Quais são os livros proféticos da Bíblia?

Os livros proféticos da Bíblia são uma coleção de textos que contêm mensagens e previsões inspiradas por Deus, transmitidas por profetas escolhidos para comunicar a vontade divina ao povo de Israel. Esses livros apresentam uma variedade de temas, incluindo advertências contra o pecado, promessas de redenção e juízo divino. Eles são considerados parte importante da Escritura Sagrada e têm influenciado a fé e a prática religiosa de milhões de pessoas ao longo dos séculos.

Por que determinadas obras são designadas como livros proféticos?

Os livros proféticos da Bíblia são assim designados devido ao fato de que contêm profecias e mensagens transmitidas por profetas escolhidos por Deus para transmitir sua vontade ao povo. Esses livros são considerados proféticos pois apresentam previsões sobre eventos futuros, exortações para o arrependimento e a promessa de redenção.

Os profetas eram mensageiros de Deus, escolhidos para comunicar sua palavra ao povo de Israel e Judá. Eles tinham a função de alertar sobre os pecados do povo, anunciar juízos divinos e oferecer esperança em meio às dificuldades. Suas mensagens eram muitas vezes diretas e contundentes, buscando provocar uma mudança de comportamento e uma volta à obediência a Deus.

Os livros proféticos da Bíblia incluem obras como Isaías, Jeremias, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias. Cada um desses livros apresenta mensagens específicas para o povo de sua época, mas também contêm ensinamentos atemporais que ainda são relevantes nos dias de hoje.

Em resumo, os livros proféticos da Bíblia são assim designados por conterem mensagens inspiradas por Deus, transmitidas através de profetas, que visavam orientar, exortar e consolar o povo de Israel e Judá em diferentes momentos da história. Suas profecias e ensinamentos continuam a ser uma fonte de inspiração e orientação espiritual para os cristãos até os dias de hoje.

Quais são os principais profetas da Bíblia?

Os principais profetas da Bíblia são Isaías, Jeremias, Ezequiel e Daniel. Esses profetas foram escolhidos por Deus para transmitir mensagens divinas ao povo de Israel e Judá, alertando sobre a necessidade de arrependimento e mudança de comportamento para evitar a ira de Deus.

Isaías é conhecido por suas profecias messiânicas e pela sua visão do reino futuro de Deus. Jeremias é lembrado por sua coragem ao confrontar os líderes religiosos e políticos de sua época, chamando-os ao arrependimento. Ezequiel recebeu visões poderosas de Deus e profetizou sobre a restauração de Israel. Daniel é conhecido por suas interpretações de sonhos e visões, que revelaram eventos futuros e o plano de Deus para seu povo.

Quais são os livros proféticos da Bíblia? Os livros proféticos da Bíblia são Isaías, Jeremias, Ezequiel, Daniel, Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias. Esses livros contêm as profecias dos principais profetas, além de outras mensagens proféticas de homens escolhidos por Deus para transmitir sua palavra ao povo.

Os livros proféticos da Bíblia são uma parte importante das Escrituras, pois revelam o plano de Deus para a humanidade e oferecem orientação e advertências para aqueles que desejam seguir a vontade divina. Eles também apontam para a vinda do Messias e o estabelecimento do reino de Deus na terra.

Conheça os cinco livros poéticos presentes na Bíblia e sua importância espiritual.

Os livros poéticos presentes na Bíblia são Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes e Cantares de Salomão. Eles são conhecidos por sua linguagem poética e por transmitirem mensagens espirituais profundas através de metáforas, parábolas e reflexões sobre a vida e a fé.

O livro de trata da questão do sofrimento e da justiça de Deus, mostrando como a fé pode ser testada mesmo nas circunstâncias mais difíceis. Os Salmos são uma coleção de hinos e orações que expressam os mais variados sentimentos humanos, desde louvor e gratidão até angústia e desespero.

Os Provérbios são um conjunto de ensinamentos sobre sabedoria e conduta moral, oferecendo conselhos práticos para a vida cotidiana. O livro de Eclesiastes reflete sobre a transitoriedade da vida e a busca pelo sentido da existência, levando o leitor a refletir sobre o verdadeiro significado da vida.

Por fim, o Cantares de Salomão é uma coleção de poemas que celebram o amor e a paixão, utilizando metáforas para expressar a relação entre Deus e seu povo, ou entre o amor humano e divino.

Relacionado:  De onde vem a palavra Itacate?

Esses livros poéticos da Bíblia têm uma importância espiritual significativa, pois nos convidam a refletir sobre os mistérios da vida, a buscar a sabedoria divina e a cultivar uma relação mais profunda com Deus. Eles nos inspiram a louvar, agradecer, aprender e amar, fortalecendo nossa fé e nossa comunhão com o Criador.

Ordem dos profetas na Bíblia: qual a sequência correta dos profetas no livro sagrado?

Os livros proféticos da Bíblia são uma parte importante do Antigo Testamento, contendo mensagens e profecias dos profetas de Deus. A ordem dos profetas na Bíblia pode variar um pouco dependendo da tradição religiosa, mas geralmente segue uma sequência padrão.

A sequência correta dos profetas no livro sagrado começa com Isaías, Jeremias, e Ezequiel, conhecidos como os grandes profetas. Em seguida, temos os doze profetas menores: Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

Esses profetas foram escolhidos por Deus para transmitir mensagens específicas ao povo de Israel e também para profetizar sobre eventos futuros. Suas palavras são consideradas inspiradas por Deus e têm um significado profundo para os crentes.

É importante estudar e compreender os livros proféticos da Bíblia para entender melhor a vontade de Deus e a sua relação com a humanidade. Cada profeta tinha uma mensagem única e relevante para o seu tempo, e muitas dessas mensagens ainda ressoam nos dias de hoje.

Portanto, ao ler os livros proféticos da Bíblia, é essencial estar atento à sequência correta dos profetas e às mensagens que cada um deles transmitiu. Dessa forma, podemos obter um maior entendimento da Palavra de Deus e aplicar esses ensinamentos em nossa vida diária.

Quais são os livros proféticos da Bíblia?

Os livros proféticos são divididos entre os profetas maiores e menores. Os termos “maior” e “menor” têm como objetivo descrever a importância da mensagem de cada profeta. Deus escolheu revelar mais através dos profetas maiores do que através dos profetas menores.

Os livros que começam com Isaías e terminam com Malaquias pertencem a uma seção da Bíblia cristã chamada livros proféticos. Esses livros registram as mensagens de Deus para o povo de Israel e Judá na forma de discursos ou sermões, visões e experiências de vida de profetas que pregaram entre 750 e 450 aC.

Quais são os livros proféticos da Bíblia? 1

Algumas das mensagens são de julgamento e advertência, enquanto outras se concentram no perdão e na renovação.

Os livros dos “Antigos Profetas” (Josué, Juízes, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis) fazem parte dos Livros Históricos do Antigo Testamento. Os “Profetas Menores” às vezes são chamados de profetas menores porque seus discursos e sermões são muito mais curtos que os dos profetas principais.

O papel do Profeta na Bíblia

Um “profeta” é uma pessoa chamada para falar por Deus e entregar as mensagens de Deus às pessoas. Os profetas não apenas previram o futuro, mas observaram o que estava acontecendo ao seu redor e transmitiram as mensagens de Deus para essas situações.

Os profetas muitas vezes tinham que enfrentar situações políticas, sociais ou religiosas difíceis, de modo que às vezes falavam e agiam de maneira incomum para atrair atenção e tornar suas mensagens claras.

Por exemplo, Jeremias colocou um garfo de madeira em volta do pescoço para representar o poder frágil de uma nação estrangeira (Jr 27: 1-11). Ezequiel esboçou uma foto de Jerusalém em um tijolo para alertar as pessoas sobre um ataque iminente na cidade (Ezequiel 4: 1-8).

Oséias usa a imagem do casamento do profeta com uma prostituta para comparar o relacionamento de Israel com Deus, que perdoa continuamente uma esposa infiel (Israel).

Os profetas costumam apresentar seus discursos com as palavras “O Senhor diz”. Essas palavras mostram que os profetas não promoveram suas próprias mensagens, mas se consideraram os mensageiros de Deus com autoridade para falar por Deus ao povo.

Os profetas frequentemente se referiam às suas palavras como as mensagens que Deus lhes dera para o povo (ver, por exemplo, Isa 6: 1-13, Ezequiel 2: 1-10, Amós 1: 1-2, Hab 1: 1; Zacarias 1: 1). Veja também o artigo intitulado “Profetas e profecia”.

A mensagem do profeta

A mensagem de cada Profeta geralmente é diferenciada pelo que eles enfatizam. Por exemplo, Amós, Miquéias e Sofonias pregaram sobre a necessidade de as pessoas mudarem sua maneira de agir em relação a Deus e umas às outras, para evitar serem punidas como as nações estrangeiras que as cercavam.

Relacionado:  Os 5 pontos fortes de um governo democrático mais destacado

Outros, como Jeremias e Ezequiel, alertaram o povo sobre a vinda da derrota de Jerusalém e o exílio de seu povo para Babilônia e prometeram um tempo futuro em que o povo de Deus será libertado e retornará a Jerusalém.

Outros, como Ageu, Zacarias e Malaquias, pregaram a pessoas que haviam retornado do exílio e estavam trabalhando para reconstruir o templo em Jerusalém e começar a adorar a Deus novamente.

As mensagens de Isaías parecem abordar todos esses períodos da história de Israel e abranger os eventos que levaram ao retorno do exílio na Babilônia.

Alguns dos livros proféticos, no entanto, refletem uma configuração histórica posterior do que quando os profetas realmente viveram. Após pregar e escrever, suas mensagens parecem ter sido adaptadas e corrigidas por pessoas que enfrentam diferentes situações sociais e religiosas.

Um exemplo desse tipo de livro é Daniel, que pode ter sido escrito de uma maneira no século IV aC, mas não foi colocado em sua forma atual até o momento em que a dinastia selêucida governava a Palestina (por volta de 165 aC).

Isso demonstra que as mensagens dos livros proféticos lidam com questões de importância contínua para o povo de Deus: o culto adequado a Deus, a justiça e a igualdade e o cuidado de pessoas oprimidas e agredidas.

Livros proféticos da Bíblia

Profetas principais

  • Isaías
  • Jeremias
  • Lamentações – Acredita-se que Jeremias tenha sido o autor de Lamentações. O livro, uma obra poética, é colocado aqui com os Profetas Maiores nas Bíblias em Inglês por causa de sua autoria.
  • Ezequiel
  • Daniel – Nas traduções da Bíblia para o inglês e o grego, Daniel é considerado um dos Profetas Maiores; No entanto, no cânon hebraico, faz parte de “Os Escritos”.

Profeta menor

  • Oséias
  • Joel
  • Mestres
  • Obadiah
  • Jonah
  • Micah
  • Nahum
  • Habacuque
  • Sofonias
  • Ageu
  • Zacarias
  • Malaquias

Em todos os tempos, houve profetas em todas as épocas do relacionamento de Deus com a humanidade, mas os livros dos profetas se referem ao período “clássico” da profecia durante os últimos anos dos reinos divididos de Judá e Israel.

Os livros proféticos foram escritos desde os dias de Elias (874-853 aC) até a época de Malaquias (400 aC).

Isaías (às vezes escrito como: Esaias)

Isaiah, filho de Amoz, era casado e tinha dois filhos. Ele foi chamado no ano em que o rei Uzias morreu (740 aC). Seu ministério foi longo, durante o reinado de quatro reis de Judá: Ozias, Jotã, Acaz e Ezequias. Isaías, significa “Deus é salvação”.

Isaías foi enviado principalmente a Judá, embora sua mensagem também se refira ao reino do norte de Israel. Ele viveu os terríveis dias da guerra civil entre Israel e Judá em 734-732 aC.

Isaías é considerado por alguns o maior de todos os profetas do Antigo Testamento, seus discípulos continuaram transmitindo seus ensinamentos muito depois de sua morte.

Isaías também olhou além do seu tempo para o exílio de Judá e a libertação que Deus proporcionaria.

Jesus frequentemente cita o livro de Isaías, o que não é surpreendente, considerando que a salvação é um tema central no livro de Isaías. O livro de Isaías é o primeiro dos Profetas Maiores e o mais longo de todos os livros.

Jeremias

Jeremias viveu cerca de 2600 anos atrás. Ele era filho de Hilquias e morava na cidade de Anatot, na terra de Benjamim, em Judá. Jeremias, de acordo com o livro da Bíblia que leva seu nome, pregou de 628 a 586 aC em Jerusalém.

Durante esse tempo, o Império Babilônico havia assumido o controle de Jerusalém. Os babilônios levaram judeus como cativos para a Babilônia já em 605 aC e 597 aC

Babilônia destruiu Jerusalém em 586 aC. Jeremias advertiu o povo de Jerusalém que seria severamente punido por seus pecados. Ele implorou ao povo que se afastasse do pecado e se voltasse para Deus, mas com pouco benefício.

Em troca, Jeremias foi atacado com desprezo e perseguição. Quando o povo de Jerusalém foi deportado, Jeremias teve a opção de ficar em Judá ou ir para Babilônia.

Ele escolheu ficar em Judá, mas mais tarde foi forçado a fugir para o Egito depois que um grupo de fãs matou o babilônio que foi nomeado governador de Judá.

Relacionado:  4 Contribuições dos incas à humanidade

Acredita-se que Jeremias morreu no Egito. O livro de Jeremias é o segundo dos quatro Profetas Maiores.

Ezequiel

Ezequiel viveu cerca de 2600 anos atrás, durante o tempo em que o Império Babilônico havia subjugado a nação de Judá e destruído Jerusalém e o Templo.

Ele era filho de Buzi, sacerdote zadoquita. Ele recebeu seu chamado como profeta durante o quinto ano do exílio do rei Joaquim. O ministério de Ezequiel durou cerca de 22 anos.

As profecias de Ezequiel sobre a destruição de Jerusalém causaram atrito entre os judeus que estavam com ele na Babilônia. Mas, quando suas profecias se tornaram realidade, as pessoas começaram a ouvir com mais atenção.

A esposa de Ezequiel morreu durante o dia em que os babilônios começaram a sitiar Jerusalém. Esse cerco começou aproximadamente em 586 aC, depois que Ezequiel e outros foram tomados como cativos na Babilônia.

O cerco terminou com a destruição de Jerusalém e o templo em Jerusalém. Ezequiel estava muito vigilante da nação de Israel.

Como pastor, ele protegeu o povo. E, como vigia, alertou para os perigos que se avizinhavam. O nome de Ezequiel significa “Deus fortalece”. O livro da Bíblia de Ezequiel é o terceiro dos quatro Profetas Maiores.

Daniel

O livro da Bíblia de Daniel trata de muitos eventos históricos da época. Seu livro também contém profecias sobre o futuro. Daniel viu e descreveu os grandes impérios mundiais que estavam por vir.

Ele também viu o poder de Deus e do Messias (Jesus Cristo) que estava por vir e desfazer o mal deste mundo. O livro de Daniel é dividido em duas partes. A primeira parte é uma compilação de histórias sobre Daniel e seus amigos (capítulos 1-6).

A segunda parte é uma coleção de visões apocalípticas que fornecem o curso da história do mundo (capítulos 7-12).

Após um período de treinamento de três anos na Babilônia, Daniel foi treinado para ser mais esperto do que todos os magos e astrólogos sábios da Babilônia, e foi nomeado consultor do rei Nabucodonosor.

Daniel permaneceu fiel a Deus e orou três vezes ao dia. Ele se recusou a se curvar aos ídolos e não comeu nem bebeu o vinho fornecido pelo rei.

Eu só comi vegetais e bebi água. Através de sua fidelidade, Deus lhe deu o poder de interpretar sonhos, ver no futuro, e Deus lhe deu uma vida longa. O nome Daniel significa “Deus é meu juiz”. Seu livro é o quarto livro dos quatro Profetas Maiores.

Os profetas menores

Os “Doze Profetas Menores” são o oitavo e último “livro” na segunda seção da Bíblia Hebraica, os Nevi’im ou Profetas. É, como o nome indica, não um todo unificado, mas uma coleção de 12 livros independentes, por (pelo menos) 12 profetas diferentes.

“Menor” não se refere à sua importância, mas à sua extensão: todos foram considerados importantes o suficiente para entrar na Bíblia Hebraica, mas nenhum foi longo o suficiente para formar um livro independente.

Um deles, Obadías, é apenas um capítulo longo, e o mais longo (Oséias e Zacarias) contém 14 capítulos.

Eles se estendem no tempo de Oséias e Amós, datando de meados do século VIII aC, além dos livros de Zacarias e Malaquias, que provavelmente são do início do século IV aC.

Um tema que unifica os 12 profetas é o relacionamento de Israel com Deus. O que Deus exige dos humanos? Como os eventos históricos e a palavra de Deus são interpretados? Essas são perguntas que aparecem em toda a profecia bíblica.

Mas em nenhum lugar da Bíblia, um único livro apresenta uma ampla variedade de pontos de vista sobre essas questões, assim como a coleção dos Doze Profetas Menores. Mesmo dentro de um único período de tempo, há uma notável diversidade de pontos de vista.

Referências

  1. Fritz, E. (2015). Livros proféticos da Bíblia. 03-11-2017, recuperado de es.slideshare.net
  2. Fairchild, M. (2016). Livros proféticos da Bíblia. 03-11-2017, recuperado do thoughtco.com
  3. Ryrie, P. (2009). O Livro Profético do Novo Testamento. 03-11-2017, recuperado de bible.org.
  4. Beale, G. (2017). Livros Proféticos 03-11-2017, recuperado de biblicaltraining.org.
  5. Ashter, S. (2015). Os 12 Profetas Menores. 03-11-2017, recuperado do myjewishlearning.com.

Deixe um comentário