Prefixos Gregos e seu Significado (com Exemplos)

Os prefixos gregos são elementos que são adicionados ao início de palavras para modificar seu significado. Eles são derivados do grego antigo e são amplamente utilizados na formação de palavras em diversas línguas, incluindo o português. Conhecer o significado dos prefixos gregos pode ajudar a compreender o significado de muitas palavras e a expandir o vocabulário. Neste texto, exploraremos alguns dos prefixos gregos mais comuns e seu significado, com exemplos de palavras formadas por eles.

Conheça os prefixos gregos utilizados na formação de palavras.

Os prefixos gregos são elementos linguísticos que são adicionados ao início de uma palavra para modificar seu significado. Eles são muito utilizados na formação de palavras em diversas áreas do conhecimento, como medicina, biologia, matemática, entre outras.

Alguns dos prefixos gregos mais comuns e seus significados são:

  • Anti-: contra, oposto. Exemplo: antídoto (substância que combate um veneno).
  • Hemi-: meio. Exemplo: hemisfério (metade de uma esfera).
  • Meta-: além, depois. Exemplo: metacognição (pensamento sobre o pensamento).
  • Peri-: em volta. Exemplo: perímetro (linha que delimita uma figura).
  • Sin-: com, junto. Exemplo: sincronia (acontecimento simultâneo).

É importante conhecer os prefixos gregos, pois eles facilitam a compreensão e a formação de novas palavras. Além disso, muitos termos técnicos e científicos utilizam esses prefixos, o que torna fundamental o seu conhecimento em diversas áreas do estudo.

Portanto, ao estudar novos termos ou se deparar com palavras desconhecidas, fique atento aos prefixos gregos presentes nelas, pois isso pode te ajudar a compreender melhor o seu significado e contexto.

Exemplos de prefixos: quais são e como utilizar corretamente na língua portuguesa.

Prefixos Gregos e seu Significado (com Exemplos)

Os prefixos são elementos que se adicionam ao início das palavras para modificar seu significado. Na língua portuguesa, muitos desses prefixos têm origem no grego, o que pode nos ajudar a compreender melhor o sentido das palavras. Vamos explorar alguns prefixos gregos e seu significado, com exemplos de como são utilizados na língua portuguesa.

Um exemplo de prefixo grego comum é “anti-“, que significa “contra” ou “oposto a”. Por exemplo, a palavra “antissocial” indica alguém que se opõe às normas sociais. Outro exemplo é o prefixo “hemi-“, que significa “metade” ou “parcial”, como em “hemisfério”, que se refere a metade de uma esfera.

Outro prefixo grego interessante é “pseudo-“, que significa “falso” ou “enganoso”. Por exemplo, a palavra “pseudônimo” é um nome falso usado por uma pessoa. Já o prefixo “macro-” indica algo grande ou em grande escala, como em “macroeconomia”, que estuda a economia em nível nacional ou global.

É importante compreender o significado dos prefixos gregos para conseguir interpretar corretamente o sentido das palavras na língua portuguesa. Com esses exemplos, fica mais fácil identificar e utilizar os prefixos de forma adequada, enriquecendo nosso vocabulário e nossa capacidade de comunicação.

Relacionado:  Juan León Mera: biografia, obras, prêmios e reconhecimentos

Significado do prefixo Arce: descubra o significado por trás desse prefixo comum.

O prefixo grego “arce” tem o significado de “princípio” ou “governo”. Ele é comumente utilizado para indicar algo relacionado ao poder, liderança ou início de algo. Por exemplo, a palavra “arquétipo” significa o primeiro modelo ou padrão a partir do qual algo é feito. Já a palavra “arquiduque” refere-se ao membro mais importante de uma família real.

Conheça os prefixos usados na língua portuguesa em até 15 palavras.

Os prefixos gregos são muito comuns na língua portuguesa, trazendo significados específicos. Por exemplo:

Anti-: contra (antipatia, antídoto)

Auto-: por si mesmo (autônomo, autobiografia)

Tele-: distante (televisão, telepatia)

Conhecer esses prefixos ajuda a compreender melhor o significado das palavras em nosso idioma.

Prefixos Gregos e seu Significado (com Exemplos)

Os prefixos gregos são o conjunto de morfemas derivados que precedem o léxico (raiz da palavra) e têm sua origem no idioma grego. Um morfema derivado é usado para criar novas palavras.Nesse sentido, o grego era uma das línguas de maior prestígio no mundo antigo.

Durante o Renascimento, muitos prefixos gregos foram incorporados não apenas ao espanhol, mas a outros idiomas europeus.Atualmente, um grande número de neologismos (novas palavras) do mundo da ciência e da tecnologia são formados usando esses prefixos gregos. É o caso das palavras ” hiperlink” e “metadados”.

Prefixos Gregos e seu Significado (com Exemplos) 1

Os prefixos gregos vêm de preposições como “a” (fora) e “peri” (ao redor); de pronomes como “auto” (em si) e “hetero”, (outro); e de advérbios como “endo” (dentro) e “exo” (fora).

Na gramática tradicional, os prefixos derivados das preposições eram separáveis ​​ou inseparáveis; a gramática da Royal Academy suprimiu isso em 1917.

Prefixos gregos e seu significado

-a / an (negação, falta, privação, falta de)

– Afonia (perda de voz).

– Amorfo (sem forma definida).

– Anomalia (desvio do que é normal, regular, natural ou previsível).

-ana (para cima, para trás, repetir e sair de)

– Anacronismo (pertencente ou apropriado a um período diferente daquele em que existe, especialmente uma coisa notoriamente antiquada).

– Anáfora (em retórica: repetição de uma palavra ou frase no início das cláusulas sucessivas).

– Anagrama (uma palavra, frase ou nome formado pela reorganização das letras de outra palavra, frase ou nome) –

-anf / anfi (dos dois lados, ao redor, ao redor)

– Anfíbios (tipo de animais que vivem suas vidas dentro e fora da água).

– Ânfora (jarra com duas alças ou alças que possui um corpo oval).

– Anfineuro (classe de moluscos marinhos simétricos bilateralmente que possuem dois cordões nervosos ventrais e dois laterais).

-anti (decepção, oposição, em vez de)

– Antítese (recurso discursivo que se refere à justaposição de idéias opostas ou contrastantes).

– Anti-séptico (produto ou substância que destrói os germes).

– Antipirético (produto ou medicamento que reduz a febre).

-apo (longe, fora, privação, separação)

– Apocope (supressão de sons no final de uma palavra).

– Apófise (parte saliente de um osso usado como articulação ou incorporação muscular).

– Apóstata (alguém que abandonou publicamente sua religião).

-cat / degustação (baixo, baixo, queda)

– Cadeira (assento elevatório de onde as aulas eram ministradas nas antigas universidades).

– Catacumba (série de passagens subterrâneas e salas onde os corpos foram enterrados no passado).

– Catabolismo (sequências de reações catalisadas por enzimas pelas quais moléculas relativamente grandes nas células vivas se decompõem ou se degradam).

-di (dois)

– Disílabo (palavra com duas sílabas).

– Ditongo (duas vogais consecutivas pronunciadas como sílaba).

– Dilema (situação em que uma escolha difícil deve ser feita entre duas coisas diferentes).

-dia (através, através, entre, separação)

– Diâmetro (qualquer segmento de linha reta que passa pelo centro do círculo e cujos pontos de extremidade estão no círculo).

– Diagonal (algo com linhas inclinadas ou uma linha que conecta um canto ao canto mais distante).

– Diafragma (partição muscular em forma de cúpula que separa o tórax do abdômen em mamíferos).

-dis (impossibilidade, dificuldade, mau, antipatia, perturbação)

– Dispnéia (dificuldade em respirar).

– Dispepsia (digestão difícil).

– Disfagia (dificuldade em comer).

-endo (dentro, dentro, dentro)

– Endógeno (que se desenvolve ou se origina dentro de um organismo ou parte de um organismo).

– Endotérmico (processo ou reação em que o sistema absorve energia de seu entorno, geralmente na forma de calor).

– Endoscopia (procedimento não cirúrgico usado para examinar o trato digestivo de uma pessoa, usando um tubo flexível com uma luz e uma câmera conectada a ele).

-epi (envelope, acima mais tarde)

– Epiderme (a camada externa, não vascular e não sensível da pele).

– Epicentro (um ponto, diretamente acima do verdadeiro centro de perturbação, do qual as ondas de choque de um terremoto aparentemente irradiam).

– Epigástrio (abdômen superior e médio, sobre o estômago).

-exo (de, fora de)

– Exoesqueleto (uma capa dura que suporta e protege os corpos de alguns tipos de animais).

– Exoftalmia (protrusão anormal de um ou ambos os olhos).

– Exoplaneta (um planeta fora do sistema solar que orbita uma estrela).

-hiper (excesso, superioridade)

– Hipertensão (pressão sanguínea anormalmente alta).

– Hiperativo (anormal ou extremamente ativo).

– Hipertrofia (aumento do músculo em resposta a uma maior quantidade de tempo sob tensão).

-meta (além, depois)

– Metafísica (ramo da filosofia responsável pelo estudo da existência).

– Metalinguagem (uma linguagem usada para descrever ou analisar outra linguagem, conhecida como linguagem de objetos).

– Metadados (conjunto de dados que descreve e fornece informações sobre outros dados).

Relacionado:  Capichi: origem, significado e exemplos

-palin (repetição ou recorrência)

– Palíndromo (palavra, frase ou sequência que diz o mesmo para trás e para a frente).

– Palingenesia (renascimento ou regeneração de um ser vivo após a morte real ou aparente).

– Palinmnese (memória anterógrada: capaz de lembrar eventos no passado remoto, mas não pode adquirir novas memórias).

-panto (tudo)

– Pantofobia (medo de tudo).

– Pantometrista (instrumento que permite medir todos os tipos de ângulos e distâncias).

– Pantocrator (aquele que governa tudo, título de Cristo representado como o governante do universo, especialmente na decoração da Igreja Bizantina).

-peri (próximo, próximo)

– Periférico (limites externos ou borda de uma área ou objeto).

– Perinatologia (ramo da obstetrícia que trata do período de tempo em torno do parto).

– Pericárdio (membrana que envolve o coração, que consiste em uma camada fibrosa externa e uma dupla camada interna de membrana serosa).

-poli (muitos, abundância)

– Multifacetado (que mostra muitas facetas ou aspectos).

– Multiuso (que tem muitos valores, que exibe mais de uma valência).

– Poliglota (uma pessoa que conhece e pode usar vários idiomas).

-sem (com, simultaneamente, ao mesmo tempo)

– Sinfonia (longa composição musical para orquestra, que geralmente consiste em vários movimentos, pelo menos um dos quais geralmente é uma sonata).

– Sincronia (ação, desenvolvimento ou ocorrência simultânea).

– Sincretismo (formação de novas idéias religiosas ou culturais de várias fontes diferentes, geralmente fontes contraditórias).

-exen (estrangeiro, estrangeiro, estranho)

– Xenomania (paixão extrema por coisas, costumes ou pessoas estrangeiras, um hobby para estrangeiros).

– Xenofilia (atração ou admiração por estrangeiros ou qualquer coisa estrangeira ou estrangeira).

– Xenofobia (nojo intenso ou irracional ou medo de pessoas de outros países).

Referências

  1. Orozco Turrubiate, JG (2007). Etimologias gregas. México: Pearson Education.
  2. Samaniego, F.; Rojas, N.; de Alarcón, M. e Rodríguez Nogales, F. (2013). O mundo hispânico 21. Boston: Cengage Learning.
  3. Aznar Royo, JI e Alarcón Rodríguez, T. (2006). Etimologias greco-latinas México: Pearson Education.
  4. Santiago Martínez, ML; López Chávez, J. e Dakin Anderson, KI (2004). Etimologias: introdução à história do léxico espanhol. México: Pearson Education.
  5. Barragán Camarena, J. (2015). Etimologias greco-latinas: textos e exercícios de pesquisa lexicológica. México: DF: Grupo Editorial Patria.
  6. Cerda Muños, A.; Mayorga Ruvalcaba, F e Amezcua Rosales, C, G. (2007). Oficina de leitura e escrita 1. Jalisco: Ediciones Umbral.
  7. Canteli Dominicis, M. e Reynolds, JJ (2010). Revise e escreva: Curso avançado de gramática e composição. Hoboken: John Wiley & Sons.
  8. Guzmán Lemus, M. (2004). Prefixos, sufixos e termos médicos. Cidade do México: Plaza e Valdés.
  9. García-Macho, ML; García-Page Sánchez, M.; Gómez Manzano, P. e Cuesta Martínez, P. (2017). Conhecimento básico da língua espanhola. Madri: Editorial Centro de Estudos Ramón Areces SA

Deixe um comentário