Realismo literário espanhol: características, autores e obras

O Realismo literário espanhol foi um movimento literário que surgiu na Espanha durante o século XIX, influenciado pelo contexto social e político da época. Caracterizado pela representação fiel da realidade, o Realismo buscava retratar a vida cotidiana, os costumes e as questões sociais da sociedade espanhola daquele período.

Entre os principais autores realistas espanhóis estão Benito Pérez Galdós, Leopoldo Alas “Clarín” e Emilia Pardo Bazán, que se destacaram por suas obras que abordavam temas como a desigualdade social, o papel da mulher na sociedade, a corrupção política e a religião.

Algumas das obras mais importantes do Realismo literário espanhol incluem “Fortunata y Jacinta” e “La Regenta”, de Galdós, “La Regenta”, de Clarín, e “Los pazos de Ulloa”, de Pardo Bazán. Esses escritores trouxeram uma nova perspectiva para a literatura espanhola, influenciando gerações posteriores de escritores e contribuindo para o desenvolvimento da literatura realista no país.

Principais autores e obras do Realismo: conheça os destaques desse movimento literário.

O Realismo foi um movimento literário que surgiu no século XIX e teve grande influência na literatura espanhola. Caracterizado pela representação fiel da realidade, o Realismo buscava retratar a sociedade e seus problemas de forma objetiva e sem idealizações. Alguns dos principais autores e obras desse movimento são:

Benito Pérez Galdós: um dos mais importantes escritores do Realismo espanhol, suas obras retratam a sociedade e a política da Espanha do século XIX. Destacam-se romances como “Fortunata y Jacinta” e “Los Episodios Nacionales”.

Emilia Pardo Bazán: escritora e crítica literária, foi uma das primeiras mulheres a se destacar na literatura espanhola. Suas obras abordam temas como o papel da mulher na sociedade e a luta de classes. Um de seus principais romances é “Los pazos de Ulloa”.

Leopoldo Alas “Clarín”: autor de “La Regenta”, considerado um dos maiores romances do Realismo espanhol. A obra retrata a vida de Ana Ozores, uma mulher presa em um casamento infeliz e em busca de realização pessoal.

O Realismo literário espanhol se destacou pela sua representação fiel da realidade, pela crítica social e pela preocupação com a condição humana. Os autores desse movimento buscavam mostrar a vida como ela era, sem romantismos ou idealizações, refletindo assim as transformações e os conflitos da sociedade da época.

Obras e autores mais importantes da literatura espanhola: conheça os destaques da literatura espanhola.

O Realismo literário espanhol foi um movimento literário que teve grande influência na Espanha durante o século XIX. Caracterizado pela representação fiel da realidade, o Realismo espanhol refletiu a sociedade e os costumes da época de forma objetiva e detalhada.

Entre os autores mais importantes desse período, destacam-se Benito Pérez Galdós, conhecido por suas obras realistas que retratam a sociedade espanhola da época, como “Fortunata y Jacinta” e “Marianela”. Outro autor de destaque é Emilia Pardo Bazán, que abordou temas como o papel da mulher na sociedade e as contradições da sociedade espanhola em obras como “Los pazos de Ulloa”.

Além desses autores, é importante mencionar Leopoldo Alas “Clarín”, autor de “La Regenta”, considerada uma das obras-primas do Realismo espanhol, e Valle-Inclán, conhecido por sua trilogia “Sonatas” e pela peça “Luces de bohemia”.

O Realismo literário espanhol teve um importante papel na história da literatura espanhola, influenciando gerações posteriores de escritores e deixando um legado de obras que ainda são estudadas e apreciadas até os dias de hoje.

O Realismo espanhol: definição e características da corrente artística na Espanha do século XIX.

O Realismo espanhol foi uma corrente artística que surgiu na Espanha durante o século XIX, influenciando não apenas a pintura, mas também a literatura. Caracterizada pela representação fiel da realidade, sem idealizações, o Realismo buscava retratar a sociedade e os costumes da época de forma objetiva e crua.

Na literatura, o Realismo espanhol se destacou por apresentar narrativas que abordavam temas sociais, como a desigualdade, a pobreza e a injustiça. Os autores realistas buscavam retratar a vida cotidiana e os conflitos humanos de forma verossímil, sem romantismo ou exageros.

Alguns dos principais autores do Realismo literário espanhol foram Benito Pérez Galdós, Leopoldo Alas e Emilia Pardo Bazán. Suas obras refletiam a realidade espanhola da época, criticando as instituições sociais e políticas e denunciando as injustiças e hipocrisias da sociedade.

Entre as obras mais importantes do Realismo espanhol estão “Fortunata y Jacinta” de Galdós, “La Regenta” de Alas e “Los Pazos de Ulloa” de Bazán. Esses romances realistas são considerados marcos da literatura espanhola, pela sua profundidade psicológica e pela sua crítica social contundente.

Em resumo, o Realismo espanhol foi uma importante corrente artística que marcou a literatura espanhola do século XIX, trazendo uma abordagem objetiva e crítica da realidade social e política da época.

Relacionado:  Parnasianismo: Origem, Características e Representantes

Principais características das obras realistas: uma análise detalhada sobre o movimento literário e artístico.

O Realismo foi um movimento literário e artístico que surgiu no século XIX, buscando retratar a realidade de forma objetiva e fiel. As obras realistas tinham como principais características a representação da vida cotidiana, a descrição detalhada dos ambientes e personagens, e a crítica social. Os autores realistas se preocupavam em mostrar a sociedade como ela realmente era, sem idealizações ou romantizações.

Na literatura espanhola, o Realismo também teve grande influência. Autores como Benito Pérez Galdós e Leopoldo Alas “Clarín” foram importantes representantes desse movimento. Suas obras retratavam a Espanha do século XIX, com todas as suas contradições e problemas sociais. Galdós, por exemplo, é conhecido por sua série de romances chamada “Episodios Nacionales”, que retratava a história da Espanha de forma realista e crítica.

Outra característica marcante do Realismo literário espanhol era a linguagem direta e objetiva, sem floreios ou exageros. Os autores buscavam uma representação fiel da realidade, utilizando um estilo claro e conciso. Além disso, as obras realistas muitas vezes abordavam temas polêmicos e tabus, como a religião, a política e a moralidade.

Em resumo, o Realismo literário espanhol se destacou pela sua representação fiel da realidade, pela crítica social e pela linguagem direta e objetiva. Autores como Galdós e “Clarín” deixaram um importante legado na literatura espanhola, influenciando gerações posteriores de escritores.

Realismo literário espanhol: características, autores e obras

O realismo literário espanhol é a tendência literária que surgiu na Espanha em meados do século XIX devido ao desenvolvimento da vida política e social vivida pelo país europeu na época. Foi, praticamente, o que resultou após o ponto culminante do fluxo do romantismo literário.

Embora ele tenha nascido na França, talvez tenha sido a situação na Espanha que tornou viável a conceituação desse movimento. Foi enquadrado no desenvolvimento de gêneros literários, dando-lhes força e identidade. O realismo literário foi definido ou caracterizado por refletir quase com precisão a realidade do contexto histórico da sociedade.

Realismo literário espanhol: características, autores e obras 1

Benito Perez Galdos, representante do realismo literário da Espanha. Fonte: Joaquín Sorolla [Domínio público]

Com o surgimento do realismo literário espanhol, a era das emoções e sentimentos apaixonados foi deixada para trás, para dar lugar a novos tópicos de interesse social, e um verbo mais alinhado com a realidade que os personagens das histórias viviam, não muito longe de Vida em si

Contexto histórico

Em termos gerais, o realismo literário emergiu em 1825. Era usado para se referir ao uso que os românticos faziam da natureza e sua encenação. Dois anos depois, escritores franceses o apresentaram como um movimento totalmente distanciado do romantismo.

Desde o seu nascimento, seu primeiro objetivo era retratar a realidade. Seu principal representante foi o francês Honoré de Balzac, que com seus romances deixou ensinamentos morais e sociais. Dentro desse movimento, a posição do narrador era crítica.

No caso da Espanha, o realismo literário surgiu no século XIX, durante um dos momentos mais difíceis de sua história. Ele havia perdido os territórios de Cuba e das Filipinas e, subsequentemente, a guerra contra a França começou. Na mesma época, Fernando VII e Isabel II foram derrubados.

Com a Revolução de 1868, também conhecida como La Gloriosa, um novo período político começou. Francisco Serrano y Domínguez tornou-se presidente do Conselho de Ministros, enquanto Amadeo de Savoie, conhecido como “O rei eleito”, reinou no país por um breve período, entre 1871 e 1873.

Algum tempo depois, a dinastia Bourbon foi restaurada com a abertura da Primeira República, período que durou um ano, entre 1873 e 1874. Ele era filho da deposta Isabel II, Alfonso XII, que presidia a monarquia espanhola por dez anos. anos, até 1885.

Todos esses eventos despertaram o interesse dos escritores da época. Cada um de seu gênero foi dedicado a dar ao público um estilo de literatura diferente, desenvolvido a partir das experiências e experiências de uma sociedade que teria que viver.

Caracteristicas

Como qualquer movimento ou corrente, o realismo literário espanhol era apoiado por suas próprias características. Embora tenha sido estabelecido na poesia e no teatro, foi o romance o gênero que lhe deu suas principais características. Isso ocorreu devido ao grande boom que eles tiveram para expressar as condições da sociedade em tempos de revolução.

Com os romances, o realismo literário dado na Espanha revelou os desejos de dois dos principais estratos sociais da época: a burguesia e a classe média.Em ambas as direções, o individualismo, o apego ao material e a necessidade de subir de posições no nível da sociedade eram desejados.

Relacionado:  Verboides: características, tipos e exemplos

Entre os principais recursos estão os seguintes:

Objetividade

Apresentar a realidade de maneira objetiva. Ou seja, a apreciação pessoal e a fantasia foram deixadas de lado para escrever a partir da observação. As verdadeiras mudanças que ocorreram na cultura espanhola se refletiram na maneira como surgiram.

Linguagem coloquial

Foi aplicado o uso de uma linguagem próxima ao povo. Era comum e popular de tal maneira que era entendido por todos. Isso permitiu que a maioria da sociedade tivesse acesso à nova cultura e, ao mesmo tempo, absorve os eventos que ocorreram.

Ênfase na vida cotidiana

Os temas desenvolvidos eram típicos da vida cotidiana. O leitor pode se sentir identificado. A defesa de direitos, liberdade, casamento, foram pontos que foram estendidos com muita frequência. Esse ponto específico foi o que desencadeou a aceitação do gênero do romance em muitas partes do mundo.

Crítica social

Cada autor apresentou o que considerou prejudicial às pessoas e, de uma maneira ou de outra, forneceu soluções. É importante destacar que eles fizeram isso como contadores de histórias oniscientes ou inteligentes, conheciam a psicologia dos personagens e, consequentemente, a maneira de agir.

Em detalhe

Por fim, os ambientes em que as ações foram desenvolvidas foram descritos detalhadamente.

Gêneros, autores e trabalhos representativos

Os principais gêneros do realismo literário espanhol foram o romance, a poesia e o teatro. Cada um com suas próprias características não se separou das características do movimento em questão. Cada um é descrito abaixo, com seus principais autores e obras.

-A novela

Foi o seu boom que moldou a tendência literária. Ele desenvolveu tópicos de interesse social e sua linguagem permitiu que toda a sociedade tivesse acesso a ele. Vários autores alcançaram popularidade na Espanha através do romance.

Benito Pérez Galdós

Foi dramaturgo, cronista, escritor e político. Ele nasceu em Las Palmas de Gran Canarias em 10 de maio de 1843; Ele morreu em Madri em 1920. Ele foi considerado o autor mais proeminente do realismo espanhol. Ele era um defensor do republicanismo como a melhor forma de governo.

Entre seus trabalhos mais importantes estão: Os episódios nacionais, Dona Perfecta, Marianela ou La Familia de León Roch, Gloria, Romances espanhóis contemporâneos, Fortunata e Jacinta e Misericordia.

Os episódios nacionais (1872-1912)

Foi o trabalho máximo de Galdós, tanto por seu conteúdo quanto por sua extensão. Consiste em 46 romances históricos, que ele escreveu entre 1872 e 1912. Neles, ele desenvolveu a história de sua Espanha natal, durante os eventos do século XIX. Ele os escreveu em série para uma melhor compreensão dos fatos.

Fortunata e Jacinta (1887)

Está contido nos romances espanhóis contemporâneos e é considerado o melhor trabalho de Pérez Galdós, enquanto representa fielmente o realismo literário espanhol. É uma história de amor e ódio, que se passa nos últimos dias da Revolução de 1868 ou da Septembrina.

Juan Valera

Nasceu em Córdoba em 1824 e morreu na cidade de Madri em 18 de abril de 1905. Foi escritor, político e militar. Embora inicialmente tenha rejeitado o romantismo e o realismo, mais tarde aceitou o segundo porque lhe permitia escolher espaços reais para desenvolver suas obras.

Pepita Jiménez (1874)

Foi o primeiro romance de Valera, seu argumento é baseado no amor e na traição. Nela, o autor expõe a história de um jovem candidato a sacerdote, Luís de Vargas, que visita seu pai e se apaixona por sua noiva, uma jovem que o faz duvidar de sua vocação sacerdotal. Ele ganhou vida no cinema e no teatro.

Leopoldo Alas

Este escritor e político espanhol era conhecido como “Clarín”. Ele nasceu em 25 de abril de 1852 e morreu em Oviedo em 13 de junho de 1901. Ele atuou como professor e professor. Além disso, ele trabalhou em vários jornais como crítico literário. Seu trabalho principal foi La Regenta .

O Regente (1884-1885)

O trabalho principal de Alas foi publicado em duas partes ou volumes, o primeiro em 1884 e o segundo em 1885. É ambientado na cidade de Vetusta e conta a história de Ana Ozones, cuja família perde seus pertences, e Ela deve ter se casado com alguém que não amava.

O nome do romance é originado pela posição de Victor Quintanar, marido de Ana, que serviu como regente da audiência. O protagonista é descrito como uma mulher entediada e isolada, cujo único desejo é ser mãe.

Relacionado:  As 8 principais características do romance

Os autores acima são os autores mais importantes do romance, dentro do realismo literário espanhol. No entanto, Vicente Blasco Ibáñez também fez parte de sua obra Os Quatro e Cavaleiros do Apocalipse, Emilia Pardo Bazán e sua obra principal A Questão Throbbing e, finalmente, Luís Coloma com Pequeñeces .

-Teatro

O teatro espanhol dentro do realismo literário se desenvolveu dentro de padrões conservadores, até levantar as preocupações mais fortes de uma sociedade que estava se recuperando da decadência. Com a encenação, os costumes perdidos foram recuperados.

Entre os representantes mais renomados estavam: Manuel Tamayo e Baus, Eugenio Sellés, José Echegaray, Leopoldo Cano, Enrique Gaspar e José Feliú e Codina.

Manuel Tamayo e Baus

Ele era um dramaturgo filho de atores e decidiu continuar com o legado da família. Ele nasceu em Madri em 15 de setembro de 1829; Ele morreu em 1898. Ele cresceu na companhia de teatro de seus pais. Mais tarde, ele se aventurou no romantismo, até alcançar o realismo.

Realismo literário espanhol: características, autores e obras 2

Manuel Tamayo e Baus. Fonte: Bartolomé Maura Montaner (1844-1926) [Domínio público], via Wikimedia Commons

Seus trabalhos mais destacados são: Loucura do Amor, Bola de Neve, Positivo, Lanças de Honra, O Homem do Bem e Um Novo Drama, este último seu trabalho mais importante.

Um novo drama (1867)

Como o título indica, é uma peça dramática, acontece em três atos. Conta a história de um casal em que o marido descobre que sua esposa tem um amante. Isso leva o protagonista a cometer suicídio. Existem oito personagens que dão vida a este trabalho.

José Echegaray

Nasceu em Madri em 1832 e destacou-se como escritor, dramaturgo, político e matemático. Seu trabalho provou ser de costumes e situações trágicas.

Tudo isso derivou de sua tentativa de unificar o sentimentalismo com as bases do realismo . O Deus Louco, Mancha que Limpa e O Grande Galeoto são seus trabalhos de ponta.

Mancha de limpeza (1895)

Esta peça é baseada em ciúmes e paixão excessiva. Matilde, a protagonista, perde a sanidade quando descobre que Fernando, seu grande amor, vai se casar com Enriquita, que é infiel. O trabalho foi lançado em 9 de fevereiro de 1895.

-A poesia

Talvez seja um dos gêneros do realismo literário que avançou mais devagar. A mudança para a nova corrente levou tempo suficiente para continuar vendo alguns traços de romantismo refletidos nos versículos. Ramón de Campoamor e Gaspar Núñez de Arce foram seus principais representantes.

Ramón de Campoamor

Ele nasceu em Navia em 24 de setembro de 1817; Ele morreu em Madri em 11 de fevereiro de 1901. No realismo literário espanhol, suas obras eram caracterizadas por serem prosaicas e sem elegância. No entanto, o idioma que ele usou alcançou muitas pessoas, e isso lhe deu popularidade.

Sua poesia é extensa. Entre os mais reconhecidos, destacam-se: Uma Mulher Generosa (1838), Humoradas (1886-1888), Las Doloras (1846), Colón (1853), Drama Universal (1853), O Drama Universal (1853), O Bom e Sábio (1881), Don Juan (1886) e Fábulas Completas (1941).

Las Doloras (1846)

São uma série de poemas curtos, baseados em drama e filosofia. Eles têm características proeminentes do realismo. Desde o momento de sua publicação, eles tiveram um alto nível de popularidade e receptividade, e passaram a fazer parte da cultura espanhola.

Gaspar Núñez de Arce

Poeta e político, que passou do romantismo ao realismo. Ele nasceu em 4 de agosto de 1832 em Valladolid; Ele morreu na capital espanhola em 9 de junho de 1903. Com cada uma de suas obras, ele tentou expressar seus versos de maneira simples e sem palavras elaboradas.

Realismo literário espanhol: características, autores e obras 3

Gaspar Núñez de Arce. Fonte: Veja a página do autor [Domínio público], via Wikimedia Commons

Seus trabalhos mais importantes foram: Gritos del Combate (1875), Un Idilio (1879), El Vertigo (1879) e La Pesca (1884). Com o primeiro, ele queria dar aos leitores versos baseados no patriotismo e nas características da civilização.

Referências

  1. Literatura Espanhola de Realismo. (2018). Espanha: Wikipedia. Recuperado de: Wikipedia.org
  2. Smetana, G. (2018). Realismo literário espanhol: características, história e autores . (N / a): espaço para livros. Recuperado de: espaciolibros.com
  3. Realismo Literário (2018). Cuba: EcuRed. Recuperado de: ecured.cu
  4. Álamo, A. e Vallés, R. (2018). Realismo espanhol . (N / a): Recuperado de: lacturalia.com
  5. Tabuenca, E. (2018). Realismo literário espanhol: características principais . (N / a): Professor. Recuperado de: unprofesor.com

Deixe um comentário