Calavera no chilla: origem e significado, frase semelhante

Calavera no chilla corresponde a uma parte da expressão lunfarda – principalmente de Buenos Aires -, também considerada um dos ditos mais populares no discurso comum. Geralmente, a expressão significa que não há lugar para reclamações quando alguém se meteu em encrenqueiros ou outras pessoas.

Por exemplo, a mãe do filho disse “crânio, não grite” para o filho quando ele tentou acordá-lo para lhe dizer que tinha que ir trabalhar: “Levante-se, você não pode reclamar, o crânio não grita”.

Calavera no chilla: origem e significado, frase semelhante 1

Segundo algumas análises de alguns especialistas, diz-se que a frase começou a ser usada nas favelas de Buenos Aires, para depois se espalhar pelo restante da capital, até chegar às comunidades uruguaias instaladas em Montevidéu.

Da mesma forma, estima-se que ele tenha uma série de significados, graças às expressões idiomáticas e às adaptações daqueles que estão na Argentina e no Uruguai.

No entanto, o significado principal refere-se ao fato de que, se a pessoa geralmente parte em uma festa, ela deve assumir as conseqüências de suas ações.

Embora seja usada no contexto de festas e comemorações, estima-se que a frase possa ser usada independentemente do contexto, uma vez que sua conotação é mais ou menos flexível.

Origem

O termo “crânio” é usado como sinônimo de pessoas que preferem festas e falta de controle. Começou a se tornar comum desde o aparecimento do personagem Tirso de Molina, Don Juan Tenorio, que recebeu essa qualificação.

Segundo a história, a expressão foi usada como adjetivo para os jovens que praticavam poligamia ou infidelidade nas adjacências do cemitério. Portanto, a manifestação das paixões baixas estava associada aos mortos, aos crânios e aos espíritos da noite.

Relacionado:  Os nomes mais engraçados de Albureros

No entanto, deve-se notar que alguns autores indicam que a palavra realmente veio originalmente de Voltaire , cuja conotação foi baseada nos escritos de Beaumarchais que, aparentemente, a incluíram no barbeiro de Sevilha.

A verdade é que, de qualquer forma, devido às migrações européias, tanto essa como outras palavras, juntaram-se ao espanhol falado no Cone Sul para depois se tornar o jargão da lunfarda.

Significado

Com o tempo, a palavra foi adicionada ao vocabulário lunfardo, especialmente nos humildes bairros de Buenos Aires. Portanto, acredita-se que remonta a aproximadamente 150 anos.

Da mesma forma, são mencionados os dois principais significados relacionados à expressão:

-Estima-se que “crânio não grite” é a abreviação da frase mais longa “crânio não grita e o piola (pessoa acordada e astuta) é depositado (perseverar, perseverar)”, que em seus princípios foi dito às pessoas que Eles tendem a ir para o ponto de falta de controle. Ou seja, se você passou uma noite intensa de folia, vale a pena reclamar em qualquer circunstância no dia seguinte.

-Há a variante uruguaia: “Calavera não chia, mas brinca”, cujo significado é diferente do indicado acima, pois indica que não há espaço para reclamações, especialmente quando você se envolveu voluntariamente em um problema (e mais quando as consequências são conhecidas).

-O outro significado está mais ou menos relacionado ao item anterior, com a variante de que, depois de se envolver em uma situação complexa, a pessoa reclama.

Também parece se aplicar a indivíduos preguiçosos, mas que, por algum motivo, devem trabalhar ou fazer um esforço.

Exemplos de uso

-O chefe do departamento disse ao subordinado que “caveira não grita”, deixando uma pilha de relatórios sobre a mesa porque deveria funcionar.

Relacionado:  50 objetos com letra I no início em espanhol

-Uma garota faz uma série de preparações medicinais para passar na ressaca. Ela diz para si mesma “crânio, não gritando”.

-Um aluno sabe que não deve levar o celular para a escola, mas também o faz, apesar da proibição. Ele tira enquanto está na sala de aula e é quando o professor pega e salva. O resto dos colegas de classe diz: “crânio, não gritando”.

– “Que caveira você é feita.”

– “Reclame menos e segure o crânio.”

– “Peido chorando sua mãe porque seu filho é crânio” (corresponde a um ditado argentino).

Frases semelhantes

Algumas frases equivalentes a esta expressão são:

– “Sarna com prazer não coça” (disse principalmente na Venezuela).

– “Quem quer celestial, isso lhe custa”.

– “Quem gosta de pêssego, deixe o cotão segurar”.

– “Quem não arrisca, não vence, mas se você perdeu mutis através do fórum.”

– “Quem quiser peixe, molhe a bunda dele.”

– “Quem sabe passar a noite, deve saber acordar cedo.”

Curiosidades

– “Calavera” é um termo amplamente conhecido como sinônimo da pessoa que gosta de farra, diversão e hedonismo em geral. Seu uso tornou-se popular graças à literatura.

Alguns autores famosos que introduziram o termo são: Pedro Alarcón e Miguel de Unamuno . Mesmo, alguns antecedentes da expressão foram encontrados em alguns escritos do Peru e Cuba.

Acredita-se que seu uso seja estendido nas proximidades do Rio da Prata.

-O diretor Luis Buñuel fez o filme chamado “O Grande Crânio”, que se refere a um vividor que se arrepende, mas que deseja que outros façam o mesmo que ele.

-Na Argentina, geralmente é usada a abreviação da frase. Por outro lado, no Uruguai, a versão estendida é usada: “Calavera, não grita, mas brinca”

Relacionado:  +101 Perguntas para Verdade ou Desafio (Bom e Forte)

– “Guinchar” também é considerado uma palavra lunfarda que significa “protestar” e / ou “gritar”.

Alguns provérbios argentinos

– “Quem te deu um véu neste funeral?”: Expressão de censura que uma pessoa se intrometeu nos assuntos de outra.

– “Bolear para o pulpero”: significa que uma pessoa consome ou tira proveito dos lucros do trabalho de outras pessoas.

– “Boi só lambe bem”: indica que às vezes é preferível fazer certos atos por conta própria.

– “Trocar camisa”: é usado para classificar as pessoas que trocam de lado ou de opinião regularmente. É usado principalmente nos campos político e esportivo.

– “Chocolate para as notícias”: é uma forma de agradecimento a uma pessoa que fornece notícias ou informações que já eram conhecidas.

Referências

  1. O que o crânio não está gritando? (sf). No dicionário atual. Retirado: 9 de julho de 2018. No Real Dictionary of Dictionaryactual.com.
  2. Caveira (sf). No Todo Tango. Retirado: 9 de julho de 2018. No Todo Tango de todotango.com.
  3. Crânio não grita. (sf). No WordReference. Recuperado: 9 de julho de 2018. No WordReference de forum.wordreference.com.
  4. Crânio não grita. (sf). No WordReference. Recuperado: 9 de julho de 2018. No WordReference de forum.wordreference.com.
  5. Origem e significado de “la calavera no chilla”. (sf). No StackExchange. Recuperado: 9 de julho de 2018. No StackExchange de spanish.stackexchange.com.
  6. Provérbios argentinos. (sf). No Wikiquote Retirado: 9 de julho de 2018. No Wikiquote de es.wikiquote.org.
  7. Significado do crânio. (sf). Em What-means.com. Recuperado: 9 de julho de 2018. Em Qué-significa.com de que-significa.com.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies