10 diferenças entre temperamento e caráter

Existem diferenças entre temperamento e caráter , embora esses dois conceitos sejam frequentemente usados ​​de forma intercambiável, especialmente na linguagem coloquial.O temperamento é um conceito que define os elementos mais biológicos e geneticamente determinados do modo de ser das pessoas.

Em vez disso, caráter refere-se à associação entre fatores biológicos e elementos ambientais que participam da conformação dos atributos pessoais dos indivíduos.

10 diferenças entre temperamento e caráter 1

Nesse sentido, geralmente é habitual que temperamento e caráter sejam usados ​​como sinônimos para a personalidade. No entanto, nenhum determina completamente a maneira como as pessoas são

Da mesma forma, temperamento e caráter não se referem aos mesmos construtos, uma vez que cada um deles define aspectos específicos sobre os atributos pessoais dos seres humanos.

Principais diferenças entre temperamento e caráter

1- Inato vs adquirido

O temperamento e o caráter diferem em sua origem etiológica. Ou seja, nos fatores envolvidos no seu desenvolvimento. Nesse sentido, o temperamento é caracterizado por apresentar uma base inata, enquanto o caráter é um elemento adquirido.

Atualmente, existe um alto consenso em afirmar que a constituição da personalidade depende de fatores genéticos e ambientais.

Assim, de uma maneira geral, o temperamento pode ser interpretado como a parte da personalidade que provém de elementos genéticos e inatos, o caráter de fatores ambientais e a relação do indivíduo com o mundo externo.

No entanto, deve-se ter em mente que o personagem não se refere apenas aos elementos ambientais adquiridos da personalidade. De fato, esse componente abrange aspectos genéticos relacionados ao temperamento e aspectos ambientais.

Por essa razão, argumenta-se que o temperamento é uma construção inata e biológica, enquanto o caráter implica aspectos pessoais elaborados através da relação entre componentes genéticos e fatores externos.

2- Biológico vs social

No mesmo sentido que o ponto anterior, temperamento e caráter diferem por apresentar uma base biológica e social, respectivamente.

O temperamento faz parte da dimensão biológica do desenvolvimento das pessoas. Isso significa que constitui uma série de atributos sobre o modo de ser, agir e se comportar que fazem parte do desenvolvimento genético do ser humano.

Em vez disso, o personagem inclui tanto a dimensão biológica quanto a social da pessoa. Assim, o caráter pode ser interpretado como uma modulação e modificação do temperamento do indivíduo. Essa diferença entre temperamento e caráter está em sua origem divergente discutida acima.

O temperamento nasce e se desenvolve apenas através do genoma humano. Por outro lado, o personagem implica na presença de uma certa modificação dos atributos genéticos através do relacionamento do indivíduo com seu ambiente e seu desenvolvimento com seu contexto social.

3- Genética versus ambiente

As duas diferenças anteriores podem ser incluídas na dicotomia que dá origem à descrição e explicação do desenvolvimento psicológico e mental das pessoas: genética e meio ambiente.

Nesse sentido, postula-se que, na conformação da personalidade dos indivíduos, esses dois elementos participam bidirecionalmente. Em outras palavras, o ambiente e a genética são realimentados para constituir o modo de ser das pessoas.

Assim, o temperamento permite exemplificar os elementos da personalidade que dependem diretamente do desenvolvimento genético do indivíduo. Cada pessoa apresenta uma série de genes que determinam, de certa maneira, seu modo de ser.

Nesse sentido, a genética (temperamento) forma a base da personalidade das pessoas. No entanto, isso não se desenvolve apenas através da constituição herdada, uma vez que o ambiente parece desempenhar um papel importante.

É neste momento que o conceito de personagem aparece. É importante ter em mente que o caráter não se refere apenas a estímulos ambientais ou externos que estão envolvidos na conformação da personalidade.

Em vez disso, o personagem define um amplo componente mental que deriva das mudanças que o temperamento sofre através do contato com o ambiente que o sujeito faz.

4- Estável vs modificável

Outra diferença importante entre temperamento e caráter reside em sua estabilidade. Ou seja, em sua capacidade de modificar e se adaptar ao meio ambiente.

Sendo causado por fatores genéticos, o temperamento é um elemento altamente estável das pessoas. Por esse motivo, constitui a parte mais imóvel do modo de ser.

Nesse sentido, o temperamento é aquele aspecto característico que se manifesta de forma idêntica em diferentes situações e que não apresenta nenhum tipo de modificação ao longo do tempo.

Em contraste, o personagem engloba uma série de atributos característicos muito mais instáveis ​​e modificáveis.

De fato, sua conformação depende da relação do sujeito com o ambiente; portanto, dependendo de como é, o personagem adotará uma série de atributos específicos.

Em suma, o temperamento é a base estável da personalidade que depende da genética, enquanto o caráter é uma parte modificável do modo de ser das pessoas que depende do contexto.

5- Educável vs. não educável

No mesmo sentido que o ponto anterior, temperamento e caráter diferem em seu grau de “educabilidade”.

Sendo um elemento estável e imóvel, o temperamento não é educável. Ou seja, não pode ser modificado e trabalha para melhorá-lo.

As respostas comportamentais que dependem do temperamento estão fortemente envolvidas com o componente genético do indivíduo, portanto a intervenção que pode ser realizada é mínima.

Em vez disso, o oposto acontece com o personagem. Isso depende do contexto e, portanto, é altamente educável.

Maneiras, padrões de comportamento, comportamentos aprendidos … Todos esses aspectos constituem respostas educadas que se desenvolvem com a modificação do temperamento no ambiente, ou seja, fazem parte do caráter da pessoa.

6- Controlável vs. Não Controlável

Sendo imóvel, inalterável e “não educável”, o temperamento também é um elemento altamente incontrolável. Ou seja, respostas comportamentais e cognitivas baseadas nos aspectos biológicos da pessoa geralmente ocorrem automaticamente.

Por outro lado, os atributos referentes ao personagem são controláveis ​​pela pessoa, de modo que ela é mais ou menos capaz de elaborar os aspectos característicos que mais lhe agradam.

Em geral, a inibição comportamental, a repressão ou a adoção de comportamentos sensíveis geralmente são guiadas pelo caráter; em vez disso, as respostas mais impulsivas e instintivas geralmente estão sujeitas ao temperamento da pessoa.

7- Genótipo vs fenótipo

Em geral, temperamento e caráter podem ser distinguidos na dicotomia genótipo e fenótipo que participa do desenvolvimento do ser humano.

Nesse sentido, o genótipo é a classe da qual um membro é membro, de acordo com o estado dos fatores hereditários internos de um organismo, seus genes e, por extensão, seu genoma.

Baseia-se no conteúdo genético de um organismo e, no que diz respeito à personalidade do indivíduo, manifesta-se através do temperamento.

O fenótipo, por outro lado, é a classe da qual um membro é membro de acordo com as qualidades físicas observáveis ​​em um organismo, incluindo sua morfologia, fisiologia e comportamento em todos os níveis de descrição.

Constitui as propriedades observáveis ​​de um organismo e, no campo da personalidade, manifesta-se através do caráter.

8- Determinação genética

A determinação genética do comportamento postula que o modo de ser das pessoas é principalmente determinado pelos atributos hereditários do ser humano.

Dessa maneira, os genes e o genoma humano seriam elementos-chave na determinação da personalidade dos indivíduos.

Esses aspectos são bem representados pelo temperamento, o que indica uma série de atributos sobre o modo de ser que são governados exclusivamente pela determinação genética das pessoas.

9- Intervenção da experiência pessoal e do meio ambiente

O efeito do ambiente e da experiência pessoal dentro do contexto é outra das linhas de pesquisa sobre o comportamento humano.

Esses elementos não são representados no temperamento, mas adquirem sua expressão máxima no personagem.

O personagem mostra que os atributos genéticos das pessoas podem estar sujeitos a modificações e, portanto, o modo de ser dos sujeitos depende dos efeitos causados ​​por fatores ambientais no temperamento.

10- Aquisição de hábitos

Por fim, a aquisição de hábitos é outro aspecto que permite diferenciar o caráter do temperamento.

De fato, muitas investigações revelaram que o caráter é formado através da conjunção de temperamento com os hábitos aprendidos no ambiente.

Finalmente, a conjunção entre caráter (temperamento e hábitos aprendidos) com comportamento levaria à personalidade.

Referências

  1. Barlow D. e Nathan, P. (2010) O Oxford Handbook of Clinical Psychology. Oxford University Press.
  2. Caballo, V. (2011) Manual de psicopatologia e distúrbios psicológicos. Madri: Ed. Piramide.
  3. DSM-IV-TR Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (2002). Barcelona: Masson.
  4. Obiols, J. (Ed.) (2008). Manual de Psicopatologia Geral. Madri: Nova Biblioteca.
  5. Sadock, B. (2010) Kaplan & Sadock manual de bolso de psiquiatria clínica. (5ª Ed.) Barcelona: Wolters Kluwer.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies