21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas

Os cientistas mexicanos têm feito grandes contribuições para a humanidade, começando com as antigas civilizações que se desenvolveram matemática, astronomia, calendários e problemas resolvidos, como a gestão da água para a agricultura.

Após a chegada dos europeus, o México (então chamado Nova Espanha) foi introduzido na esfera da ciência ocidental. Em 1551, foi criada a Universidade Real e Pontifícia do México, que por mais de um século foi o centro do desenvolvimento intelectual do país.

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 1

No entanto, no início do século XIX, quando o México viveu a Guerra da Independência, o progresso científico estagnou. Em vez disso, durante a Revolução Mexicana, o país avançou novamente em ciência e tecnologia.

Já no século XX, universidades como o Instituto Politécnico Nacional, o Instituto Tecnológico de Monterrey e a Universidade Autônoma Nacional do México foram estabelecidas no México.

Em 1960, a ciência foi institucionalizada no México, o que foi percebido como um esforço valioso pela sociedade mexicana. Em 1961, o Centro de Pesquisa e Estudos Avançados do Instituto Politécnico Nacional foi estabelecido como um centro de estudos de pós-graduação em disciplinas como biologia, matemática e física.

Também em 1961, o instituto iniciou seus programas de pós-graduação em física e matemática, e escolas de ciências foram estabelecidas nos estados mexicanos de Puebla, San Luis Potosí, Monterrey, Veracruz e Michoacán. A Academia de Pesquisa Científica foi criada em 1968 e o Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia em 1971.

Segundo dados do Banco Mundial, o México é atualmente o maior exportador latino-americano de bens relacionados à alta tecnologia (computadores, produtos farmacêuticos, instrumentos científicos e máquinas elétricas), com 17% dos bens fabricados em 2012, de acordo com o Banco mundial.

Você também pode estar interessado em conhecer os cientistas mais famosos e importantes da história .

Cientistas mexicanos, descobertas e invenções

1- Luis Miramontes

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 2

O químico Luis Miramontes inventou a pílula contraceptiva. Em 1951, o então estudante Miramontes estava sob a direção de George Rosenkranz, CEO da Syntex Corp, e do pesquisador Carl Djerassi.

Miramontes inventou um novo procedimento para a síntese de progestina noretindrona, o ingrediente ativo do que se tornaria a pílula anticoncepcional oral. Carl Djerassi, George Rosenkranz e Luis Miramontes receberam a patente norte-americana 2.744.122 de “contraceptivos orais” em 1º de maio de 1956. Os primeiros contraceptivos orais comercializados com Norinyl foram fabricados pela Syntex Corp.

Relacionado:  10 exemplos de artigos de divulgação científica

2- Victor Celorio

Victor Celorio patenteou o «Instabook Maker», uma tecnologia para a distribuição de livros eletrônicos através da impressão rápida e elegante de uma cópia offline.

Victor Celorio recebeu as patentes dos EUA 6012890 e 6213703 por sua invenção. Celorio nasceu em 27 de julho de 1957 na Cidade do México e é o presidente da Instabook Corporation, com sede em Gainesville, Flórida.

3- Guillermo González Camarena

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 3

Guillermo González Camarena inventou o primeiro sistema de televisão em cores. Ele recebeu a patente norte-americana 2296019 em 15 de setembro de 1942 por seu “adaptador cromoscópico para equipamento de televisão”.

González Camarena mostrou publicamente sua televisão em cores com uma transmissão em 31 de agosto de 1946. A transmissão em cores foi transmitida diretamente de seu laboratório na Cidade do México.

4- Victor Ochoa

Victor Ochoa foi um inventor mexicano-americano. Ele é o inventor de um moinho de vento, freios magnéticos, uma chave inglesa e um motor reversível. Sua invenção mais conhecida foi o Ochoaplane, uma pequena máquina voadora com asas dobráveis.

O inventor mexicano também foi um revolucionário mexicano: Ochoa ofereceu uma recompensa de US $ 50.000 a Porfirio Díaz, presidente do México e tentou derrubar o governo no início dos anos 90.

5- José Antonio de la Peña

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 4

Ele é originalmente de Nuevo León e se formou na Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), onde estudou a carreira como matemático. Ele tem mestrado e doutorado.

Foi diretor do Instituto de Matemática (1998-2006) e presidente (2002-2004) e vice-presidente (2000-2002) da Academia Mexicana de Ciências e coordenador do Fórum Consultivo Científico e Tecnológico (2002-2004).

6- Manuel Peimbert

Peimbert ganhou em 1971 o prestigioso prêmio da “Pesquisa da Academia Mexicana de Ciências”. Sua especialidade é astronomia, e ele tem mestrado e doutorado pela Universidade de Berkeley. Além disso, ele é professor da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM).

Relacionado:  O que estuda a cartografia? Características principais

7- Adolfo Sánchez Valenzuela

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 5

Imagem recuperada do YouTube.

Valenzuela é doutor em matemática, formado pela Universidade de Harvard. Ele também é formado em física pela UNAM. Por outro lado, ele faz parte da Academia Mexicana de Ciências e é um renomado diretor de tese matemática.

8- José S. Guichard

Ele é responsável pelo Instituto Nacional de Astrofísica, Ótica e Eletrônica e físico recebido na UNAM com mestrado e doutorado.

9- Daniel Malacara

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 6

Imagem recuperada da Agência de Informações Conacyt.

Malacara é originário de Guanajuato e autor de mais de 150 artigos científicos e 10 capítulos em livros especializados em óptica. Ele foi recebido como físico na Universidade Nacional Autônoma do México. Ele também possui um mestrado em ciências na Universidade de Rochester.

10- Jorge Flores Valdés

Valdés foi diretor do Instituto de Física da Universidade Nacional Autônoma do México. Ele recebeu o mesmo corpo docente de doutor em física e pós-doutorado na Universidade de Princeton.

11- José Luis Morán

Este notável cientista mexicano é físico da Faculdade de Física da Universidade Autônoma de San Luis Potosí.

Ele então obteve um mestrado em física teórica pelo Instituto Politécnico Nacional e um doutorado pela Universidade de Berlim. Além disso, ele estudou na Universidade da Califórnia.

12- Mario Molina

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 7

Molina ganhou o Prêmio Nobel de Química em 1995 por suas descobertas sobre ameaças à camada de ozônio.

Ele foi recebido na Faculdade de Química da Universidade Nacional Autônoma do México e obteve sua pós-graduação na Alemanha. Em 1972, ele estudou na Universidade da Califórnia.

13- Juan Ramón de la Fuente

Esse psiquiatra foi importante na popularização da ciência em seu país. Ele também é reconhecido por sua atividade política e por ser membro do Instituto Cervantes. Entre 1999 e 2007, ele foi reitor da UNAM.

14- José Sarukhán

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 8

Imagem recuperada da Academia Mexicana de Idiomas.

Reitor da UNAM de 1989 a 1997, Sarukhan é doutor em ciências pela Universidade de Gales. Em sua extensa carreira, ele recebeu vários diplomas honorários em várias universidades.

Relacionado:  O que é decodificação de expressão? (com exemplos)

15- Luis Felipe Rodríguez

Rodríguez é, desde 1979, pesquisador sênior do Instituto de Astronomia da Universidade Nacional Autônoma do México. Sua especialidade é radioastronomia. Em 1978, ele recebeu um doutorado na Universidade de Harvard.

16- José Hernández-Rebollar

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 9

Imagem recuperada da CBS News.

José Hernández-Rebollar inventou o Acceleglove, uma luva que pode traduzir a linguagem de sinais em fala. Ao usar sensores conectados à luva e ao braço, o dispositivo atualmente pode traduzir o alfabeto e mais de 300 palavras na linguagem de sinais.

17- María González

A Dra. Maria del Socorro Flores González ganhou o prêmio MEXWII 2006 por seu trabalho em métodos de diagnóstico de amebíase invasiva.

María González patenteou processos para diagnosticar amebíase invasiva, uma doença parasitária que mata mais de 100.000 pessoas todos os anos.

18- Felipe Vadillo

O cientista mexicano Felipe Vadillo patenteou um método para prever a ruptura prematura da membrana fetal em mulheres pré-adolescentes.

19- Juan Lozano

Juan Lozano é um cientista mexicano que inventou o jetpack (também conhecido como jet pack).

A empresa mexicana de tecnologia aeroespacial Juan Lozano vendeu o jetpack por um preço alto. Lozano trabalha com sistemas de propulsão a peróxido de hidrogênio desde 1975.

20- Emilio Sacristán

Emilio Sacristán, de Santa Úrsula Xitla, México, inventou um impulsor movido a ar comprimido para o dispositivo de assistência ventricular pneumática.

21- Manuel Sandoval Vallarta

21 cientistas mexicanos e suas contribuições históricas 10

Imagem recuperada do NewsNet Conacyt.

O Dr. Manuel Sandoval estudou no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), onde obteve um diploma de bacharel em Engenharia Elétrica.

Aos 25 anos, ele também obteve um PhD em Física Matemática. Em 1927, ele estudou sob a tutela de Albert Einstein, Max Plank, Erwin Shrödinger, Max von Laue e Hans Reichenbach.

Referências

  1. Mario Enrique Sánchez. Os cientistas mexicanos mais importantes. (2010). Recuperado de archivo.de10.com.mx.
  2. Ana Rodriguez Principais cientistas do México. (2009). Recuperado de archivo.de10.com.mx.
  3. Exportações de alta tecnologia (US $ atuais) (sf). Recuperado em data.worldbank.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies