Papilas de cálice: características, funções, histologia

As papilas de cálice são estruturas presentes no epitélio da língua responsáveis por perceber os sabores dos alimentos. Elas são compostas por células gustativas especializadas que detectam os diferentes estímulos químicos e enviam sinais ao cérebro para processamento. Além disso, as papilas de cálice também possuem células de suporte e células basais responsáveis pela renovação das células gustativas. A histologia das papilas de cálice revela uma organização complexa e altamente especializada para cumprir sua função sensorial.

Vias urinárias: qual a composição histológica desses órgãos?

As vias urinárias são um conjunto de órgãos responsáveis pela produção, armazenamento e eliminação da urina. Essas vias são compostas pelos rins, ureteres, bexiga e uretra. Cada um desses órgãos possui uma composição histológica específica que é fundamental para o seu funcionamento adequado.

Os rins são os responsáveis pela filtragem do sangue e pela produção da urina. Eles possuem uma estrutura complexa, composta por néfrons, glomérulos e túbulos renais. A principal função dos rins é regular o equilíbrio de água e eletrólitos no organismo, além de eliminar substâncias tóxicas através da urina.

Os ureteres são os tubos que conectam os rins à bexiga, permitindo o transporte da urina. Eles possuem uma camada muscular espessa que facilita o movimento da urina através do sistema urinário.

A bexiga é o órgão responsável pelo armazenamento da urina antes da sua eliminação. Ela é revestida por um epitélio de transição que permite a distensão do órgão conforme a quantidade de urina aumenta.

A uretra é o canal que transporta a urina da bexiga para o exterior do corpo. Ela é revestida por um epitélio estratificado que protege o canal contra agressões externas.

Papilas de cálice: características, funções, histologia

As papilas de cálice são projeções em forma de dedo localizadas no interior dos rins. Elas são responsáveis pela drenagem da urina dos cálices renais para os ureteres. As papilas de cálice possuem uma estrutura histológica complexa, composta por tecido conjuntivo, vasos sanguíneos e túbulos renais.

As principais funções das papilas de cálice incluem a concentração da urina e a manutenção do equilíbrio hídrico no organismo. Além disso, essas estruturas também são importantes para a eliminação de resíduos e toxinas do corpo.

A histologia das papilas de cálice é caracterizada por uma grande quantidade de túbulos renais, responsáveis pela reabsorção de água e substâncias importantes para o organismo. Além disso, essas estruturas possuem uma rede vascular densa que garante o suprimento de sangue necessário para a produção de urina.

Conceito de Histologia e classificação dos 4 tipos de tecidos do corpo humano.

A Histologia é a área da biologia que estuda os tecidos do corpo humano, analisando sua estrutura, função e organização. Existem quatro tipos principais de tecidos no corpo humano: tecido epitelial, tecido conjuntivo, tecido muscular e tecido nervoso.

O tecido epitelial é responsável por revestir as superfícies do corpo, protegendo-o de agressões externas. O tecido conjuntivo é responsável por fornecer suporte e sustentação aos órgãos e tecidos do corpo. O tecido muscular está relacionado com a contração e movimentação do corpo, enquanto o tecido nervoso é responsável pela transmissão de impulsos nervosos e pela coordenação das funções do organismo.

Papilas de cálice: As papilas de cálice são estruturas encontradas no intestino delgado e são responsáveis pela produção de muco, que auxilia na proteção da mucosa intestinal. Histologicamente, as papilas de cálice são compostas por células caliciformes, que secretam o muco, e células absortivas, que absorvem nutrientes.

Relacionado:  Espécies endêmicas: características e exemplos no México

Além disso, as papilas de cálice também contêm células enteroendócrinas, responsáveis pela liberação de hormônios no intestino. Essas células desempenham um papel importante na regulação do sistema digestivo e na comunicação entre o intestino e outros órgãos do corpo.

Em resumo, as papilas de cálice são estruturas especializadas do intestino delgado que desempenham funções essenciais na proteção da mucosa intestinal, na absorção de nutrientes e na regulação do sistema digestivo.

Estrutura microscópica dos rins: como é organizada?

A estrutura microscópica dos rins é altamente complexa e organizada de forma a desempenhar suas funções essenciais no corpo humano. Os rins são compostos por milhares de unidades funcionais chamadas de néfrons, que são responsáveis pela filtração do sangue e pela formação da urina.

Cada néfron é composto por um glomérulo, que é uma rede de capilares sanguíneos, e um sistema de túbulos renais. Os túbulos renais são divididos em diversas regiões, incluindo o túbulo contorcido proximal, a alça de Henle e o túbulo contorcido distal. Essas estruturas desempenham papéis específicos na reabsorção de substâncias essenciais e na excreção de resíduos do organismo.

Uma das estruturas importantes encontradas nos rins são as papilas de cálice, que são projeções em forma de cone localizadas nas extremidades dos túbulos renais. As papilas de cálice são revestidas por células especializadas que auxiliam na concentração da urina e na eliminação de resíduos do corpo.

A histologia das papilas de cálice é caracterizada por uma camada de células epiteliais que revestem os túbulos renais, além de células musculares lisas e tecido conjuntivo. Essas células trabalham em conjunto para garantir a função adequada das papilas de cálice na formação da urina.

Em resumo, as papilas de cálice desempenham um papel fundamental no processo de formação da urina, contribuindo para a regulação do equilíbrio hidroeletrolítico e para a eliminação de resíduos do organismo. A organização complexa e a histologia específica das papilas de cálice garantem o funcionamento adequado dos rins e a manutenção da saúde do corpo.

Identifique a estrutura do sistema urinário com esse padrão histológico característico.

As papilas de cálice são estruturas localizadas no final dos cálices renais, que fazem parte do sistema urinário. Elas possuem um padrão histológico característico, sendo compostas por tecido epitelial e conjuntivo.

O epitélio que reveste as papilas de cálice é do tipo transicional, o qual é capaz de se distender e contrair de acordo com a quantidade de urina presente. Já o tecido conjuntivo presente nessas estruturas é responsável por fornecer suporte e nutrição às células epiteliais.

Além disso, as papilas de cálice desempenham uma função importante no sistema urinário, pois são responsáveis por transportar a urina dos cálices renais até os ureteres. Dessa forma, ajudam no processo de eliminação de resíduos metabólicos do corpo.

Em resumo, as papilas de cálice são estruturas essenciais do sistema urinário, com um padrão histológico característico, que desempenham um papel fundamental na excreção de resíduos do organismo.

Papilas de cálice: características, funções, histologia

O vallated , também chamado papilas circunvalada estão localizados na parte de trás da língua, na região mais próxima garganta.São as papilas linguais maiores e mais especializadas como papilas gustativas.

Relacionado:  Capitaneja: características e usos medicinais

Essas papilas são tão grandes que podem ser vistas a olho nu, mas também são as menos numerosas no epitélio lingual. Eles são encontrados em um número variável, entre 7 e 12, distribuídos em duas linhas na forma de um V. invertido

Papilas de cálice: características, funções, histologia 1

Por Antimoni (trabalho derivado do usuário Antimoni) [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Todas as papilas de cálice contêm papilas gustativas, que representam a unidade funcional do sentido do paladar . Essas papilas, em número muito baixo, contêm aproximadamente 40% do total de papilas gustativas, tornando-se as papilas mais importantes para a detecção de sabores.

O tecido epitelial ao redor das papilas gustativas tende a invadir, formando um sulco ao redor, onde são depositados os compostos que formam os alimentos dissolvidos na saliva, interagindo com os receptores e desencadeando o processo de transdução de Os sinais do paladar.

Caracteristicas

Forma

As papilas de cálice, também chamadas de derivação, têm a forma de um cone truncado invertido, com o ápice voltado para baixo, ligado ao epitélio da língua.

A parte mais larga, projetada na superfície da língua, exposta à cavidade oral, contém numerosas papilas secundárias ou papilas gustativas. Devido a essa aparência de cálice, foi atribuído o nome de cálice.

Tamanho

São as maiores papilas linguais e seu tamanho pode variar de 1,5 a 3 mm de diâmetro. O maior está localizado no centro, no ápice do V lingual. Todos são muito vascularizados.

As papilas caliciformes são bem definidas em seu espaço, elevadas acima da mucosa e dispostas simetricamente em ambos os lados.

Epitélio escamoso

Cada papila circunvalada é cercada por um epitélio escamoso não queratinizado, que forma uma invaginação em forma de ferradura.

Em direção a esse sulco circular profundo, do tipo sulco, que faz fronteira com a papila circunvalada, as papilas gustativas são expostas nas paredes externas, que se abrem em direção ao sulco irrigado pelas glândulas salivares linguais de Von Ebner.

Número

O número de papilas circunvaladas presentes em um indivíduo pode ser influenciado por sexo, cultura e genética. Em geral, o número de papilas gustativas nas papilas circunferenciais varia de 250 a 270, localizado nas paredes laterais das papilas.

A formação desses botões são dois tipos de células, algumas que fazem fronteira com a estrutura e sustentam o restante da estrutura, e o segundo tipo são as células sensoriais, que recebem o estímulo e se conectam com as fibras nervosas para conduzir a mensagem o cérebro .

Um botão gustativo pode conter 40 a 60 células sensoriais dentro do epitélio papilar estratificado.

Com o envelhecimento, a quantidade de papilas gustativas nas papilas circunvaladas está diminuindo. Como conseqüência, a capacidade de degustação também é reduzida. Além disso, a exposição regular à nicotina danifica as papilas, afetando também o paladar.

Papilas de cálice: características, funções, histologia 2

Foto do autor. Tiro da câmera digital de papilas circunvaladas humanas através de um microscópio.
Transferido de en.wikipedia para o Commons por FastilyClone usando MTC!
https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Circuvallate_papilla.JPG

Histologia

Papilas circuladas são formadas por várias camadas de tecidos celulares. Uma camada de epitélio escamoso estratificado e queratinizado é encontrada na cobertura superficial da papila.

Além disso, eles são cobertos por uma camada de células epiteliais não queratinizadas na superfície lateral e, finalmente, as papilas gustativas são encontradas na superfície lateral não queratinizada e em direção ao centro.

Relacionado:  Mesênquima: Tipos, Funções e Doenças

Os tecidos conjuntivos são encontrados na região central das papilas e as glândulas salivares secundárias, as glândulas de von Ebner, localizam-se abaixo desse tecido.

As glândulas salivares de Von Ebner, localizadas lingualmente, produzem secreções serosas, que despejam no sulco ao redor das papilas dos cálices. Eles têm um papel ativo na percepção sensorial, bem como na manutenção e proteção do epitélio das papilas.

Todas as células que compõem as papilas são continuamente substituídas pela proliferação de células epiteliais.

Devido à sua localização, as papilas caliciformes são inervadas pelo nervo glossofaríngeo, que é o nervo presente no terço posterior da língua. Esse nervo também compromete os componentes sensoriais, motores e parassimpáticos da região.

Funções

Papilas circuladas são quimiorreceptores. Com o contato com uma substância que funciona como estímulo, eles agem como receptores que transmitem o sinal recebido de um composto químico e o transformam em um potencial de ação que é transmitido às fibras nervosas para alcançar o cérebro.

Os sabores desagradáveis ​​são identificados com as papilas circunvaladas, antes de entrarem no sistema digestivo pela garganta. Assim, é possível restringir a ingestão de qualquer substância venenosa ou que tenha um sabor repugnante. Eles também receberam o papel de contribuir para a reflexão de náuseas e vômitos.

Possíveis doenças ou distúrbios

Hipertrofia papilar e papilite são processos benignos. Eles podem ser motivo de consulta, devido à preocupação ou problemas estéticos do paciente, no entanto, geralmente não representam um sério problema de saúde.

As papilas linguais podem ser alteradas com freqüência, seja por doenças da língua ou como sintoma de outras doenças subjacentes. Existem vários tipos de alterações papilares, entre as quais:

Glossite

A língua parece inchada e inflamada, e pode haver uma depapilação da língua durante a qual as papilas da língua são perdidas. Essa condição pode causar dificuldade em mastigar e falar, e geralmente se manifesta com dor.

Papilite

Essa é outra complicação clínica relacionada à inflamação das papilas. Nesta situação, as papilas parecem inchadas.

A inflamação e o aumento das papilas podem ser devidos a várias causas, como infecções virais, medicamentos, consumo excessivo de alimentos apimentados, muito salgados ou quentes, úlceras na boca, consumo de substâncias tóxicas, alergias a certos alimentos, câncer bucal, entre outras circunstâncias que pode causar distúrbios

Na papilite das papilas circunvaladas, os sinais de hipertrofia são mostrados e aparecem avermelhados. Rotineiramente, a hipertrofia aparece devido ao consumo de alimentos excessivamente quentes ou com sabores muito fortes (amargo, azedo ou salgado). Esta condição não é muito patológica.

Referências

  1. Morales JM, Mingo EM, Caro MA (2014) Fisiologia do paladar. Treinamento otorrinolaringológico. Livro virtual de treinamento em otorrinolaringologia. [online] Disponível em: booksmedicos.org.pdf
  2. Papilas circunvaladas (2009). In: Binder MD, Hirokawa N., Windhorst U. (eds) Encyclopedia of Neuroscience. Springer, Berlim, Heidelberg
  3. Papilas circunvaladas. Doenças de saúde Disponível em: healthdiseases.org.
  4. Como nosso senso de gosto funciona? Disponível em: ncbi.nlm.nih.gov.
  5. Gravina S., Yep G., Khan M. (2013) Human Biology of Taste. Anais da Medicina Saudita. 33: 217-222.
  6. Vicals Church H, Knight R, Sabater MM. (1996) Hipertrofia das papilas da língua. Av Odontoestomatol; 12: 247-255

Deixe um comentário