Barroco no México: contexto histórico, características, representantes

Barroco no México: contexto histórico, características, representantes

O barroco no México era o estilo artístico presente na então Nova Espanha entre os séculos XVI e XVIII, embora no território norte esse domínio tenha durado até o início do século XIX. Foram os espanhóis que introduziram essa corrente em seus territórios americanos.

Esse estilo nasceu na Europa, especificamente na Itália, no início do século XVI. Num contexto de fortes confrontos religiosos entre católicos e protestantes, as características do estilo barroco foram usadas pela Igreja para reforçar sua influência sobre o povo.

A arte barroca produziu obras de todos os gêneros, da literatura à pintura, com um impacto especial na arquitetura. No México, por exemplo, várias das catedrais e igrejas mais espetaculares pertencem a esse período, caracterizadas pelas formas e ornamentos criados para que o espectador se envolva mais emocionalmente.

O barroco mexicano deu origem, já no século XVII, ao chamado estilo colonial. Esta versão latino-americana da arte barroca teve contribuições de povos indígenas, que com o tempo começaram a participar de criações arquitetônicas.

Contexto histórico e origem

O barroco apareceu na Europa e, da Espanha, chegou à Nova Espanha com algum atraso em relação à sua presença na metrópole.

Desse modo, esse estilo artístico começou a ser usado a partir da segunda metade do século XVII e permaneceu a corrente principal até o final do século XVIII. Durante toda esta etapa, foi desenvolvida uma atividade artística muito intensa, com grandes construções arquitetônicas, além de obras literárias e pictóricas.

Religião na Nova Espanha e sua relação com a arte

A conquista espanhola do México atual não significou apenas seu controle político e territorial. Nos campos da cultura e religião, os espanhóis tentaram eliminar as tradições indígenas antigas e impor as suas.

No entanto, o resultado final foi uma mistura de ambas as culturas mestiças, embora com predominância daquela realizada pelos conquistadores.

Relacionado:  Óculo: origem, características, tipos, exemplos

No início da colônia, os missionários espanhóis ordenaram a construção de numerosos templos e conventos. Em muitos casos, esses edifícios foram erguidos com formas semelhantes às das fortalezas. As ruas mais importantes das cidades foram organizadas a partir desses edifícios religiosos.

Como na Europa, o estilo dos templos religiosos variou ao longo do tempo. Quando os espanhóis trouxeram o estilo barroco, suas características foram usadas como um método para impressionar os fiéis, especialmente os indígenas que ainda se lembravam ou preservavam suas crenças antigas.

A imposição do catolicismo não apenas mudou as crenças dos povos indígenas. Também afetou a linguagem, o planejamento urbano e todas as expressões artísticas. Apesar disso, a miscigenação cultural começou a aparecer.

Características do barroco mexicano

O estilo barroco usava formas e ornamentos clássicos para manipular sentimentalmente os espectadores. Seus ornamentos conseguiram dar uma maior ilusão de movimento e excitação visual.

Balanceamento de temas

Os artistas barrocos buscavam um equilíbrio entre vários aspectos vitais: mortalidade e imortalidade; juventude e velhice; e sensualidade e ascetismo.

Seu tema mais comum era o relacionado à religião, enquanto na arquitetura continha o expressionismo do período helenístico. Por outro lado, o classicismo típico do Renascimento dificilmente apareceu nas obras.

Reafirmação das doutrinas da Igreja Católica

A Igreja Católica usou o estilo barroco como forma de reafirmar seus dogmas. Na Europa, isso serviu para confrontar protestantes, enquanto no México foi uma maneira de converter povos indígenas.

Entre as doutrinas que foram reforçadas com esse estilo artístico estavam a Eucaristia, a importância dos padres, a adoração à Virgem Maria e aos santos e o valor da vida religiosa.

Arquitetura

O barroco no México teve sua expressão máxima na arquitetura. Até meados do século XVII, edifícios religiosos e cívicos eram construídos com uma mistura de estilos românico, gótico e renascentista. Mais tarde, prevaleceu o estilo barroco, embora acrescentando as peculiaridades da América Latina.

Relacionado:  Teatro romântico: origem, características, autores e obras

A principal diferença com o barroco europeu foi a maior simplificação. Na Europa, foi dada mais atenção à manipulação do espaço, enquanto na Nova Espanha eles se concentraram em modelagens de superfície mais dramáticas e complexas.

Literatura barroca

Durante o período barroco, a literatura espanhola e a Nova Espanha começaram a se parecer mais. Muitos grandes autores espanhóis pretendiam viajar para a América, como Cervantes ou San Juan de la Cruz, embora não tenham tido sucesso por várias razões. Por outro lado, escritores como Tirso de Molina ou Juan de la Cueva fizeram.

Estilisticamente, a principal característica da literatura barroca era contraste, paradoxos e contradições na linguagem e nos temas utilizados.

Da mesma forma, jogos de palavras, anagramas, símbolos ou emblemas eram muito frequentes. Este é um estilo literário com uma grande presença de exagero.

Representantes e obras

Juan Correa

Nascido na Cidade do México em 1646, Juan Correa teve uma participação marcante na elaboração de retábulos. Entre suas obras, destacam-se as duas colaterais na igreja de San Pedro e San Pablo, o retábulo da igreja de Jocotitlán ou da paróquia de Santa Veracruz.

Correa foi o autor das pinturas na sacristia da Catedral do México, uma das obras culminantes do barroco mexicano.

Sor Juana Inês De La Cruz

A obra poética de Sor Juana Inés de la Cruz a tornou uma das escritoras barrocas mais representativas do México.

Entre suas obras estão redondillas, romances ou sonetos, cujos principais temas foram ciência, amor e filosofia.

Segundo os biógrafos, Sor Juana aprendeu a ler aos três anos de idade e, com apenas sete, pretendia estudar na universidade. Sua ordenação deve ter ocorrido em 1669, na ordem de San Jerónimo da Cidade do México. Ele faleceu aos 44 anos.

Relacionado:  Surrealismo abstrato: origem, características, autores, obras

Além da poesia, a chamada Décima Musa também foi autora de várias obras em prosa, como Resposta à irmã Filotea . Da mesma forma, ele escreveu algumas peças, como Los empeños de una casa e Amor es más laberinto .

Juan Ruiz de Alarcón

Embora seu trabalho não tenha sido muito valorizado por seus contemporâneos, Juan Ruiz de Alarcón é hoje considerado um dos principais autores de teatro barroco. Entre suas obras, ele destacou Suspicious Truth , uma comédia de caráter, o gênero que o autor mais cultivou.

O estilo de Juan Ruiz de Alarcón foi baseado na construção de personagens com personalidades muito bem definidas, embora difíceis de entender. Seu trabalho é cheio de trocadilhos e ditados, todos com uma enorme riqueza de significados. Como era comum na literatura barroca, suas obras tinham uma intenção moralizante.

Catedral Metropolitana da Cidade do México

A construção da Catedral do México começou em 1571 e não terminou até 242 anos depois. Embora dois estilos arquitetônicos diferentes apareçam, é predominantemente barroco. Nas paredes, há amostras do cruzamento entre espanhóis e indígenas.

Referências

  1. EcuRed. Barroco latino-americano novo. Obtido de ecured.cu
  2. Catedral Metropolitana do México. Arte barroca. Obtido em catedralmetropolitanademexico.mx
  3. México desconhecido. Literatura barroca na Nova Espanha. Obtido em mexicodesconocido.com.mx
  4. Ambles da Cidade do México. México barroco | Arte barroca: representando o êxtase divino, evocando admiração. Obtido de mexicocityperambulations.blogspot.com
  5. Gordillo, Bernard. Música do México barroco: Fernandes, Padilla e Murcia. Obtido em indianapublicmedia.org
  6. Merrim, Stephanie. Sor Juana Inês De La Cruz. Obtido em britannica.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies