30 bons padrões para oradores e bons ouvintes

“30 bons padrões para oradores e bons ouvintes” é um guia prático que visa melhorar a comunicação entre indivíduos, seja em contextos pessoais ou profissionais. Com dicas e estratégias para ambas as partes, o livro aborda a importância de saber se expressar de forma clara e assertiva, assim como a importância de saber ouvir atentamente e com empatia. Com um conjunto de padrões que visam promover uma comunicação eficaz e respeitosa, este guia se propõe a auxiliar na construção de relacionamentos mais saudáveis e produtivos.

Pontos essenciais para aprimorar suas habilidades de comunicação verbal e persuadir seu público.

Para se tornar um bom orador e persuadir seu público, é essencial desenvolver algumas habilidades de comunicação verbal. Aqui estão 30 bons padrões para oradores e bons ouvintes que podem te ajudar a alcançar esse objetivo:

  1. Clareza: É importante falar de forma clara e concisa, para que seu público possa entender facilmente o que você está transmitindo.
  2. Empatia: Coloque-se no lugar do seu público e tente entender suas necessidades e preocupações.
  3. Confiança: Mantenha uma postura confiante e firme ao falar, isso irá transmitir segurança para seu público.
  4. Escuta ativa: Esteja atento às reações do seu público e faça perguntas para garantir que estão compreendendo seu discurso.
  5. Expressão facial e corporal: Utilize gestos e expressões faciais para enfatizar suas palavras e tornar sua comunicação mais envolvente.
  6. Contato visual: Mantenha contato visual com seu público, isso irá transmitir confiança e demonstrar que você está realmente interessado em se comunicar com eles.
  7. Vocabulário adequado: Utilize um vocabulário adequado ao seu público-alvo, evitando termos técnicos ou muito complexos que possam dificultar a compreensão.
  8. Entonação e ritmo: Varie sua entonação e ritmo ao falar, para manter a atenção do seu público e tornar seu discurso mais interessante.

Além disso, é importante lembrar que a comunicação verbal vai muito além da fala. Ser um bom ouvinte também é essencial para persuadir seu público. Aqui estão algumas dicas para aprimorar suas habilidades de escuta:

  1. Esteja presente: Esteja totalmente presente durante a conversa, evitando distrações e demonstrando interesse pelo que o outro tem a dizer.
  2. Faça perguntas: Faça perguntas para esclarecer pontos e demonstrar que você está realmente interessado na opinião do outro.
  3. Respeite o tempo do outro: Deixe a outra pessoa terminar de falar antes de interromper ou dar sua opinião.
  4. Mostre empatia: Demonstre empatia e compreensão em relação ao que o outro está falando, mesmo que não concorde com sua opinião.

Seguindo esses padrões de comunicação verbal e sendo um bom ouvinte, você estará mais preparado para persuadir seu público e alcançar seus objetivos de comunicação.

Principais características necessárias para se tornar um excelente orador.

Para se tornar um excelente orador, é essencial possuir algumas características-chave que irão destacar a sua habilidade de se comunicar de forma eficaz e cativante. Ser capaz de transmitir suas ideias de maneira clara e persuasiva é fundamental para conquistar e manter a atenção do seu público.

Algumas das principais características necessárias para se tornar um excelente orador incluem:

1. Confiança: Um bom orador deve transmitir confiança em si mesmo e em suas palavras, o que ajuda a conquistar a confiança do público.

2. Boa dicção: É importante falar de forma clara e pronunciar corretamente as palavras para que o público possa entender facilmente o que está sendo dito.

3. Postura: Manter uma postura ereta e expressiva ajuda a transmitir credibilidade e confiança durante a apresentação.

4. Domínio do assunto: É essencial conhecer profundamente o tema que está sendo abordado para poder responder a perguntas e argumentar de forma consistente.

5. Empatia: Saber se colocar no lugar do público e adaptar a linguagem e o tom de acordo com o perfil dos ouvintes é uma habilidade importante para manter o interesse da plateia.

Além dessas características, é fundamental praticar a oratória regularmente e buscar feedback para aprimorar suas habilidades. Com dedicação e treinamento, qualquer pessoa pode se tornar um excelente orador e conquistar o público com suas apresentações.

Como se tornar um excelente comunicador e cativar a audiência em suas palestras.

Para se tornar um excelente comunicador e cativar a audiência em suas palestras, é essencial seguir alguns padrões que irão te ajudar a se destacar e conquistar a atenção do público. Aqui estão 30 dicas para oradores e bons ouvintes:

1. Conheça o seu público: Antes de iniciar a sua palestra, faça uma pesquisa sobre quem estará presente e adapte o conteúdo de acordo com as necessidades e interesses da audiência.

2. Domine o assunto: Esteja completamente familiarizado com o tema que será abordado, para transmitir confiança e credibilidade aos ouvintes.

3. Utilize uma linguagem clara e acessível: Evite jargões técnicos e linguagem rebuscada, para facilitar a compreensão do público.

4. Seja objetivo: Vá direto ao ponto e evite divagações, para manter a atenção da plateia.

5. Utilize recursos visuais: Apresentações visuais, como slides ou vídeos, podem ajudar a ilustrar os pontos-chave da sua palestra e torná-la mais dinâmica.

6. Mantenha contato visual: Olhe nos olhos dos ouvintes para estabelecer uma conexão e transmitir confiança.

7. Varie o tom de voz: Alterne entre entonações mais fortes e suaves para manter o interesse da audiência.

8. Conte histórias: Narrativas envolventes são ótimas para prender a atenção do público e tornar a palestra mais memorável.

9. Faça perguntas: Interaja com a plateia fazendo perguntas e incentivando a participação ativa dos ouvintes.

10. Esteja aberto a feedback: Aceite as críticas e sugestões do público para aprimorar suas habilidades de comunicação.

11. Pratique a empatia: Coloque-se no lugar dos ouvintes e busque compreender suas necessidades e expectativas.

12. Seja autêntico: Seja você mesmo e transmita verdadeira paixão pelo assunto que está apresentando.

Relacionado:  Os 5 ofícios de Puebla

13. Tenha uma postura confiante: Mantenha-se ereto, com os ombros para trás e transmita segurança através da sua postura.

14. Respeite o tempo: Cumpra o cronograma estabelecido e não ultrapasse o tempo previsto para a sua apresentação.

15. Esteja preparado para imprevistos: Tenha um plano B caso ocorra algum problema técnico durante a sua palestra.

16. Agradeça a presença da audiência: Demonstre gratidão pelo tempo e atenção dedicados pelos ouvintes à sua apresentação.

17. Seja humilde: Reconheça suas limitações e esteja aberto a aprender com a experiência de outras pessoas.

18. Respeite a diversidade: Esteja atento à pluralidade de opiniões e experiências da audiência e saiba respeitar as diferenças.

19. Estabeleça uma conexão emocional: Toque o coração dos ouvintes, compartilhando histórias pessoais ou exemplos inspiradores.

20. Pratique a escuta ativa: Esteja atento às perguntas e comentários da plateia e demonstre interesse genuíno pelas opiniões dos ouvintes.

21. Transmita energia positiva: Mantenha um tom otimista e motivador durante a sua apresentação, para inspirar a audiência.

22. Seja assertivo: Comunique-se de forma clara e firme, sem hesitações ou rodeios.

23. Mantenha a calma sob pressão: Caso ocorra algum imprevisto durante a sua palestra, mantenha a calma e resolva a situação com tranquilidade.

24. Esteja aberto ao diálogo: Incentive a participação da plateia e esteja disponível para responder às perguntas e dúvidas dos ouvintes.

25. Valorize a ética: Seja honesto e transparente em sua comunicação, respeitando a confiança da audiência.

26. Aprimore constantemente suas habilidades: Busque feedbacks construtivos e esteja sempre em busca de aperfeiçoamento.

27. Seja grato pela oportunidade de falar em público: Demonstre gratidão pela oportunidade de compart

Três princípios fundamentais para uma boa oratória: conheça e aplique-os em suas apresentações.

Para se tornar um bom orador, é essencial dominar alguns princípios fundamentais que irão garantir que sua mensagem seja transmitida de forma clara e eficaz. Neste artigo, vamos destacar três princípios que são essenciais para uma boa oratória e que podem fazer toda a diferença em suas apresentações.

O primeiro princípio fundamental para uma boa oratória é a clareza. É importante que o orador seja claro em sua comunicação, utilizando uma linguagem acessível e evitando jargões ou termos técnicos que possam confundir a plateia. Além disso, é fundamental organizar o discurso de forma lógica e coesa, garantindo que a mensagem seja compreendida pelo público de forma fácil e objetiva.

O segundo princípio fundamental para uma boa oratória é a confiança. Um bom orador deve transmitir confiança em sua fala, demonstrando segurança e domínio sobre o assunto que está sendo abordado. Para isso, é importante praticar o discurso previamente, conhecer bem o conteúdo a ser apresentado e manter contato visual com a plateia, demonstrando assim segurança e credibilidade.

O terceiro princípio fundamental para uma boa oratória é a persuasão. Um bom orador deve ser capaz de persuadir sua audiência, convencendo-os da validade de seus argumentos e motivando-os a agir de acordo com suas propostas. Para isso, é importante utilizar técnicas de persuasão, como contar histórias, utilizar dados e estatísticas relevantes e criar uma conexão emocional com a plateia.

Ao dominar estes três princípios fundamentais – clareza, confiança e persuasão – você estará no caminho certo para se tornar um bom orador e garantir o sucesso de suas apresentações. Lembre-se de praticar e aprimorar suas habilidades constantemente, buscando sempre aperfeiçoar sua comunicação e impactar positivamente seu público.

30 bons padrões para oradores e bons ouvintes

30 bons padrões para oradores e bons ouvintes

As regras do bom orador e do bom recebedor são algo que aprendemos repetidamente quase desde que usamos a consciência, quando íamos à escola quando crianças e nossos professores tentavam incutir em nós essas diretrizes sociais. 

Essas regras nos ajudam a ter uma comunicação eficaz, sem problemas, e a melhorar nosso desenvolvimento quando se trata de transmitir uma mensagem a outras pessoas.

A comunicação é uma atividade que nos acompanha desde o nascimento até o dia em que morremos. É esse processo que ocorre ao trocar mensagens e informações entre duas ou mais pessoas.

Regras efetivas do bom orador ou do emissor

1- Pense antes de falar

É importante pensar na idéia que você deseja emitir antes de discuti-la, para não cometer nenhum erro. Ou seja, pensar muito bem sobre o tópico que está sendo falado ou discutido, para que a coerência sobre o que é falado não se perca. 

2- Olhe atentamente para a pessoa que vai falar

Olhar diretamente nos olhos da pessoa a quem a mensagem deve ser enviada denota segurança perante o destinatário, tornando a mensagem muito mais credível e criando uma atmosfera de confiança. Ajuda a ter muito mais foco e faz com que o ouvinte se sinta parte da conversa.

3- Fale em um tom de voz adequado

O volume com o qual você fala é muito importante, porque você deve ouvir o que queremos dizer. A projeção da voz é essencial para a comunicação, mas lembre-se de que projeção não significa gritar, mas falar em um tom apropriado ao local em que estamos. Evite ser agressivo.

4- Pronuncie as palavras corretamente 

A dicção é muito importante na comunicação. Não importa em que idioma o que estamos falando esteja sendo falado, sempre deve ser dito de maneira compreensível para evitar a perda de sentido e falta de comunicação.

5- Não fale ao mesmo tempo que a outra pessoa

A menos que algo seja agendado ou combinado com outro emissor, você não deve falar ao mesmo tempo que outra pessoa. O motivo é que a mensagem que a outra pessoa está transmitindo é subestimada, nenhuma delas se entende e pode ser tomada como falta de respeito, como se o que a outra pessoa expressasse fosse irrelevante.

Relacionado:  Documento de quitação: o que é e como fazê-lo

6- Fale respeitosamente

O respeito sempre parte de nós mesmos como indivíduos. Nascemos para nos expressar livremente e sem medo de ser atacado. O respeito é um fator muito importante na área de comunicação.

É importante ter sensibilidade como seres humanos e ter respeito quando se trata de se expressar, ou seja, ouvir uma opinião ou argumento com o qual não concordamos. No final do dia, mostre tolerância e faça uso de comunicação assertiva, pois não podemos ser os mesmos.

7-  Tente não ser rude ao falar

As palavrões demonstram pobreza no vocabulário, sendo um recurso normalmente usado quando não conseguimos encontrar palavras suficientes para nos expressar. Eles também podem ser tomados ofensivamente e são muito irritantes para o destinatário.

8- Expresse-se de maneira clara e simples

Deve-se sempre se expressar de uma maneira que as pessoas que estão nos ouvindo possam nos entender. A pessoa com quem você está falando também é muito influente.

Você não explica algo para uma criança de 5 anos da mesma maneira que para um adulto na faixa dos 40 anos ou uma pessoa com mais de 70 anos. Deve haver uma compreensão da mensagem que você deseja transmitir.

9-  Seja o mais preciso possível ao expressar uma ideia

Muitas vezes, quando queremos expressar algo, tendemos a divagar, dar voltas e fornecer muitas informações desnecessárias que não contribuem para a idéia que queremos expressar.

Também pode acontecer que não tenhamos muita certeza do que queremos comunicar e não falemos sobre o tópico específico que queremos discutir. É por isso que é tão importante organizar nossas idéias na cabeça e saber o que é mais relevante para o tópico.

10- Manter a linguagem corporal de acordo com o que está sendo falado

Concordamos que existem diferentes tipos de comunicação e que um deles é através da linguagem corporal. Ao falar, devemos evitar atitudes como ter as mãos nos bolsos ou nos mover ao mesmo tempo em que falamos, pois são gestos que demonstram insegurança em nosso discurso. Uma boa conversa deve sempre ser acompanhada de uma postura ereta, calma e sem tensão.

11- Não se concentre em uma pessoa

Se você estiver se dirigindo a duas ou mais pessoas, evite manter o foco do seu discurso em uma pessoa. Às vezes, simplesmente porque nos sentimos mais confiantes, direcionamos as palavras ou o olhar para alguém específico, mesmo que você esteja se referindo a todos.

No entanto, isso pode fazer com que as outras pessoas que você não vê se sintam excluídas e possam interpretá-lo como falta de educação. 

Para evitar isso, compartilhe olhares com todos os ouvintes e, se possível, mencione o nome deles no seu discurso. Isso também aumentará sua atenção.

12- Evite linguagem que não possa ser entendida

Ao falar, evite palavras que possam gerar dúvidas no público ouvinte. Estes podem ser muito técnicos, localismos, anglicismos ou simplesmente palavras educadas, mas não são conhecidos por todos. 

Por exemplo, se alguém lhe perguntar “E o seu vocabulário?” e sua resposta for “louvável”, possivelmente uma grande parte da população não o entenderá, mesmo que sua resposta seja totalmente válida.

13- Não deixe a mensagem no meio

Se você iniciar uma conversa em que irá contar um fato importante ou uma anedota interessante, não deixe no meio. Isso pode irritar o ouvinte, ansioso para saber o final da história.

14- Adaptar ao contexto

O orador mantém um vínculo diferente com cada pessoa. Com seu melhor amigo, você terá confiança para conversar sobre tudo e sem filtros. Com a padaria do bairro, a conversa será mais formal e monótona e, com um professor universitário, o foco geralmente será sério.

Enquanto estiver com esse amigo, você pode ser explícito e rude em certos contextos íntimos; com o padeiro ou professor, você nunca se perderá, pois isso pode gerar desconforto e desconfiança. Tudo tem seu momento.

15- sorriso

Muito importante. É um elemento muito atraente para qualquer conversa e diz muito sobre o tom que você deseja dar. Evidentemente, evite fingir que, se não sair, será notado rapidamente e gerará preocupação no receptor.

Regras efetivas do bom ouvinte ou receptor

1-  Ouça atentamente a pessoa que está falando

É importante prestar o máximo de atenção possível quando alguém estiver falando conosco. Por respeito à pessoa que dedica algum tempo a dizer algo e, no caso, devemos dar uma resposta ao que ela está dizendo.

2-  Seja prudente ao ouvir

Ao ouvir um argumento, você deve ter critérios, pois nem tudo o que eles nos dizem é verdadeiro. Então você precisa discernir o que é ouvido e a verdade da mensagem. Em resumo, decodifique a mensagem.

3-  Não interrompa a pessoa que está falando

Assim como gostamos de ser ouvidos com respeito e não interrompidos quando falamos, devemos agir da mesma maneira. Mesmo se você não concordar com o que uma pessoa diz, deve permanecer em silêncio e não interromper. Todos temos o direito de apresentar nossas idéias.

4- Aguarde a pessoa que está falando apresentar sua idéia para intervir

Pedir permissão e esperar que a outra pessoa termine de conversar faz isso por nós é muito importante.

Nosso discurso não terá maior ênfase se interrompermos o discurso de alguém ou falarmos ao mesmo tempo. De fato, cria o efeito oposto e perde peso e o que é dito não é compreendido .

Relacionado:  Instituições políticas: objetivos, características e funções

5- Indicar que a mensagem recebida foi entendida

É necessário confirmar o recebimento em uma conversa. Porque garante ao orador que sua mensagem foi entendida. Para nós, como ouvinte, é importante anunciar que a mensagem foi entendida e que não temos dúvidas sobre o assunto. 

6- Não ofenda a pessoa que está falando

O respeito é importante, como já dissemos em um ponto anterior. A pessoa que está transmitindo a mensagem pode se ofender de diferentes maneiras, como levar um assunto zombador ao falar, não prestar atenção ou interagir com outra pessoa quando a pessoa fala. O respeito é importante para uma comunicação eficaz.

7-  Ouça a mensagem sem preconceitos

Muitas pessoas dizem que a objetividade não existe e, em um determinado momento, é uma realidade, pois somos seres subjetivos. Temos crenças que nos diferenciam das outras pessoas, mas mesmo assim, ao ouvir uma mensagem, é importante deixar nosso lado pessoal e nos abrir para ouvir o que está sendo dito.

É importante ter discrição ao ouvir uma mensagem, mas não estar fechado ao que os outros podem nos dizer.

8-  Não ria ou tenha uma atitude de zombaria enquanto a pessoa está falando

A zombaria é um recurso usado para tornar a mensagem do remetente menos importante, mas também pode ser entendida como uma certa insegurança do destinatário por não querer lidar com o assunto no ar. Por esse motivo, e se você não quer mostrar insegurança, é melhor tentar não rir ou zombar, a menos que eles estejam nos dizendo algo engraçado ou uma piada.

9-  Manter uma postura de escuta

Na comunicação, tudo diz alguma coisa. E isso inclui nossos gestos, expressões e posturas. Se estivermos ouvindo alguém falar, não devemos adotar uma postura constrangedora que mostre interesse ou tédio, pois essa pessoa pode se sentir desconfortável.

Também não é recomendável adquirir posições fechadas, como cruzar os braços ou olhar para baixo, porque pode ser entendido como um gesto de desacordo, aborrecimento ou desinteresse. Nosso corpo fala o tempo todo, mesmo quando pensamos que somos receptores completamente passivos.

10-  Se a pessoa que transmite a mensagem estiver errada, ela não deve ser corrigida publicamente, mas em particular

Cometer um erro não é fácil, e menos na frente das pessoas. Normalmente, isso acontece nos causa um pouco de vergonha, por isso é importante ter empatia e demonstrar tato com o indivíduo que pode estar errado. Uma maneira de evitar causar mais danos é corrigir a pessoa em particular e não na frente dos outros.

É necessário não corrigir a pessoa ofensivamente, onde a pessoa é apontada como sem instrução ou mal preparada e, portanto, se sente mal.

Se um erro é tão grave que precisa ser corrigido no local, faça-o de maneira modesta, com sutileza.

11- Não force o alto-falante

Deixe o orador se expressar à sua maneira. Nem todo mundo emite seu discurso da mesma maneira que você; portanto, seja respeitoso e não faça seu interlocutor entender que você não gosta de como ele se expressa ou do que ele diz.

Escusado será dizer que, se o falante tiver um problema de dicção, como gagueira, voz rouca ou áspera ou outras dificuldades, não o force e permita que ele se expresse dentro de suas capacidades.

12- Não desvie o tópico

Durante uma conversa informal, podem surgir mil colóquios diferentes. No entanto, às vezes o orador traz à tona um tópico que pode preocupá-lo ou que ele deseja expressá-lo, exigindo mais atenção do ouvinte. Não desvie o assunto para outro por desinteresse, pois será uma amostra de pouca empatia.

13- Não imponha sua mensagem à do orador

Há pessoas que, quando uma anedota surge, tentam superá-la com outras pessoas. Esta é uma maneira de diminuir o que o orador diz, gerando desconforto e criando uma visão de si mesmo como uma pessoa pedante ou egocêntrica.

14- Seja paciente

Às vezes, você pode ficar entediado com o tom do orador ou com o caminho que o discurso dele segue. Seu interlocutor pode não chegar ao ponto ou pode precisar de mais palavras para se expressar, mas mostrar ansiedade ou tentar sintetizar suas palavras pode ser considerado uma falta de respeito. 

15- Faça anotações

Em certos contextos, como escola ou universidade, bem como no primeiro dia de trabalho, é interessante usar um caderno e uma caneta. Além de ajudá-lo a lembrar os pontos importantes do dia, criará um clima de confiança no orador, que entenderá que você mostra interesse no que está sendo discutido.

Referências

  1. Ofício de comunicação. (sf). Dicção. Recuperado do site do Craft of Communication: craftofcommunication.com.
  2. Dlugan, A. (2013, 19 de agosto). Volume e o orador: Seja ouvido e seja eficaz. Recuperado do site Six Minutes.
  3. Kline, JA (sf). Como ser um ouvinte eficaz. Recuperado do site da Air University.
  4. Menos errado. (27 de novembro de 2013). Aguarde versus interromper a cultura. Recuperado do site Menos Errado.
  5. McKay, K. & McKay, B. (2012, 5 de fevereiro). Olhe nos olhos: Parte I – A importância do contato visual. Recuperado do site Art of Manlinessof-eye.
  6. McKee, M. (sf). Corrigindo Outros: Como, Quando e Quando Não Corrigir Alguém. Recuperado do site Manners Mentor.
  7. MTSTCIL. (sf). Maneiras. Recuperado do site MTSTCIL.
  8. Universidade de Kent. (sf). Habilidades de comunicação: falar e ouvir. Recuperado do site da Universidade de Kent.

Deixe um comentário