7 Manifestações destrutivas na juventude

A juventude é uma fase cheia de descobertas, desafios e transformações, mas também pode ser um período de vulnerabilidade e propensão a comportamentos destrutivos. Neste contexto, é importante estar atento às manifestações negativas que podem surgir e impactar a vida dos jovens. Neste artigo, vamos abordar sete manifestações destrutivas na juventude, destacando a importância de identificá-las e buscar formas de prevenção e intervenção para garantir o bem-estar e o desenvolvimento saudável dos jovens.

Principais movimentos juvenis ao longo da história: uma análise abrangente e informativa.

Os movimentos juvenis ao longo da história têm desempenhado um papel crucial na transformação da sociedade e na luta por mudanças. Desde os movimentos estudantis dos anos 60 até as manifestações recentes em prol do meio ambiente, os jovens têm mostrado sua capacidade de mobilização e engajamento. Neste artigo, iremos explorar 7 manifestações destrutivas na juventude, destacando os desafios enfrentados por essa geração em busca de mudanças.

Um dos principais movimentos juvenis da história foi o movimento hippie, que surgiu na década de 1960 em resposta à guerra do Vietnã e à busca por liberdade e paz. Os hippies defendiam valores como amor, paz e liberdade, e se destacavam por seu estilo de vida alternativo e pacifista.

Outro movimento importante foi o punk, que surgiu na década de 1970 como uma forma de protesto contra a sociedade e o sistema. Os punks eram conhecidos por sua rebeldia e atitude contestadora, e utilizavam a música como forma de expressão e resistência.

Na década de 1990, surgiram os movimentos grunge e hip-hop, que trouxeram novas formas de expressão artística e social. O grunge, originado em Seattle, destacava-se pela sua estética suja e desleixada, enquanto o hip-hop, nascido nos bairros periféricos de Nova York, dava voz à juventude negra e urbana.

Recentemente, temos visto o surgimento de movimentos como o #MeToo e o Fridays for Future, que têm mobilizado jovens em todo o mundo em prol da igualdade de gênero e da luta contra as mudanças climáticas. Esses movimentos demonstram a capacidade dos jovens de se organizarem e lutarem por causas importantes.

No entanto, nem todos os movimentos juvenis são construtivos. Existem também manifestações destrutivas que podem causar danos à sociedade e às próprias pessoas envolvidas. Entre essas manifestações, destacam-se o vandalismo, as brigas de gangues, o consumo excessivo de drogas e álcool, o cyberbullying, a violência doméstica e a intolerância religiosa e racial.

É importante que os jovens estejam cientes dos impactos negativos dessas manifestações destrutivas e busquem formas saudáveis de expressar sua rebeldia e insatisfação com a sociedade. Através do diálogo, da educação e do engajamento cívico, os jovens podem contribuir de forma positiva para a transformação da sociedade e para a construção de um mundo mais justo e igualitário.

Principais desafios da juventude na atualidade: quais são e como enfrentá-los?

A juventude enfrenta diversos desafios na atualidade, que podem impactar negativamente seu desenvolvimento e bem-estar. Entre os principais desafios, destacam-se as 7 manifestações destrutivas que podem afetar os jovens de forma significativa.

Um dos desafios enfrentados pela juventude é a pressão social, que muitas vezes leva os jovens a se compararem com os outros e a se sentirem inadequados. Isso pode resultar em baixa autoestima e problemas de saúde mental.

Outra manifestação destrutiva é o consumo excessivo de tecnologia, que pode levar os jovens ao isolamento social, falta de interação face a face e dependência de dispositivos eletrônicos.

A falta de perspectiva profissional e educacional também é um desafio enfrentado pela juventude, que muitas vezes se sente perdida e sem rumo em relação ao seu futuro.

O consumismo desenfreado é outra manifestação destrutiva que afeta os jovens, levando-os a buscar a felicidade e a realização através de bens materiais, em vez de valores mais significativos.

A falta de diálogo e de apoio familiar pode contribuir para o surgimento de problemas de comportamento e de relacionamento na juventude, dificultando a construção de laços saudáveis e duradouros.

A pressão acadêmica excessiva também é um desafio enfrentado pelos jovens, que muitas vezes se sentem sobrecarregados com a cobrança por resultados e desempenho acadêmico.

Por fim, a falta de representatividade e de oportunidades para os jovens em diversos setores da sociedade pode contribuir para a sensação de exclusão e desvalorização, dificultando sua inserção e participação ativa na sociedade.

Relacionado:  Vida cotidiana: características e atividades comuns

Para enfrentar esses desafios, é fundamental promover a educação socioemocional e financeira, incentivar o diálogo aberto e a escuta ativa, oferecer apoio psicológico e incentivar a busca por hobbies e atividades que promovam o bem-estar e o desenvolvimento pessoal dos jovens.

Principais desafios enfrentados pelos jovens e formas de atuação no cenário contemporâneo.

Os jovens de hoje enfrentam diversos desafios em um mundo cada vez mais complexo e exigente. Com a evolução da sociedade e das tecnologias, surgem novas manifestações destrutivas que afetam a juventude de maneira significativa. Neste artigo, vamos abordar 7 dessas manifestações e discutir formas de atuação no cenário contemporâneo.

1. Drogas e álcool

Um dos principais problemas enfrentados pelos jovens é o consumo excessivo de drogas e álcool, que pode levar a sérias consequências para a saúde física e mental. É fundamental que os jovens sejam educados sobre os riscos e consequências dessas substâncias e que busquem ajuda profissional caso necessário.

2. Bullying

O bullying é outro problema comum entre os jovens, seja na escola, no trabalho ou nas redes sociais. É importante que os jovens sejam orientados a denunciar qualquer tipo de bullying e a buscar apoio emocional para lidar com situações de violência e discriminação.

3. Ansiedade e depressão

A pressão por sucesso e a busca constante por aprovação podem levar os jovens a desenvolverem quadros de ansiedade e depressão. É essencial que busquem ajuda psicológica e aprendam a lidar com suas emoções de forma saudável.

4. Desemprego e precarização do trabalho

A falta de oportunidades de emprego e a precarização do mercado de trabalho podem gerar insegurança e desesperança nos jovens. É importante que busquem capacitação profissional e estejam abertos a novas oportunidades de carreira.

5. Violência doméstica

A violência doméstica é uma realidade triste que afeta muitos jovens em todo o mundo. É fundamental que busquem ajuda e denunciem qualquer tipo de violência, seja física, emocional ou psicológica.

6. Isolamento social

O isolamento social, causado pela dependência excessiva da tecnologia e pela falta de interação pessoal, pode levar os jovens a desenvolverem problemas de saúde mental. É importante que busquem equilíbrio entre o mundo virtual e o mundo real.

7. Desigualdade social

A desigualdade social é um problema estrutural que afeta diretamente os jovens mais vulneráveis. É fundamental que lutem por uma sociedade mais justa e igualitária, participando ativamente de movimentos sociais e políticos que buscam a transformação social.

Em resumo, os jovens enfrentam diversos desafios em um mundo cada vez mais complexo e exigente. É fundamental que busquem apoio emocional e profissional para lidar com essas manifestações destrutivas e que se engajem em ações que promovam o bem-estar coletivo e a transformação social.

Características predominantes da juventude: quais são as mais comuns atualmente?

A juventude é uma fase da vida marcada por diversas características que são comuns entre os jovens atualmente. Entre as principais, podemos destacar a busca por identidade, a necessidade de pertencimento, a influência das redes sociais, a busca por experiências novas e a vontade de se expressar. Além disso, a juventude costuma ser marcada pela rebeldia, pela impulsividade e pela busca constante por desafios e adrenalina.

No entanto, é importante ressaltar que nem todas as manifestações da juventude são positivas. Existem também comportamentos destrutivos que podem prejudicar não só o próprio jovem, mas também as pessoas ao redor. Neste artigo, iremos abordar 7 manifestações destrutivas na juventude que merecem atenção.

Uma das manifestações destrutivas mais comuns entre os jovens atualmente é o consumo abusivo de álcool e drogas. Muitos jovens acabam recorrendo a essas substâncias para lidar com problemas emocionais, sociais ou simplesmente por influência do grupo em que estão inseridos.

Outro comportamento destrutivo que tem se tornado cada vez mais frequente é a prática do bullying. O bullying pode ter consequências graves para a saúde mental dos jovens que sofrem com ele, podendo levar até mesmo ao suicídio.

A violência também é uma manifestação destrutiva que tem preocupado cada vez mais a sociedade. Muitos jovens acabam se envolvendo em brigas, vandalismo e até mesmo crimes, colocando suas vidas e a vida de outras pessoas em risco.

Além disso, o uso excessivo das redes sociais também pode ser considerado uma manifestação destrutiva na juventude. O tempo excessivo passado nas redes sociais pode levar à comparação constante com os outros, à busca por aceitação e à falta de interação social no mundo real.

A sexualidade descontrolada é outra manifestação destrutiva que tem se tornado mais comum entre os jovens. O sexo sem proteção, as relações promíscuas e a exposição excessiva na internet podem trazer consequências negativas para a saúde física e emocional dos jovens.

Por fim, a desmotivação e desinteresse pelos estudos e pelo trabalho são manifestações destrutivas que podem comprometer o futuro dos jovens. A falta de perspectiva e de objetivos pode levar a um ciclo de desemprego, subemprego e insatisfação profissional.

Diante dessas manifestações destrutivas na juventude, é importante que os jovens, suas famílias, a escola e a sociedade como um todo estejam atentos e busquem formas de prevenir e combater esses comportamentos prejudiciais. A educação, o diálogo e o apoio emocional são fundamentais para ajudar os jovens a superar essas dificuldades e construir um futuro mais saudável e promissor.

7 Manifestações destrutivas na juventude

Quando se fala de manifestações destrutivas na juventude , é feita referência à aproximação e / ou execução de comportamentos de risco, incluídas todas as ações voluntárias ou involuntárias que põem em risco a integridade física e psíquica do adolescente e seu ambiente.

De muitas maneiras, a juventude – e especificamente a adolescência, um estágio a que será feita referência neste artigo – tem sido objeto de estudo, seja por quão intensa e fugaz ela parece ser, ou por quão conflituosa ela acaba sendo.

7 Manifestações destrutivas na juventude 1

O uso de drogas e a automutilação são algumas das manifestações destrutivas mais prejudiciais para os jovens. Fonte: pixabay.com

Nesse estágio das situações da vida, podem ocorrer experiências de experiências e tomadas de decisão que certamente podem determinar o que acontecerá a seguir; Isso depende da maneira pela qual os conflitos são assumidos e resolvidos, nos quais podemos cair como parte da demanda por aprendizado e desenvolvimento do estágio evolutivo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) concebe a adolescência como o estágio de desenvolvimento humano que surge após a infância e antes da idade adulta, de 10 a 19 anos. É uma das fases de transição mais relevantes; Implica crescimento rápido e muitas mudanças, superadas apenas por aqueles que vivem no estágio de lactação.

Para a maioria das pessoas que passam pelo processo dentro da normalidade, a adolescência é um período lembrado positivamente, porque muitas coisas acontecem “pela primeira vez”. É um estágio cheio de iniciações de várias maneiras; portanto, tem um significado muito importante. É a transição para autonomia e idade adulta.

A maioria das pessoas, seja qual for o papel – pais, professores ou indivíduos que o vivam – geralmente se lembra da juventude ou adolescência, associando-a a emoções muito significativas. Apesar de ser um período, raramente pode ser antecipado e / ou planejado e, embora exista alguma preparação, não há garantia de baixo custo emocional.

Portanto, nem todos os processos de desenvolvimento são igualmente satisfatórios ou fáceis; Eles têm suas dificuldades e desafios. Tornar-se uma pessoa suficientemente diferenciada, com a capacidade de entender a si mesmo e desenvolver habilidades mínimas e básicas para a vida, é o produto de um conjunto de experiências e experiências que envolvem complexidade.

Quais são as manifestações destrutivas mais frequentes na adolescência?

Como mencionado acima, existem ações que afetam direta e indiretamente, progressivamente, impedindo a realização do projeto de vida e prejudicando a saúde e o bem-estar pessoal. Algumas dessas manifestações são as seguintes.

Uso e abuso de drogas

Entre os comportamentos exploratórios que podem se manifestar na adolescência estão as abordagens às drogas, o consumo ocasional com o risco real de atingir o consumo habitual e até o vício.

Existem muitas razões, mas destacam a necessidade de explorar, sentir-se parte de um determinado grupo, identificar e alterar o humor. Entre os medicamentos mais consumidos estão álcool, tabaco e maconha, entre muitos outros.

Relacionado:  Departamentos da região do Pacífico da Colômbia

Comportamentos sexuais arriscados

Esses comportamentos podem ser gerados como resultado de situações de confusão ou voluntariedade aparente, que levam o adolescente a manter relacionamentos desprotegidos.

Isso faz com que sejam expostos a gestações indesejadas e doenças sexualmente transmissíveis. Além disso, eles podem colocar em risco sua integridade física participando de relacionamentos em grupo, pois geralmente estão associados ao uso e abuso de drogas.

Tais comportamentos podem gerar cenários em que os adolescentes enfrentam um aborto ou uma gravidez indesejada.

Abandono dos estudos

Essa manifestação está associada à falta de estrutura e a referências relacionadas significativas em figuras que funcionam como pai e mãe.

Também pode acontecer que esses papéis venham de famílias disfuncionais e os jovens tenham pouca adaptação social. Diante disso, o mais frequente é o abandono escolar; É um dos aspectos que pode ter consequências mais graves.

Auto-mutilação, automutilação e depressão

Os comportamentos de auto-mutilação mais frequentes são chamados de auto-mutilação não letal. É o corte (que consiste em cortar em várias partes do corpo), queima (que envolve a queima de diferentes partes da pele) e escarificação (produção voluntária de escaras na derme).

Isso ocorre em pessoas com pouco ou nenhum mecanismo de autocuidado ou autoproteção. Embora não necessariamente assim, eles podem levar ao comportamento suicida. Essas ações são usadas para lidar com emoções intensas e podem se tornar muito perigosas.

Segundo as teorias psicanalíticas, o suicídio na adolescência não necessariamente expressa literalmente o desejo de acabar com a vida. Pelo contrário, trata-se de atacar o corpo, tentando acabar com o sofrimento para viver.

Modificações corporais

Essa manifestação consiste em mudar voluntariamente partes do próprio corpo. Por exemplo, marcar a pele com laser ou metais a altas temperaturas ou inserir objetos ou elementos para modificar a estrutura do corpo.

Essas ações, como as mutilações, revelam um conflito de aceitação em relação à própria imagem e ao que ela representa. Então, essa imagem perde seu valor, o suficiente para não ter motivação para cuidar dela.

Distúrbios alimentares

Esta categoria inclui os distúrbios ou alterações do processo nutricional normal, com as óbvias consequências conhecidas.

Estes seriam anorexia, bulimia e obesidade. Eles são observados com mais frequência nas mulheres, embora os homens também possam sofrer com elas. Esses comportamentos aparecem porque o nível de ansiedade é tão alto que essas ações e tudo o que elas implicam funcionam como um elemento de contenção.

Transgressões da lei

Pouco ou nenhum comportamento de adaptação social também são ações indiretas que comprometem o projeto de vida pessoal.

Mesmo que pareça que o adolescente possa atacar os outros, ele também está se ameaçando porque ataca seu ambiente, suas possibilidades e oportunidades potenciais para obter gratificação social.

Alternativas

Todos os comportamentos de risco mencionados aqui podem ter uma origem diferente; No entanto, o importante é determinar e fortalecer os fatores de proteção que os jovens podem ter e reduzir os fatores de risco que ameaçam seu bem-estar.

Referências

  1. Seoane, A. “Adolescência e comportamentos de risco” (maio de 2015) Recuperado em 5 de junho de 2019 na Escola de Psicologia do Sistema de Informação: psico.edu.uy
  2. Enrique J., Cynthia. “Traços de personalidade e sua relação com comportamentos autodestrutivos em adolescentes de 16 a 18 anos do ensino médio em 27 de fevereiro da cidade de Loja, período 2017-2018”. (2018). Recuperado em 5 de junho de 2019 de Digital Repository Universidad Nacional de Loja: unl.edu.ec
  3. “Comportamentos autodestrutivos em jovens, um problema da era moderna” (novembro de 2014) em El Heraldo. Retirado em 5 de junho de 2019 de: elheraldo.co
  4. “Definição de adolescência” (2019). Retirado em 5 de junho de 2019 da Organização Mundial da Saúde: who.int/en
  5. Damon & Cotton “O desenvolvimento do objetivo durante a adolescência” (junho de 2010). Recuperado em 5 de junho de 2019 da Stanford University: standford.edu
  6. Applied Developmental Science, Vol 7, 2003- Edição 3. Recuperado em 5 de junho de 2019 de Taylor e Francis Online: tandfonline.com

Deixe um comentário