Bandeira do Burundi: História e Significado

A bandeira do Burundi é a bandeira nacional e o símbolo mais importante desta pequena nação africana. O banner é composto por quatro partes divididas por uma cruz branca de Santo André, na qual as cores verde e vermelho são mostradas. Na parte central, há um círculo branco com três estrelas vermelhas de seis pontas.

Burundi é uma cidade africana histórica. Além disso, é um dos poucos estados cujas fronteiras não foram criadas a partir da distribuição da África no final do século XIX. No entanto, ele foi ocupado pela Alemanha e mais tarde pela Bélgica, o que lhe deixa sua maior herança.

Bandeira do Burundi: História e Significado 1

Bandeira atual do Burundi. (Por SKopp (assumido) [Domínio público], via Wikimedia Commons.)
A bandeira do Burundi foi estabelecida após a independência, em 1962. Naquele ano, o Reino do Burundi foi estabelecido, com um pavilhão semelhante ao atual. Os significados das cores da bandeira foram mantidos ao longo do tempo.

White é o representante da paz no país. Por outro lado, vermelho tem o significado de amor ao país, enquanto verde representa esperança. As três estrelas que se destacam na parte central recebem um significado para cada uma: unidade, trabalho e progresso.

Histórico da bandeira

A história da bandeira do Burundi remonta ao Reino do Burundi, que foi estabelecido no final do século 18, aproximadamente em 1680. O símbolo desse reino dominado pelos tutsis era na época um tambor ancestral com um status semi-divino. Este instrumento musical e objeto de adoração é chamado karyenda.

Bandeira do Burundi: História e Significado 2

Karyenda, instrumento cerimonial do Burundi. (Por Tequendamia (assumido) [Domínio público], via Wikimedia Commons.)
A divindade desse instrumento mítico era que, de acordo com a crença, emitia mensagens que estabeleciam regras para a sociedade. Somente o rei, conhecido pelo nome de mwami, foi quem conseguiu interpretar as regras que emanavam dos karyenda e transformá-las em leis.

Período colonial alemão

Os próprios símbolos do Burundi foram relegados quando o país começou a ser colonizado. Em 1899, o Burundi tornou-se parte da África Oriental alemã. Apesar de sua primeira oposição, o rei finalmente se submeteu à tutela alemã, embora tenha mantido sua identidade.

Relacionado:  Hermann von Helmholtz: biografia e contribuições

Esta colônia não tinha uma bandeira específica, mas a bandeira de guerra do Império Alemão foi usada. A colônia da África Oriental foi a única que não levou a bandeira colonial do império.

Bandeira do Burundi: História e Significado 3

Bandeira de guerra do Império Alemão. (Por R41 [domínio público], via Wikimedia Commons)
Antes da Alemanha perder todas as suas colônias na Primeira Guerra Mundial , a monarquia planejava a criação de símbolos específicos para cada uma das colônias. O leste africano alemão propôs um escudo com um leão.

Bandeira do Burundi: História e Significado 4

Bandeira proposta pelo Império Alemão para a África Oriental. (Por Fornax [domínio público], via Wikimedia Commons)
Mais tarde, outra bandeira também foi levantada, na qual o escudo da colônia foi relegado para o canto superior esquerdo. Na parte central, os símbolos reais foram destacados. Nenhum dos símbolos coloniais foi adotado porque, logo depois, a Alemanha perdeu todo o seu Império.

Bandeira do Burundi: História e Significado 5

Segunda bandeira proposta pelo Império Alemão para a África Oriental. (Por Fornax [domínio público], via Wikimedia Commons)

Período colonial belga

No final da Primeira Guerra Mundial, tropas belgas entraram no Burundi e nos países vizinhos. Desde então, foi estabelecida uma colônia que foi formalizada em 1923 com o mandato da Liga das Nações para Ruanda-Urundi, formada pelos atuais Ruanda e Burundi. Tanganyika, que fazia parte da África Oriental alemã, tornou-se uma colônia britânica.

Os belgas para identificar o mandato de Ruanda-Urundi apenas impuseram um escudo. Este era composto de quatro lanças, um tigre e um pássaro azul. No entanto, no que diz respeito à bandeira, foi utilizada a bandeira nacional da Bélgica.

Bandeira do Burundi: História e Significado 6

Bandeira da Bélgica (Por Dbenbenn e outros. [Domínio público], via Wikimedia Commons)

Reino do Burundi

Depois de muitos conflitos, o Burundi se tornou independente em 1º de julho de 1962, sob a figura do Reino. O monarca, que se tornou chefe de estado, era Mwambutsa IV. Uma monarquia constitucional foi estabelecida que era fraca devido às diferenças entre hutus e tutsis.

Relacionado:  Os 8 testes de campo mais conhecidos

A primeira bandeira nacional do Burundi escolheu o símbolo tradicional do reino, os Karyenda. Isto foi acompanhado por uma planta de sorgo, representativa da agricultura nacional.

Esses símbolos estavam localizados no círculo central da bandeira. Este banner já incluía a Cruz de San Andrés com as cores verde e vermelho.

Bandeira do Burundi: História e Significado 7

Bandeira do Reino do Burundi entre 1962-1966. (Par Orange Tuesday (produzido por si, com base em en: Imagem: Flag of Burundi.svg) [Domínio público], via Wikimedia Commons)

República do Burundi

A monarquia foi abolida após um movimento militar no qual o príncipe depôs o rei, e mais tarde o primeiro ministro derrubou o príncipe. Isso levou à declaração de uma república com um regime militar. Imediatamente e por alguns dias, entre 28 e 29 de novembro de 1966, os símbolos monárquicos da bandeira foram removidos.

Bandeira do Burundi: História e Significado 8

Bandeira da República do Burundi entre 28 e 29 de novembro de 1966. (Par Orange Tuesday (self-made, based on en: Image: Flag of Burundi.svg) [Domínio público], via Wikimedia Commons)
A nascente República do Burundi decidiu deixar a plantação de sorgo como um símbolo central, mas eliminando os Karyenda. Essa bandeira foi mantida de 29 de novembro de 1966 a 28 de março de 1967.

Bandeira do Burundi: História e Significado 9

Bandeira da República do Burundi entre 1966 e 1967. (Par Orange Tuesday (self-made, com base em en: Imagem: Flag of Burundi.svg) [Domínio público], via Wikimedia Commons)
O símbolo do sorgo mal permaneceu alguns meses no pavilhão nacional. Em 28 de março de 1967, foi substituída pelas atuais três estrelas vermelhas de seis pontas com uma borda verde.

Atualmente, esse projeto é mantido e sofreu apenas uma mudança nas proporções, em 1982. Naquela época, eles passaram de 2: 3 para 3: 5.

Bandeira do Burundi: História e Significado 10

Bandeira da República do Burundi entre 1967 e 1982: proporções 2: 3. (Par Orange Tuesday (produzido por si, com base em en: Imagem: Flag of Burundi.svg) [Domínio público], via Wikimedia Commons)
Relacionado:  Os 5 tipos mais consumidos de tequila

Significado da bandeira

A bandeira nacional do Burundi é um símbolo variado e diversificado, comparado ao seu ambiente africano. Destaca a incorporação de estrelas brancas e de seis pontas. No entanto, seu significado é importante para o entendimento da bandeira.

Cor vermelha

Como é tradicional em muitas bandeiras, o vermelho é identificado com a luta pela independência e pelo sofrimento da nação. No entanto, nessa cor também é identificado um significado mais duradouro, que é o amor ao país. O vermelho é encontrado no trapézio superior e inferior, além do interior das estrelas.

Cor verde

O verde da bandeira do Burundi faz jus à identificação tradicional dessa tonalidade no mundo: esperança. Mais especificamente, a esperança que a cor verde representa na bandeira é para o futuro.

Cor branca

Essa cor, incomum nas bandeiras africanas, também corresponde a um de seus significados tradicionais: paz. Não há mais interpretações dessa cor, pois desde o início foi levantada como a paz que o Burundi deveria refletir entre seus grupos internos e no exterior.

As estrelas

Localizadas uma no topo e duas na parte inferior, as três estrelas de seis pontas têm uma simbologia clara: unidade, trabalho e progresso. Estes são os três valores que compõem o lema nacional do Burundi.

No entanto, essa trindade também tem outras explicações. Para muitos, representa os três grupos étnicos do Burundi: os Twa, Tutsis e Hutus. Também pode ser associado ao passado monárquico, quando a lealdade a Deus, ao rei e ao país era jurada.

Referências

  1. Arias, E. (2006). Bandeiras do mundo . Editorial Gente Nueva: Havana, Cuba.
  2. Entralgo, A. (1979). África: Sociedade . Editorial de ciências sociais: Havana, Cuba.
  3. Morris, L. (1975). A Constituição do Burundi. African Issues , 5 (2), 24-28.
  4. Presidência da República do Burundi. (sf). Symboles nationaux. Presidência da República do Burundi . Recuperado de presidence.gov.bi.
  5. Smith, W. (2011). Bandeira do Burundi. Encyclopædia Britannica . Recuperado de britannica.com.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies