Astenia: sintomas, causas, tipos e tratamentos

A astenia é um sintoma caracterizado pela fraqueza e cansaço extremos, que podem interferir significativamente na qualidade de vida de um indivíduo. Existem diversos tipos de astenia, que podem ser causados por diferentes fatores, tais como doenças crônicas, distúrbios emocionais, desnutrição, falta de sono adequado, entre outros. O tratamento da astenia depende da sua causa subjacente e pode incluir a correção de hábitos de vida inadequados, o uso de medicamentos específicos, a prática de exercícios físicos, entre outras abordagens terapêuticas. É importante consultar um médico para um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado para a astenia.

Principais sinais e sintomas da astenia: conheça as manifestações comuns dessa condição.

A astenia é um termo médico utilizado para descrever a sensação de fraqueza e cansaço extremo, que pode afetar a qualidade de vida de uma pessoa. Os principais sinais e sintomas da astenia incluem fadiga, cansaço constante, falta de energia, dificuldade de concentração, dor muscular e diminuição da capacidade de realizar atividades do dia a dia.

Esses sintomas podem ser causados por uma variedade de fatores, como anemia, distúrbios hormonais, doenças crônicas como diabetes e hipotireoidismo, estresse emocional e fadiga muscular. É importante ressaltar que a astenia não é uma doença em si, mas sim um sintoma de que algo não está funcionando corretamente no organismo.

Existem diferentes tipos de astenia, como a astenia primária, que é causada por uma condição específica, e a astenia secundária, que está relacionada a outras doenças ou condições. O diagnóstico da astenia envolve a avaliação dos sintomas, exames laboratoriais e, em alguns casos, a realização de exames complementares.

O tratamento da astenia varia de acordo com a causa subjacente. Em muitos casos, é possível melhorar os sintomas com mudanças no estilo de vida, como a prática regular de exercícios físicos, uma alimentação saudável e balanceada, e a redução do estresse. Em casos mais graves, pode ser necessário o uso de medicamentos específicos para tratar a condição que está causando a astenia.

Portanto, se você está enfrentando sintomas de astenia, é fundamental procurar a orientação de um médico para identificar a causa e receber o tratamento adequado. Não ignore os sinais do seu corpo e busque ajuda para recuperar a sua energia e qualidade de vida.

Especialista indicado para tratar astenia e suas causas subjacentes na saúde do paciente.

A astenia é um sintoma comum que pode estar presente em diversas condições de saúde, como anemia, hipotireoidismo, depressão, entre outras. Para tratar a astenia e suas causas subjacentes, o especialista indicado é o médico clínico geral ou um especialista em medicina interna.

O médico clínico geral é o profissional capacitado para avaliar os sintomas de astenia e realizar um diagnóstico preciso, identificando as possíveis causas subjacentes. Ele poderá solicitar exames laboratoriais e complementares para investigar as condições de saúde do paciente.

Em casos mais específicos, o médico pode encaminhar o paciente para um especialista, como um hematologista para tratar anemias, um endocrinologista para tratar distúrbios da tireoide, ou um psiquiatra para tratar transtornos mentais como a depressão.

É importante ressaltar que o tratamento da astenia deve ser direcionado para a causa subjacente, podendo envolver o uso de medicamentos, mudanças no estilo de vida, terapia ocupacional, entre outras abordagens terapêuticas. O acompanhamento médico é fundamental para garantir a melhora dos sintomas e a qualidade de vida do paciente.

Descubra o significado do exame de astenia e como é realizado.

A astenia é um sintoma comum que se caracteriza por uma sensação de fraqueza, fadiga e cansaço extremo. Quando uma pessoa apresenta astenia, é importante realizar um exame médico para investigar as possíveis causas desse sintoma. O exame de astenia é um procedimento que visa avaliar a origem da fraqueza e fadiga do paciente, a fim de identificar a condição subjacente que está causando esses sintomas.

O exame de astenia geralmente envolve uma avaliação clínica detalhada, incluindo uma análise dos sintomas apresentados pelo paciente, seu histórico médico, exame físico e exames laboratoriais. Durante a avaliação clínica, o médico pode fazer perguntas sobre a duração e intensidade da fraqueza, fadiga e cansaço, bem como investigar possíveis fatores desencadeantes. Além disso, exames de sangue podem ser solicitados para verificar os níveis de hemoglobina, glicose, vitaminas e minerais, entre outros.

Em alguns casos, o médico pode solicitar exames mais específicos, como testes de função tireoidiana, exames de imagem (como ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética) e até mesmo uma biópsia de tecidos, dependendo da suspeita diagnóstica.

Em resumo, o exame de astenia é fundamental para identificar as causas subjacentes da fraqueza e fadiga, permitindo um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado. Portanto, se você está sofrendo de astenia persistente, é importante buscar ajuda médica para investigar as possíveis causas e receber o tratamento adequado.

Relacionado:  O que é psicologia jurídica?

Diferença entre fadiga e astenia: entenda as nuances desses sintomas comuns de cansaço.

A fadiga e a astenia são sintomas comuns de cansaço, mas é importante entender as nuances que as diferenciam. Enquanto a fadiga está relacionada à sensação de exaustão física e mental, a astenia é caracterizada por uma fraqueza generalizada e falta de energia.

A fadiga pode ser causada por diversos fatores, como falta de sono, estresse, má alimentação e doenças crônicas. Já a astenia geralmente está associada a condições médicas subjacentes, como anemia, hipotireoidismo e infecções virais.

Existem diferentes tipos de astenia, como astenia primária e secundária. A astenia primária é aquela que não está relacionada a nenhuma condição médica específica, enquanto a astenia secundária é causada por doenças ou tratamentos médicos.

O tratamento da astenia depende da causa subjacente. Pode incluir mudanças na dieta, suplementos vitamínicos, terapia hormonal ou tratamento da condição médica associada. É importante consultar um médico para um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado.

Em resumo, a fadiga e a astenia são sintomas de cansaço que podem ter causas e tratamentos diferentes. É essencial reconhecer as diferenças entre eles para buscar o tratamento adequado e melhorar a qualidade de vida.

Astenia: sintomas, causas, tipos e tratamentos

A fadiga é um sintoma produzido por uma variedade de diferentes causas. Faz com que a pessoa que sofre se sinta fraca e sem energia. O cansaço extremo que produz permanece prolongado ao longo do tempo e geralmente também causa uma grande falta de motivação e desejo de realizar qualquer atividade.

Geralmente, a astenia não aparece por si só, mas como sintoma de outro problema mais sério. No entanto, às vezes é possível que a falta de energia generalizada seja a única dificuldade presente ou mais importante. Este seria o caso, por exemplo, do que acontece na astenia da primavera.

Astenia: sintomas, causas, tipos e tratamentos 1

Fonte: pixabay.com

Na maioria dos casos, a falta de energia e motivação que acompanha a fadiga pode causar grandes dificuldades na vida daqueles que sofrem com ela. Em casos especialmente complexos, outros sintomas podem aparecer, como problemas de memória, concentração e atenção, o que torna muitas tarefas diárias um desafio.

Nas variantes mais graves da astenia, a pessoa também experimenta falta de apetite, diminuição do desejo sexual, movimentos lentos, dificuldade para dormir e sintomas depressivos. É até possível que alguns sintomas mais graves, como alucinações, febre, alterações na visão ou perda de consciência, apareçam.

Sintomas

O principal sintoma da astenia é a falta de energia que pode ser local ou generalizada. A pessoa experimenta uma grande fadiga contínua, que às vezes afeta apenas alguns órgãos ou partes do corpo. No entanto, em geral, esta fadiga crônica está presente em todo o corpo.

De acordo com pesquisas a esse respeito, na maioria dos casos de astenia não há fraqueza muscular real, mas é apenas um sintoma percebido pelo indivíduo. De qualquer forma, os efeitos causados ​​por essa fadiga são muito reais e podem dificultar muito o desenvolvimento de uma vida normal.

Assim, entre outras coisas, a pessoa terá que fazer um grande esforço para realizar suas tarefas diárias, tendo que recorrer à sua força de vontade. Isso geralmente significa que, a médio e longo prazo, a atividade do indivíduo diminui, além de sua motivação.

Se não for resolvida a tempo, a astenia pode acabar afetando muitas áreas da vida da pessoa, incluindo seus relacionamentos com outras pessoas, seu trabalho ou seus hobbies. Portanto, é necessário encontrar a causa que está causando esse cansaço o mais rápido possível e intervir nele o mais rápido possível.

Tipos

Astenia: sintomas, causas, tipos e tratamentos 2

Dependendo de vários fatores, é possível classificar a astenia em diferentes tipos. A seguir, estudaremos as divisões mais comuns.

Astenia real vs. Astenia percebida

Em alguns casos, o sentimento da pessoa de ter menos energia, força ou resistência é causado por uma perda real do tônus ​​muscular. Isso pode ocorrer como resultado de diferentes doenças e distúrbios, como uma distrofia.

No caso de condições médicas como a miastenia gravis , a pessoa mantém sua força intacta, mas após realizar algum tipo de exercício, perde-o rapidamente. Por esse motivo, os distúrbios nos quais isso ocorre são muito complicados de diagnosticar.

Relacionado:  Motefobia (fobia da mariposa): sintomas e causas

Em outras ocasiões, a perda de força é percebida apenas. Isso significa que, apesar de a pessoa sentir fadiga ou fraqueza, seus músculos continuam funcionando adequadamente. Nesses casos, a origem do problema é geralmente psicológica, e não física.

Tipos de astenia física

Quando a sensação de fadiga e falta de força é causada por um problema físico real, não relacionado a uma patologia, pode ser de três tipos: fadiga central, fadiga neuromuscular ou fadiga muscular periférica.

1- Fadiga central

A fadiga central é geralmente descrita como uma redução dos sinais transmitidos pelos nervos aos músculos motores, para que haja uma diminuição da força bruta que a pessoa possa usar em uma tarefa.

Acredita-se que a fadiga central possa aparecer como uma espécie de mecanismo de defesa contra esforços excessivos, o que poderia comprometer a integridade do corpo para não parar. Não se sabe exatamente como esse problema ocorre, mas pesquisas sugerem que ele estaria relacionado aos níveis cerebrais de serotonina.

2- Fadiga neuromuscular

Os nervos controlam os movimentos do corpo, determinando o número, a ordem e a força dos movimentos de diferentes músculos. Quando um nervo experimenta fadiga sináptica (um estado em que não pode fazer conexões com outros neurônios facilmente), é impossível estimular o músculo que normalmente seria ativado.

Em geral, a fadiga neuromuscular aparece apenas quando os movimentos estão sendo feitos muito perto do limite superior de força que uma pessoa pode desenvolver em condições normais. Por exemplo, isso geralmente ocorre entre indivíduos que realizam treinamento de força, que precisam mover grandes pesos em pouco tempo.

A pessoa que experimenta fadiga neuromuscular não sente dor ou sensação desagradável. No entanto, o músculo pára gradualmente de responder, até simplesmente parar de realizar o movimento.

Esse processo é essencial para entender como alguns dos ganhos de força ocorrem entre atletas, como ginastas ou levantadores de peso. Parte de seus processos de treinamento físico é responsável por aumentar os tempos em que eles podem executar movimentos exigentes sem atingir o estado de fadiga neuromuscular.

3- Fadiga muscular periférica

A fadiga muscular periférica ocorre quando o corpo é incapaz de fornecer a um determinado músculo toda a energia necessária para realizar um movimento específico. Nesses casos, ocorre uma sensação de queimação e a parte afetada deixa de ser capaz de realizar uma contração.

Esse problema também está associado ao exercício físico e, portanto, pode ser resolvido com repouso e com um suprimento suficiente de nutrientes para o corpo.

Causas

Além dos tipos de fadiga física que já vimos, que surgem do funcionamento normal do corpo, algumas pessoas experimentam astenia causada por outras causas. Estes podem estar associados a uma patologia subjacente ou a diferentes problemas psicológicos.

1- Astenia causada por causas ou doenças físicas

A falta de energia e motivação associada à astenia pode ocorrer devido a vários problemas relacionados ao corpo. Alguns dos mais frequentes são os seguintes:

– Processos alérgicos ou relacionados a distúrbios autoimunes. É o caso, por exemplo, da astenia da primavera ou de alguns pacientes que foram infectados pelo vírus da Aids.

– Infecções generalizadas do corpo, devido ao enorme suprimento de nutrientes que o corpo deve produzir para lidar com a invasão externa e a consequente falta de energia livre para realizar outras tarefas físicas.

– Baixos níveis de certos nutrientes, hormônios ou vitaminas no corpo. Por exemplo, algumas das substâncias mais relacionadas à fadiga crônica são vitamina D e testosterona.

– Algumas doenças como tumores, diabetes ou certos distúrbios neurológicos também podem ter astenia entre seus sintomas.

– Finalmente, o uso de certos medicamentos, como ansiolíticos ou antidepressivos, pode causar efeitos colaterais da fadiga crônica.

2- Astenia causada por fatores psicológicos

Segundo as pesquisas mais recentes a esse respeito, mais da metade dos casos de astenia pode ser causada por causas exclusivamente psicológicas. Nesse caso, o problema é chamado de astenia psicogênica ou funcional.

Uma das causas mais comuns desse tipo de fadiga crônica é a presença contínua de altos níveis de estresse. Isso ocorreria, por exemplo, em casos de síndrome de burnout ou em pessoas com níveis muito altos de auto-demanda.

Outro fator que pode causar astenia funcional é uma alteração extrema dos padrões de sono. Isso pode ser devido, por exemplo, a insônia ou alterações nos ritmos circadianos; por exemplo, devido a uma mudança de horário muito extrema (como a do jet-lag).

Relacionado:  Psicostenia: características, sintomas e diagnóstico

Finalmente, a astenia psicogênica também aparece como um dos sintomas mais comuns em muitos transtornos psiquiátricos, como depressão maior, transtorno de ansiedade generalizada, transtorno obsessivo-compulsivo ou bipolaridade.

Complicações

Por si só, a astenia não pode pôr em risco a vida ou a saúde de uma pessoa. No entanto, nos casos em que é apenas um sintoma de uma doença subjacente, é possível que ela agrave até que se torne uma ameaça real ao bem-estar do indivíduo.

Por esse motivo, nesses casos, é necessário procurar um especialista o mais rápido possível para nos ajudar a resolver o problema subjacente.

Pelo contrário, nos casos em que a astenia aparece devido a fatores psicológicos ou como consequência de um distúrbio mental, o bem-estar físico do indivíduo não precisa ser afetado de forma alguma. No entanto, certas áreas da sua vida podem sofrer devido à fadiga crônica.

Entre outras coisas, a falta de energia e a dificuldade de realizar todos os tipos de tarefas podem envolver problemas de trabalho, perda de amizade ou relacionamentos sentimentais, falta de interesse em hobbies e hobbies e até o aparecimento de anedonia (um achatamento emocional grave).

Nos casos mais graves de astenia funcional, isso pode levar a um distúrbio psicológico, como a depressão. Isso ocorre porque um dos principais fatores de risco para o aparecimento desta doença é justamente uma atividade reduzida e falta de estímulo na vida cotidiana.

Tratamentos

Como a astenia pode ser causada por muitos fatores diferentes, não existe uma maneira única de resolvê-la. A seguir, veremos quais são os tratamentos mais eficazes para cada um dos tipos existentes de fadiga crônica.

Astenia devido a causas físicas

No caso de pessoas que sentem fadiga crônica devido ao esforço excessivo contínuo, como atletas ou pessoas que realizam trabalho físico excessivo, o principal remédio para a astenia é o descanso. Normalmente, se não houver outro problema, após alguns dias de descanso, o indivíduo recuperará toda a sua energia sem dificuldades.

Em alguns casos, além disso, será necessário que a pessoa aumente o número de calorias que consome ou os nutrientes que fornece ao seu corpo. Isso geralmente é especialmente verdadeiro em pessoas que passam muito tempo em uma dieta ou tentando perder peso.

Astenia devido a doença

Quando a fadiga crônica é causada pelo efeito de uma doença, não adianta tentar aliviar esse sintoma isoladamente. Em geral, será necessário realizar uma intervenção na patologia subjacente para eliminar a causa raiz.

No entanto, em alguns casos, certos medicamentos podem ser administrados a pessoas que sofrem de uma doença crônica incurável que causa astenia.

Por exemplo, em indivíduos que vêem seus níveis de testosterona reduzidos devido a uma patologia, o uso de uma terapia de reposição hormonal pode ajudá-los a recuperar parte de seu vigor.

Fadiga crônica causada por causas psicológicas

No caso do último tipo de astenia, causado por um distúrbio mental ou outras causas puramente psiquiátricas, a intervenção normalmente se concentrará em dois fatores: mudanças no estilo de vida e terapia psicológica.

Certas mudanças no estilo de vida podem ajudar a aliviar muitos dos sintomas de estresse, ansiedade e outros problemas relacionados. Assim, quando esses fatores são eliminados, a fadiga crônica tende a desaparecer por si só, sem a necessidade de qualquer outro tipo de ação.

Por outro lado, ferramentas como terapia cognitivo-comportamental, meditação ou terapia de aceitação e comprometimento podem ajudar a eliminar alguns dos fatores psicológicos relacionados ao aparecimento da astenia funcional.

No caso da presença de distúrbios mais graves, como a depressão, às vezes é necessário o uso de drogas psicoativas que permitam à pessoa realizar suas tarefas de maneira eficaz, enquanto busca uma solução a longo prazo. Os mais utilizados a este respeito são os inibidores da recaptação da serotonina.

Referências

  1. “Astenia: o que causa fraqueza ou perda de energia e força?” In: ePain Assist. Retirado em: 05 de outubro de 2018 do ePain Assist: epainassist.com.
  2. “Astenia: o que é e quais os sintomas que produz?” In: Psychology and Mind. Retirado em: 05 de outubro de 2018 de Psychology and Mind: psicologiaymente.com.
  3. “O que causa astenia?” In: Healthline. Retirado em: 05 de outubro de 2018 da Healthline: healthline.com.
  4. “Astenia” em: Britannica. Retirado em: 05 de outubro de 2018 da Britannica: britannica.com.
  5. “Fraqueza” em: Wikipedia. Retirado em: 05 de outubro de 2018 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário