Quem queria a coroação de Iturbide?

“Quem queria a coroação de Iturbide?” é uma questão que se refere ao movimento que surgiu na Nova Espanha (atual México) no início do século XIX, que defendia a coroação de Agustín de Iturbide como imperador do país. Iturbide foi um militar e político que liderou o movimento pela independência do México e foi proclamado imperador em 1822. No entanto, seu governo foi marcado por instabilidade e descontentamento popular, levando à sua abdicação e posterior exílio. A coroação de Iturbide foi apoiada por algumas facções políticas e grupos de poder, mas enfrentou resistência de outros setores da sociedade mexicana, que viam nele uma ameaça à democracia e à estabilidade do país.

Qual era o propósito da independência do México?

O propósito da independência do México era libertar o país do domínio colonial espanhol e estabelecer sua própria soberania e autonomia. Após séculos de opressão e exploração por parte dos colonizadores europeus, o povo mexicano ansiava por sua independência e liberdade para governar seu próprio território.

Quem queria a coroação de Iturbide?

Alguns setores da sociedade mexicana, principalmente a elite criolla e os militares, queriam a coroação de Iturbide como imperador do México. Após a independência do país, Agustín de Iturbide foi proclamado imperador, sob o título de Agustín I, em uma tentativa de estabelecer uma monarquia constitucional no México.

Apesar do apoio de alguns setores da sociedade, a coroação de Iturbide não foi bem recebida por todos. Muitos mexicanos, especialmente os liberais e os defensores da república, se opuseram à ideia de uma monarquia e lutaram contra o governo imperial de Iturbide.

Motivos que levaram à deposição de Augusto Iturbide do governo mexicano.

Augusto Iturbide foi deposto do governo mexicano devido a diversos motivos que desagradaram a população e as elites políticas. Uma das principais razões foi a tentativa de se autoproclamar como imperador do México, o que gerou descontentamento e resistência por parte de muitos setores da sociedade.

Relacionado:  James Madison: Biografia e Contribuições

Além disso, Iturbide enfrentou críticas por sua política autoritária e centralizadora, que desagradou os federalistas e os defensores de um governo mais descentralizado. Sua tentativa de consolidar o poder em suas mãos e de limitar a participação popular nas decisões políticas também contribuiu para sua queda.

Por fim, a insatisfação com a situação econômica do país, marcada por inflação e desigualdade social, também foi um fator importante na deposição de Iturbide. A população e as elites econômicas viram no imperador uma ameaça ao desenvolvimento do México e à estabilidade política.

Quem queria a coroação de Iturbide?

A coroação de Iturbide como imperador do México foi apoiada por militares, membros do clero e ricos crioulos. O outro lado era formado pelos bourbonistas.

Estes eram peninsulares baseados no México, que defendiam que um membro da Casa de Bourbon aceitasse o Império Mexicano e, assim, preservasse a unidade nacional.

Quem queria a coroação de Iturbide? 1

Agustín de Iturbide

Esses dois grupos eram monarquistas. Havia um terceiro grupo, os republicanos, que preferiam a formação de um governo federal para garantir a igualdade dos cidadãos mexicanos.

No final, os iturbidistas se impuseram e, em uma sessão extraordinária do Congresso convocada em 19 de maio de 1822, a Agustín Cosme Damián de Iturbide e Aramburu foi proclamada imperadora do México.

Eventos anteriores à coroação de Iturbide

O proprietário crioulo e ex-oficial do exército espanhol Agustín de Iturbide assumiu a liderança do movimento de independência do México em 1820.

Em 24 de fevereiro de 1821, em aliança com o comandante insurgente Vicente Guerrero, assinou o Plano Iguala. Com este plano foi proclamada a independência imediata da nação, mas ainda respeitando a Espanha.

Esse pacto contemplava o estabelecimento de uma monarquia constitucional governada por um príncipe europeu ou, na sua falta, por um mexicano.

Relacionado:  História da Baja California: características mais relevantes

Ele também pediu a manutenção de todos os poderes da Igreja Católica Romana e dos militares, direitos iguais para os crioulos e peninsulares e a eliminação de confiscos de propriedades.

Logo, quase todos os grupos influentes do país aprovaram o plano, uma vez que lhes assegurava a manutenção do status quo e do status econômico, ameaçados pelo governo liberal recentemente estabelecido na Espanha.

Então, em 24 de agosto de 1821, Iturbide e o vice-rei espanhol Juan O’Donojú assinaram o Tratado de Córdoba.

O’Donojú, considerando a improbabilidade de recuperar a autoridade espanhola sobre a colônia rebelde, ratificou o Plano Iguala e concordou em retirar tropas realistas.

O governo espanhol posteriormente recusou-se a aceitar os termos deste tratado, mas os eventos que culminariam na coroação de Iturbide já estavam em andamento.

A coroação de Iturbide

Ao proclamar a independência da nação mexicana, foi nomeado um Conselho Provisório de Governo e Regência, presidido por Iturbide.

Ele dedicou seus esforços para configurar as fundações do novo governo monárquico que ainda não havia sido formado.

Após os acordos do Plano de Iguala, foi estabelecido um Congresso no qual todas as províncias estavam representadas.

Seus membros eram clérigos, chefes militares e magistrados que haviam servido ao regime anterior, garantindo assim a proteção dos interesses da aristocracia.

Não demorou muito para que as lutas internas entre as facções opostas que compunham a Junta e o Congresso começassem.

Bordonistas, iturbidistas e republicanos engajados em uma luta de poder para impor seus interesses particulares.

Os primeiros eram maioria no Congresso, e os confrontos entre eles e os partidários de Iturbide pioraram.

Em fevereiro de 1822, em terras mexicanas, soube-se que os tribunais da Espanha haviam anulado o Tratado de Córdova, negando a independência do país.

Relacionado:  Como a história é dividida? Estágios principais

Isso aqueceu os espíritos e fez com que os bordonistas perdessem terreno. Aqueles que apoiaram Iturbide não perderam a oportunidade de promovê-lo como a pessoa ideal para ocupar o trono, já que esse herói nacional fez méritos suficientes durante o processo de independência.

Na véspera de 19 de maio de 1822, um exército de 35.000 homens proclamou Agustín de Iturbide como Imperador do Império Mexicano.

No dia seguinte, alguns membros do Congresso se manifestaram a favor de consultar as províncias antes de ratificar a proclamação.

No final, a maioria prevaleceu. Os habitantes da capital receberam a notícia com alegria, aplaudindo seu novo monarca.

Referências

  1. Gómez, M., Ortiz, P. Sales, C. e Sánchez, G. (2003). História do México. México: Editorial Limusa.
  2. Match Plan (2011, 04 de maio). Encyclopædia Britannica. Recuperado de britannica.com.
  3. Hagg e Saab, G. (2005). Um esboço da história no México. México: Pearson Education.
  4. Heidler, DS e Heidler, JT (2006). A Guerra do México Connecticut: Greenwood Publishing Group.
  5. Delgado de Cantú, GM (2002). História do México, Volume 1. México: Pearson Education.

Deixe um comentário