Os 6 elementos de validade da lei

Os elementos de validade do ato jurídico são a manifestação de vontade, legalidade, ausência de defeitos, capacidade, formalidade e forma.

Esses 6 elementos abordam os requisitos necessários para qualificar um ato jurídico como legal e dão o aval necessário, por exemplo, a um contrato entre duas ou mais pessoas.

Os 6 elementos de validade da lei 1

Vários autores consideram que o objeto também é um elemento de validade, embora atualmente seja qualificado como elemento de existência, pois sem ele o ato jurídico não é fundado.

No entanto, a maioria dos estudos e publicações sobre leis inclui apenas os 6 elementos mencionados acima.

Elementos de validade do ato jurídico

Um ato jurídico apóia os elementos da existência, no entanto, são os elementos de validade que lhe conferem a legalidade.

Dentro dessas definições, pode-se entender que, mesmo se corretamente conformado, um ato jurídico só é válido se atender aos requisitos de validade; caso contrário, ele será nulo.

1- Demonstração de vontade

É a decisão explícita de um indivíduo participar de um exercício legal e tudo o que isso implica. Essa manifestação de vontade é geralmente entendida como a afirmação de uma pessoa quando se trata de agir.

Há ocasiões em que a manifestação da vontade em uma ação não é precisamente explícita, mas é interpretada.

O direito de permanecer calado é um exemplo de manifestação de vontade não dita ou não dita.

2- Legalidade

As leis exigem que o motivo, as condições e o objeto de qualquer ato jurídico sejam legais e lícitos.

Isso implica que nenhum contrato ou documento legal seja creditado como válido se seu conteúdo indicar algum princípio de criminalidade.

3- Forma

Um ato jurídico deve ser expresso, geralmente na forma escrita ou verbal, para deixar um registro da prática do exercício.

Relacionado:  Cabeças-chave da cultura Chavín: principais características

Normalmente, em muitos procedimentos que devem ser gerenciados em escritórios públicos – como casamentos, divórcios ou compra e venda de imóveis -, o modo escrito é usado na forma de contratos e documentos.

4- Capacidade

Esses são os requisitos que devem ser atendidos pelas pessoas que participam do ato jurídico. Essa capacidade de poder ou não fazer parte de um contrato ou ação legal pode ser ignorada (ou modificada) em casos extraordinários, como a morte.

Essas condições normalmente correspondem à maioridade, nacionalidade ou status legal como acusações e acusações criminais.

5- Formalidade

Assim como a capacidade, a formalidade engloba uma série de obrigações necessárias para o ato jurídico, mas neste caso elas não se referem aos indivíduos participantes, mas ao apoio do formulário.

Geralmente é aplicado a escritórios públicos onde o formulário deve ser escrito (como um documento) e verificado por funcionários e notários.

6- Ausência de vícios

A ausência de vícios estabelece que a manifestação da vontade deve ser totalmente espontânea e sem influência negativa, seja chantagem, erros desinformados, ataques físicos contra a pessoa ou algum tipo de deficiência que não lhe permita conhecer os termos e condições do ato jurídico em questão.

Referências

  1. Teoria do Direito (sf). Recuperado em 13 de dezembro de 2017, de Theory of Law.
  2. Andrés Cusi (29 de junho de 2014). Requisitos de validade da lei. Recuperado em 13 de dezembro de 2017, de Andrés Cusi.
  3. Irayz Oropeza (sf). Elementos de validade do ato jurídico. Recuperado em 13 de dezembro de 2017, de Monographs.
  4. O Ato Jurídico e seus elementos. 816 de março de 2013). Recuperado em 13 de dezembro de 2017, de Legalmente.
  5. Elementos de validade do ato jurídico (27 de junho de 2012). Recuperado em 13 de dezembro de 2017, de Obrigações Civis.

Deixe um comentário