A fisiologia do sono e seus estágios

O sono é um processo fisiológico essencial para o funcionamento saudável do corpo e da mente. Durante o sono, passamos por diferentes estágios que são caracterizados por diferentes atividades cerebrais e corporais. A fisiologia do sono envolve uma complexa interação entre o sistema nervoso, hormonal e metabólico, que regula o ciclo do sono e a sua qualidade. Ao entender os estágios do sono e como eles afetam nosso corpo e mente, podemos melhorar nossa saúde e bem-estar geral.

Descubra os quatro estágios do sono e suas características únicas para uma boa noite de descanso.

A fisiologia do sono é um processo complexo que envolve diferentes estágios, cada um com características únicas que contribuem para uma boa noite de descanso. Existem quatro estágios principais do sono: NREM 1, NREM 2, NREM 3 e REM.

O primeiro estágio do sono, NREM 1, é um estado leve de sono onde a pessoa está começando a adormecer. Neste estágio, a pessoa pode sentir sonolência e relaxamento muscular. É fácil de acordar neste estágio e pode durar apenas alguns minutos.

O segundo estágio do sono, NREM 2, é um estágio mais profundo em que a pessoa está realmente adormecida. Neste estágio, a temperatura corporal e a frequência cardíaca começam a diminuir, e ocorrem ondas cerebrais específicas conhecidas como complexos K. É neste estágio que passamos a maior parte do nosso tempo durante a noite.

O terceiro estágio do sono, NREM 3, é o estágio mais profundo do sono. Neste estágio, o corpo está se recuperando e se preparando para o dia seguinte. É durante este estágio que ocorrem os processos de regeneração celular e liberação de hormônios de crescimento.

O último estágio do sono é o REM, que significa Movimento Rápido dos Olhos. Neste estágio, o cérebro está muito ativo e é quando ocorrem os sonhos mais vívidos. Ocorre um aumento na atividade cerebral, assim como uma paralisia muscular temporária para evitar que a pessoa se mova durante o sono.

Para ter uma boa noite de descanso, é importante passar por todos os estágios do sono de forma adequada. Um ciclo completo de sono dura cerca de 90 minutos e é composto por todos os estágios mencionados acima. Portanto, é essencial garantir que tenhamos um sono de qualidade para nos sentirmos revigorados e energizados durante o dia.

Entendendo como o corpo funciona durante o sono: fisiologia do descanso noturno.

A fisiologia do sono é um processo complexo e essencial para a saúde e bem-estar do corpo. Durante o descanso noturno, o corpo passa por diferentes estágios que são fundamentais para a restauração e regeneração das funções vitais.

Existem cinco estágios principais do sono: NREM (estágio não-REM) e REM (estágio REM). No estágio NREM, o corpo relaxa e a atividade cerebral diminui. É nesse momento que ocorre a liberação de hormônios do crescimento, essenciais para a reparação dos tecidos e crescimento muscular. Já no estágio REM, a atividade cerebral aumenta e ocorrem os sonhos. É nesse momento que o cérebro processa informações e consolida a memória.

Durante o sono, o corpo também regula a temperatura corporal, a produção de hormônios e a função imunológica. A falta de sono adequado pode levar a problemas de saúde como fadiga, dificuldade de concentração e até mesmo doenças crônicas.

É essencial garantir um sono de qualidade para manter o corpo funcionando de forma adequada. Praticar hábitos saudáveis, como manter uma rotina de sono regular, evitar estimulantes antes de dormir e criar um ambiente propício para o descanso, são medidas importantes para garantir uma boa noite de sono e, consequentemente, uma boa saúde.

Conheça os diferentes estágios do sono e suas características durante a noite.

A fisiologia do sono é um processo complexo e essencial para a saúde e bem-estar do corpo humano. Durante a noite, passamos por diferentes estágios do sono, cada um com suas próprias características distintas. É importante compreender esses estágios para garantir uma boa qualidade de sono.

O primeiro estágio do sono é conhecido como sono leve. Neste estágio, a pessoa está em transição entre a vigília e o sono. Ocorrem movimentos oculares lentos e a pessoa pode ser facilmente acordada. É um estágio importante para relaxar o corpo e a mente.

O segundo estágio é o sono de ondas lentas, também chamado de sono NREM (Non-Rapid Eye Movement). Neste estágio, a atividade cerebral diminui e as ondas cerebrais tornam-se mais lentas. É durante este estágio que o corpo se prepara para o sono profundo.

O terceiro estágio é o sono profundo, também conhecido como sono de ondas delta. Neste estágio, a pessoa está em um sono muito profundo e é mais difícil acordá-la. É durante este estágio que ocorrem processos de regeneração e recuperação do corpo.

Relacionado:  Plexos coróides: histologia, anatomia e doenças

O último estágio do sono é o sono REM (Rapid Eye Movement). Neste estágio, a atividade cerebral aumenta e ocorrem sonhos vívidos. É durante o sono REM que ocorrem processos importantes para a consolidação da memória e o equilíbrio emocional.

É importante passar por todos esses estágios do sono ao longo da noite para garantir um descanso adequado e todas as funções fisiológicas necessárias. Distúrbios do sono podem afetar a passagem por esses estágios e prejudicar a qualidade do sono e a saúde em geral.

Estágios do sono: saiba como devem ser para uma boa qualidade de descanso.

A fisiologia do sono é um processo complexo que envolve diferentes estágios ao longo da noite. Para garantir uma boa qualidade de descanso, é importante entender como esses estágios funcionam e o que cada um deles representa para o nosso corpo.

O sono é dividido em cinco estágios, que se repetem ao longo da noite. O primeiro estágio é o sono leve, no qual ainda estamos conscientes do ambiente ao nosso redor. Em seguida, entramos no sono NREM, que é dividido em três fases: N1, N2 e N3. Nesse estágio, o corpo começa a se recuperar do cansaço do dia e a realizar processos de regeneração celular.

Finalmente, chegamos ao quinto estágio, conhecido como REM. Nesse estágio, ocorrem os sonhos mais vívidos e intensos, e é essencial para a consolidação da memória e do aprendizado. Durante o sono REM, o cérebro está muito ativo, mesmo que o corpo esteja paralisado para evitar que os sonhos sejam incorporados aos movimentos físicos.

Para uma boa qualidade de descanso, é importante passar por todos esses estágios ao longo da noite. Um erro comum é acordar no meio de um ciclo de sono, o que pode causar sonolência e cansaço durante o dia. Por isso, é importante respeitar o ritmo natural do nosso corpo e garantir um sono ininterrupto e profundo.

Entender como eles funcionam e garantir que passemos por todos eles ao longo da noite é fundamental para uma boa qualidade de descanso e para nos mantermos revitalizados e energizados durante o dia.

A fisiologia do sono e seus estágios

A fisiologia do sono é caracterizada por duas fases, REM e NoREM, e dentro da fase REM há quatro estágios.Os adultos geralmente têm cerca de 8 horas de sono por dia; Se as 8 horas forem seguidas, serão executados cerca de 4 ou 5 ciclos.Cada ciclo pode ser entendido como fases completas do sono (do estágio I à fase REM) e pode durar entre 90 e 120 minutos cada.

Quando falamos sobre sono ou o processo de dormir, nos referimos a um estado fisiológico e natural em que o nível de alerta e vigilância é diminuído, pois a pessoa está descansando.

A fisiologia do sono e seus estágios 1

E, embora pareça que a quietude externa do sujeito se manifeste internamente em um estado de tranquilidade, é algo totalmente errado, porque internamente o corpo da pessoa adormecida não para e continua a funcionar tão complexo quanto quando estamos acordados.

O sonho é composto de diferentes graus de intensidade ou profundidade, onde, por sua vez, há modificações no organismo que acompanham cada fase ou estágio do sonho.

Teorias básicas sobre o sono

Uma das primeiras teorias formuladas para entender o processo do sono foi a Teoria do Sono Passivo, que Bremmer formulou em 1935. Essa teoria foi baseada nas áreas excitantes do tronco cerebral que estavam se esgotando ao longo do dia, então quando chegou a hora de dormir, eles já estavam cansados ​​e desativados.

Seria algo semelhante à bateria do seu celular, considerando o fato de carregá-lo como nosso processo de suspensão.

Mas, após vários anos e alguns experimentos, a teoria se tornou obsoleta e começou a ter uma visão diferente. Atualmente, a teoria que acompanha esse processo diz que o sonho é produzido por uma inibição ativa.

Isso significa que no cérebro há uma pequena área que faz com que partes dela sejam desativadas durante o sono. Algo como um guarda que impede que outras áreas do cérebro façam seu trabalho enquanto você dorme.

Mas você precisa deixar claro que o cérebro não dorme enquanto você faz isso, mas que sua maneira de trabalhar muda para estar alinhada com o processo.

Até hoje, ainda não se sabe qual é o objetivo fisiológico que cria a necessidade de qualquer ser vivo dormir. Como você leu acima, o sono é considerado uma necessidade prioritária, e mesmo não dormir por um tempo pode causar distúrbios e até a morte, mesmo que pareça incrível.

As pessoas não conseguem dormir sem nada por 1 a 2 noites. Desde a terceira noite sem dormir, apareceriam distúrbios que aumentariam gradualmente a gravidade e teriam sérias conseqüências. Isso afetaria áreas como atenção, memória, humor e até alucinações e convulsões podem ocorrer.

Estágios do sono

Existem 4 fases do sono não REM (NREM) e outro processo de sono REM.

Fase -NREM

Essa etapa também é conhecida como não-Rem , vem da tradução em inglês “movimento ocular não rápido”, essa primeira etapa é o primeiro contato com o sonho.

É o primeiro estado de devaneio em que entramos e, para a maioria dos adultos, será o lugar que ocupa 75% da totalidade de seus sonhos.

O estágio NRem também é dividido em 4 fases, nas quais as características do sonho são moldadas, são as seguintes:

Estágio NREM – Fase 1

É o estágio em que nos sentimos sonolentos ou entorpecidos. O estado de vigília desaparece como o ritmo alfa também. No momento, o tônus ​​muscular não relaxa completamente. As ondas beta desapareceram.

Estágio NREM- Fase II-III

É o estágio em que, apesar de estarmos dormindo, o sonho é leve, o ritmo alfa desaparece cada vez mais, o tônus ​​muscular ainda existe. Nós gradualmente experimentamos a entrada para ondas teta.

Estágio NREM- Fase IV

Este é o estágio do sono profundo, o ritmo encefalográfico é muito baixo, o tônus ​​muscular é mantido ou pode ser muito baixo. Ondas delta aparecem em nosso cérebro.

Esses estágios realmente diferem porque a atonia muscular aumenta gradualmente e as ondas cerebrais mudam gradualmente, dependendo do relaxamento do corpo.

– fase REM

Essa é a fase paradoxal do sono, pois durante essa fase o cérebro tem uma atividade que lembra o que acontece quando estamos acordados. Também durante esta fase são apreciados movimentos rápidos dos olhos. O corpo está em atonia.

O que sonhamos ocorre durante esta fase.Hoje, não existe uma teoria clara sobre por que o movimento ocular ocorre durante a fase REM.

Como o sono é organizado à noite?

A fisiologia do sono e seus estágios 1

Os adultos geralmente têm cerca de 8 horas de sono por dia. Se as 8 horas forem seguidas, serão executados cerca de 4 ou 5 ciclos.Cada ciclo pode ser entendido como fases completas do sono (do estágio I à fase REM) e pode durar entre 90 e 120 minutos cada.

A distribuição é geralmente da seguinte maneira:

  • A fase I durante o ciclo estaria desenvolvendo aproximadamente 1,5% do ciclo total. Isso significa que se o ciclo durasse 100 minutos, apenas 1 minuto e meio o corpo estaria na fase I.
  • A fase II durante o ciclo estaria presente em aproximadamente 25% do ciclo total. Em um ciclo de 100 minutos, 25 minutos seriam aqueles que durariam a fase II.
  • As fases III e IV durante o ciclo durariam 45% do ciclo total. Em um ciclo de 100 minutos, essas fases durariam aproximadamente 45 minutos.
  • A fase REM, durante o ciclo, teria uma duração de 25% do ciclo total. Assim, em um ciclo de 100 minutos, apenas 25 minutos correspondem a sonhos e sonhos paradoxais.

Quanto as pessoas dormem?

A fisiologia do sono e seus estágios 3

A distribuição do sono ao longo do dia é diferente de acordo com vários fatores, como idade, atividade diária, saúde, etc.

Os bebês dormem a maior parte do tempo, embora à medida que a criança cresça, os estados de vigília sejam cada vez mais prolongados. É curioso saber que os bebês têm uma porcentagem maior de sono REM do que os adultos, e é durante toda a infância que essa porcentagem começará a declinar para atingir uma porcentagem normalizada.

Nos adultos, a necessidade de dormir é menor do que nos bebês. Um adulto pode dormir entre 5 e 9 horas e ter um bom desempenho ao longo do dia. Embora seja sempre aconselhável dormir entre 7 ou 8 horas por dia para ter uma boa saúde e qualidade de vida.

Momentos diferentes da vida e situações vitais podem reduzir a quantidade de sono. Por exemplo, quando passamos por momentos em que temos muita atividade intelectual, teremos mais necessidade de dormir do que em momentos em que o estresse está muito presente em nossas vidas.

Os idosos têm menor necessidade de sono e seus períodos de descanso são mais curtos. Eles geralmente acordam durante a noite e a porcentagem de sono na fase IV. No entanto, a fase REM parece inalterada ao longo da vida em termos de sua duração no ciclo do sono.

O sonho é governado por um relógio biológico

O processo do sono é governado por um ritmo biológico composto como ritmo circadiano. Estes são ciclos de 24 horas relacionados ao dia e à noite.

Relacionado:  Memória sensorial: características, funções e tipos

O ritmo circadiano de sono e vigília é aproximadamente a cada 25 horas. Esses dados são curiosos porque indicam que estamos programados para sermos influenciados por um certo ritmo ou ciclo.

No nosso sistema nervoso central, há um dos nossos relógios biológicos. Este relógio faz com que o sono não REM e o sono REM durem um certo tempo.

Os ritmos circadianos dependem da interação do organismo com os estímulos que vêm de fora. Desses estímulos externos, o mais importante e o que mais nos influencia é a luz, bem como a hora de acordar, pois esse tempo pode ser estritamente definido.

O momento em que vamos dormir também é importante e, embora possamos definir algumas diretrizes de rotina que nos levam a um determinado momento em que estamos na cama, geralmente não podemos decidir o momento exato em que adormecemos.

Se a pessoa estiver totalmente isolada desses estímulos, ou seja, não perceber mudanças na luz, temperatura ou atividades, também seguiria um ritmo biológico normal do sono, uma vez que o corpo humano é programado para seguir o ritmo de que precisamos sem precisar influências externas

Os sonhos

Quando sonhamos, nosso cérebro não descansa como nós, porque a atividade cerebral continua em movimento constante e ativo.Também enquanto dormimos, temos algumas experiências curiosas, chamadas de sonho ou mais comumente conhecidas como sonhos.

Como você leu acima, os sonhos ocorrem durante a fase REM (portanto, muitos especialistas pensam que o movimento dos olhos ocorre na sequência desses sonhos) e eles são coloridos e se movem, como se estivéssemos assistindo a um filme.

Durante a fase de sono profundo, às vezes você também sonha. A única diferença é que esses sonhos são do tipo mais abstrato.

Durante o sono REM, o sistema reticular é ativado em nosso cérebro, relacionado ao cérebro e ao cérebro anterior. Essas estruturas também são ativadas quando estamos acordados.

Essas estruturas estão envolvidas na estimulação sensorial; portanto, quando ativadas, elas explicam por que, quando sonhamos, temos a sensação de realmente viver esse sonho. Podemos até sentir o que sonhamos.

Também durante o sono, o sistema límbico também é ativo, com estruturas como a amígdala e o córtex cingulado. Esse sistema é responsável pela vida emocional, portanto, isso também pode dar uma explicação racional do porquê durante o sono não apenas sentimos sensualmente o que estamos sonhando, mas também sentimos emocionalmente.

Durante o sono, o córtex pré-frontal , responsável pelo raciocínio mental, é inibido, o que pode nos fornecer informações relevantes sobre a pouca lógica que nossos sonhos costumam ter.

Espero que este artigo tenha fornecido informações que você não sabia sobre o processo natural de sono que realiza todas as noites.

6 curiosidades sobre o sonho

Os cegos também sonham

Aqueles que nasceram cegos podem sonhar o mesmo que as pessoas que podem ver. A diferença é que os sonhos dos cegos são representados por outros sentidos, como som e cheiro.

As mulheres sonham com sexo a mesma quantidade que os homens

As mulheres sonham com sexo, assim como os homens. Em condições iguais de quantidade e frequência. Talvez a diferença esteja apenas no conteúdo.

Nem todo mundo sonha com cores

12% das pessoas sonham em preto e branco. Esse fato é curioso, pois se diz que, desde que a televisão apareceu, as pessoas sonhavam anteriormente em preto e branco e foi depois do surgimento do dispositivo que começamos a sonhar em cores.

Os animais também sonham

Certamente, se você tem um animal de estimação, em algum momento enquanto dorme, notou que ele se movia como se estivesse fazendo algo. Animais, como nós, os humanos também têm sonhos enquanto sonham, eles têm o mesmo tipo de ondas cerebrais que nós.

Seu corpo reage aos seus sonhos como se fossem uma experiência real

A experiência que vivemos durante o momento em que sonhamos permanece registrada como se fosse uma experiência real, a diferença é que você realmente sabe que foi um sonho, mas seu cérebro tem dificuldade em assimilá-lo e processá-lo dessa maneira .

Sonhamos apenas com os rostos que já conhecemos

Seu cérebro não inventa rostos quando se trata de sonhar. Quando sonhamos com pessoas, os rostos que os mostram são rostos de pessoas reais que já vimos em nossas vidas. Podemos não lembrar o rosto ou não conhecermos a pessoa, mas isso certamente faz parte de uma memória.

Deixe um comentário