4 causas da crise energética no México

As causas da crise energética no México estão ligadas ao colapso dos preços do petróleo nos últimos anos, bem como ao declínio da produção.

Este fato fez com que o Estado tivesse recebido menos lucros. Dessa forma, o percentual de renda que essa matéria-prima supôs caiu de mais de 30% para apenas 14% em apenas três anos.

4 causas da crise energética no México 1

Esses eventos fizeram com que uma economia tão dependente do petróleo quanto o México sofresse uma crise energética associada à econômica.

É notável não apenas no cancelamento de projetos de infraestrutura, mas também no aumento dos preços de produtos como gasolina ou gás, que afetam bastante a população em geral.

C ausas da crise energética no México

1- A queda nos preços do petróleo

Embora a redução nos preços do petróleo tenha afetado todo o planeta, seus efeitos foram maiores nos países com forte dependência econômica desse hidrocarboneto.

Desde o segundo semestre de 2014, a queda nos preços tem sido contínua devido principalmente ao excesso de oferta.

Para o México, com uma alta porcentagem da receita desse produto, a conseqüência foi uma queda no câmbio decorrente de sua venda.

Além disso, o aumento da extração nos Estados Unidos fez com que este país não precise mais comprar no exterior, o que afetou o que era um de seus principais fornecedores.

2- Queda na produção

Outra causa da crise energética no México é a grande queda na extração de petróleo.

Em 2017, caiu abaixo de 2 milhões de barris por dia, algo que não acontecia há 40 anos. Mesmo sendo o décimo primeiro produtor mundial, os números mostram uma queda preocupante.

Especificamente, a Pemex, empresa responsável por tudo relacionado a esse hidrocarboneto no país, confirmou que extraiu 9% a menos que no ano anterior. No total, eles significam 1,94 milhão de barris por dia.

As causas desse fenômeno variam desde o esgotamento de alguns depósitos até a tentativa de aumentar o preço, reduzindo a oferta.

3- A falta de modernização da indústria

Por várias décadas, observou-se que a indústria extrativa mexicana precisava de uma modernização urgente.

Muitos dos métodos e máquinas que ainda são usados ​​se tornaram obsoletos e muito mais quando muitos novos depósitos são encontrados nos fundos submarinos. Isso não acontece apenas com o petróleo, mas também com o gás.

Além disso, grande parte do petróleo foi vendida em petróleo bruto e foi comprada novamente depois de processada em outros países. Isso significa que, sendo um país produtor, o México pagou para alguém converter petróleo em, por exemplo, gasolina.

Para modernizar a infraestrutura, o governo abriu o mercado a empresas estrangeiras privadas.

Assim, de acordo com os dados de 2017, já foram confirmados 70.000 milhões de dólares em investimentos por essas empresas.

4- Dependência da economia do petróleo

A dependência que a economia mexicana teve de seu principal produto, o petróleo, faz com que a atual crise energética tenha efeitos mais sérios. A falta de estudos para encontrar alternativas significa que não existem soluções de curto prazo.

Segundo especialistas, é improvável que o país possa retornar à produção em anos anteriores. Além disso, os Estados Unidos, seu principal cliente, podem se tornar auto-sustentáveis.

Referências

  1. Gil Valdivia, Gerardo. A crise do setor de energia no México. Obtido de moneyenimagen.com
  2. Duloy, J.; Hazell, Peter; Norton, R. Agricultura e a crise energética: um estudo de caso no México. Recuperado de documents.worldbank.org
  3. Woody, Christopher. O setor de petróleo do México está “no olho do furacão”. Obtido em businessinsider.com
  4. Barrañon, Armando. A crise do petróleo mexicano no cenário de altos preços do petróleo. Obtido em razonypalabra.org.mx
  5. Lang, Jason. O México alerta para uma crise energética sem revisão. Obtido de reuters.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies