Xipe Tótec: significado, mitologia e templos

Xipe Tótec é uma divindade importante da mitologia asteca, associada à renovação da vida, fertilidade e agricultura. Seu nome significa “Nosso Senhor o Descarnado” e ele é frequentemente representado usando a pele de um humano sacrificado, simbolizando o ciclo de morte e renascimento na natureza. Xipe Tótec era celebrado com rituais sangrentos, nos quais prisioneiros de guerra eram sacrificados e sua pele era usada em cerimônias de renovação.

Templos dedicados a Xipe Tótec foram construídos em várias cidades astecas, como Tenochtitlán e Tlaxcala. Esses templos eram locais de culto onde sacerdotes realizavam rituais de sacrifício e adoração à divindade, buscando sua proteção e bênção para as colheitas e a fertilidade do povo. A figura de Xipe Tótec desempenhava um papel fundamental na religião e na cosmovisão dos astecas, refletindo a importância da morte e renascimento na sua cultura.

Descubra a história e significado por trás de XIPE Totec, deus asteca da fertilidade.

Xipe Tótec era um dos deuses mais importantes da mitologia asteca, sendo associado à fertilidade, renascimento e agricultura. Seu nome significa “nosso senhor o desollado”, e ele era frequentemente representado usando a pele de um humano sacrificado, simbolizando o renascimento e a regeneração da natureza.

Na mitologia asteca, Xipe Tótec era considerado o deus do ciclo da vida, da morte e renascimento. Ele era responsável por garantir a fertilidade da terra e as colheitas abundantes, sendo adorado pelos agricultores e camponeses. Os rituais em sua honra envolviam sacrifícios humanos, nos quais a vítima era desollada para representar a renovação da vida.

Xipe Tótec tinha vários templos dedicados a ele, onde os sacerdotes realizavam rituais complexos e cerimônias para garantir a fertilidade da terra. Um dos templos mais importantes era localizado em um local sagrado chamado Yopico, onde os astecas acreditavam que o deus se comunicava com os humanos e abençoava as colheitas.

Sua representação através da pele de um humano sacrificado simbolizava o ciclo da vida e a regeneração da natureza, sendo adorado e reverenciado por sua importância na garantia da fertilidade da terra.

Qual é a lenda de origem dos astecas sobre a criação do mundo?

A lenda de origem dos astecas sobre a criação do mundo é conhecida como a história dos deuses Tezcatlipoca e Quetzalcóatl. Segundo a mitologia asteca, esses dois deuses criaram o mundo juntos, mas acabaram em um conflito que resultou na destruição e reconstrução do universo. De acordo com a crença asteca, o mundo passou por várias eras, cada uma terminando em uma catástrofe que levou à criação de uma nova civilização.

Xipe Tótec: significado, mitologia e templos

Xipe Tótec é um dos deuses mais importantes da mitologia asteca. Seu nome significa “nosso senhor do descolamento da pele”, e ele era associado à renovação da vida e à fertilidade. Na mitologia asteca, Xipe Tótec era frequentemente representado usando a pele de uma vítima sacrificada, simbolizando o renascimento e a regeneração.

Relacionado:  Bandeira de Cundinamarca: História e Significado

Xipe Tótec era adorado em templos especiais dedicados a ele, onde rituais de sacrifício eram realizados para garantir a fertilidade da terra e a abundância das colheitas. Estes templos eram lugares sagrados para os astecas, onde eles faziam oferendas e reverenciavam Xipe Tótec como um deus poderoso e benevolente.

Conheça os deuses da mitologia asteca: quem são e quais seus poderes divinos.

Na mitologia asteca, Xipe Tótec é um dos deuses mais importantes e poderosos. Seu nome significa “Nosso Senhor o Despido” ou “O que Descasca”. Xipe Tótec é associado à renovação da vida, à agricultura e à fertilidade. Ele também é considerado o deus da primavera e do ouro.

Xipe Tótec é frequentemente representado usando a pele de um humano sacrificado, simbolizando a renovação da vida e a regeneração da natureza. Ele era adorado através de rituais sangrentos, nos quais prisioneiros de guerra eram sacrificados em seu nome.

Além disso, Xipe Tótec era considerado o protetor dos ourives e artesãos, pois era associado ao ouro e à metalurgia. Seus templos eram decorados com ornamentos dourados e suas estátuas eram feitas de ouro.

Os templos dedicados a Xipe Tótec eram construídos em locais estratégicos, onde os adoradores podiam se conectar com a natureza e renovar suas energias espirituais. Esses templos eram ricamente decorados e continham altares onde os rituais de sacrifício eram realizados em honra ao deus.

Seu culto era marcado por rituais sangrentos e templos suntuosos, onde os adoradores podiam se conectar com o divino.

Xipe Tótec: significado, mitologia e templos

Xipe Tótec: significado, mitologia e templos

Xipe Tótec , cujo nome significa em Nahuatl “nosso senhor esfolado”, era o deus asteca da agricultura, doenças, vegetação, Oriente e ourives. Essa divindade representa a natureza espiritual e de renovação das pessoas, bem como o abandono do que não é útil.

Segundo a mitologia, Xipe Tótec se esfolou vivo e arrancou os olhos para que a humanidade pudesse se alimentar de sua pele. Em adição, Deus usou um instrumento musical como um raio de sol , o chicahuaztli, para trazer chuva e culturas de milho foram mais abundantes.

Segundo especialistas, a origem desse deus era Yope, uma das culturas estabelecidas no México atual antes da chegada dos espanhóis. Foi um dos quatro tezcatlipocas, os deuses que fizeram o universo. Além dos mexicas, o Xipe Tótec também esteve presente no panteão zapoteco.

Xipe Tótec foi o protagonista de um dos festivais mais importantes do México. Isso foi comemorado em março, durante o equinócio da primavera. Durante isso, as vitórias militares foram comemoradas e o deus foi homenageado através de um ritual de esgarçamento chamado Tlacaxipehualiztli.

Xipe Tótec, “Nosso Senhor, esfolado”

Xipe Tótec, também chamado Tlatlauhqui Tezcatlipoca -Tezcatlipoca Rojo, era, segundo a mitologia, filho dos dois primeiros deuses, Ometecuhtli e Omecihuatl. Como tal, ele era o irmão de Huitzilopochtli e um dos quatro tezcatlipocas que criaram o universo.

Seu nome pode ser traduzido de Nahuatl como “nosso senhor esfolado”. Para os mexicas, ele era a divindade encarregada da regeneração do milho e da guerra, nova vegetação e primavera. Assim, ele era considerado um deus da fertilidade, além de ser o santo padroeiro dos ourives.

Os mexicas começaram a adorar Xipe Tótec durante o mandato de Axayácatl, entre 1469 e 1481.

Segundo as crônicas de Frei Bernardino de Sahagún, os Mexicas representavam Xipe Tótec vestindo uma pele tingida de amarelo. Essa pele pertencia a um guerreiro que se sacrificou para adorar o deus.

O rosto, por sua vez, tinha três linhas vermelhas pintadas e a cabeça era adornada com uma coroa. Na mão, ela segurava um escudo (chimalli) e completava suas roupas com uma saia feita de folhas de sapoti.

Representação

Xipe Tótec, dentro das crenças astecas, representava a parte masculina do mundo: fertilidade, milho jovem, abundância, amor e fertilidade.

O deus apareceu em suas representações com um chicahuaztli, uma espécie de chocalho usado para convocar a chuva. Além disso, sua figura estava coberta com a pele esfolada de um humano e, às vezes, ele tinha alguns atributos animais.

Na cabeça, ele usava um capillo colorido, com borlas penduradas nas costas. Suas roupas estavam completas com saias verdes que a cobriam até os joelhos. O deus usava protetores de orelha de ouro e seu cabelo estava dividido por duas tranças.

Mito

A mitologia sobre Xipe Tótec conta como, no início da criação, o deus arrancou seus próprios olhos e se esfolou vivo para que o milho pudesse germinar e, assim, a humanidade pudesse se alimentar.

Os especialistas consideram que essa história estava carregada de simbolismo: a pele representaria a cobertura da semente enquanto ela germinava, bem como a cobertura do milho quando ela é removida para poder comer o cereal.

Como recompensa pelo sacrifício de Xipe Tótec, o resto dos deuses concedeu-lhe um espírito puro. Isso se refletiu em seu cobertor dourado.

Adoração Xipe Tótec

Algumas crônicas antigas nos permitem saber como era o festival que foi comemorado no mês de março para homenagear Xipe Tótec. Essa celebração, chamada Tlacaxipehualiztli, incluiu a realização de sacrifícios humanos. As vítimas foram esfoladas e a carne foi usada como roupa para os padres.

Embora não haja confirmação, os historiadores pensam que os sacrificados foram guerreiros de outros povos capturados em combate e que foram mantidos em cativeiro, especialmente para os Tlacaxipehualiztli. Da mesma forma, acredita-se que aqueles que capturaram esses guerreiros mantiveram a pele para vestir neles.

Relacionado:  Quem criou a bandeira do Peru?

Um dos fragmentos do hino de Xipe Tótec disse o seguinte: “Eu sou o terno arbusto de milho, das suas montanhas seu deus vem vê-lo, minha vida será renovada e o novo homem será fortalecido. Quem governa a guerra nasceu.

Xipe Tótec em diferentes culturas

O Império Asteca considerava o sul um lugar maligno, algo que alguns especialistas explicam pela aridez das terras do sul de Puebla e Morelos. Por esse motivo, eles tinham deuses protetores que os protegiam de qualquer perigo. Entre eles estava Xipe Tótec, a quem associaram com o Renascimento e a vegetação.

Os astecas não foram os únicos a adotar Xipe Tótec como deus. No noroeste do vale do México, eles também adoravam o deus. Assim, foram encontradas representações em tamanho real dessa deidade esfolada.

Uma figura menor também foi encontrada segurando um copo no estilo zapoteca em uma de suas mãos.

Essas descobertas levaram especialistas a afirmar que o culto ao Xipe Tótec nasceu em Oaxaca, onde residiam os Mixtecs e os Zapotecas.

A cidade que é indicada como o iniciador do culto de Xipe foram os yopes. Estes habitavam uma faixa na costa do Pacífico e nunca foram conquistados pelos mexicas.

Primeiro templo dedicado Xipe Tótec

Uma nova descoberta arqueológica feita em 2019 oferece novos detalhes sobre o culto aos Xipe Tótec. Assim, naquele ano, um templo dedicado ao deus foi encontrado na área arqueológica de Ndachjian-Tehuacán (sul de Puebla), uma área habitada pelos popolocas, um povo que descendia dos olmecas.

O templo, segundo a pesquisa, é o mais antigo dedicado ao Xipe Tótec e remonta ao século 10 ou 11. No total, ele deve ter 12 metros de comprimento e três metros e meio de altura.

As escavações descobriram dois altares de sacrifício, bem como três esculturas de pedra. Duas dessas esculturas mostram crânios esfolados e pesam cerca de 200 kg. O terceiro, enquanto isso, é um torso coberto por uma pele.

Os Popolocas homenagearam Xipe Tótec para melhorar a fertilidade de suas terras e aumentar as colheitas.

Referências

  1. Povos nativos. Xipe Totec. Obtido de povosoriginario.com
  2. EcuRed. Xipe Totec. Obtido de ecured.cu
  3. Corona, Sonia. Encontrado no México o primeiro templo do deus da pele, Xipe Tótec. Obtido em elpais.com
  4. Cartwright, Mark. Xipe Totec. Obtido em ancient.eu
  5. Os editores da Encyclopaedia Britannica. Xipe Totec. Obtido em britannica.com
  6. Meehan, Evan. Xipe Totec. Obtido em mythopedia.com
  7. Maestri, Nicoletta. Xipe Totec: Deus astuto e feroz da agricultura. Obtido em thoughtco.com

Deixe um comentário