As 4 viagens de Cristóvão Colombo e seus eventos

As viagens de Cristóvão Colombo foram realizadas pelo almirante genovês em direção ao continente americano. Havia quatro no total, sendo o primeiro deles a descoberta do novo continente para os europeus. Colombo pretendia encontrar uma nova rota para chegar à Ásia para facilitar o comércio e expandir a fé católica.

A rivalidade com Portugal, além das crescentes complicações em seguir as antigas rotas terrestres para o comércio com países asiáticos, fizeram a Coroa Espanhola concordar em financiar o projeto. A primeira viagem terminou em 12 de outubro de 1492 com a chegada da expedição espanhola ao Caribe.

As 4 viagens de Cristóvão Colombo e seus eventos 1

Colombo batizou a primeira ilha na qual ancoraram como San Salvador. Depois de um tempo explorando a área e fundando um forte, eles retornaram à península. A segunda viagem começou com péssimas condições, pois o forte havia sido destruído pelos nativos.

Em suma, a expedição entrou na história por ter fundado a primeira cidade espanhola nas Américas. Foi durante a terceira jornada que os homens de Colombo chegaram à América do Sul. No entanto, ocorreram rebeliões e a figura do almirante ficou seriamente danificada. Ele voltou à Espanha acusado de vários crimes.

A última viagem foi bem diferente. A Coroa havia retirado os privilégios de Colombo e nas terras americanas todas as vezes com mais respostas. Ele voltou para a Espanha depois de explorar a América Central. Ele nunca poderia voltar para as Américas.

Causas e antecedentes

No lado comercial, a Europa negocia com a Ásia há muito tempo. Especiarias, tecidos e outros produtos eram muito procurados e, desde a época de Marco Polo, a Rota da Seda era uma das mais importantes.

No entanto, turcos e árabes controlavam cada vez mais a região do Oriente Médio, dificultando a mudança dos europeus para outros territórios asiáticos. Portanto, a necessidade de buscar alternativas levou vários países a realizar projetos diferentes.

Enquanto isso, os reinos espanhóis continuaram sua luta para acabar com as últimas fortalezas muçulmanas na península. O esforço de guerra deixou as contas muito enfraquecidas e, além disso, impediu-as de participar de explorações marítimas por um longo tempo. Em 1492, a captura de Granada significou o fim da chamada reconquista.

Rivalidade com Portugal

A tradição marítima de Portugal o fez alcançar grandes conquistas em suas explorações. Chegara aos Açores e à Madeira, além de percorrer a costa africana.

A rivalidade nesse aspecto com a Espanha deveu-se à busca de novas riquezas, enfatizando a Ásia.

Novas rotas comerciais com a Ásia

Como mencionado anteriormente, a crescente força de turcos e árabes no Oriente Médio tornou necessário encontrar uma nova maneira de continuar o comércio com o continente asiático.

As rotas terrestres eram inseguras e demorou muito tempo para cobri-las. Por causa disso, alguns exploradores – como Columbus – começaram a olhar para o mar para chegar lá.

Expandir a fé cristã católica

Embora pouca menção seja feita a esse aspecto ao analisar as causas das viagens de Colombo, em alguns escritos da época isso é claramente refletido.

No Diario da Primeira Navegação , escrito por Bartolomé de las Casas, o frade mencionou a evangelização como uma das principais razões para as explorações.

Outros documentos, como o administrativo de 1492, afirmam que Colombo foi enviado ” por maria oçeana ad parts Indie” (“pelos oceanos a partes da Índia”) para, entre outros fins, ” fidei ortodoxe aumentum » (« o aumento da fé ortodoxa »).

Primeira viagem

As 4 viagens de Cristóvão Colombo e seus eventos 2

A figura de Cristóvão Colombo é essencial para conhecer esta época da história. A maioria dos historiadores concorda que ele nasceu na então República de Gênova. O marinheiro estava convencido de que as Índias podiam ser alcançadas através do Atlântico, a oeste.

Embora não existam dados conclusivos sobre quando ele descobriu essa possibilidade, acredita-se que algumas informações que Toscanelli escreveu a pedido do rei português Alfonso V. poderiam alcançá-lo.

Relacionado:  José María Iglesias Inzaúrraga: Biografia

Buscando financiamento

Uma vez convencido da viabilidade do projeto, Columbus começou a buscar o financiamento necessário para concretizá-lo. Primeiro ele foi para João II, rei de Portugal, em 1485. Ele, que estava ocupado com outras explorações, recusou ajuda.

Após essa primeira tentativa, o marinheiro mudou-se para Castilla. Lá, ele propôs sua idéia à rainha Isabel e seu marido Fernando de Aragón. Em plena luta contra os muçulmanos, sua primeira resposta foi negativa. Além disso, os especialistas não acreditavam que isso fosse possível.

Sem desanimar, Colombo marchou para a Andaluzia. Após várias tentativas, encontrou alguém que o ouviu: Luis de la Cerda, duque de Medinaceli. Ainda faltavam dois anos para convencer a rainha Isabel a falar com Colombo, embora ele tenha sido instado a esperar até que eles levassem Granada.

Assim, quando a cidade nas mãos dos muçulmanos se rendeu em 25 de novembro de 1491, os genoveses partiram para Santa Fe, onde ficava a sede cristã.

Capitulações de Santa Fe

Foi na própria Santa Fe que começaram as negociações entre Colombo e os representantes da Coroa para financiar a viagem. As exigências de Colombo, que pediu para ser nomeado almirante e vice-rei das terras que ele descobriu, fizeram com que as primeiras reuniões resultassem em fracasso.

A intercessão de um oficial, Luis de Santángel, foi o que convenceu a rainha sobre a necessidade de participar do projeto; Ele estava disposto a adiantar o dinheiro necessário. A rainha concordou com o plano e aceitou as condições do marinheiro.

Capitulações de Santa Fé é o nome pelo qual esses acordos foram conhecidos, que foram assinados em 17 de abril de 1492.

Além dos títulos mencionados, Columbus adquiriu os 10% certos da riqueza que encontrou, além de outros benefícios.

Preparações

O orçamento calculado para realizar a expedição foi de dois milhões de maravedis. A parte da coroa avançou, como anunciado, Luis de Santángel, e consistia em 1 140 000 maravedíes. O próprio Colombo contribuiu com 500.000, enquanto o valor restante não foi entregue em dinheiro, mas na forma de duas caravelas.

Para formar a tripulação, os reis católicos ofereceram perdão aos prisioneiros que desejavam se matricular. Ainda assim, não foi fácil conseguir os 100 homens necessários. Martín Alonso Pinzón, um armador, foi responsável pela tarefa em troca de uma parte do que foi encontrado.

Quanto aos barcos, eles tinham os dois que já estavam na cidade de Palos de la Frontera e isso fazia parte do orçamento total. Era sobre La Niña e Pinta. O Santa Maria, um nao, foi o terceiro navio que entrou na travessia.

Expedição

Com tudo preparado, em 3 de agosto de 1492 a expedição partiu do porto de Palos de la Frontera. Colombo reservou o comando da Santa María, enquanto Martín Alonso Pinzón estava encarregado da Pinta e seu irmão Vicente, da Moça.

Segundo o próprio Cristóvão Colombo, a rota seria entre 3.000 e 5.000 quilômetros até chegar ao Japão. Na verdade, a distância é de 19.000.

Os navios cobriram uma primeira etapa que os levou às Ilhas Canárias. Lá eles carregaram provisões e se jogaram de volta ao mar. A partir desse momento, houve 33 dias de navegação ininterrupta.

Chegada à América

A viagem não foi fácil para a tripulação dos três navios. Colombo teve que enfrentar dois tumultos. A primeira, em 1º de outubro, quando já estavam viajando há 2 meses.

A falta de comida (e o mau estado do que restava) fizeram com que os marinheiros pedissem ao almirante que mudasse de rumo. Alguns dias após esse pedido, ele teve que aceitar.

Relacionado:  Lenda dos símbolos nacionais do México

Como a situação não melhorou, a equipe continuou com as reclamações. Em 10 de outubro, antes do que era quase um ultimato, Colombo prometeu a eles que, se não encontrassem nada em dois dias, eles se virariam.

No momento em que essa data foi cumprida, em 12 de outubro de 1492, Rodrigo de Triana – que estava na região de Pinta – localizou. A expedição chegou ao Caribe, embora pensassem que eram as Índias. A primeira ilha foi batizada como San Salvador, e Colombo a tomou em nome da coroa espanhola.

Exploração

Colombo estava convencido de que as ilhas que eles viajaram durante o mês seguinte estavam na costa asiática. De fato, quando chegou ao que é hoje Cuba, ele pensou que havia chegado ao continente. No entanto, ao descobrir apenas pequenas aldeias de povos indígenas, ele ficou desiludido e decidiu continuar a explorar.

O próximo destino era outra ilha, que eles chamavam de La Española (Haiti e República Dominicana). Nessas terras, os exploradores fizeram contato com alguns nativos, que lhes contaram sobre uma área onde havia ouro.

O nome daquele lugar conhecido pelos nativos era Cibao, mas Colombo o confundiu com Cipango, um nome dado ao Japão.

Em 25 de dezembro, a expedição foi perdida para Santa Maria, que encalhou em um banco de areia. Como a tripulação não cabia nos dois navios restantes, eles decidiram construir um forte, batizado como Natal. Permaneceu um grupo de homens, enquanto o resto empreendeu o caminho de volta à Espanha.

Segunda viagem

As 4 viagens de Cristóvão Colombo e seus eventos 3

As notícias de sua descoberta e as riquezas que Colombo disse ter encontrado, sem ser verdade, facilitaram a organização da segunda viagem muito rapidamente.

Nesse caso, os planos eram mais de conquista e colonização do que de exploração. O papa Alexandre VI deu a Castilla alguns touros que lhe asseguraram o controle do que foi conquistado, ordenando que os habitantes dessas terras fossem evangelizados.

Desenvolvimento

A prova da importância desta nova expedição era que tinha 17 navios e 1500 pessoas.

Em 25 de setembro de 1493, eles ancoraram em Cádiz, parando nas Ilhas Canárias dias depois. Ao contrário da primeira vez, a viagem foi tranquila e, em 2 de novembro, chegaram a Dominica.

Percorrendo várias ilhas ao longo do caminho, estavam indo em direção a Fort Christmas, onde, em teoria, os homens deixados por Columbus os aguardavam. Em 27 de novembro chegaram ao forte. No entanto, isso foi destruído pelos nativos e os homens foram mortos.

Primeira cidade espanhola da América

Após a comoção que pretendia descobrir aquela circunstância, eles decidiram partir antes que os nativos pudessem atacar. Eles foram para o leste, procurando alguma área para estabelecer uma colônia.

O local escolhido foi uma baía, na qual foi estabelecido o primeiro assentamento espanhol na América: o Isabela.

Procure pela Ásia e retorne à Espanha

Diego de Colón, irmão do almirante, comandava a primeira colônia com parte dos homens, enquanto o resto continuava sua jornada. Naquela época, eles ainda pensavam que estavam na Ásia e saíram em busca do continente.

Foram quatro meses de navegação em que passaram por muitas outras ilhas, mas sem encontrar nada mais relevante. Finalmente, eles voltaram para Isabela. Na chegada, eles descobriram que estava meio vazio. Aparentemente, a área era quase inabitável e muitos decidiram voltar para a Espanha.

Entre os que voltaram, estava Pedro Margarit, um capitão que começou a falar mal de Colombo na frente da corte. Antes das dúvidas surgirem, os reis enviaram um representante para investigar o que era verdade no que Margarit contou.

Depois de investigar, ele voltou à península para denunciar. Colombo o acompanhou junto com mais de 200 homens que não queriam ficar no novo continente.

Relacionado:  Plano Kalergi: histórico e em que consiste

Terceira viagem

As 4 viagens de Cristóvão Colombo e seus eventos 4

Embora a atmosfera na corte estivesse mudando, os reis católicos confirmaram a Colombo todos os seus privilégios e acusações. A principal diferença na organização da terceira viagem foi que a Coroa participou muito mais da preparação. Da mesma forma, forçaram o marinheiro a aceitar religiosos e outros profissionais entre seus componentes.

Em 23 de janeiro de 1498, a terceira das viagens de Colombo começou. Eles deixaram Sanlucar de Barrameda e se dividiram para chegar a vários lugares.

Descoberta da América do Sul

Foi nessa expedição que Colombo chegou ao continente. Assim, ele chegou à atual Venezuela, onde encontrou muita população indígena e isso o deixou impressionado por sua beleza.

Mas, além das descobertas, essa viagem marcou o início do fim da figura de Cristóvão Colombo. Tudo começou quando ele chegou a Santo Domingo, que acabara de ser fundado.

Ele encontrou os nativos criados em armas, mas também os espanhóis muito irritados. Eles recriminaram o almirante que lhes mentira, contando-lhes sobre a riqueza em ouro daquelas terras e como era fácil obtê-la.

Isso significava que houve várias rebeliões e Colombo começou a negociar com os descontentes. Enquanto isso, essas notícias chegaram ao tribunal espanhol e os monarcas enviaram um juiz para investigar.

Foi no ano de 1500 quando esse funcionário chegou a Santo Domingo. Ele imediatamente ocupou o governo, ordenou que os irmãos Colombo fossem presos e os enviou para a Espanha.

Quarta viagem

As 4 viagens de Cristóvão Colombo e seus eventos 5

O resultado de todos esses eventos foi muito negativo para Columbus. Ele perdeu todos os privilégios anteriormente concedidos e foi expressamente proibido de governar qualquer colônia. Além disso, os reis permitiram outras expedições.

Sem desistir, Colombo novamente organizou uma nova expedição; Mais uma vez, seu objetivo era alcançar a Ásia.

Desenvolvimento

Em 9 de maio de 1502, Colombo partiu pela quarta vez para a América. Ele deixou Cádiz em 9 de maio e chegou a Santo Domingo em um mês. O novo governador o impediu de desembarcar, então ele teve que continuar sua jornada. Assim, ele chegou a Honduras, encontrando os maias pela primeira vez.

Exploração na América Central

Apesar dos inconvenientes, esta quarta viagem viu como a primeira cidade espanhola foi criada em terras continentais. Era Santa María de Belén, no Panamá. No entanto, esse acordo durou muito pouco devido ao clima e à beligerância dos nativos.

O resto da viagem foi muito difícil, pois eles perderam muitas caravelas e homens por várias razões. No final, eles se estabeleceram por um ano na Jamaica.

As discordâncias de Colombo com seus homens os fizeram se rebelar várias vezes. A situação piorou tanto que eles acabaram pedindo ajuda a Santo Domingo. Esse foi o fim da quarta viagem.

Eu volto para a espanha

Doente e sem apoio, Cristóvão Colombo retornou à Espanha em 7 de setembro de 1504. Após um período de convalescença, ele se encontrou com o rei Fernando e depois se estabeleceu em Valladolid.

Em 20 de maio de 1506, ele morreu naquela cidade sem que a sociedade espanhola lhe desse importância.

Referências

  1. Touro de Córdoba, Julian. As viagens de Cristóvão Colombo para a América. Obtido em iberoamericasocial.com
  2. Ministério da Educação e Ciência. As viagens de Colombo. Obtido em olmo.pntic.mec.es
  3. Virtual Cervantes Christopher Columbus. Obtido de cervantesvirtual.com
  4. Minster, Christopher. A primeira nova viagem mundial de Cristóvão Colombo (1492). Obtido em thoughtco.com
  5. Funcionários da History.com. Cristóvão Colombo Obtido em history.com
  6. Flint, Valerie IJ, Cristóvão Colombo. Obtido em britannica.com
  7. Minster, Christopher. A terceira viagem de Cristóvão Colombo. Obtido em thoughtco.com
  8. Ruiz, Bruce. Quarta Viagem 1502 – 1504. Obtido em bruceruiz.net

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies