10 remédios caseiros para ovulação (natural)

Alguns dos melhores remédios caseiros para ovular estão consumindo muita água, comendo frutas e legumes, mantendo um peso saudável, eliminando hábitos como beber álcool ou fumar e outros que explicarei abaixo.

A ovulação correta é importante não apenas para conceber um bebê, mas também um indicador alerta de como o corpo está funcionando.Se houver um desequilíbrio hormonal, presença de síndrome do ovário policístico ou fatores como excesso de peso, falta de sono, estresse e hábitos prejudiciais (álcool, tabaco), a presença de problemas no processo de ovulação é mais provável.

10 remédios caseiros para ovulação (natural) 1

Alguns sintomas visíveis são períodos menstruais irregulares, períodos menstruais superiores a 8 dias e problemas de concepção. É melhor consultar um médico que possa diagnosticar o que causa esses problemas.

E se o que você procura é engravidar, lembre-se de que os distúrbios ovulatórios são a causa mais frequente de infertilidade feminina, mas não são o único motivo, portanto, você deve receber aconselhamento médico completo e em casal.

A nutrição está incluída no conselho médico que recomendamos. Os efeitos positivos da nutrição na fertilidade feminina e masculina foram demonstrados. Neste artigo, você encontrará algumas diretrizes nutricionais a seguir para contribuir com sua saúde reprodutiva.

Melhores alimentos para aumentar a ovulação

1- Coma alimentos ricos em ácidos graxos ômega 3 e 6

Uma dieta com um conteúdo adequado de ácidos graxos poliinsaturados (ômega 3 e ômega 6) favorece a produção de hormônios como prostaglandinas e o metabolismo de esteróides em nosso corpo.

Os ácidos graxos poliinsaturados são usados ​​como insumo para o correto desenvolvimento do óvulo e sua preparação para a concepção.

Como fontes alimentares desses nutrientes, temos peixes, linhaça, sementes e nozes. O consumo adequado desses alimentos e a diminuição do consumo de ácidos graxos trans, presentes principalmente em bolos e doces produzidos industrialmente, batatas fritas, alimentos, fast food, sopas em pó e margarinas duras, podem ser eficazes na prevenção da infertilidade nas mulheres

2- Manter um peso saudável

Estudos científicos estudaram o risco de infertilidade devido a distúrbios da ovulação em mulheres jovens, descobrindo que mulheres muito magras e mulheres com obesidade são as mais propensas a apresentar esse problema.

O maior problema, no entanto, tende a estar acima do peso e obeso. Nesses casos, porque está associado à resistência à insulina e, em alguns casos, à síndrome dos ovários policísticos.

Essas situações são geralmente acompanhadas por distúrbios da ovulação. Mulheres com sobrepeso e obesidade têm um risco 32% maior de infertilidade devido a distúrbios da ovulação do que mulheres com peso normal.

Todas essas alterações causadas pelo excesso de peso são devidas a uma alteração da função do tecido adiposo. Sabe-se agora que a gordura acumulada não é apenas uma reserva de energia, mas também tem um papel hormonal no corpo.

Portanto, é importante manter um peso adequado para idade e altura. Nem em excesso nem em déficit.

3- Elimine hábitos prejudiciais da sua vida

A fertilidade feminina pode ser afetada negativamente pelo consumo de álcool e alto consumo de cafeína.

Um estudo realizado com mulheres suecas descobriu que mulheres que consumiam álcool em uma quantidade de pelo menos 2 doses por dia tinham um risco significativamente maior de infertilidade, enquanto mulheres que consumiam menos de uma bebida por dia tinham um risco significativamente menor em comparação com os participantes do estudo que ingeriram quantidades moderadas de álcool.

Também é digno de nota que um grande consumo de cafeína pode prolongar significativamente o tempo de espera para o início da gravidez.

O estudo europeu sobre infertilidade e subfecundidade mostra que o alto consumo de cafeína (> 500 mg por dia, ou seja, mais do que aproximadamente cinco xícaras de café) pode aumentar o risco de infertilidade em 45%.

4- Coma alimentos como soja

A soja é popular no continente asiático. Originalmente da China, faz parte da dieta de sua população há muito tempo. Nos anos 80, o consumo de soja foi introduzido na América e na Europa.

Os estudos revelaram os benefícios da soja nas mulheres na saúde cardiovascular, sexual e reprodutiva deste alimento.

Os compostos a que são concedidos os benefícios da regulação da ovulação são isoflavonas (genisteína, daidzeína, ipriflavona, glicicina). Esses compostos têm uma ação semelhante à do estrogênio.

É por isso que a soja se tornou nos últimos anos, um alimento usado em tratamentos fitoterapêuticos para sintomas da menopausa e para a prevenção de desordens climatéricas.

Receita para preparar uma bebida caseira de soja

Ingredientes: 1 xícara de soja + canela + cravo

Preparação: Uma noite antes de deixar a soja em uma tigela com água fria até cobrir o conteúdo. Na manhã seguinte, processe a soja embebida com água extra no liquidificador.

Despeje em uma panela e deixe ferver por 45 minutos, com canela e cravo. Passe o conteúdo por uma peneira e vá embora. Você terá uma bebida de soja deliciosa e nutritiva. Você pode usar um pouco de adoçante a gosto.

5- Maca, um alimento do Peru para o mundo

Maca é um tubérculo peruano, que se tornou popular por seus efeitos revigorantes e estimulantes na saúde reprodutiva. É um alimento originário dos Andes, que é vendido naturalmente, farinha, bebidas embaladas e outros. É um produto que está visitando mesas internacionais graças aos seus benefícios comprovados.

A Universidade Nacional de San Marcos (Peru), conduziu uma pesquisa sobre esse alimento e mostrou que ele tinha um efeito semelhante ao medicamento usado para induzir a ovulação (Citrato de Clomifeno).

Receita de um smoothie energizante da maca

Duas porções, para levar em casal:

Ingredientes: 2 bananas + 1 colher de chá de manteiga de amendoim + 2 colheres de sopa de farinha de maca + 5 gotas de baunilha + 2 xícaras de leite fresco.

Preparação:

Coloque as bananas descascadas e picadas e os outros ingredientes no liquidificador. Bata até obter uma textura cremosa. Sirva e aproveite. Se desejar, você pode adicionar mel ou panela.

6- Lentilhas e outras leguminosas

Esses alimentos contribuem com ferro para a dieta. É aconselhável consumi-los com alguma fonte de vitamina C, para que o ferro possa ser assimilado em maior quantidade.

O ferro previne a anemia em mulheres em idade fértil. Uma das causas da anovulação são imagens de anemia em mulheres. Quando o corpo detecta que você não possui reservas adequadas de ferro, ele interrompe esse processo para evitar a gravidez em uma condição anêmica, o que não seria favorável para o bebê.

Leguminosas, como feijão, feijão, grão de bico, também são uma fonte vegetal de proteína. Pesquisas afirmam que mulheres que consomem um bom suprimento de proteínas de origem vegetal em suas dietas têm menor risco de ter problemas de fertilidade.

7- Açaí, fruto do qual muitos benefícios são descobertos

O Açaí é uma planta de grande importância econômica, amplamente encontrada na região amazônica do Brasil. Estudos científicos mostraram que o açaí exibe uma composição diversificada de ácidos hidroxibenzóicos e antioxidantes. Tem efeitos anti-inflamatórios e anti-câncer, devido ao seu alto nível de fitoquímicos.

Esta fruta possui atividade que favorece o combate à infertilidade feminina. Seus compostos são favoráveis ​​à boa manutenção da função ovariana.Todos esses benefícios estão popularizando seu consumo em outras latitudes, agora fora do Brasil, na América Latina e na Europa.

Receita de smoothie de Açaí

Ingredientes: 100 g de Açaí + 1 xícara de morangos frescos + 1 banana madura + 16 amêndoas + 2 colheres de chá de coco ralado + 3-4 folhas de hortelã + 2 xícaras de leite.

Preparação: Adicione todos os ingredientes do shake no liquidificador e processe até obter uma mistura cremosa.

8- Evite alto consumo de açúcar adicionado

O açúcar adicionado é aquele adicionado aos produtos processados, bebidas industrializadas, doces, salgadinhos e aquele que usamos como açúcar de mesa. Esse tipo de açúcar produz efeitos negativos à saúde, diferentemente do açúcar encontrado naturalmente nas frutas, o que não causa danos ao organismo.

Dietas com alto teor de açúcar adicionado causam alterações metabólicas, como hiperinsulinemia. Essa condição é uma etapa anterior para o diabetes mellitus tipo 2. A hiperinsulinemia está relacionada a problemas de anovulação e fertilidade. Portanto, é importante que você controle a ingestão de açúcares e adicione muitas frutas e vegetais à sua dieta.

As quantidades máximas de consumo de açúcar adicionadas por dia são 5 colheres de chá. No entanto, se você consumir uma bebida gaseificada com açúcar, poderá consumir até 12 colheres de chá em um único instante.

Se você calcular a ingestão diária de uma pessoa que consome muitos produtos processados ​​e doces, ela pode estar entre 30 e 40 colheres de chá por dia, prejudicando sua saúde.

9- Consuma 8 copos de água por dia

A função da água no corpo humano é vital. Que a porcentagem de água no corpo seja tão alta, tem seus motivos. O organismo precisa de água como um meio para realizar as reações químicas que nos dão vida. E também, como meio de transporte de nutrientes e hormônios.

No aspecto da saúde reprodutiva, contribui para a manutenção das funções ovarianas em condições adequadas. Contribui para que os hormônios sejam transportados adequadamente, enviando os sinais necessários para uma boa saúde.

10- Inclua muitas cores na dieta

Inclui frutas e legumes vermelho, laranja, roxo, branco, verde. Quanto mais cores sua dieta tiver, mais antioxidantes você ingerirá. Isso é muito favorável à sua saúde reprodutiva.

Os antioxidantes protegem os óvulos de possíveis danos causados ​​pelos radicais livres e, assim, aumentam sua vida útil. É essencial que sua dieta seja rica em antioxidantes.

Idéias para você combinar comida

  • Azul ou roxo: beterraba, berinjela, uva preta, amora, ameixa, mirtilo, milho roxo, figos.
  • Vermelho: morangos, melancia, tomate, maçã, cerejas, romã, framboesa, pimenta.
  • Verde: acelga, salsa, alface, brócolis, espinafre, aspargo, kiwi.
  • Branco: cebola, alho, nabo, couve-flor, pêra, cogumelos.
  • Laranja: cenoura, laranja, toranja, manga, tangerina, pêssego, nêspera, abacaxi, maracujá, abóbora.

Referências

  1. Dorota Szostak-Węgierek. Nutrição e fertilidade. Departamento de Medicina Preventiva e Saúde, Instituto de Medicina Social, Universidade Médica de Varsóvia.
  2. Joan Martínez G seixo. Fitohormônios para revisão. Uma visão científica e atual. Ciências Biológicas Natura Medicatrix 2001.
  3. Antonia Expósito, Ana I. Expósito, Roberto Matorras. Obesidade e qualidade ovocitária. Universidade do País Basco.
  4. Marín M. Arroyo J. Bonilla P. Efeito de frações lipídicas de lepidium Meyenni Walpers “Maca”, no sistema reprodutivo de camundongos. Ciência e Pesquisa Escola de Farmácia e Bioquímica. Universidade Nacional de San Marcos. 2003

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies