Niflheim: significado e mitologia

Niflheim é um dos nove reinos da mitologia nórdica, lar dos mortos e dos seres do gelo. É um local sombrio e gelado, governado pela deusa Hel, filha de Loki. Niflheim é descrito como um lugar de escuridão e frio extremo, onde os mortos são levados após a morte. A mitologia nórdica descreve Niflheim como um dos extremos opostos do universo, juntamente com o reino de fogo, Muspelheim. Juntos, esses dois reinos representam o equilíbrio entre o frio e o calor, a escuridão e a luz na cosmologia nórdica.

Significado de Niflheim: descubra a origem e simbologia por trás deste termo nórdico.

Niflheim é um termo nórdico que significa “lar das névoas” ou “mundo das trevas”. Na mitologia nórdica, Niflheim é um dos Nove Mundos e é conhecido como o mundo primordial de gelo e nevoeiro.

De acordo com a mitologia nórdica, Niflheim é um dos dois reinos principais, juntamente com Muspelheim, que surgiram no início dos tempos. Niflheim é descrito como um lugar frio e sombrio, onde as névoas congelantes se misturam com os rios de gelo.

Na cosmogonia nórdica, Niflheim é o oposto de Midgard, o mundo dos humanos. Enquanto Midgard é um lugar de vida e luz, Niflheim representa a morte e a escuridão. É o lugar para onde vão as almas dos mortos que não morrem em batalha e é governado pela deusa Hel.

A simbologia por trás de Niflheim está relacionada com a dualidade entre vida e morte, luz e escuridão. Representa a parte sombria e fria do universo, onde as forças do caos e da destruição estão presentes. É um lugar de mistério e poder, onde a morte é apenas o começo de uma nova jornada.

Em resumo, Niflheim é um termo nórdico que representa o mundo das trevas e da morte na mitologia nórdica. É um lugar de gelo e nevoeiro, onde as almas dos mortos residem sob o governo de Hel. Sua simbologia está relacionada com a dualidade entre vida e morte, luz e escuridão, e representa o lado sombrio e misterioso do universo nórdico.

Quem habita o reino gelado de Niflheim?

O reino gelado de Niflheim é um dos nove mundos da mitologia nórdica, localizado nas profundezas do abismo Ginnungagap. Niflheim é conhecido por ser um lugar de frio extremo e escuridão, habitado por seres sombrios e misteriosos.

Segundo a mitologia nórdica, Niflheim é o lar de seres como os gigantes de gelo e os espíritos da neblina. Os gigantes de gelo são criaturas poderosas e malévolas, que representam as forças primordiais do caos e da destruição. Já os espíritos da neblina são entidades etéreas e enigmáticas, que se movem pelas sombras e sussurram segredos antigos.

Além dos seres sobrenaturais, Niflheim também é habitado por diversas criaturas selvagens e perigosas, como lobos de gelo e dragões de gelo. Essas criaturas estão sempre em busca de presas para saciar sua fome insaciável e espalhar o medo entre os habitantes do reino gelado.

Em resumo, o reino gelado de Niflheim é um lugar sombrio e misterioso, habitado por seres sinistros e perigosos. É um mundo de gelo e trevas, onde o frio cortante e a escuridão eterna reinam soberanos.

Relacionado:  Adjetivos: Tipos e Exemplos

Descubra como é o inferno na mitologia nórdica e seus terríveis tormentos.

Niflheim é o reino do gelo na mitologia nórdica, localizado na parte mais baixa do mundo, separado de outros reinos por um imenso rio de gelo chamado Elivagar. Neste lugar sombrio e gélido, os mortos que não são escolhidos para o Valhalla, o paraíso dos guerreiros, são enviados para viver uma eternidade de sofrimento e tormento.

Os habitantes de Niflheim são constantemente atormentados por criaturas monstruosas e demônios cruéis. As almas dos mortos são torturadas de diversas formas, desde queimaduras eternas até afogamentos intermináveis em rios congelados. O sofrimento é constante e insuportável, sem qualquer esperança de redenção ou descanso.

Os condenados em Niflheim vivem em um estado de desespero e agonia, sem jamais encontrar alívio para seus tormentos. Este é o destino terrível daqueles que falharam em sua jornada pela vida e não foram dignos de entrar nos salões gloriosos do Valhalla.

Em resumo, Niflheim é o inferno da mitologia nórdica, um lugar de sofrimento sem fim para as almas condenadas. Seus habitantes enfrentam tormentos terríveis e cruéis, sem qualquer esperança de redenção. É um destino sombrio e gélido, onde o gelo eterno é apenas o prenúncio dos horrores que aguardam aqueles que são enviados para lá.

Diferenças entre Helheim e Niflheim: conheça as distinções entre os reinos nórdicos dos mortos.

Quando se fala em mitologia nórdica, é comum surgirem dúvidas sobre os diversos reinos dos mortos, como Helheim e Niflheim. Embora ambos sejam parte do universo dos deuses e dos seres mitológicos, apresentam diferenças significativas que os distinguem um do outro.

Enquanto Helheim é conhecido como o reino dos mortos regido por Hela, a deusa da morte, Niflheim é o reino primordial de gelo e neblina, localizado ao norte do Ginnungagap. Niflheim é habitado por criaturas ancestrais e seres misteriosos, sendo um lugar associado ao frio e à escuridão.

Em Niflheim, acredita-se que exista a fonte de todas as águas, Hvergelmir, de onde surgem os rios que irrigam os nove mundos da cosmologia nórdica. Além disso, é neste reino que se encontra o rio Élivágar, que corre através do Ginnungagap e dá origem aos gelos primordiais que formaram o mundo.

Assim, é possível perceber que Helheim e Niflheim são dois reinos distintos dentro da mitologia nórdica, cada um com suas características e significados únicos. Enquanto Helheim representa o domínio da morte e da escuridão, Niflheim é o reino primordial de gelo e neblina, associado à origem das águas e dos gelos que deram forma ao mundo como o conhecemos.

Niflheim: significado e mitologia

Niflheim ou Niflheimr é um dos nove mundos da mitologia nórdica . R epresenta matéria fria em oposição ao Muspelheim ou matéria quente como uma das cosmogonias Scandinavian mitologia criação.Neste reino vive o dragão Níðhöggr, um ser dedicado a roer incessantemente as raízes da cinza perene ou árvore da vida, Yggdrasil.

De acordo com esse mito, o mundo nasceu do choque dessas duas forças no espaço mágico, chamado Ginnungagap. Ou seja, o espaço ou espaço que separava Niflheim de Muspelheim antes da criação.Na mitologia nórdica, o mundo é um disco plano localizado nos galhos da árvore da vida.

Niflheim: significado e mitologia 1

O dragão Níðhöggr constantemente roe as raízes da árvore da vida.

O que significa o nome Niflheim?

Niflheim (‘Nylfheim’ ou ‘NielHeim’) significa o Lar da Névoa . Na mitologia nórdica, é conhecido como o reino das trevas e trevas, que permanece cercado por uma névoa perpétua.

A palavra é composta de várias raízes. Nifl ( de onde) que junto com o Nifol anglo-saxão significa escuro.Nevel em holandês e Nebel em alemão, eles significam nevoeiro. Niflheim é pronunciado “NIF-el-hame”, do antigo nórdico niflheimr, ou “mundo do nevoeiro”.

Niflheim era o reino do frio e do gelo, atravessado pelos rios gelados de Elivágar e pelo poço Hvergelmir. De lá todos os rios nascem, de acordo com a primeira seção do livro de mitologia escandinava, Edda minor .

Sob esse gigantesco, escuro e gelado reino das trevas, está o reino dos mortos, chamado Helheim. Nela, a deusa Hela reina com seu cachorro Garm.

Helheim é uma das áreas mais escuras e escuras deste mundo gigantesco e gelado. Reina a poderosa deusa ou gigante Hela, filha do deus trapaceiro Loki.

Os dois reinos fundamentais eram Niflheim, o mundo do frio, e Muspelheim, o mundo do fogo. Juntando os dois reinos, isto é, frio e calor, a criação começa através do “vapor criativo”. Então, o mundo de Niflheim se tornou a morada da deusa Hela.

Segundo o relato da criação nórdica do historiador islandês cristão-medieval, Snorri Sturluson, o primeiro ser criado foi o gigante Ymir. Isso nasceu da violenta fusão do frio de Niflheim e do incêndio de Muspelheim no meio de Ginnungagap, o abismo que os separou inicialmente.

Niflheim ou Niflheimr?

A palavra “Niflheim” é descrita apenas nas obras de Snorri. É usado alternadamente como “Niflhel”, que se torna um “embelezamento poético” do mundo dos mortos “Hel”.

Por outro lado, a palavra “Niflhel” é encontrada em poemas da antiga língua nórdica mais antiga que as obras de Snorri. É provável que o termo “Niflheim” seja realmente uma invenção lingüística de Snorri.

É impossível saber exatamente se é uma palavra de origem tardia ou se é um termo antigo. A única fonte de informação sobre a mitologia da criação nórdica vem precisamente das obras de Snorri.

No poema Hrafnagaldr Óðins, Niflheimr é brevemente mencionado como um lugar no norte:

“Os poderes aumentaram

o iluminador de Alfs

norte antes de Niflheim

perseguiu a noite. “

O mundo dos mortos

Niflheim também é o mundo dos mortos e é governado pela deusa Hel. É o último dos nove mundos, onde os homens maus passaram depois de chegar à zona da morte (Hel).

Relacionado:  James Joyce: biografia, estilo, legado, obras, frases

Originalmente, Hel foi chamado ao mundo dos mortos, mas mais tarde significará a deusa da morte. Ele está localizado sob uma das raízes de Yggdrasill, a árvore do mundo e indo para o norte. Em Niflheim habita o dragão Níðhöggr, que roe as raízes da árvore da vida, que sustenta os nove mundos.

Depois de Ragnarök ou a batalha do fim do mundo, o dragão viajava pelo mundo para se dedicar a atormentar as almas que restavam.

Niflheim ou o Mundo das Trevas, foi dividido em várias seções, uma delas era Náströnd, a margem dos cadáveres. Onde um castelo se erguia ao norte, cheio de veneno de cobra.

Nesta fortaleza, assassinos, perjúrios e adúlteros sofreram tormentos e o dragão Nidhogg sugou o sangue de seus corpos.

Esta menção aparece em um poema inicial de Niflheim.

Os nove mundos da mitologia escandinava

Esses nove mundos são mencionados em um poema da edda poética ou edda menor. No entanto, nenhuma lista completa e precisa dos nove mundos é oferecida em nenhuma fonte de informação da mitologia nórdica.

Alguns autores baseados nos tipos de criaturas e seres encontrados na mitologia escandinava e na referência feita à sua terra natal em várias fontes literárias, fizeram a seguinte compilação experimental:

  1. Niflheim , o mundo primordial do gelo, é governado pela deusa ou pelo gigante Hela.
  2. Muspelheim, o mundo primordial do fogo, é habitado pelos Gigantes do Fogo.
  3. Midgard , o mundo dos homens, criado pelo deus Odin e seus irmãos, Vili e Ve.
  4. Jotunheim , o mundo dos gigantes do qual os homens de Midgard e os deuses de Asgard estão ameaçados.
  5. Svartalfheim , o mundo dos anões, vive nos elfos escuros.
  6. Asgard, o mundo da tribo Aesir de deuses e deusas. É governado por Odin e sua esposa Frigg.
  7. Vanaheim , o mundo da tribo Vanir, que é um dos dois clãs de deuses e deusas existentes na mitologia nórdica.
  8. Hel , o mundo da deusa com o mesmo nome Hel e os mortos. Está localizado na parte mais profunda e mais escura de Niflheim.
  9. Alfheim, o mundo dos elfos: os elfos luminosos (ljósálfar) e os svartálfar (elfos escuros que vivem dentro das montanhas).

Com exceção de Midgard, todos esses mundos são principalmente invisíveis. No entanto, às vezes eles podem se manifestar com algumas características visíveis do mundo.

Por exemplo, Jotunheim pode se sobrepor ao deserto físico, Hel com enterros ou tumbas (ou seja, o “submundo” abaixo do solo) e Asgard com o céu.

Referências

  1. Niflheim Retirado em 1 de março de 2018 de britannica.com
  2. Niflheim Consultado em norse-mythology.org
  3. Mc Coy Daniel: O espírito viking: uma introdução à mitologia e religião nórdica. Consultado em norse-mythology.org
  4. Niflheim Consultado em es.wikipedia.org
  5. Os 9 Mundos Consultado em mitologias.readthedocs.io
  6. Mitologia Nórdica (II). A criação do universo. Consultado em steemit.com

Deixe um comentário