Bens gratuitos: características e exemplos

Bens gratuitos são aqueles que podem ser consumidos ou utilizados sem a necessidade de pagamento ou contraprestação. Eles são disponibilizados de forma gratuita para a sociedade, seja pelo governo, empresas privadas ou indivíduos. Esses bens podem ser de natureza material ou imaterial e têm como principal característica o fato de serem acessíveis a todos, sem restrições de uso. Alguns exemplos de bens gratuitos incluem o ar que respiramos, a água da chuva, parques públicos, conteúdo disponível na internet, entre outros. A disponibilidade desses bens é fundamental para o bem-estar da sociedade e para o desenvolvimento econômico e social.

Características essenciais dos bens públicos: o que os diferencia dos bens privados?

Os bens públicos são aqueles que possuem características específicas que os diferenciam dos bens privados. Uma das principais características dos bens públicos é a não rivalidade, o que significa que o consumo por uma pessoa não impede que outra pessoa também consuma o bem. Além disso, os bens públicos também possuem a característica da não exclusão, ou seja, é impossível excluir alguém do seu consumo. Isso ocorre porque a oferta de bens públicos beneficia a sociedade como um todo, não sendo possível restringir o acesso a determinadas pessoas.

Essas características tornam os bens públicos diferentes dos bens privados, que são rivais e excludentes. No caso dos bens privados, o consumo por uma pessoa impede que outra pessoa consuma o mesmo bem, e a exclusão de indivíduos do seu consumo é possível através de mecanismos como o preço. Por outro lado, os bens públicos são financiados através de recursos coletivos, como impostos, e são disponibilizados para toda a sociedade, independentemente da capacidade de pagamento de cada indivíduo.

É importante ressaltar que os bens públicos são essenciais para o funcionamento da sociedade e para garantir o bem-estar da população. Exemplos de bens públicos incluem parques, iluminação pública, defesa nacional e serviços de saúde e educação oferecidos pelo governo.

Em contraste com os bens públicos, existem os bens gratuitos, que são disponibilizados sem a necessidade de pagamento. Os bens gratuitos podem ser tanto bens públicos, como os mencionados anteriormente, quanto bens privados que são oferecidos de forma gratuita, como amostras de produtos ou serviços de streaming que disponibilizam conteúdo sem custo para o usuário.

Em resumo, os bens públicos se diferenciam dos bens privados principalmente pela não rivalidade e não exclusão em seu consumo, sendo essenciais para o funcionamento da sociedade. Os bens gratuitos, por sua vez, podem ser tanto bens públicos quanto bens privados disponibilizados sem a necessidade de pagamento.

Principais atributos que caracterizam os bens em uma economia de mercado.

Na economia de mercado, os bens são caracterizados por alguns atributos principais que os distinguem e influenciam seu valor e disponibilidade. Um dos principais atributos é a escassez, o que significa que os recursos disponíveis são limitados em relação às necessidades e desejos das pessoas. Isso faz com que os bens tenham um valor econômico e sejam objeto de troca no mercado.

Outro atributo importante dos bens em uma economia de mercado é a rivalidade, ou seja, o consumo de um bem por uma pessoa impede que outra pessoa consuma a mesma unidade desse bem. Isso faz com que os bens sejam distribuídos de acordo com a demanda e a capacidade de pagamento dos indivíduos.

Além disso, os bens em uma economia de mercado são excludentes, o que significa que é possível excluir pessoas que não pagaram pelo bem de seu consumo. Isso está relacionado à propriedade privada e aos direitos de exclusividade sobre os bens, o que estimula a produção e a alocação eficiente dos recursos.

Relacionado:  Tipos de mercado e suas características (com exemplos)

Bens gratuitos: características e exemplos

Os bens gratuitos são aqueles que estão disponíveis sem custo ou sem restrições de acesso. Eles são raros em uma economia de mercado, pois geralmente estão associados a recursos abundantes e de fácil acesso. Um exemplo clássico de bem gratuito é o ar que respiramos, pois é disponível em quantidades ilimitadas e não é excludente, rival ou escasso.

Outro exemplo de bem gratuito são as ideias e conhecimentos compartilhados livremente, como informações na internet ou a criatividade artística. Esses bens podem ser replicados e distribuídos sem custo adicional, tornando-os acessíveis a um grande número de pessoas.

Em resumo, os bens gratuitos são uma exceção na economia de mercado, já que a escassez, rivalidade e exclusividade são os principais atributos que caracterizam a alocação de recursos e a produção de bens na sociedade.

Entendendo os bens: definição e características principais.

Entendendo os bens: definição e características principais.

Os bens são recursos que possuem valor econômico e podem ser utilizados para satisfazer necessidades humanas. Eles são classificados de diversas formas, sendo uma das categorias os bens gratuitos.

Os bens gratuitos são aqueles que estão disponíveis na natureza sem a necessidade de pagamento ou troca. Eles não possuem valor de mercado porque são abundantes ou não são controlados pelo homem.

Um exemplo claro de bens gratuitos são a luz solar e o ar que respiramos. Ambos estão disponíveis de forma ilimitada e não são exclusivos de ninguém. Outros exemplos são a água da chuva, as paisagens naturais e as ondas do mar.

É importante ressaltar que mesmo sendo gratuitos, os bens podem sofrer impactos ambientais e serem escassos em algumas regiões. Por isso, é fundamental preservar e utilizar de forma sustentável esses recursos naturais.

Em resumo, os bens gratuitos são aqueles que não têm custo de aquisição, mas que devem ser valorizados e protegidos para garantir o bem-estar das gerações atuais e futuras.

Exemplos de bens públicos: O que são e como identificá-los na sociedade atual.

Os bens públicos são aqueles que são oferecidos pelo governo e estão disponíveis para toda a sociedade, sem restrições de acesso. Eles são caracterizados pela não rivalidade no consumo e pela impossibilidade de exclusão de indivíduos que não contribuem para sua produção ou manutenção.

Um exemplo clássico de bem público é a segurança pública, que beneficia a todos os cidadãos de uma sociedade, independentemente de sua contribuição financeira para o sistema de segurança. Outro exemplo é a iluminação pública, que também é usufruída por todos os membros da comunidade.

Na sociedade atual, os bens públicos podem ser identificados através de sua natureza não excludente e não rival. Ou seja, são bens que não podem ser negados a ninguém e cujo consumo por um indivíduo não impede que outros também usufruam deles. Além disso, os bens públicos são financiados pelo governo, por meio de impostos pagos pela população.

É importante ressaltar que nem todos os bens gratuitos são bens públicos. Bens gratuitos são aqueles que podem ser obtidos sem a necessidade de pagamento, mas nem sempre são oferecidos pelo governo e podem ser excludentes ou rivais no consumo. Um exemplo de bem gratuito que não é um bem público é a amostra grátis de um produto, que é oferecida de forma gratuita, mas sua disponibilidade é limitada e pode ser exclusiva para alguns consumidores.

Em resumo, os bens públicos são aqueles que são oferecidos pelo governo para toda a sociedade, sem restrições de acesso. Eles são financiados por meio de impostos e são caracterizados pela não rivalidade no consumo e pela impossibilidade de exclusão de indivíduos que não contribuem para sua produção ou manutenção.

Relacionado:  Desemprego cíclico: características, causas e exemplos

Bens gratuitos: características e exemplos

Os bens livres são escassos recursos não são e, portanto, estão disponíveis sem limite. Um bem gratuito está disponível na quantidade desejada, com um custo de oportunidade zero para a sociedade.

Um custo de oportunidade zero significa que o bem pode ser consumido na quantidade necessária, sem reduzir sua disponibilidade para outras pessoas. Isso contrasta com um bem econômico, que é bom quando existe um custo de oportunidade no consumo.

Bens gratuitos: características e exemplos 1

Fonte: pixabay.com

Bens livres, seja para consumo ou insumos produtivos, são bens úteis, mas não escassos. Eles têm um suprimento suficientemente abundante para que todos os agentes possam ter quantos deles desejarem, a um custo de zero oportunidade social.

Mais abstratamente, um bem livre é um bem cuja oferta não é menor que a demanda a um preço zero, no sentido do custo de oportunidade social.

Uma distinção importante é que o fato de um bem ser dado, sendo livre, não significa necessariamente que é um bem livre.

Caracteristicas

Oferta excede em muito a demanda

Existem mercadorias gratuitas em grandes quantidades que atendem às necessidades de todos. Portanto, não há escassez desses bens e não há necessidade de racioná-los posteriormente entre as pessoas.

A respiração do ar é um recurso muito importante para a sobrevivência. A qualidade pode variar de acordo com a localização, mas existe em todos os lugares e está disponível para as pessoas respirarem.

Eles estão facilmente disponíveis

Um excesso de oferta de mercadorias não é suficiente para qualificá-las como mercadorias gratuitas. As mercadorias também devem estar sempre disponíveis. A água doce é potável e é usada para atividades como limpeza, o que a torna valiosa para nossa sobrevivência.

As pessoas que vivem à beira de um lago não devem se preocupar muito com sua disponibilidade. Eles sempre têm acesso a ele quando precisam, o que torna a água fresca um bem gratuito.

No entanto, para as pessoas que vivem em desertos difíceis, o único momento em que terão acesso à água é quando chegam a um oásis ou durante aqueles raros momentos de chuva. Água fresca é algo pelo qual eles valorizariam e pagariam uma boa quantia em dinheiro. Nesse caso, a água doce não é mais um bem gratuito.

Uma conseqüência das duas primeiras características é que, como os bens gratuitos são abundantes e prontamente disponíveis, as pessoas podem obtê-los gratuitamente.

Eles podem ou não ter valor para as pessoas

O fato de um bem ser gratuito não significa que lhe falta valor ou utilidade para as pessoas. A respiração do ar ainda é um recurso crítico para a sobrevivência e tem a sorte de ser abundante, disponível e gratuita.

O mesmo não se pode dizer da água do mar. Embora existam estudos que examinem o possível uso da água do mar em indústrias como a agricultura, sua incapacidade de beber torna esse recurso inútil para muitas pessoas.

Diferenças com bens econômicos

Bens econômicos são aqueles que têm preço e sua oferta é escassa ou menor em relação à sua demanda. A produção desses bens requer recursos escassos com usos alternativos. Por exemplo, a terra é escassa e é capaz de produzir arroz ou cana-de-açúcar.

Relacionado:  Varejo: características, vantagens, desvantagens e exemplos

Se o agricultor quiser produzir arroz, terá que desistir da produção de cana. O preço do arroz é igual à produção de cana perdida pelo agricultor.

Assim, os bens econômicos estão relacionados ao problema de economizar recursos escassos para a satisfação das necessidades humanas. Nesse sentido, todos os bens materiais são bens econômicos.

Bens não-econômicos são chamados de bens gratuitos porque são brindes da natureza. Eles não têm preço e sua oferta é ilimitada. Exemplos de produtos gratuitos são ar, água, luz solar etc.

Bens livres como bens econômicos

O conceito de mercadorias gratuitas está relacionado ao local e hora. A areia que fica próxima ao rio é um ativo gratuito, mas quando é coletada em um caminhão e levada à cidade para a construção de uma casa, torna-se um bem econômico. Agora, é escasso em relação à sua demanda e é por isso que você recebe um preço.

Houve um tempo em que a água podia ser retirada de poços e rios. Agora, quando as casas são armazenadas e bombeadas através de canos, elas são vendidas a um preço aos consumidores.

Portanto, o que agora é um bem livre pode se tornar um bem econômico com o avanço tecnológico. Por exemplo, o ar que é um bem grátis se torna um bem econômico quando são instalados ar-condicionados, refrigeradores de sala e ventiladores.

Exemplos

Ar

O oxigênio é algo que é necessário e pode ser respirado. Não há elemento de rivalidade. Por exemplo, quando alguém respira, ainda há ar suficiente para os outros respirarem.

Agua

Em muitos ambientes, a água será um bem grátis. Por exemplo, se uma pequena comunidade mora perto de um rio, você pode beber facilmente a quantidade de água que quiser com muito pouco esforço. Se você beber água de um rio, haverá muito mais disponível para todos os outros.

No entanto, a água pode se tornar um bem econômico em ambientes secos. Nas áreas desérticas, a água não é abundante. A sociedade tem que dedicar muitos recursos à produção de água potável.

Portanto, a água é escassa e não é mais considerada um bem gratuito. Às vezes, é chamado de “bem comum”, pois está disponível gratuitamente para todos, mas em um determinado momento há um suprimento limitado.

Idéias intelectuais

Se uma nova invenção for desenvolvida e não patenteada, como exercícios de ioga, como dar um nó etc., qualquer pessoa poderá reutilizar essa idéia sem nenhum custo de oportunidade. Outros exemplos incluem programas de computador e páginas da web.

Se uma página da Web for observada, outras pessoas não poderão ser impedidas de consumir o produto, pois ele está disponível sem custo de oportunidade.

Luz do sol

A luz solar está sempre disponível todos os dias para todas as pessoas, com todos os benefícios que isso representa.

Subprodutos

Se o calor é gerado a partir da operação de uma usina de reciclagem, isso cria um bom calor sem custo de oportunidade.

Música

Depois que uma música é composta, todas as pessoas são livres para cantar essa melodia.

Referências

  1. Natasha Kwat (2019). 3 Principais tipos de mercadorias. Discussão sobre Economia Retirado de: economicsdiscussion.net.
  2. Wikipedia, a enciclopédia livre (2019). Livre bom. Retirado de: en.wikipedia.org.
  3. Tejvan Pettinger (2017). Definição de um bem livre. Ajuda econômica. Retirado de: economicshelp.org.
  4. Ian Steedman (2019). Bens Livres Springer Link Retirado de: link.springer.com.
  5. Emmanuel Mirror (2017). Características dos Bens Livres em Economia. Bizfluent Retirado de: bizfluent.com.

Deixe um comentário