Período Colonial Argentina: Conquista, Colonização, Sociedade

O período colonial da Argentina foi marcado por uma série de eventos que moldaram a sociedade e a cultura do país. Desde a chegada dos colonizadores espanhóis no século XVI até a independência em 1816, a Argentina passou por um processo de conquista, colonização e formação de uma sociedade multicultural e diversificada. Neste contexto, surgiram diferentes grupos sociais, como colonos espanhóis, povos indígenas e africanos escravizados, que influenciaram a estrutura social e econômica do período colonial argentino. Neste artigo, exploraremos as principais características desse período e como ele contribuiu para a formação da Argentina como conhecemos hoje.

História da colonização argentina: influência europeia, conquista indígena e formação da sociedade criolla.

A história da colonização argentina foi marcada pela influência europeia, pela conquista dos povos indígenas e pela formação da sociedade criolla. A chegada dos europeus, principalmente dos espanhóis, teve um impacto significativo na região, trazendo novas tecnologias, costumes e religião.

Os espanhóis iniciaram a conquista dos territórios indígenas, subjugando os nativos e impondo sua cultura. Com a colonização, as populações indígenas foram dizimadas ou assimiladas, resultando em um processo de miscigenação e formação de uma sociedade multicultural.

A sociedade criolla surgiu a partir da mistura de europeus, indígenas e africanos, criando uma nova identidade cultural na Argentina. Os criollos ocupavam uma posição intermediária na hierarquia social, entre os europeus e os indígenas, e desempenhavam um papel importante na organização da sociedade colonial.

Assim, a colonização argentina foi um processo complexo, marcado pela influência europeia, pela conquista dos povos indígenas e pela formação de uma sociedade criolla única na América Latina.

Origem do povo argentino: desvendando as raízes históricas e culturais da população argentina.

A Argentina, assim como muitos países da América Latina, tem uma história rica e complexa que moldou a identidade do seu povo. Para compreender a origem do povo argentino, é necessário voltar ao Período Colonial, momento em que o país foi conquistado e colonizado pelos europeus.

A Conquista da Argentina começou no século XVI, quando os espanhóis chegaram ao território em busca de riquezas e recursos naturais. Com a chegada dos colonizadores, teve início o processo de Colonização, que trouxe mudanças significativas para a região.

A sociedade argentina durante o Período Colonial era marcada pela hierarquia social, com os espanhóis no topo da pirâmide e os povos indígenas e africanos na base. Essa mistura de culturas e etnias contribuiu para a formação de uma sociedade diversificada e multicultural.

As influências culturais dos povos indígenas, europeus e africanos se misturaram ao longo dos séculos, criando uma identidade única para o povo argentino. A culinária, a música, a dança e as tradições populares são reflexos dessa diversidade cultural.

Portanto, ao desvendar as raízes históricas e culturais da população argentina, é possível compreender a complexidade e a riqueza do seu patrimônio cultural. A mistura de influências e tradições ao longo dos séculos contribuiu para a formação de uma identidade única e singular para o povo argentino.

Características principais da Argentina: um resumo do que torna o país único.

A Argentina é um país com uma rica história colonial, que influenciou profundamente sua sociedade e cultura até os dias de hoje. Durante o Período Colonial, a Argentina passou por um processo de conquista e colonização que moldou sua identidade nacional.

Uma das características principais da Argentina é sua diversidade geográfica, que vai desde as majestosas montanhas dos Andes até as vastas planícies da Pampa. Essa variedade de paisagens contribui para a riqueza da flora e fauna do país, tornando-o um destino turístico popular para os amantes da natureza.

Além disso, a Argentina é conhecida por sua rica tradição gastronômica, que combina influências européias e indígenas. Pratos típicos como a famosa asado e o delicioso mate fazem parte da identidade cultural do país.

Outra característica marcante da Argentina é seu forte legado artístico, com renomados escritores como Jorge Luis Borges e Julio Cortázar, e artistas plásticos como Antonio Berni e Xul Solar. A música também desempenha um papel importante na cultura argentina, com gêneros como o tango e o folclore marcando presença em todo o país.

Em resumo, a Argentina é um país único, com uma história colonial rica, uma geografia diversificada, uma culinária saborosa e uma cultura vibrante. Essas características fazem da Argentina um destino imperdível para quem deseja conhecer um pouco mais sobre a história e a cultura da América Latina.

Origem e desenvolvimento da cultura argentina: uma análise histórica e cultural.

A cultura argentina possui uma rica história que teve início durante o Período Colonial. A conquista e colonização espanhola foram fundamentais para a formação da sociedade argentina, influenciando sua cultura de maneira profunda.

Relacionado:  Localização geográfica dos maias (e temporal)

Durante a Conquista, os espanhóis chegaram ao território argentino em busca de riquezas e recursos naturais. Com a colonização, estabeleceram um sistema de dominação baseado na exploração dos povos nativos e na imposição de sua cultura.

A sociedade colonial argentina era estratificada, com os espanhóis ocupando os cargos mais altos e os povos nativos e africanos escravizados relegados a posições subalternas. Esse sistema social refletia as desigualdades presentes na cultura argentina da época.

O desenvolvimento da cultura argentina durante o Período Colonial foi marcado pela fusão de elementos espanhóis, indígenas e africanos. Essa mistura cultural resultou em uma rica diversidade de manifestações artísticas, gastronômicas e religiosas que caracterizam a cultura argentina até os dias atuais.

Em suma, a cultura argentina teve origem e se desenvolveu a partir da conquista, colonização e formação da sociedade durante o Período Colonial. A influência espanhola, indígena e africana moldou a identidade cultural argentina, tornando-a única e diversificada.

Período Colonial Argentina: Conquista, Colonização, Sociedade

A era colonial argentina é o nome dado ao período da história em que a República Argentina estava sob o controle da coroa e dos conquistadores espanhóis. Abrange todo o período desde o estabelecimento dos primeiros lares pelos europeus no país até sua independência, em 1816.

Durante esse período, a Argentina foi considerada uma das colônias menores da Espanha, pois o centro do governo europeu nessa região estava no Peru devido à presença significativa de recursos naquela área e à falta de minerais na Argentina.

Período Colonial Argentina: Conquista, Colonização, Sociedade 1

O controle da Argentina também foi prejudicado, em primeira instância, pelo grande número de tribos nômades na região . No entanto, em 1776, a Coroa Espanhola reconheceu a importância da Argentina com o estabelecimento de um vice-reinado no Rio da Prata, que deu à região mais poder menos de meio século após sua total independência.

Durante a era colonial, as cidades argentinas foram se tornando cada vez mais áreas onde uma identidade nacional foi estabelecida em seus habitantes. Isso, juntamente com o desenvolvimento econômico da região, foram os principais catalisadores da independência da Argentina.

Nos quase 300 anos desde a sua descoberta até sua independência, a Argentina ganhou reconhecimento mundial e se tornou uma das potências econômicas latino-americanas da época.

Conquista

Durante o período pré-colombiano, a terra que hoje é conhecida como Argentina tinha um pequeno número de habitantes. As tribos que habitavam a área eram principalmente nômades, o que significa que não se estabeleceram em um local fixo, mas mudaram sua localização de acordo com a disponibilidade de recursos em cada área.

A única presença indígena de grande importância na Argentina antes da conquista espanhola foi a do Império Inca, que foi construído com uma grande área de terra em todo o norte do país hoje conhecido.

Os primeiros grupos indígenas que se opuseram aos exploradores espanhóis foram os Charrúas, uma tribo da região que inclui a fronteira da Argentina e Uruguai.

Durante a chegada dos primeiros exploradores da Espanha, comandados por Juan Díaz de Solís, a tribo Charrúa enfrentou os navegadores e matou vários deles.

Resistência indígena

A conquista da Argentina foi, apesar da presença de tribos regionais, bastante pacífica para os padrões da época. Isso ocorreu devido ao pequeno número de habitantes na vasta área de terra.

Além disso, a presença dos incas havia sido controlada pelos espanhóis antes da conquista da Argentina, já que o domínio do Peru já havia sido estabelecido.

Apesar disso, os espanhóis enfrentaram problemas com alguns grupos indígenas presentes nos vales de Calchaquí. Houve batalhas curtas, mas constantes, durante 35 anos, de 1630 a 1665. Naquela época, os espanhóis finalmente impuseram o controle na região e os aborígines deixaram a área.

Houve uma retirada geral de todas as tribos da região (incluindo os nômades) e até algumas foram unificadas com os mapuches para tentar retomar as terras perdidas. A aliança não teve sucesso e os espanhóis continuaram o avanço em direção ao sul do país.

Foram os padres jesuítas que conseguiram apaziguar um grande número de aborígines na área e, em parte, o pouco derramamento de sangue é devido a esses religiosos.

Expansão

A etapa de conquista foi uma das mais extensas em todo o continente: mesmo que as colônias tivessem sido estabelecidas, a resistência continuou a ser apresentada e a grande extensão de terras ao sul povoada por aborígenes nômades complicou um avanço mais rápido dos espanhóis.

Relacionado:  Os 4 principais grupos étnicos de Guerrero

Note-se que a ocupação da Argentina não teve prioridade quando se descobriu que a região não era rica em prata ou minerais em geral, ao contrário de outras terras já colonizadas mais ao norte, como o Peru.

Colonização espanhola

Os primeiros europeus – dos quais há um recorde – que chegaram à região foram os portugueses. Durante a expedição partindo de João (Lisboa) em 1512, o Rio da Prata foi avistado pela primeira vez. Houve um breve intercâmbio entre portugueses e indígenas (principalmente Charrúas), mas nenhuma colônia européia foi estabelecida.

Três anos e meio depois, em 1516, foi dada a primeira expedição espanhola à Argentina. Foi liderado por Juan Díaz de Solís, considerado o primeiro explorador espanhol a pisar em terra argentina como produto desta expedição. 20 anos depois, a primeira colônia espanhola na Argentina foi estabelecida na atual capital: Buenos Aires.

O estágio de colonização da Argentina foi lento e, de várias maneiras, improdutivo. Mais de três décadas se passaram para a inauguração da segunda colônia após o abandono, em 1541, da qual era a única colônia espanhola. Isso aconteceu em 1573, quando Córdoba foi fundada.

Naquela época, Córdoba foi estabelecida com o objetivo de expandir o vice-reinado do Peru, cuja capital era Lima e agora teria território na Argentina.

Vários habitantes chegaram do Peru para povoar a área e se estabeleceram na região, que foi uma das primeiras áreas da América do Sul sem a finalidade de obter riqueza, uma vez que La Plata não possuía recursos extensos de minerais ricos.

Desenvolvimento das primeiras cidades da Argentina

Após o estabelecimento de Córdoba em 1573, uma segunda cidade foi estabelecida em 1580, também pertencente ao vice-reinado do Peru.

Durante o período de ocupação espanhola na que mais tarde se tornou Argentina, havia três cidades principais que desenvolveram características únicas de liderança interna e considerável força econômica:

San Miguel de Tucumán

Uma dessas cidades era San Miguel de Tucumán, cuja liderança durou quase 150 anos: desde o estágio intermediário do século XVI até o final do século XVII. A população de Tucumán tinha uma ampla jurisdição dos controles eclesiásticos da região, além de uma importante participação política.

Tucumán também tinha controle absoluto do comércio local. Como a Argentina não era rica em recursos naturais, o gado era amplamente explorado.

Tucumán produziu uma quantidade significativa de gado, e este foi enviado para o topo do vice-reinado do Peru (a área que hoje ocupa o mapa da Bolívia) em troca de mercadorias trazidas da Espanha.

Cordoba

A cidade de Córdoba usou um sistema bastante semelhante ao de San Miguel de Tucumán. A razão pela qual a influência de Córdoba aumentou foi principalmente a expansão que essa cidade teve, tornando-se uma área central no território do vice-reinado, que permitiu um acesso mais fácil ao comércio.

Em 1613, também foi criada a Universidade de Córdoba, que fez da cidade um dos principais centros intelectuais da região.

bons ares

A cidade de Buenos Aires foi a mais influente em todo o território argentino. Ele ganhou destaque no final do século 18, menos de um século antes da independência da Argentina. A cidade tornou-se um centro de progresso econômico, cultural e político que simbolizava as crenças com as quais a república independente foi fundada.

Foram tomadas medidas econômicas para subestimar a renda obtida das minas de prata do Peru, que estavam com poucos recursos após séculos de mineração constante.

Buenos Aires começou a negociar diretamente com nações européias, sendo a primeira cidade argentina a se envolver em comércio transatlântico aberto com o Velho Continente.

Na Europa, o movimento cultural conhecido como Iluminismo já havia começado, e as idéias progressistas desse movimento chegaram a Buenos Aires. Os intelectuais da cidade estavam interessados ​​em idéias, que propunham que o conhecimento cultivado em seres humanos fosse capaz de combater a ignorância.

Isso gerou uma mudança direcional do intelectualismo de Córdoba em relação a Buenos Aires, seguida por uma reorientação absoluta da vida política da região com o estabelecimento do vice-reinado de La Plata em 1776.

Vice-reinado de La Plata

O vice-reinado do Peru passou a ter Buenos Aires como capital em 1776, e recebeu o nome de vice-reinado de La Plata. Estendeu-se por todo o território argentino e do que hoje é Paraguai, Bolívia e Uruguai.

Relacionado:  História tradicional: história, que estudos, características

A principal razão para o estabelecimento desse novo vice-reinado foi completamente econômica, mas a concentração de poder em Buenos Aires gerou consequências contraproducentes para a coroa espanhola. Isso resultou na desestabilização política do vice-reinado de La Plata e na eventual independência da Argentina.

A Espanha procurou proteger seu território colonial da expansão portuguesa e britânica. No entanto, já havia um alto descontentamento por parte dos habitantes das colônias pelas restrições e limitações impostas pela Espanha.

Apesar das tentativas da Coroa de apaziguar as cidades do vice-reinado, não demorou muito tempo para começarem a surgir revoluções causadas pelos crioulos, que criaram conselhos governamentais na região. Esses foram os primeiros antecedentes da independência da Argentina, consolidada alguns anos depois, em 1816.

Sociedade Colonial na Argentina

Após a colonização do Rio da Prata, foram feitas tentativas para estabelecer portos ao longo da costa. No entanto, este evento não pôde acontecer, porque a água não era profunda o suficiente.

Isso fez com que as mercadorias que tinham que chegar diretamente a La Plata não pudessem acessar pelo mar, que era a principal maneira de fazê-lo na época.

Como conseqüência disso, todos os tipos de cobranças tiveram que passar primeiro pelo porto peruano de Callao, perto de Lima. O desvio de comércio causou o efeito dominó de que o contrabando era uma das formas mais comuns de obter renda nas sociedades das regiões do vice-reinado do Peru, que hoje compõem Buenos Aires e Montevidéu.

A economia da Espanha começou a declinar no início do século XVII. Naquela época, os crioulos e os europeus com mais poder de compra começaram a comprar terras da coroa espanhola, onde inauguraram um grande número de fazendas em todo o território argentino.

Quando o vice-reinado de La Plata foi estabelecido em 1776, a sociedade do que seria a Argentina já tinha um alto entendimento do poder da região e as forças crioulas logo começaram revoluções para desestabilizar o controle espanhol.

Personagens de destaque da época colonial argentina

Jerónimo Luis de Cabrera

Cabrera foi o fundador da cidade colonial de Córdoba. Além disso, atuou como governador da província de Tucumán e foi uma das figuras políticas mais influentes do início das atividades espanholas nas colônias da América do Sul.

Juan de Garay

Garay foi um dos principais emissários da coroa espanhola no vice-reinado do Peru, sendo governador do que hoje é o Paraguai. Esse conquistador foi responsável por fundar um número significativo de cidades que mais tarde formaram parte da Argentina, incluindo Buenos Aires.

Manuel Belgrano

Manuel Belgrano foi um dos principais libertadores da Argentina. Sua influência no estágio final da era colonial argentina (antes da independência) levou não apenas à independência da Argentina, mas também colaborou com a do Paraguai.

Ele foi o criador da bandeira da Argentina. Em 1816, ele participou do congresso de Tucumán, onde foi declarada a independência de seu país.

Santiago de Liniers

Liniers era um francês que trabalhou com o exército espanhol e se tornou um dos principais líderes que retomou Buenos Aires sem ajuda espanhola após a invasão dos britânicos. Sua atuação levou à sua nomeação como vice-rei da cidade, sem consulta prévia com o rei da Espanha.

Este foi um dos eventos mais importantes da Argentina colonial, criando um alto sentimento regionalista na área que fortaleceu os esforços de independência cinco anos depois.

Referências

  1. Argentina, Encyclopedia Britannica, (sd). Retirado de britannica.com
  2. História da Argentina, (s). Retirado de latinamericancollection.com
  3. História da Argenitne, desde sua origem até sua colonização; (nd) Retirado de argentina-excepcion.com
  4. A nação da Argentina, (sd). Retirado de nationonline.org
  5. BBC Argentina Country Profile, (nd), 29 de maio de 2012. Extraído de bbc.co.uk
  6. Regra colonial, (sd). Retirado de footprinttravelguides.com
  7. History of Argentina, (nd), 12 de março de 2018. Extraído de wikipedia.org
  8. Pedro de Mendoza, (nd), 9 de março de 2018. Extraído de wikipedia.org
  9. Juan de Garay, (nd), 6 de março de 2018. Extraído de wikipedia.org
  10. Santiago de Liniers, (nd), 13 de novembro de 2017. Extraído de wikipedia.org
  11. Manuel Belgrano, (nd), 25 de fevereiro de 2018. Extraído de wikipedia.org

Deixe um comentário