Biocompósitos: características, classificação e importância

Os biocompósitos são materiais compostos que combinam uma matriz polimérica com fibras naturais, como celulose, lignina, amido, entre outras. Esses materiais apresentam propriedades mecânicas superiores em relação aos polímeros convencionais e são considerados mais sustentáveis, devido à sua origem renovável e biodegradável. A classificação dos biocompósitos pode ser feita de acordo com a origem das fibras, o tipo de matriz polimérica e o processo de fabricação. A importância dos biocompósitos está relacionada à sua capacidade de substituir materiais convencionais derivados do petróleo, contribuindo para a redução do impacto ambiental e promovendo a sustentabilidade na indústria de materiais.

Entenda o que é Biocomposito e suas aplicações na indústria e na medicina.

Biocompósitos são materiais compostos formados por uma matriz polimérica e reforçados com materiais naturais, como fibras de celulose, lignina, amido, entre outros. Esses materiais apresentam características únicas que os tornam muito atrativos para diversas aplicações na indústria e na medicina.

Os biocompósitos podem ser classificados de acordo com a fonte dos materiais naturais utilizados, como biocompósitos de origem vegetal, animal ou microbiana. Além disso, podem ser classificados de acordo com o tipo de matriz polimérica, como biocompósitos termoplásticos, termorrígidos ou elastoméricos.

As aplicações dos biocompósitos na indústria são diversas, podendo ser utilizados na fabricação de embalagens, componentes automotivos, móveis, materiais de construção, entre outros. Sua utilização contribui para a redução do impacto ambiental, pois são materiais biodegradáveis e provenientes de fontes renováveis.

Na medicina, os biocompósitos têm sido amplamente utilizados na fabricação de biomateriais para implantes, como próteses ortopédicas, dentárias e vasculares. Sua biocompatibilidade e capacidade de se integrar aos tecidos biológicos tornam esses materiais ideais para aplicações biomédicas.

Em resumo, os biocompósitos são materiais versáteis e sustentáveis, com amplas aplicações na indústria e na medicina. Sua utilização promove a inovação tecnológica e o desenvolvimento de soluções mais sustentáveis e eficientes.

Biocompósitos: características, classificação e importância

Os biocompósitos são um conjunto de elementos que todos os seres humanos e todos os seres vivos precisam para o bom funcionamento do corpo.

Os bioelementos são considerados essenciais e necessários para o trabalho dos diferentes órgãos e sistemas vitais que compõem o organismo.

Relacionado:  Palma de Guadalupe: características, habitat, usos, cuidados

Biocompósitos: características, classificação e importância 1

É importante mencionar que cada composto tem uma função diferente no corpo e, portanto, a aparência de cada um deles é necessária para a manutenção e continuidade da vida.

Os biocompósitos são uma série de elementos químicos que se formam após a união de dois ou mais bioelementos .

Estes últimos são encontrados em toda a matéria viva e podem aparecer e funcionar isoladamente, mas geralmente se reúnem para formar biocompósitos e continuar cumprindo suas funções.

Embora o corpo humano seja responsável por gerar seus próprios biocompósitos necessários para o funcionamento adequado, cada pessoa deve se esforçar para adquirir seus próprios biocompósitos comendo alimentos que os possuam.

Os biocompósitos são divididos e classificados em quatro tipos, que são realmente importantes para as diferentes funções do corpo humano. Esses grupos são: carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucléicos.

Classificação de biocompósitos

Os biocompósitos são divididos em dois grandes grupos: orgânicos e inorgânicos.

Compostos orgânicos

Quanto aos compostos inorgânicos, são biocompósitos que fazem parte de todos os seres vivos e, mesmo após a morte, existem corpos que os retêm em sua estrutura.

Eles têm uma estrutura mais simples e fazem parte de água, oxigênio, fosfato, bicarbonato, amônio, entre outros.

Por outro lado, os compostos orgânicos estão presentes apenas nos seres vivos e são caracterizados pela presença de carbono em sua estrutura.

No entanto, outros biocompósitos inorgânicos, como oxigênio, enxofre ou fósforo, também são necessários para acompanhar o carbono.

Esses elementos químicos se ligam para dar lugar e lugar aos grupos mencionados acima: carboidratos, lipídios, proteínas e ácidos nucléicos.

Os carboidratos, também conhecidos como carboidratos, são biocompósitos que podem ser obtidos em alimentos como: batata, macarrão, arroz, pão e outros.

Dependendo dos elementos que compõem sua estrutura, eles podem ser divididos em três grupos: monossacarídeos, dissacarídeos e polissacarídeos.

A principal função dos carboidratos é fornecer energia suficiente para que o corpo precise executar todas as suas tarefas e tarefas diárias.

Lipídios

Os lipídios são um biocompósito formado única e exclusivamente por hidrogênio e elementos de carbono.

Relacionado:  Gregor Mendel: Biografia e Contribuições

No corpo humano, eles funcionam como armazenamento de energia. Da mesma forma, neste grupo, existem várias subdivisões.

No grupo de lipídios estão os ácidos graxos, fosfolipídios e esteróides ou colesterol.

Os lipídios podem ser encontrados no azeite , manteiga, manteiga de amendoim, óleo de milho, entre outros alimentos.

Proteína

As proteínas são definidas como um conjunto de aminoácidos que funcionam no corpo humano como catalisadores para certas reações químicas e são vitais e completamente necessárias para desempenhar essas funções.

As proteínas são o grupo de biocompósitos que devemos consumir diariamente e a cada refeição, uma vez que suas moléculas compõem a estrutura do nosso corpo, ajudando-o a ser saudável e bem alimentado.

Alguns tipos de proteínas são queratina, elastina, albumina, zeatina e vitaminas.

Principalmente, podemos encontrar esses biocompósitos em carnes de animais e em todos os tipos de frutas.

Ácidos nucleicos

Finalmente, são encontrados ácidos nucleicos. Embora todos os grupos mencionados acima sejam importantes, esses são os biocompósitos mais importantes e essenciais. Sem eles, a vida não seria possível.

Os ácidos nucléicos são divididos em dois tipos principais. Principalmente, é o ácido desoxirribonucléico, mais conhecido como DNA.

Isso está no núcleo da célula e é responsável por conter todas as informações genéticas da pessoa.

O DNA é composto de 4 bases nitrogenadas: adenina, guanina, citosina e timina. Além disso, possui fosfato, açúcar e hélice.

Por outro lado, o ácido ribonucleico (RNA) possui duas hélices, quatro bases nitrogenadas: adenina, citosina, guanina e uracila, açúcar e fosfato.

Importância dos biocompósitos

Os biocompósitos são essenciais para a vida de qualquer ser vivo. Eles desempenham e são responsáveis ​​por várias funções específicas que ajudam a entender melhor qual é o seu papel no corpo.

Por exemplo, os carboidratos desempenham um papel fundamental, pois armazenam e fornecem a energia que o corpo precisa para realizar as tarefas mais simples e cotidianas, mas também as que são complexas e exigem mais esforço. Portanto, é importante incluir esse grupo de biocompósitos na dieta diária.

Quanto a alguns compostos inorgânicos, como a água , é importante por vários motivos. Graças à sua presença abundante na Terra, mas especialmente no corpo humano, ele trabalha para controlar a temperatura e, por sua vez, eliminar todas as toxinas que podem ser geradas.

Relacionado:  Gnus: características, habitat, alimentação e comportamento

Além disso, a água é responsável pelo transporte de nutrientes para outros órgãos e, por fim, ajuda a combater vírus e doenças se tiverem sido contraídos.

As proteínas ajudam a moldar e apoiar os tecidos em todo o corpo humano; Funciona como um catalisador para o metabolismo e controla seu funcionamento.

Como a água, as proteínas ajudam a transportar substâncias para outros órgãos e sistemas vitais. Além disso, eles servem para enviar mensagens ao cérebro e neurônios.

Finalmente, existem lipídios que têm um comportamento semelhante aos carboidratos: eles trabalham para manter e fornecer energia ao corpo, mas também são uma reserva para os momentos em que os carboidratos “acabam”. Da mesma forma, os lipídios controlam e regulam a temperatura no corpo humano.

Referências

  1. Faruk, O., Bledzki, AK, Fink, HP, & Sain, M. (2012). Biocompósitos reforçados com fibras naturais: 2000–2010. Progresso na ciência dos polímeros, 37 (11), 1552-1596. Recuperado de: sciencedirect.com
  2. John, MJ e Thomas, S. (2008). Biofibras e biocompósitos. Polímeros de carboidratos, 71 (3), 343-364. Recuperado de: sciencedirect.com
  3. Matos González, M. (2011). Produção de emulsões com tamanho controlado de gotículas contendo compostos bioativos usando membranas. Recuperado de: dspace.sheol.uniovi.es
  4. Mohanty, AK, Misra, M. e Drzal, LT (2002). Bio-compostos sustentáveis ​​a partir de recursos renováveis: oportunidades e desafios no mundo dos materiais verdes. Journal of Polymers and the Environment, 10 (1), 19-26. Recuperado de: springerlink.com
  5. Mohanty, AK, Misra, M. e Hinrichsen, G. (2000). Biofibras, polímeros biodegradáveis ​​e biocompósitos: uma visão geral. Materiais Macromoleculares e Engenharia, 276 (1), 1-24. Recuperado de: docshare02.docshare.tips
  6. Navia, DP, Aponte, AAA e Castillo, HSV (2013). Determinação de isotermas de adsorção de água em biocompósitos de farinha termoplástica e fique. ENTRE NA REVISTA, 11 (1). Recuperado de: revistabiotecnologia.unicauca.edu.co
  7. Rahhali, A. (2015). Valorização de resíduos de queratina para obtenção de materiais biocompósitos. Recuperado de: upcommons.upc.edu.

Deixe um comentário