Variáveis ​​econômicas: para que servem, tipos, exemplos

As variáveis econômicas são indicadores que permitem avaliar o desempenho da economia de um país, região ou setor. Elas servem para medir a evolução de diversos aspectos, como produção, consumo, investimentos, inflação, emprego, entre outros. Existem diversos tipos de variáveis econômicas, que podem ser classificadas em macroeconômicas (que englobam a economia como um todo) e microeconômicas (que se referem a aspectos específicos de empresas, consumidores ou mercados). Alguns exemplos de variáveis econômicas incluem o Produto Interno Bruto (PIB), a taxa de desemprego, a inflação, a taxa de juros, o índice de confiança do consumidor, entre outros. Essas variáveis são essenciais para analisar a saúde da economia e tomar decisões estratégicas nos mais diversos contextos.

Entenda o significado e exemplos de variáveis econômicas neste artigo esclarecedor.

As variáveis econômicas são indicadores que servem para medir e analisar o desempenho da economia de um país, região ou até mesmo de uma empresa. Elas são fundamentais para entender como a economia está se comportando e quais os impactos das políticas econômicas adotadas.

Existem diversos tipos de variáveis econômicas, sendo as mais comuns as variáveis macroeconômicas e as variáveis microeconômicas. As variáveis macroeconômicas englobam indicadores de nível nacional, como o Produto Interno Bruto (PIB), a inflação, o desemprego e a taxa de juros. Já as variáveis microeconômicas se referem a indicadores específicos de uma empresa, como custos de produção, demanda do mercado e preços dos produtos.

Alguns exemplos de variáveis econômicas são a taxa de câmbio, que indica o valor da moeda nacional em relação a outras moedas estrangeiras, e o índice de confiança do consumidor, que mede o otimismo ou pessimismo dos consumidores em relação à economia. Outras variáveis incluem a balança comercial, que mostra a diferença entre exportações e importações de um país, e a taxa de poupança, que indica a proporção da renda que as pessoas estão guardando para o futuro.

Elas fornecem dados concretos sobre o desempenho econômico e ajudam a prever tendências futuras, sendo úteis tanto para governos, empresas e investidores. Portanto, é importante estar atento e acompanhar regularmente esses indicadores para uma melhor compreensão do cenário econômico.

Quais são os principais fatores que influenciam a economia em larga escala?

Os principais fatores que influenciam a economia em larga escala são diversos e interligados. Entre eles, destacam-se a política monetária, a política fiscal, o mercado de trabalho, o comércio internacional, a inflação, o crescimento econômico e a taxa de juros.

A política monetária, por exemplo, refere-se às ações do Banco Central para controlar a quantidade de dinheiro em circulação e a taxa de juros. Já a política fiscal diz respeito às decisões do governo relacionadas aos gastos públicos e à arrecadação de impostos.

O mercado de trabalho influencia diretamente a economia, pois a taxa de desemprego afeta o consumo das famílias e a produção das empresas. O comércio internacional também desempenha um papel importante, pois as exportações e importações impactam o saldo da balança comercial e a taxa de câmbio.

A inflação, por sua vez, representa o aumento contínuo dos preços dos bens e serviços, o que pode afetar o poder de compra da população e a competitividade das empresas. O crescimento econômico, por sua vez, está relacionado ao aumento da produção de bens e serviços em um país.

Por fim, a taxa de juros influencia o consumo e o investimento, uma vez que afeta o custo do crédito e a rentabilidade dos investimentos. Todos esses fatores estão interligados e podem influenciar a economia em larga escala.

Variáveis do cenário macroeconômico nacional: o que é preciso saber sobre elas?

Variáveis econômicas: para que servem, tipos, exemplos.

As variáveis do cenário macroeconômico nacional são indicadores que refletem a situação econômica de um país em um determinado momento. É importante compreender o impacto dessas variáveis para tomar decisões estratégicas, tanto no âmbito empresarial quanto no âmbito governamental.

Existem diversas variáveis econômicas que são acompanhadas de perto pelos analistas e economistas. Alguns exemplos dessas variáveis incluem o PIB (Produto Interno Bruto), a inflação, o desemprego, a taxa de juros e a balança comercial.

O PIB é um dos principais indicadores do desempenho econômico de um país, representando o valor de todos os bens e serviços produzidos em um determinado período. Já a inflação mede o aumento geral dos preços e impacta diretamente o poder de compra da população.

Relacionado:  Verificação nominativa: características, para que serve e exemplo

O desemprego é outra variável importante, que indica a quantidade de pessoas sem emprego em relação à força de trabalho total. A taxa de juros influencia o consumo e o investimento, afetando o crescimento econômico. Por fim, a balança comercial mostra a diferença entre as exportações e importações de um país.

Ao analisar essas variáveis econômicas, é possível ter uma visão mais ampla do cenário macroeconômico nacional e tomar decisões mais embasadas. Por isso, é fundamental acompanhar de perto esses indicadores e entender como eles interagem entre si.

Principais elementos em destaque na atual conjuntura econômica mundial.

Nos dias de hoje, a conjuntura econômica mundial vem sendo influenciada por diversos elementos que impactam diretamente no desempenho das economias ao redor do globo. Alguns dos principais elementos em destaque incluem a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, a instabilidade política em diversas regiões, a crise climática e a pandemia de COVID-19.

A guerra comercial entre os dois maiores países do mundo tem gerado incertezas nos mercados globais, afetando o comércio internacional e as cadeias de suprimentos. Isso tem levado a um aumento da volatilidade nos preços das commodities e das moedas, impactando diretamente a economia de diversos países.

Além disso, a instabilidade política em regiões como o Oriente Médio e a América Latina tem gerado preocupações quanto à segurança dos investimentos estrangeiros, afetando o crescimento econômico nessas áreas. A crise climática, por sua vez, tem levado a desastres naturais cada vez mais frequentes, causando prejuízos econômicos e sociais significativos.

Por fim, a pandemia de COVID-19 tem sido um dos maiores desafios enfrentados pela economia mundial nos últimos anos. A crise sanitária levou ao fechamento de empresas, ao aumento do desemprego e à queda do PIB em diversos países, exigindo medidas de estímulo econômico por parte dos governos para mitigar os impactos negativos da doença.

Diante desse cenário complexo, é fundamental que os governos e as empresas estejam atentos a esses elementos em destaque, buscando estratégias para promover o crescimento econômico sustentável e a estabilidade financeira. A análise das variáveis econômicas se torna essencial para compreender e antecipar os impactos desses elementos na economia global, permitindo a adoção de medidas adequadas para enfrentar os desafios do mundo atual.

Variáveis econômicas: para que servem, tipos, exemplos

As variáveis econômicas estão todos os dados gravados em um modelo econômico. Eles são qualquer indicador que ajude a determinar como uma economia funciona. Alguns exemplos são: população, taxa de pobreza, inflação e recursos disponíveis.As relações entre essas várias variáveis ​​são estudadas extensivamente no campo da macroeconomia.

Embora a macroeconomia se refira à economia em geral, a microeconomia reduz seu escopo de estudo a agentes individuais, como consumidores e empresas, e seus respectivos comportamentos econômicos e padrões de tomada de decisão.

Variáveis ​​econômicas: para que servem, tipos, exemplos 1

Fonte: pixabay.com

Influência

Essas variáveis ​​podem incluir qualquer coisa que influencie a direção de um determinado mercado em larga escala. Por exemplo, a política fiscal e vários regulamentos podem afetar as economias estaduais e nacionais, enquanto podem desencadear implicações internacionais mais amplas.

Portanto, variáveis ​​econômicas são eventos fiscais, naturais ou geopolíticos influentes que afetam amplamente uma economia regional ou nacional. Eles tendem a impactar amplas faixas populacionais, em vez de apenas alguns indivíduos selecionados.

Eles podem incluir custos como salários, taxas de juros, atividades governamentais, leis, políticas, taxas de imposto e desemprego. Todas essas variáveis ​​ocorrem fora do negócio ou do próprio investimento, mas influenciam bastante o valor do investimento no futuro.

Essas variáveis ​​também podem incluir qualquer informação que afete o valor atual ou futuro do que está sendo examinado.

Para que servem as variáveis ​​econômicas?

As variáveis ​​econômicas são os principais sinais ou indicadores que marcam as tendências atuais da economia.

Esses são dados fundamentais sobre o mercado e a economia, que são levados em consideração no cálculo do valor de um investimento ou negócio.

Em outras palavras, investidores e empreendedores devem prestar atenção às forças econômicas externas ao avaliar um investimento, além do valor intrínseco do ativo.

Por outro lado, como todos os especialistas, o governo para realizar um bom trabalho de gestão macroeconômica da economia deve estudar, analisar e entender as principais variáveis ​​que determinam o comportamento atual da macroeconomia.

Relacionado:  4 atividades econômicas da serra peruana

Portanto, o governo deve entender as variáveis ​​do crescimento econômico, por que e quando ocorre a recessão ou a inflação, e antecipar essas tendências, bem como qual combinação de políticas será a mais apropriada para resolver os males da economia.

Assim, essas variáveis ​​de desempenho econômico são verificadas de perto por governos, empresas e consumidores.

Tipos de variáveis ​​econômicas

Preditores variáveis

Essas variáveis ​​mudam antes que grandes ajustes econômicos sejam feitos. Como tal, eles podem ser usados ​​para prever tendências futuras.

Bolsa de Valores

Essa variável é a que a maioria das pessoas olha primeiro. Como os preços das ações se baseiam, em parte, no que as empresas esperam ganhar, você pode indicar a direção da economia, se as estimativas de ganhos forem precisas.

Atividade manufatureira

Ela influencia fortemente o produto interno bruto (PIB). Um aumento nessa atividade sugere uma maior demanda por bens de consumo e, portanto, uma economia saudável.

Níveis de inventário

Níveis altos de estoque podem refletir duas coisas muito diferentes: É esperado um aumento na demanda por estoque ou falta de demanda.

No primeiro cenário, as empresas intencionalmente aumentam o estoque para se preparar para um maior consumo nos próximos meses. Empresas com alto estoque podem atender à demanda e, portanto, aumentar seus lucros.

No entanto, no segundo cenário, altos estoques refletem que os suprimentos da empresa excedem a demanda.

Isso não apenas custa dinheiro às empresas, mas também indica que as vendas no varejo e a confiança do consumidor são baixas.

Vendas no varejo

As altas vendas no varejo aumentam diretamente o PIB, fortalecendo também a moeda local.

Quando as vendas melhoram, as empresas podem contratar mais funcionários para vender e fabricar mais produtos, o que, por sua vez, coloca mais dinheiro nos bolsos dos consumidores.

Mercado imobiliário

Uma queda nos preços das moradias indica que a oferta excede a demanda, que os preços existentes são inacessíveis ou que os preços são inflacionados e devem ser corrigidos como resultado de uma bolha imobiliária.

As reduções neste mercado têm um impacto negativo na economia por várias razões:

– Diminuir a riqueza dos proprietários.

– Reduzir a quantidade de obras necessárias para construir novas casas, o que aumenta o desemprego.

Variáveis ​​-History

Eles refletem o desempenho histórico da economia. Suas alterações são identificáveis ​​apenas depois que uma tendência econômica é estabelecida. Eles ajudam a identificar tendências de longo prazo.

Produto Interno Bruto (PIB)

Os economistas acreditam que o PIB é a variável mais importante na saúde atual da economia. Quando o PIB aumenta, é um sinal de que a economia está forte.

Taxa de desemprego

Meça o número de pessoas que procuram trabalho como uma porcentagem da força de trabalho total. Numa economia saudável, a taxa de desemprego será de 3% a 5%.

No entanto, quando a taxa de desemprego é alta, os consumidores têm menos dinheiro para gastar, afetando negativamente as lojas, o PIB e o mercado imobiliário, entre outros.

Índice de Preços ao Consumidor

Reflete o aumento do custo de vida. É calculado medindo-se os custos de bens e serviços essenciais, como assistência médica, moradia, alimentação e transporte.

A inflação é determinada pelo aumento do custo médio da cesta total de produtos durante um período de tempo.

Taxas de juros

Eles representam o custo do empréstimo de dinheiro. Eles são baseados na taxa de fundos federais, que é a taxa de empréstimo de dinheiro de um banco para outro. Essas taxas mudam como resultado de eventos econômicos e de mercado.

Quando a taxa de fundos federais aumenta, os bancos precisam pagar taxas de juros mais altas para conseguir dinheiro. Por sua vez, eles emprestam dinheiro a taxas mais altas, tornando os mutuários relutantes em emprestar.

Isso desencoraja as empresas a expandir e os consumidores a tomar empréstimos. Como resultado, o crescimento do PIB estagna.

Por outro lado, taxas muito baixas levam a uma maior demanda por moeda e aumentam a probabilidade de inflação e podem distorcer o valor da moeda.

Relacionado:  Leis de Gossen: explicação com exemplos

Balança comercial

É a diferença líquida entre o valor das exportações e importações, mostrando se há um superávit comercial ou um déficit comercial.

Excedentes comerciais são geralmente desejáveis. No entanto, os déficits comerciais podem levar a uma dívida interna significativa.

A longo prazo, um déficit comercial pode gerar uma desvalorização da moeda local, à medida que a dívida externa aumenta.

Importância

Como as previsões de especialistas geralmente não são confiáveis, é importante desenvolver um entendimento da economia e dos fatores que a moldam.

Prestar atenção às variáveis ​​econômicas pode dar uma idéia de para onde a economia está indo, a fim de planejar as finanças em geral.

As expectativas sobre variáveis ​​econômicas desempenham um papel considerável em uma economia. Economistas e analistas costumam observar esses fatores econômicos quando procuram maneiras de explicar ou cumprir os objetivos da política econômica e criar estabilidade econômica.

Ao fazer isso, eles tentam prever níveis futuros de emprego, inflação e outras variáveis ​​econômicas importantes. Essas previsões afetam as decisões tomadas hoje por governos, indivíduos e empresas.

Percepção da economia

Quando as empresas e o público em geral percebem que a economia é forte, elas se sentem muito mais confortáveis ​​gastando dinheiro. Essa despesa, por sua vez, cria mais demanda por produtos e serviços novos e existentes.

As empresas se ajustarão a isso aumentando a produção para atender à maior demanda. Isso pode incluir a contratação de mais trabalhadores e / ou a fabricação de mais estoque, o que por sua vez pode servir para prolongar um ciclo de crescimento.

Em geral, é muito mais fácil para uma empresa aumentar suas vendas quando os gastos com consumidores e negócios são fortes do que quando são fracos.

Por outro lado, quando houver dúvidas sobre a direção futura da economia, empresas e indivíduos hesitarão mais em gastar dinheiro, preferindo “jogar pelo seguro” até que uma imagem melhor apareça.

Quando a economia desacelera, as empresas percebem que superestimaram suas necessidades de produção e decidem que devem ser drasticamente cortadas.

Exemplos reais

Bolsa de Valores

Um forte mercado de Dow Jones ou Nasdaq em Nova York pode sugerir que as estimativas de ganhos aumentem. Portanto, que a economia em geral está se preparando para prosperar.

Por outro lado, um mercado em queda pode indicar que os lucros da empresa deverão diminuir e que a economia está caminhando para uma recessão.

Mercado imobiliário

Quando as vendas diminuem, geralmente indica que os valores também cairão. Por exemplo, o colapso da bolha imobiliária em 2007 teve sérios efeitos na economia e é amplamente responsabilizado por levar os Estados Unidos a uma recessão.

Produto Interno Bruto

O PIB é um determinante essencial para saber se um país está ou não entrando em recessão. A regra geral é que, quando o PIB é reduzido por mais de dois quartos, ocorre uma recessão.

Custos trabalhistas

Os custos trabalhistas têm sido uma das maiores e mais controversas variáveis ​​econômicas do mundo. A discussão a esse respeito levou inúmeras empresas a procurar outros países em busca de mão-de-obra barata.

Vários países se estabeleceram nos países do sul da Ásia, call centers, fábricas e outros edifícios do processo de produção. Isso ocorre porque eles aceitam salários muito mais baixos.

Doenças

Embora seja um exemplo atípico, as doenças também podem ser definidas como variáveis ​​econômicas.

Caso em questão: depois que o vírus Ebola de 2014 afetou a África Ocidental, a área de Macroeconomia e Política Fiscal do Banco Mundial interveio para ajudar os governos locais a combater o vírus.

Referências

  1. O Dicionário Livre (2019). Variável Econômica Retirado de: financial-dictionary.thefreedictionary.com.
  2. Money Crashers (2019). Lista dos 16 principais indicadores econômicos principais e atrasados. Retirado de: moneycrashers.com.
  3. Andrew Bloomenthal (2019). Definição de fator macroeconômico. Investopedia. Retirado de: investopedia.com.
  4. Investing Answers (2019). Fator Macroeconômico. Retirado de: investinganswers.com.
  5. Cnbc (2019). Fatores macroeconômicos da análise fundamental. Retirado de: cnbc.com.
  6. Meu curso de contabilidade (2019). O que são fatores econômicos? Retirado de: myaccountingcourse.com.

Deixe um comentário