As 10 regiões econômicas mais fortes da Colômbia

Entre as regiões econômicas mais fortes da Colômbia estão: Bogotá, Antioquia, Valle del Cauca, Santander e Bolívar, entre outras.A Colômbia é a quarta economia mais importante da América Latina e está entre as 31 mais proeminentes em todo o planeta, segundo dados do Fundo Monetário Internacional .

Com forte crescimento na última década, o país está apenas atrás de potências regionais como Brasil, México e Argentina na América Latina. Possui um forte setor de produção de bens primários, aqueles destinados a atender às necessidades fundamentais de pessoas como alimentos ou roupas.

As 10 regiões econômicas mais fortes da Colômbia 1

As principais indústrias colombianas são café, gado, petróleo, esmeralda, floricultura, indústria automotiva e têxtil, mas este país também é um grande exportador de ouro, safiras e diamantes. Nos últimos anos, sua prestação de serviços assumiu relevância relevante.

Apesar de ser uma economia avançada, a Colômbia apresenta grandes problemas de desigualdade social e desequilíbrios nos dados produtivos de cada região. Por exemplo: 65% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional é distribuído apenas entre seis departamentos, dos 32 em que seu território está dividido.

Lista das 10 regiões econômicas mais fortes da Colômbia

1- Bogotá

De acordo com indicadores econômicos locais e internacionais, é a principal região produtiva da Colômbia, com uma representação no produto interno bruto perto de 25%.

Com um setor industrial muito forte e avançado, complementado pelos setores comercial e financeiro, Bogotá é um local muito atraente para investimentos.

Esta área do país representa um quarto da economia total da Colômbia. Destaca-se na indústria química, têxtil e na fabricação de outros produtos, como metais, máquinas, equipamentos, impressoras, alimentos, bebidas, tabaco e madeira.

2- Antioquia

Localizada no nordeste do país e com o Oceano Pacífico como limite, Antioquia representa 13% do PIB da Colômbia, o que a coloca como a segunda área mais produtiva.

Distribui sua economia entre os três setores: primário, secundário e terciário, com fortes sub-regiões nos setores agrícola, manufatureiro, turismo, serviços (que ocupa um papel de liderança) e setores comerciais.

Relacionado:  Testemunha colina: características e exemplos

O café é seu principal produto, com Antioquia sendo o principal produtor do país. A Colômbia foi a primeira a exportar seus produtos para o mundo, apenas pressionada por essa infusão.

3- Vale do Cauca

Esta pequena região oeste da Colômbia, localizada entre cadeias de montanhas, é a terceira maior em termos de Produto Interno Bruto do país.

Agricultura, pesca e minerais não metálicos são os motores da economia local que, apesar de suas boas taxas de crescimento, vem perdendo preponderância na economia colombiana.

4- Santander

Localizada na região andina, está um pouco longe dos índices econômicos de seus três antecessores. No entanto, seus dados de crescimento o colocam no topo graças a um processo de industrialização bem-sucedido, que não demorará muito para dar resultados no futuro.

Com um forte setor agrícola e turístico, o Santander também possui um próspero grupo de empresas de energia, petróleo e mineração, além de importantes projetos de metalurgia e aves.

Este departamento é o primeiro produtor de tabaco, cacau e mandioca da Colômbia, três produtos típicos da economia do país.

5- Objetivo

Parte da Orinoquía colombiana, Meta é um dos maiores departamentos do país. Isso o torna um poder interno, ocupa o quinto lugar na participação do PIB nacional impulsionado pela pecuária, agricultura e mineração.

Nas culturas legais, arroz, palmeira africana, banana e milho, são seus principais pontos fortes, acompanhados pela extração de petróleo e gás, que teve um importante impulso nas últimas décadas.

Fora da lei, em Meta existem grandes plantações de folhas de coca, que são usadas como o principal componente da cocaína. Embora isso tenha deixado muitos ganhos econômicos, transformou a área em um lugar perigoso, com uma feroz luta interna, acompanhada de guerrilheiros, contra o narcotráfico.

6- Cundinamarca

Localizada no centro do país e com Bogotá como capital, esta região possui vida econômica própria fora da cidade mais importante do país.

Relacionado:  Os 3 rios mais importantes de Antioquia

Com uma rica variedade de recursos naturais , Cundinamarca é a sexta região mais importante da Colômbia em termos de produto interno bruto nacional.

Carvão e sal, em primeiro lugar, impulsionam os indicadores econômicos da região. Mas também a presença de depósitos de cal, ferro, enxofre, esmeraldas, quartzo, chumbo, gesso, cobre e mármore, fazem com que sua competitividade esteja se expandindo.

Além disso, fora da industrialização de Bogotá, esta região possui produções ricas de café, milho, trigo, cevada e cana-de-açúcar.

7- Bolívar

Localizado na região norte, conhecida como Caribe, e tendo Cartagena das Índias como principal cidade, deve seu nome ao libertador Simón Bolivar.

Esse departamento possui uma das economias mais diversas do país, com grande produção de bens e serviços de diferentes indústrias, o que o coloca em sétimo lugar na Colômbia.

Seu grande impulso econômico vem da mão da prestação de serviços, principalmente no turismo e no comércio, mas também possui um setor industrial forte.

As empresas petroquímicas mantêm Bolívar entre as regiões mais importantes do país, principalmente devido ao boom no refino de petróleo, outros derivados químicos e plásticos.

Tradicionalmente, é um dos lugares onde o setor agrícola teve um grande desenvolvimento. A indústria madeireira e a pesca, graças à sua proximidade com o Pacífico, são outros setores de destaque.

8- Atlântico

Pequeno em termos territoriais, mas com uma das maiores massas populacionais do país, o departamento do Atlântico é o oitavo mais proeminente em termos econômicos da Colômbia.

Na capital, Barranquilla, indústria e comércio, graças ao porto, são os principais setores. No entanto, no interior, os serviços e a questão agrícola impulsionam a região.

Entre seus produtos mais destacados estão os ligados ao setor químico, metalúrgico e farmacêutico. Destaca-se também na indústria de alimentos, bebidas e papel. Seu grande capital é a força de trabalho, com um grande número de pessoas laboriosamente ativas.

9- Boyacá

Foi uma das principais regiões da independência da Colômbia há quase três séculos. Foi em Boyacá onde as batalhas fundadoras do país ocorreram com Simón Bolivar como líder.

Relacionado:  Espaço aéreo: características, tipos

Além disso, Boyacá tem a particularidade de ter diferentes áreas produtivas em seu território, cada uma com seus bens e serviços estratégicos. É o nono mais importante do PIB nacional.

Seu Corredor Industrial agrupa 90% da indústria local, com um forte setor de serviços. Para isso, devemos acrescentar uma forte presença de comércio, agricultura, mineração, turismo e artesanato, que também são de vital importância para sua realidade econômica.

Enquanto os investimentos experimentam um momento de instabilidade, as exportações, a agricultura, a mineração (com grandes depósitos de esmeralda e outras pedras e minerais) e o gado mantêm a região à tona.

10- Tolima

Historicamente, é uma região cuja produção estava ligada ao ouro e ao tabaco, mas o agronegócio estava lentamente ganhando terreno para concluir uma importante economia para a Colômbia.

Sua localização estratégica, entre montanhas, o torna um local muito atraente para o turismo, setor para o qual esse departamento conseguiu gerar receita, tornando-o uma de suas principais fontes de renda.

A mineração também, com o ouro como metal estelar, e a indústria têxtil empurram a Tolima para as dez principais regiões produtivas da Colômbia no momento.

Embora o agronegócio do algodão seja um forte apoio, seu lugar de privilégio é ameaçado pela importância do setor de serviços internos. Um setor que em Tolima é subdesenvolvido, o que faz com que perca competitividade com outras regiões e departamentos, além de gerar algum tipo de dependência.

Referências

  1. As regiões econômicas da Colômbia: uma análise de agrupamentos, Juan David Barón, Banco da República, 2002.
  2. Banco da República. «Dívida externa da Colômbia». Arquivado no original em 28 de novembro de 2015. Recuperado em 17 de novembro de 2009.
  3. Departamento de Síntese e Contas Nacionais da DANE e Banco da República. Recuperado de: dane.gov.co.
  4. Câmara de Comércio de Bogotá. Recuperado de: ccb.org.co.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies