avaliação da terapia cognitiva Wessler

A avaliação da terapia cognitiva Wessler é um método utilizado para avaliar a eficácia e o progresso dos pacientes que estão passando por este tipo de terapia. Desenvolvida por Aaron T. Beck, a terapia cognitiva é baseada na ideia de que os pensamentos distorcidos e as crenças negativas podem levar a emoções e comportamentos prejudiciais. A avaliação da terapia cognitiva Wessler envolve a identificação e análise desses pensamentos disfuncionais, bem como a monitorização do progresso do paciente ao longo do tempo. Este método de avaliação é fundamental para garantir que a terapia esteja sendo eficaz e para ajustar as abordagens de tratamento conforme necessário.

Conheça os três níveis da Terapia Cognitiva: cognitivo, emocional e comportamental.

A Terapia Cognitiva é uma abordagem terapêutica que visa identificar e modificar padrões de pensamento disfuncionais que contribuem para problemas emocionais e comportamentais. A avaliação da terapia cognitiva Wessler é importante para compreender como essa abordagem pode ser aplicada de forma eficaz.

No nível cognitivo, o terapeuta ajuda o paciente a identificar pensamentos automáticos negativos e distorcidos que podem estar causando sofrimento. Através da avaliação, é possível entender como esses pensamentos estão influenciando as emoções e comportamentos do paciente.

No nível emocional, a terapia cognitiva Wessler foca na regulação das emoções, ajudando o paciente a identificar e lidar com emoções intensas de forma saudável. A avaliação nesse nível busca compreender como as emoções estão sendo afetadas pelos padrões de pensamento disfuncionais.

No nível comportamental, a terapia cognitiva se concentra em identificar comportamentos disfuncionais e substituí-los por comportamentos mais adaptativos. A avaliação é fundamental para entender como os padrões de pensamento e as emoções do paciente estão impactando seus comportamentos.

Ao trabalhar em conjunto, esses níveis podem ajudar o paciente a modificar padrões disfuncionais e alcançar uma melhoria significativa em sua saúde mental.

Significado e importância da avaliação cognitiva para compreender o funcionamento cognitivo de um indivíduo.

A avaliação cognitiva é um processo fundamental para compreender o funcionamento cognitivo de um indivíduo. Ela envolve a utilização de diferentes testes e instrumentos para avaliar as habilidades cognitivas de uma pessoa, como memória, atenção, linguagem, raciocínio e percepção. Através dessa avaliação, é possível identificar padrões de funcionamento cognitivo, pontos fortes e áreas de dificuldade de um indivíduo.

A avaliação cognitiva é importante para guiar o desenvolvimento de intervenções terapêuticas, como a terapia cognitiva Wessler. Essa abordagem terapêutica foca na identificação e modificação de padrões de pensamento disfuncionais que contribuem para problemas emocionais e comportamentais. Através da avaliação cognitiva, é possível identificar padrões de pensamento disfuncionais e desenvolver estratégias terapêuticas específicas para modificá-los.

Além disso, a avaliação cognitiva também é essencial para monitorar a evolução do indivíduo ao longo do processo terapêutico. Ao realizar avaliações cognitivas periódicas, é possível avaliar a eficácia das intervenções terapêuticas e fazer ajustes necessários no tratamento. Dessa forma, a avaliação cognitiva desempenha um papel crucial no planejamento e acompanhamento da terapia cognitiva Wessler.

Relacionado:  Automatonophobia (medo de bonecas): sintomas, causas e tratamento

Principais técnicas da terapia cognitiva comportamental para mudanças de comportamento e pensamentos negativos.

A terapia cognitiva comportamental é uma abordagem terapêutica amplamente utilizada para ajudar as pessoas a identificar e modificar padrões de pensamentos negativos e comportamentos disfuncionais. A avaliação da terapia cognitiva Wessler foca em identificar os padrões de pensamento negativos e distorcidos que contribuem para o sofrimento emocional do paciente.

Uma das principais técnicas utilizadas na terapia cognitiva comportamental é a identificação e reestruturação de pensamentos automáticos. Isso envolve ajudar o paciente a identificar pensamentos negativos automáticos que surgem em determinadas situações e a substituí-los por pensamentos mais realistas e positivos. Essa técnica ajuda a mudar a forma como o paciente percebe e interpreta as situações, levando a uma mudança de comportamento.

Outra técnica importante é a técnica da reatribuição de significado. Nesta técnica, o terapeuta ajuda o paciente a reinterpretar eventos passados de uma maneira mais positiva e construtiva. Isso ajuda o paciente a mudar a sua perspectiva sobre si mesmo e sobre o mundo, contribuindo para uma melhora na autoestima e na confiança.

Além disso, a terapia cognitiva comportamental também inclui técnicas de exposição e prevenção de respostas. Essas técnicas ajudam o paciente a enfrentar seus medos e ansiedades de forma gradual e controlada, permitindo que ele aprenda a lidar com essas situações de forma mais eficaz. Isso ajuda a reduzir a evitação de situações temidas e a melhorar a capacidade do paciente de lidar com o estresse e a ansiedade.

A avaliação da terapia cognitiva Wessler é uma ferramenta importante para identificar os padrões de pensamento negativos e distorcidos que estão contribuindo para o sofrimento emocional do paciente, permitindo assim um tratamento mais eficaz e personalizado.

Entendendo o conceito de LDM na Terapia Cognitivo-Comportamental: o que é e como funciona.

A avaliação da terapia cognitiva Wessler é um processo fundamental para entender o funcionamento dos pensamentos, emoções e comportamentos dos pacientes. Um dos conceitos-chave nesse processo é o de LDM (Lógica do Modelo de Disputa). Mas afinal, o que é LDM e como funciona?

LDM é uma abordagem utilizada na Terapia Cognitivo-Comportamental para identificar e desafiar pensamentos disfuncionais que causam sofrimento emocional e comportamentos prejudiciais. Através da análise da lógica por trás desses pensamentos, o terapeuta e o paciente conseguem compreender como essas crenças distorcidas influenciam negativamente a vida do indivíduo.

Para aplicar a LDM, o terapeuta ajuda o paciente a identificar pensamentos automáticos e crenças subjacentes que estão contribuindo para seu sofrimento. Em seguida, eles trabalham juntos para examinar a evidência a favor e contra esses pensamentos, questionando sua validade e veracidade. Esse processo permite ao paciente desenvolver uma visão mais equilibrada e realista de si mesmo e do mundo ao seu redor.

Ao compreender a lógica por trás de seus pensamentos, os indivíduos podem aprender a questionar suas crenças limitantes e desenvolver uma perspectiva mais saudável e adaptativa.

avaliação da terapia cognitiva Wessler

avaliação da terapia cognitiva Wessler 1

A terapia de avaliação cognitiva de Wessler foi desenvolvida pelo psicólogo Richard Wessler e está focada no tratamento de diferentes transtornos de personalidade.

Relacionado:  Microcefalia: sintomas, características e tratamento

Neste artigo, conheceremos seus princípios e alguns de seus componentes mais importantes, bem como suas diretrizes para três diferentes distúrbios: personalidade histriônica, narcísica e dependente.

Terapia de avaliação cognitiva de Wessler: características

A terapia de avaliação cognitiva de Wessler consiste em uma terapia de aconselhamento cognitivo-comportamental, destinada a tratar distúrbios de personalidade por meio de uma abordagem integrada .

Essa abordagem integra três tipos de processos: interpessoal, cognitivo e afetivo. Ou seja, aborda aspectos cognitivos de si mesmo, dos outros e das situações , uma vez que considera que as cognições têm um papel essencial nas emoções e nas ações que realizamos. Mas isso também acontece ao contrário, ou seja, as emoções têm uma influência importante em nossas cognições e pensamentos (essa ideia vem do modelo cognitivo de Aaron Beck).

Especificamente, a terapia visa proporcionar ao paciente uma introspecção ou um autoconhecimento que o ajuda a se sentir melhor e a resolver suas próprias dificuldades por conta própria. Seu procedimento é baseado principalmente em sugerir, incentivar e fornecer explicações para as ações do paciente .

  • Você pode estar interessado: ” Terapia Cognitiva de Aaron Beck “

Foco em psicoterapia

A abordagem de Wessler à terapia de avaliação cognitiva, como vimos, é integrativa. Além disso, a terapia é baseada em uma abordagem motivacional e pressupõe que o comportamento seja direcionado pelas emoções .

A terapia é baseada em teorias de aprendizado social e terapia interpessoal, além de incluir elementos do construtivismo. Ele foi projetado para tratar especificamente diferentes distúrbios de personalidade.

Suas técnicas incluem componentes de Terapia Centrada no Cliente, terapia Gestalt e Ellis TREC .

Componentes psicológicos

Alguns dos componentes mais importantes da terapia de avaliação cognitiva de Wessler são:

1. A relação terapêutica

Isso deve ser caloroso e acolhedor, além de incluir auto-revelações apropriadas pelo terapeuta. A terapia fornece um valor essencial para que a mudança terapêutica ocorra.

2. Atenção às emoções

A terapia de Wessler atribui um valor especial às emoções; especialmente para vergonha e autopiedade .

Essas emoções podem ser usadas pelo próprio paciente para justificar suas ações, por isso é importante que o terapeuta tenha informações adequadas sobre sua natureza, para que o paciente assuma a responsabilidade por suas próprias ações.

3. Regras pessoais de vida

É uma suposição essencial nesta terapia; Essas regras guiam a pessoa em suas relações entre o cognitivo e o social, ética e moral e, portanto, também guiam seus pensamentos e ações.

A terapia de avaliação cognitiva de Wessler presta atenção às regras de vida pessoais do paciente, com o objetivo de identificá-las e ajudá- las a modificá-las caso estejam distorcendo a realidade do paciente ou causando sofrimento .

4. Manobras de busca de segurança

São as ações que o paciente desenvolve e que produzem certas emoções; Estes, por sua vez, o levam a experimentar uma sensação de segurança. Eles podem ser comportamentais ou interpessoais .

Relacionado:  Índice de Barthel: o que é, como é usado e o que avalia

A terapia também se concentra neles, porque eles fornecem muitas pistas sobre como o paciente é, pensa e sente.

Transtornos da personalidade em que é aplicado

Como vimos, a terapia de avaliação cognitiva de Wessler trata diferentes distúrbios de personalidade. Vamos ver como suas suposições específicas estão em três distúrbios diferentes:

1. Personalidade histriônica

Vamos ver algumas das diretrizes que a terapia segue para esse tipo de paciente.

Antes de tudo, é importante que o terapeuta se concentre em trabalhar com o paciente sem reforçar seu comportamento histriônico; Você pode fazer isso demonstrando atenção e interesse no início do relacionamento terapêutico e, uma vez estabelecido o vínculo (sendo mais sólido), mude a abordagem para uma mais empática .

Isso será feito refletindo os sentimentos que a pessoa realmente tem, em vez das emoções dramáticas que ela “interpreta” ou aparece. Por outro lado, o terapeuta se concentrará em ajudar o paciente a ficar calmo, sem se deixar levar ou “arrastar” pelas histórias atraentes que o paciente conta.

As principais técnicas que o terapeuta utilizará com o paciente histriônico serão: auto-revelação, para que o paciente não perca o contato com a realidade; o re-enquadramento das verbalizações do paciente e o uso do humor para esvaziar seu estilo melodramático.

  • Você pode estar interessado: ” Transtorno da personalidade histriônica: o que é? “

2. Personalidade narcisista

Para esse tipo de paciente, será importante abordar o sentimento do paciente de poder exigir o que ele quer dos outros, através da auto-revelação , com o objetivo de criar dissonâncias entre a versão da realidade do paciente (privada) e a versão do terapeuta. , considerado socialmente apropriado.

Esse ponto também será trabalhado, incentivando o paciente a se sentir responsável por suas ações, aumentando sua autoconfiança e capacitando-o a ser capaz de alcançar o que propôs sem tirar vantagem dos outros.

3. Personalidade dependente

No transtorno de personalidade dependente, a terapia de avaliação cognitiva de Wessler se concentra em incentivar esse tipo de paciente a deixar de ser passivo e a se agradar , em vez de constantemente tentar agradar e agradar aos outros. Esses tipos de objetivos podem ser aumentados desde o início.

Outras técnicas serão incentivar o paciente a correr riscos fora da terapia, defender seus direitos (maior assertividade) e tomar decisões por si mesmo, sem depender da aprovação de outros.

Ou seja, o objetivo final será que o paciente aprenda a ser independente; Dessa forma, o terapeuta tentará fazer com que o paciente “seja seu próprio terapeuta”, aumentando sua autonomia e autodeterminação e ajudando-o a estabelecer os limites de seus relacionamentos pessoais .

Referências bibliográficas:

  • Caballo, V. (dir.), Descrição, avaliação e tratamento de transtornos de personalidade, Madrid: Synthesis.
  • Caballo, V. (2001). Tratamentos cognitivo-comportamentais para transtornos de personalidade. Psicologia Industrial, 9 (3), 579-605.
  • Wessler, R. (1993). Abordagens cognitivas para transtornos de personalidade. Psicologia Comportamental, 1, 35-50.

Deixe um comentário