Androceo: características, classificação e funções

O androceu é a estrutura masculina das plantas, responsável pela produção de grãos de pólen. Ele é composto por várias partes, como estames, anteras e filetes, que desempenham diferentes funções no processo de reprodução das plantas. A classificação do androceu pode variar de acordo com o número de estames, a posição em relação às outras estruturas florais e a forma das anteras. Suas principais funções incluem a produção de pólen, a transferência do pólen para o estigma da flor feminina e a fertilização dos óvulos. O estudo do androceu é importante para compreender a reprodução das plantas e sua diversidade floral.

Principais características do androceu: tudo que você precisa saber sobre essa estrutura floral.

O androceu é a parte masculina da flor, responsável pela produção de gametas masculinos. É composto pelos estames, que por sua vez são formados pelo filete e pela antera. A antera é a parte do estame onde ocorre a produção de grãos de pólen, que contêm os gametas masculinos. Já o filete é a parte que sustenta a antera.

Uma das principais características do androceu é a presença de tecidos especializados na produção de grãos de pólen. Estes grãos são essenciais para a reprodução das plantas com flores, já que são responsáveis pela polinização e fertilização dos óvulos.

O androceu pode variar em número de estames, sendo classificado como monadelfo (todos os estames unidos por seus filetes), diadelfo (um grupo de estames unidos por seus filetes) ou poliadelfo (estames livres). Além disso, os estames podem apresentar diferentes tamanhos, formas e cores, contribuindo para a diversidade das flores.

Em relação às funções do androceu, sua principal é a produção de grãos de pólen e gametas masculinos, que serão transferidos para o óvulo durante o processo de fertilização. Além disso, o androceu também pode desempenhar um papel na atração de polinizadores, através da produção de néctar e de aromas agradáveis.

Em resumo, o androceu é uma estrutura fundamental para a reprodução das plantas com flores, sendo responsável pela produção de gametas masculinos e pela atratividade das flores para os polinizadores. Suas características e funções são essenciais para a perpetuação das espécies vegetais.

Qual a classificação botânica da flor em questão?

A flor em questão pertence à classe Angiospermae, que são plantas com flores e sementes protegidas por frutos. Ela também faz parte da subclasse Dicotyledoneae, caracterizada pela presença de dois cotilédones nas sementes. Além disso, a flor está classificada na ordem Rosales e na família Rosaceae, que engloba diversas espécies de plantas frutíferas e ornamentais.

Androceo: características, classificação e funções

O Androceo é o conjunto de órgãos masculinos da flor, responsável pela produção de grãos de pólen. Ele é formado pelos estames, que são compostos pelo filete e pelas anteras. As anteras são responsáveis pela produção e liberação do pólen, que contém os gametas masculinos.

Os estames podem ser classificados de acordo com o número de filetes em monadelfos, diadelfos e poliadelfos. Além disso, a posição dos estames em relação aos outros órgãos florais pode variar, podendo ser livres, adnatos ou epipétalos.

Relacionado:  A Importância da Reprodução: 10 Razões

O Androceo desempenha um papel fundamental na reprodução das plantas, pois é responsável pela produção e transferência do pólen para os óvulos, permitindo a fertilização e formação de sementes. Além disso, os estames também podem apresentar adaptações específicas para atrair polinizadores, como cores vibrantes e aromas atraentes.

Qual é a estrutura responsável pela formação do androceu nas plantas?

O androceu é a estrutura responsável pela produção de gametas masculinos nas plantas, através da formação dos estames. Os estames são compostos por diferentes partes, sendo a principal delas o filete e a antera.

A antera é a estrutura onde ocorre a produção de grãos de pólen, que contêm os gametas masculinos. Já o filete é responsável por sustentar a antera e facilitar a dispersão do pólen.

Além disso, o androceu pode apresentar variações morfológicas de acordo com a espécie da planta. Algumas plantas possuem androceu com estames livres, enquanto outras apresentam estames soldados. Essas variações podem influenciar no processo de reprodução das plantas.

Em resumo, o androceu é a estrutura responsável pela formação dos estames, onde ocorre a produção dos gametas masculinos. Essa estrutura desempenha um papel fundamental no processo de reprodução das plantas, garantindo a fecundação e a produção de sementes.

Qual a função das sépalas nas plantas?

As sépalas são estruturas presentes nas plantas que fazem parte do androceo, o conjunto de órgãos reprodutores masculinos. Elas são responsáveis por proteger as partes internas da flor, como os estames e os carpelos, durante o processo de desenvolvimento e maturação.

Além disso, as sépalas também desempenham um papel importante na atração de polinizadores, pois muitas vezes possuem cores vivas e aromas agradáveis que chamam a atenção de insetos e pássaros. Dessa forma, contribuem para a reprodução da planta ao facilitar a transferência de pólen entre flores.

Em resumo, as sépalas são estruturas essenciais nas plantas que fazem parte do androceo e têm como principais funções proteger as partes reprodutivas da flor e atrair polinizadores para garantir a reprodução da planta.

Androceo: características, classificação e funções

O androceo é o órgão reprodutor masculino da flor, constituído pelo conjunto de estames, também denominados microfilos. De fato, os estames são a estrutura da flor das plantas fanerógamas onde o pólen é gerado.

Os estames das angiospermas são constituídos por um filamento que termina em quatro sacos de pólen ou esporângios agrupados em pares. Cada par de esporângios forma uma teca, e as duas teca do estame constituem a antera.

Androceo: características, classificação e funções 1

Estames Fonte: flickr.com

A teca está localizada em cada flanco do ponto de inserção do filamento, ligadas entre si por um tecido conjuntivo. Essas estruturas apresentam grande variabilidade, tornando-se lineares, oblongas, globosas ou ovóides e com tons amarelados, azulados e avermelhados.

Relacionado:  Cadeia Alimentar Terrestre: Papéis, Redes e Importância

Dentro dos sacos de pólen, ocorre o processo de microporogênese, dando origem a grãos de pólen ou microgametófitos. Dentro dos grãos de pólen, desenvolvem-se gametas masculinos ou espermatozóides que atuam no processo de polinização.

Características gerais

Das espirais florais, o androceo, juntamente com o cálice, a corola e o gynoecium são os elementos que compõem a flor. O androceo é integrado por três apêndices localizados no mesmo eixo ou plano longitudinal.

Androceo é composto por estames ou órgãos masculinos, que por sua vez são formados pelo filamento e anteras. O filamento é uma estrutura estéril que suporta as anteras no final, onde é formado o pólen que contém os gametas masculinos da flor.

O filamento permite a união da flor ao caule, diferencia-se por uma epiderme com alto teor de cutina e apresenta vários tricomas e estômatos. A parte interna do filamento é constituída por um parênquima de células vacuolizadas, através do qual passa um feixe vascular.

O filamento é uma estrutura variável, dependendo de cada espécie floral, sendo curto, relativamente longo ou séssil. São regularmente filiformes, grossas ou pétalóides e geralmente são fornecidas com apêndices terminais.

As anteras estão localizadas na extremidade superior do filamento e constituem a estrutura fértil do androceo. Cada antera é constituída por um par de teca, formada por dois sacos de pólen onde os esporos são produzidos.

Androceo: características, classificação e funções 2

Anthers Fonte: flickr.com

Quando os gametas masculinos contidos no pólen amadurecem, a antera se abre através de um fenômeno chamado deiscência. A deiscência ocorre em diferentes formas, longitudinal ou transversal, e está sujeita à funcionalidade do endotélio.

Na estrutura floral, o androceo geralmente envolve o ginecologista ou aparelho feminino composto por carpelos. Além disso, está localizado no perianto ou conjunto de folhas florais que constituem a cobertura da flor.

Por outro lado, o androceo apresenta diversas formas e tamanhos, sendo menor ou mais longo que o perianto. Escondendo-se ou sobressaindo da estrutura floral, o arranjo das espirais também depende de cada espécie floral.

Classificação

A classificação do androceo pode ser realizada com base no comprimento dos estames e na disposição do androceo em relação às estruturas florais. Por outro lado, pode ser diferenciada em relação à posição da antera e à abertura ou deiscência das anteras.

Com base no comprimento dos estames, o androceo pode ser classificado em:

  • Androceo didínamo: os pares de estames são de comprimento variável.
  • Androceo tetradinâmico: típico do crucífero, formado por seis estames, dos quais dois são mais longos que os demais.

Quanto ao arranjo do androceo em relação às outras estruturas florais, ele é classificado em:

  • Uniforme: os estames não excedem a altura da corola.
  • Epipétalo: os estames nascem diretamente das pétalas da corola.
  • Exertos: as anteras no final dos estames excedem a corola.
Relacionado:  Palma real: características, habitat, usos, cuidados

A classificação de androceo com base na posição da antera no filamento externo:

  • Adnatas: as anteras são inseridas na estrutura do filamento.
  • Apicifijas: a antera une o final do filamento através de sua parte apical.
  • Basifijas: a antera é fixada da sua posição basal até o final do filamento.
  • Dorsifijas: também chamado medifijas, o filamento se junta à parte média da antera.
  • Versáteis: são do tipo dosifijo, onde o final do filamento se une a um ponto dorsal da antera.

De acordo com a abertura da antera ou deiscência, eles se distinguem:

  • Longitudinal: a abertura da antera ocorre ao longo de cada teca.
  • Transversal: a abertura da antera ocorre em uma linha transversal em cada teca.
  • Poricídio: também chamado foraminal, a abertura ocorre através dos poros.
  • Valvar: a antera destaca um lado de sua estrutura em forma de folha , liberando pólen.

Androceo: características, classificação e funções 3

Filamento de hibisco. Fonte: flickr.com

Tipos de Androceo

A classificação de várias espécies de plantas está sujeita à forma de androceo. Geralmente os estames são apresentados livremente, mas o grau de fusão permite diferenciar famílias de grande importância econômica.

Nesse caso, de acordo com o grau de fusão, podem ser encontrados os seguintes tipos de androceo:

  • Androceo monodelfo: característica das malváceas. Os filamentos são completamente unidos, formando uma camada que cobre o estilo da flor.
  • Androceo diadelfo: próprio das leguminosas. Os filamentos são mantidos juntos, formando um par.
  • Sinandria: os filamentos e anteras se fundem formando uma estrutura compacta. Comum de cucurbitaceae.
  • Singenesia: é um caso especial, onde as anteras são as estruturas que permanecem unidas. Também chamado de sinanteria, é comum aos compostos.

Função

A principal função do androceo é a produção de grãos de pólen que contêm gametas masculinos. O pólen é produzido através do processo de microporogênese dentro dos sacos de pólen.

Uma antera funcional é formada por células-tronco diplóides (2n) do esporófito que dará origem aos microporos. Essas células se dividem por meiose até originar quatro meiosporos (n), que são grãos de pólen monocucleados ou microporos.

Dentro de cada saco de pólen são formados numerosos meiosósporos, que uma vez maduros podem se espalhar independentemente. Em algumas espécies, os grãos de pólen são dispersos como um único grupo ou polinias. Uma vez que os micrósporos são formados, a microsporogênese termina.

Referências

    1. Androceo. (2018) Wikipedia, A Enciclopédia Livre. Recuperado em: wikipedia.org
    2. Megias Manuel, Molist Pilar e Pombal Manuel A. (2018) Órgãos vegetais. Flor Atlas de Histologia Vegetal e Animal. Faculdade de Biologia. Universidade de Vigo
    3. Menéndez Valderrey, JL (2018) Androceo: os estames. 381. ISSN 1887-5068. Recuperado em: asturnatura.com
    4. Popoff Orlando Fabián (2018) Morfologia de Plantas Vasculares. 4º tema. A flor. Hipertextos da Botânica Morfológica. 26 pp.

Deixe um comentário