Técnicas de pesquisa: tipos, características e exemplos

As técnicas de pesquisa desempenham um papel fundamental na coleta, organização e análise de dados para a realização de estudos acadêmicos, científicos ou de mercado. Existem diversos tipos de técnicas de pesquisa, cada uma com suas características e aplicações específicas. Neste contexto, é essencial compreender as diferentes abordagens e métodos disponíveis para a elaboração de um projeto de pesquisa robusto e eficaz. Neste artigo, exploraremos os principais tipos de técnicas de pesquisa, suas características distintivas e exemplos de como podem ser aplicadas em diferentes contextos.

Conheça os diversos métodos de pesquisa disponíveis para a realização de estudos acadêmicos e científicos.

Realizar um estudo acadêmico ou científico exige a utilização de métodos de pesquisa adequados. Existem diversos tipos de técnicas de pesquisa que podem ser utilizadas, cada uma com suas próprias características e exemplos de aplicação.

Um dos métodos mais comuns é a pesquisa bibliográfica, que consiste na busca e análise de informações disponíveis em livros, artigos, teses, entre outros materiais. Este método é fundamental para embasar teoricamente um estudo e pode ser complementado com a pesquisa documental, que envolve a análise de documentos oficiais, relatórios, e outras fontes de informação.

Outro método amplamente utilizado é a pesquisa experimental, que envolve a manipulação de variáveis em um ambiente controlado para observar os efeitos produzidos. Este tipo de pesquisa é muito comum nas ciências naturais e exatas, mas também pode ser aplicado em outras áreas.

Além disso, existem métodos como a pesquisa de campo, que envolve a coleta de dados diretamente no local de estudo, a pesquisa qualitativa, que busca compreender fenômenos sociais e humanos de forma mais aprofundada, e a pesquisa quantitativa, que busca quantificar e analisar dados de forma objetiva.

É importante ressaltar que a escolha do método de pesquisa adequado vai depender dos objetivos do estudo e da natureza do problema a ser investigado. Portanto, é fundamental conhecer as características e exemplos de cada tipo de técnica para realizar um estudo de forma eficaz e rigorosa.

Descubra os 7 tipos de pesquisa mais comuns utilizados atualmente na academia e na indústria.

Na academia e na indústria, existem diversos tipos de pesquisa que são utilizados com frequência para investigar diferentes fenômenos e responder a questões específicas. É importante compreender esses diferentes tipos de pesquisa para escolher a abordagem mais adequada para cada situação. Abaixo, apresentamos os 7 tipos de pesquisa mais comuns atualmente:

1. Pesquisa Bibliográfica

A pesquisa bibliográfica consiste na análise de livros, artigos, teses e outras fontes de informação já publicadas sobre determinado tema. Essa abordagem é essencial para embasar teoricamente um estudo e identificar lacunas no conhecimento existente.

2. Pesquisa Descritiva

A pesquisa descritiva tem como objetivo descrever características de determinado fenômeno ou população, sem realizar interferências ou manipulações. É útil para identificar padrões e relações entre variáveis.

3. Pesquisa Experimental

A pesquisa experimental envolve a manipulação de variáveis independentes para analisar o efeito causado sobre variáveis dependentes. Esse tipo de pesquisa é fundamental para estabelecer relações de causa e efeito.

4. Pesquisa Exploratória

A pesquisa exploratória é utilizada para investigar fenômenos pouco conhecidos ou sem uma base teórica sólida. Seu principal objetivo é gerar insights e hipóteses que possam orientar estudos futuros.

5. Pesquisa Quantitativa

A pesquisa quantitativa envolve a coleta e análise de dados numéricos, por meio de questionários, testes ou medições. Esse tipo de pesquisa é indicado para quantificar fenômenos e identificar padrões estatísticos.

6. Pesquisa Qualitativa

A pesquisa qualitativa busca compreender a complexidade de determinado fenômeno por meio da análise de discursos, narrativas e observações. É útil para explorar significados, percepções e contextos sociais.

7. Pesquisa Participativa

A pesquisa participativa envolve a colaboração ativa de indivíduos ou grupos no processo de investigação, permitindo uma maior integração entre pesquisadores e participantes. Esse tipo de pesquisa é essencial para promover a participação e a cocriação de conhecimento.

Portanto, ao realizar um estudo, é importante considerar qual o tipo de pesquisa mais adequado para responder às suas perguntas de pesquisa e alcançar seus objetivos. Cada abordagem tem suas características e aplicações específicas, sendo fundamental escolher aquela que melhor se adequa ao contexto e aos objetivos do estudo.

Principais métodos e técnicas de investigação científica: conheça os 5 mais utilizados na academia.

Na academia, a pesquisa científica é uma atividade essencial para o avanço do conhecimento em diversas áreas do saber. Existem diferentes métodos e técnicas de investigação científica utilizados pelos pesquisadores para coletar dados, analisar informações e chegar a conclusões. Neste artigo, vamos apresentar os 5 principais métodos e técnicas de investigação científica mais utilizados na academia.

1. Método Experimental: Este método envolve a realização de experimentos controlados em laboratório ou em campo, com o objetivo de testar hipóteses e verificar a relação de causa e efeito entre variáveis. Os pesquisadores manipulam variáveis independentes para observar os efeitos nas variáveis dependentes.

Relacionado:  O que é potamologia?

2. Método Observacional: Neste método, os pesquisadores observam e registram o comportamento de indivíduos, grupos ou fenômenos naturais sem interferir no ambiente. A observação pode ser feita de forma direta, através da presença física do pesquisador, ou indireta, através de dispositivos de monitoramento.

3. Método Descritivo: Este método envolve a coleta e análise de dados para descrever características, comportamentos ou fenômenos, sem buscar explicar relações de causa e efeito. Pesquisas de opinião, estudos de caso e levantamentos são exemplos de técnicas descritivas.

4. Método Bibliográfico: Neste método, os pesquisadores realizam uma revisão da literatura existente sobre o tema de estudo, analisando e sintetizando informações de fontes bibliográficas. A pesquisa bibliográfica é fundamental para embasar teoricamente a investigação.

5. Método Experimental: Este método envolve a realização de experimentos controlados em laboratório ou em campo, com o objetivo de testar hipóteses e verificar a relação de causa e efeito entre variáveis. Os pesquisadores manipulam variáveis independentes para observar os efeitos nas variáveis dependentes.

Cada método possui características específicas e é adequado para diferentes tipos de pesquisa. É importante que os pesquisadores escolham o método mais adequado para o seu objeto de estudo, garantindo a qualidade e a validade dos resultados obtidos.

Principais características de uma pesquisa: o que você precisa saber para começar.

Antes de iniciar uma pesquisa, é importante entender as principais características que envolvem esse processo. Para começar, é fundamental ter clareza sobre o objetivo da pesquisa, ou seja, o que se pretende alcançar com ela. Além disso, é essencial definir o público-alvo da pesquisa, para garantir que as informações coletadas sejam relevantes e úteis.

Outro aspecto importante a ser considerado é a metodologia da pesquisa. Existem diferentes técnicas de pesquisa, como a pesquisa qualitativa e a pesquisa quantitativa, cada uma com suas próprias características e formas de coleta de dados. É essencial escolher a técnica mais adequada para o seu estudo, levando em consideração o tipo de informação que se deseja obter.

Além disso, é fundamental garantir a confiabilidade e a validade dos dados coletados. Para isso, é importante utilizar fontes confiáveis, realizar a coleta de dados de forma ética e garantir a precisão na análise dos resultados. É importante também estar atento aos possíveis viéses que podem influenciar os resultados da pesquisa.

Por fim, é essencial comunicar os resultados da pesquisa de forma clara e objetiva, de modo que possam ser compreendidos e utilizados por outros pesquisadores e profissionais da área. Uma boa apresentação dos resultados é fundamental para garantir a relevância e a credibilidade da pesquisa.

Com essas principais características em mente, você estará preparado para iniciar sua pesquisa com sucesso.

Técnicas de pesquisa: tipos, características e exemplos

Técnicas de pesquisa: tipos, características e exemplos

As técnicas de pesquisa são processos e instrumentos utilizados ao iniciar o estudo de um determinado fenômeno. Esses métodos permitem coletar, examinar e expor as informações, assim, o principal objetivo de toda a pesquisa é alcançado, que é adquirir novos conhecimentos.

A escolha da técnica de pesquisa mais adequada depende do problema a ser resolvido e dos objetivos estabelecidos, razão pela qual essa escolha acaba sendo um ponto fundamental em todos os processos de pesquisa.

Por exemplo, as técnicas usadas para estudar os costumes e crenças de um grupo social são diferentes daquelas usadas para avaliar a eficácia e a segurança de um medicamento.

Existem dois tipos gerais de técnicas de pesquisa: técnicas quantitativas e qualitativas, sendo a diferença fundamental entre essas duas orientações o modo como fazem as observações e como as traduzem em dados analisáveis.

Tipos de técnicas de investigação

– investigação quantitativa

A pesquisa quantitativa é baseada na objetividade, tornando-a empírica. Além disso, nesse processo, os dados gerados são numéricos, o que permite estabelecer relações de causa entre as diferentes características do fenômeno estudado.

O objetivo geral da pesquisa quantitativa é transmitir numericamente o que está sendo visto e chegar a conclusões específicas, observáveis, gerais e repetíveis.

Existem quatro técnicas principais na pesquisa quantitativa: pesquisas, estudos correlacionais, estudos causal-comparativos e estudos experimentais.

As pesquisas

Nesta técnica, os dados são obtidos através de um questionário. Essa ferramenta foi projetada para medir as características de uma população usando métodos estatísticos.

As investigações por meio de pesquisas começam com o desenho do questionário de acordo com os objetivos estabelecidos; Em seguida, é determinado como o questionário será administrado – ou seja, como as informações serão coletadas – e como os dados serão analisados.

Estudo correlacional

Esses estudos permitem determinar o grau de relacionamento entre duas ou mais variáveis ​​dentro de uma população (ou amostra). O grau dessas relações é estimado através do uso de métodos estatísticos, que permitem estabelecer se a relação entre as variáveis ​​é positiva ou negativa.

Relacionado:  Os 2 principais tipos de eletricidade

Um exemplo de uma relação positiva entre duas variáveis ​​seria: o aumento nos casos de infecção (variável 1) com o aumento no grau de desnutrição de uma população (variável 2). Nesse caso, é positivo porque ambas as variáveis ​​aumentam.

Por outro lado, um exemplo de relação negativa em um estudo seria: a diminuição da desnutrição em crianças (variável 1) com o aumento do nível de conhecimento da mãe sobre a importância do aleitamento materno. Neste exemplo, o relacionamento é negativo porque, enquanto uma variável aumenta, a outra diminui (variável 2).

Estudo comparativo causal

Esses estudos procuram descobrir uma relação de causa e efeito, que é alcançada estabelecendo o tempo em que a causa e o efeito ocorrem. Por esses motivos, os estudos causais comparativos são classificados em investigações retrospectivas e prospectivas.

Pesquisas retrospectivas exigem que um investigador analise um problema quando os efeitos já ocorrerem. Por exemplo, a avaliação de um professor sobre como seus alunos responderam às atividades que atribuíram na aula de matemática.

Enquanto a investigação prospectiva começa antes que os fatos ocorram, isto é, começa com as causas e tenta avaliar os efeitos. Por exemplo, um professor começa a aplicar uma nova estratégia de leitura e avalia o progresso do aluno.

Estudo experimental

Uma das características dos estudos experimentais é que eles são guiados pela elaboração prévia de uma hipótese. Ou seja, eles começam com uma declaração que deve ser aprovada ou refutada.

Dessa forma, o pesquisador controla uma determinada variável e avalia os efeitos desse controle na população ou amostra estudada. Dessa forma, a hipótese pode ser verificada ou rejeitada, permitindo chegar a uma conclusão sobre as duas variáveis.

– Pesquisa qualitativa

O principal objetivo da pesquisa qualitativa é entender e interpretar interações sociais; dessa maneira, resulta em descrições de ambientes, pessoas e comunidades.

Diferentemente dos métodos quantitativos, as técnicas qualitativas dão mais importância ao contexto em que a pesquisa é realizada; por isso eles dão uma perspectiva naturalista e humana.

São especialmente úteis quando o tópico da pesquisa é sensível ou está sujeito a problemas sociais que precisam desenvolver confiança na população estudada.

Existem várias técnicas e métodos na pesquisa qualitativa: observação, pesquisa bibliográfica, etnográfica, estudos fenomenológicos, teoria fundamentada nos fundamentos, métodos narrativos e de visualização e estudos de caso.

Observação

A observação é uma técnica qualitativa na qual o cientista ou pesquisador atende a um fenômeno, situação ou ambiente específico para obter informações. É utilizado no início das investigações ou quando não há muita informação sobre um fenômeno específico.

A observação é um elemento fundamental em todo o processo de pesquisa, pois é a base do pesquisador para obter a maior quantidade de dados.

Existem diferentes maneiras de observação:

A observação participante é aquela em que, para obter os resultados, o pesquisador deve ser incluído no objeto de estudo (grupo, evento ou fenômeno).

Por outro lado, a observação não participante é aquela em que o pesquisador seleciona os dados de fora, sem intervir no grupo social ou no objeto. Por esse motivo, a maioria das observações científicas não é participativa.

Pesquisa bibliográfica

A pesquisa bibliográfica é uma técnica de pesquisa responsável por explorar o que foi escrito na comunidade científica sobre um determinado tópico ou problema. Em geral, a pesquisa bibliográfica possui as seguintes funções:

– Apoiar e sustentar o trabalho de investigação a ser realizado.

– Evitar o desenvolvimento de investigações já realizadas anteriormente.

– Permitir que o conhecimento sobre experimentos previamente elaborados possa repetir as mesmas etapas, se necessário.

– Auxiliar na continuação de investigações anteriores que foram interrompidas ou que não foram concluídas.

– Facilitar a coleta de informações pertinentes e o estabelecimento do referencial teórico.

Estudo etnográfico

Os estudos etnográficos são usados ​​quando você deseja se aprofundar nos padrões de comportamento, dogmas, hábitos, condições e modos de vida de um grupo humano.

Esses estudos podem ser realizados em grupos muito diversos, como nos diferentes grupos étnicos de uma região ou em um grupo organizado de profissionais. Nos dois casos, existem comportamentos, crenças e atitudes que constituem uma unidade cultural.

Estudo fenomenológico

Este tipo de estudo qualitativo é baseado na análise das experiências cotidianas dos seres humanos. Por meio dessa técnica, os pesquisadores buscam entender o significado que os humanos dão aos seus problemas e dificuldades.

Teoria fundamentada

Esse método de pesquisa qualitativa constrói a teoria a partir dos dados. Ou seja, o ponto de partida desta técnica de pesquisa são os dados, não a teoria.

A teoria fundamentada é usada não apenas nas ciências sociais, mas também na pesquisa em serviços de saúde, estudos de enfermagem e educação. Por exemplo: a avaliação dos sintomas e sinais de um paciente determina as etapas iniciais para o controle da doença.

Relacionado:  O que são a população e a amostra de uma investigação?

Métodos de narrativa e visualização

A narrativa se concentra em como as pessoas contam suas histórias para revelar como elas dão sentido a seus eventos e situações. Por outro lado, os métodos de visualização envolvem solicitar às pessoas sob investigação que relatem o problema através do design de mapas, diagramas ou outras imagens em grupo.

Por exemplo, os participantes podem desenhar um esboço de sua comunidade e indicar os locais de risco ou áreas onde os edifícios ou outras instalações podem ser localizados.

Os métodos de visualização são amplamente utilizados na área de saúde pública, como quando os membros da comunidade são solicitados a descrever como e onde uma determinada infecção de pele os afetou.

Isso fornece ao pesquisador uma compreensão do conceito popular de saúde e permite que os especialistas em saúde apliquem medidas de intervenção, tratamento e prevenção.

Estudo de caso

Essa técnica envolve um exame aprofundado de uma única pessoa ou instituição. O principal objetivo do estudo de caso é fornecer a representação mais precisa possível do indivíduo estudado.

É amplamente utilizado na área da psicologia quando o caso estudado é complexo e necessita de atenção especial. Por esses motivos, essa técnica de estudo inclui entrevistas detalhadas e uma revisão detalhada de todo o histórico do paciente.

A individualidade do estudo de caso leva o pesquisador a compreender profundamente o problema a ser estudado, pois implica uma oportunidade para uma análise intensiva de muitos detalhes específicos.

Exemplos de usos de técnicas de pesquisa

– Um exemplo de pesquisa seria a avaliação do nível de conhecimento das mães adolescentes sobre a importância do aleitamento materno. Esses dados seriam expressos em porcentagem (%).

– Um estudo correlacional seria determinar a relação entre crianças vacinadas contra o sarampo e o número de casos da doença.

– Um estudo causal-comparativo seria realizado para determinar os fatores associados à obesidade infantil, como estilo de vida sedentário, ingestão ultraprocessada ou genética.

– Um exemplo de um estudo experimental pode ser a avaliação do efeito de inseticidas no desenvolvimento de plantas fumigadas. Para isso, o pesquisador seleciona ou controla as concentrações de inseticidas e avalia seus efeitos no crescimento de plantas e frutas.

– Um exemplo de observação está esperando na floresta amazônica brasileira para ver qual é o comportamento reprodutivo da onça-pintada.

– Uma  investigação bibliográfica é investigar em um banco de dados on-line quais são as publicações que foram feitas sobre uma determinada espécie de morcego.

– Um estudo fenomenológico seria a avaliação da percepção das mulheres sobre seus problemas de obesidade. Nesse caso, analisando suas experiências e crenças, pode-se estabelecer a existência de um sofrimento psicológico relacionado à aceitação social ou a problemas com o controle da ansiedade.

– Um estudo etnográfico viveria por vários meses com uma tribo da selva em Bornéu para aprender sobre seus costumes, tradições e cultura em geral.

– Uma teoria bem fundamentada seria aquela que um economista elabora sobre a viabilidade de uma empresa com base em dados como lucros, despesas, concorrência ou ameaças externas, entre outros.

– Um exemplo de narrativa e outros métodos de visualização são aqueles aplicados quando um paciente é solicitado a indicar onde sente desconforto e em que grau de dor. Isso pode estipular a condição possível.

– Um exemplo de um estudo de caso seria realizado com uma criança selvagem, ou seja, uma pessoa que viveu fora da sociedade, sendo criada na natureza por animais. São casos únicos e não podem ser eticamente realizados, a menos que sejam feitos de maneira circunstancial.

Referências

  1. Mousalli, (2015). Métodos e desenhos quantitativos de pesquisa. Obtido em 28 de abril de 2020 em: researchgate.net
  2. Apuke, (2017). Métodos Quantitativos de Pesquisa: Uma Abordagem de Sinopse. Obtido em 28 de abril de 2020 em: researchgate.net
  3. Astin, Long A (2014). Características da pesquisa qualitativa e sua aplicação. Retirado em 29 de abril de 2020 em: researchgate.net
  4. Elkatawneh, (2015). Comparando abordagens qualitativas e quantitativas. Retirado em 29 de abril de 2020 em: researchgate.net
  5. Wolff, B., Mahoney, F., Lohiniva, A., Corkum, M. (2018). Coletando e analisando dados qualitativos. Recuperado em 27 de abril de 2020 em: cdc.gov
  6. Woodsong, Mack., McQueen, K., Convidado, G. (2005). Métodos de pesquisa qualitativa: um guia de campo para coletores de dados. Retirado em 27 de abril de 2020 de: org

Deixe um comentário