reflexos .
  • Falta de capacidade de perceber o espaço e as distâncias.
  • Ataxia .
  • Tremendo

No caso da hipoplasia cerebelar , os neurônios de Purkinje não terminaram de se desenvolver ou morreram quando a criança ainda está no útero.

Deixe um comentário