Pesquisa quantitativa: características, técnicas, exemplos

Pesquisa quantitativa: características, técnicas, exemplos

pesquisa quantitativa  é um conjunto de métodos para coletar e interpretar dados que são usados ​​para estudar empiricamente os fenômenos naturais. É baseado principalmente em estatística e matemática, usando essas ferramentas e outras semelhantes para criar hipóteses e modelos teóricos sobre o que está sendo investigado.

A pesquisa quantitativa difere da pesquisa qualitativa, pois o primeiro foco é descobrir princípios gerais sobre o campo de estudo, em vez de uma compreensão aprofundada da natureza de um único elemento. Dessa forma, a pesquisa quantitativa geralmente é mais focada em grupos do que em assuntos específicos.

Esse tipo de pesquisa é amplamente utilizado em campos tão diversos quanto psicologia, economia, sociologia, marketing, saúde ou demografia. Por outro lado, as investigações das ciências puras, como física ou matemática, também são consideradas quantitativas por alguns especialistas, embora suas características sejam ligeiramente diferentes.

Quando se trata de entender como a pesquisa quantitativa funciona, o mais importante é entender que ela depende da estatística para formular hipóteses gerais a partir de casos particulares. Por exemplo, estudando um grupo muito grande de pessoas, você pode fazer previsões sobre o comportamento de um indivíduo em particular.

Características da pesquisa quantitativa

– Geração de modelos, hipóteses e teorias

O principal objetivo da pesquisa quantitativa é analisar grandes quantidades de dados para construir modelos e teorias a partir deles. Dessa forma, cada caso específico é usado como mais uma peça no caminho do desenvolvimento do conhecimento estatístico, em vez de ser o processo central da pesquisa, como na pesquisa qualitativa.

Modelos e hipóteses são gerados em pesquisas quantitativas através do uso de estatísticas. Assim, por exemplo, se um comportamento fosse repetido 70% do tempo pelos indivíduos estudados em uma situação específica, poderia ser considerado que é muito provável que uma pessoa aja dessa maneira e seria viável fazer previsões sobre ele.

– Use métodos de medição objetivos

Na pesquisa qualitativa, os métodos de medição geralmente são abertos e visam entender o mais profundamente possível o fenômeno a ser estudado. Por outro lado, no quantitativo, o importante é obter o máximo de dados possível sobre um aspecto muito específico, para que as medições sejam feitas de uma maneira completamente diferente.

Relacionado:  Geomorfologia: história, o que estuda, geoformas, importância

Geralmente, em ferramentas de pesquisa quantitativa, como testes padronizados, entrevistas estruturadas e até métodos experimentais com controle variável, são usados ​​para coletar o máximo de dados objetivos possível.

– Uso de desenhos experimentais

A pesquisa quantitativa geralmente tenta encontrar relações de causa e efeito entre diferentes variáveis, com o objetivo de ser capaz de criar teorias aplicáveis ​​a contextos amplos e que não dependem de fatores específicos. Por esse motivo, geralmente usa desenhos experimentais complexos nos quais diferentes variáveis ​​são manipuladas para verificar os resultados.

Assim, na pesquisa quantitativa, encontramos modelos como experimental ou quase-experimental, nos quais o especialista controla algumas das variáveis ​​que podem influenciar o resultado.

– Analise de dados

A pesquisa quantitativa normalmente trabalha com quantidades relativamente grandes de dados. Por esse motivo, é praticamente essencial o uso de métodos como análises estatísticas, regressões ou até técnicas de big data para poder tirar conclusões confiáveis ​​e descobrir padrões e relacionamentos entre as variáveis ​​estudadas.

Por esse motivo, para uma investigação quantitativa ser considerada confiável, é necessário trabalhar com um número relativamente alto de casos. É o contrário do que ocorre na pesquisa qualitativa, na qual o especialista se concentra na compreensão de um único fenômeno em profundidade.

Técnicas e instrumentos em pesquisa quantitativa

Existem muitas classificações diferentes que tentam agrupar todos os tipos de pesquisa quantitativa que podemos encontrar. Um dos mais comuns é o que os divide em quatro classes: pesquisas, estudos correlacionais, investigações causais e experimentos. A seguir, veremos no que cada um deles consiste.

Pesquisas

Pesquisas são as ferramentas mais básicas que podem ser usadas para realizar estudos quantitativos. Seu principal objetivo é fazer perguntas a um número mais ou menos grande de participantes, com o objetivo de entender quais são as respostas mais comuns no nível estatístico em uma determinada população.

As pesquisas eram tradicionalmente realizadas pessoalmente ou por telefone. Atualmente, no entanto, eles também podem ser realizados usando novas tecnologias. Assim, muitos pesquisadores usam a Internet para criar pesquisas de todos os tipos e aprender mais sobre as necessidades do mercado ou seu comportamento.

Relacionado:  As 10 aplicações mais importantes de engenharia genética

Dentro do mundo das pesquisas, existem muitas alternativas. Alguns deles são usados ​​apenas com um público específico, enquanto outros comparam grupos diferentes usando análises estatísticas.

Estudos correlacionais

Estudos correlacionais são aqueles que têm o objetivo de estabelecer relações entre dois fenômenos ou entidades. A idéia é entender como elas variam, embora não possam ser feitas inferências sobre as relações de causa e efeito que existem entre elas.

Os estudos correlacionais são amplamente baseados em estatística e análise matemática. Essas ferramentas são usadas para descobrir tendências, padrões e relacionamentos. No entanto, é normalmente aconselhável não tirar conclusões baseadas apenas nesses tipos de estudos.

Investigações causais

Este método de pesquisa também é conhecido como quase-experimental. É usado principalmente para estudar relações causais entre duas variáveis, onde uma é dependente da outra. No entanto, a diferença entre esse método e outros semelhantes é que, nas investigações causais, a variável dependente não é manipulada, apenas observada.

Investigações quase experimentais podem ser realizadas com mais de duas variáveis, desde que pelo menos uma seja considerada independente; isto é, que suas mudanças influenciam os demais presentes no estudo. Como no caso anterior, os resultados e conclusões são derivados da realização de uma análise estatística.

Experiências

A pesquisa experimental é baseada na manipulação de uma variável independente para observar seu efeito em outros dependentes, enquanto todos os fatores ambientais que podem influenciar os resultados são controlados.

Como regra, os experimentos devem se basear em uma suposição ou teoria que ainda não foi comprovada. A idéia desse tipo de pesquisa é justamente coletar dados que permitam tirar conclusões sobre ele.

Por outro lado, investigações experimentais são os únicos métodos quantitativos que podem ser usados ​​para tirar conclusões causais sobre um fenômeno. Portanto, sempre que você quiser entender completamente o que está sendo investigado, é preferível recorrer a esse sistema.

Exemplos reais recentes de pesquisa quantitativa

– Estudo sobre usuários do OkCupid

O OkCupid é uma das plataformas de namoro online mais famosas do mundo, com milhões de usuários distribuídos em muitos países. Em maio de 2016, seus criadores publicaram um estudo explicando as conclusões que tiraram após analisar o comportamento de 70.000 de seus usuários.

Relacionado:  31 Tipos de variáveis ​​sob investigação: características, exemplos

Neste estudo, padrões de todos os tipos foram revelados em termos de comportamento na plataforma, preferências e diferenças por idade, sexo ou orientação sexual. Todas as conclusões foram realizadas usando análise estatística, tornando-se um bom exemplo de pesquisa quantitativa.

– Efeitos da  atenção plena  na dor

Um estudo de 2020 sobre os efeitos da  atenção plena constatou que o uso dessa técnica tem um impacto muito significativo em nossa experiência. Para tentar encontrar seus limites, ele tentou verificar a eficácia desse método no controle da dor física.

No estudo, os participantes foram divididos em dois grupos. Os que pertencem aos primeiros aprenderam técnicas básicas de  atenção plena , enquanto os dos segundos não. Isso é conhecido como design do grupo de controle.

Após essa introdução à  atenção plena , um breve contato com um material de alta temperatura foi aplicado nos braços dos participantes e, posteriormente, receberam um questionário no qual tiveram que responder a várias perguntas sobre sua experiência de dor. O resultado foi que os participantes que usaram a atenção plena sentiram menos dor do que aqueles que não o fizeram.

Assuntos de interesse

Método científico .

Pesquisa exploratória .

Pesquisa de campo .

Pesquisa aplicada .

Pesquisa pura .

Pesquisa explicativa .

Pesquisa descritiva .

Referências

  1. “Pesquisa quantitativa: definição, métodos, tipos e exemplos” em: Question Pro. Retirado em: 13 de junho de 2018 de Question Pro: questionpro.com.
  2. “Qualitativo vs. pesquisa quantitativa ”em: Scribbr. Retirado em: 13 de junho de 2018 de Scribbr: scribbr.com.
  3. “Qual é a diferença entre pesquisa qualitativa e quantitativa?” em: Simplesmente psicologia. Retirado em: 13 de junho de 2018 de Simply Psychology: simplypsychology.com.
  4. “O que é pesquisa quantitativa?” in: Pesquisa Internacional do SIS. Retirado em: 13 de junho de 2018 do SIS International Research: sisinternational.com.
  5. “Pesquisa quantitativa” em: Wikipedia. Retirado em: 13 de junho de 2018 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies