Capitalismo Financeiro: Características e Consequências

O capitalismo financeiro é a terceira fase da evolução do capitalismo mundial, que se originou em meados do século XX e foi estendido para hoje. Essa etapa foi precedida pelo capitalismo industrial e comercial e começou apenas nos anos 70.

Também é conhecido pelo nome de capitalismo monopolista, cuja conseqüência mais importante tem sido o crescimento acelerado da economia por meio de um processo de centralização do capital. Com o crescimento do capitalismo financeiro, grandes conglomerados bancários, industriais, comerciais e corporativos se originaram rapidamente.

Capitalismo Financeiro: Características e Consequências 1

Esse processo de centralização e fusão de capital resultou no nascimento de empresas de monopólio transnacionais no final do século XX e no início do século XXI.

O capitalismo financeiro também é caracterizado pela forte dominação econômica e política que as instituições financeiras exercem sobre todos os outros setores da economia.

Nos últimos anos, esse domínio resultou no crescimento do capital financeiro especulativo, e não no crescimento das atividades produtivas.

As crises financeiras das últimas quatro décadas no mundo têm sido uma conseqüência direta dessa forma de capitalismo baseada no lucro e na especulação.

Caracteristicas

O capitalismo financeiro difere de outras formas de capitalismo por várias razões descritas abaixo:

– Na atividade econômica, o setor financeiro é decisivo para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

– Há um aumento exponencial nas transações financeiras sem um objetivo produtivo, mas especulativo.

– Existem cadeias de intermediação financeira (bancos, empresas de investimento, etc.) que frequentemente se tornam preocupações para o sistema.

– Centrifugadoras e bolhas são produzidas com o uso de capital. Por um lado, o banco de depósitos tenta atrair economias para emprestar dinheiro; por outro lado, o banco de investimento, que obtém seus recursos do mercado interbancário para emprestá-lo novamente e reinvesti-lo. Da mesma forma, as empresas de investimento vendem ações no mercado de ações.

– Isso gera crises periódicas porque a sobrecarga de dívidas cresce mais rápido que a produção e a capacidade da economia “real” de suportar tais dívidas.

– O capitalismo financeiro busca obter e maximizar seus ganhos de capital principalmente por meio de altos preços de terras, commodities e ativos imobiliários rentáveis, diferentemente do capitalismo industrial, segundo o qual a obtenção de lucros estava sujeita ao aumento crescente das vendas .

– No setor imobiliário, a reapreciação e supervalorização do imóvel, juntamente com o pagamento de juros hipotecários, deixa pouco lucro tributável. Algo semelhante ocorre nos negócios de hidrocarbonetos (petróleo e gás), como em mineração, seguros e bancos. Dessa forma, você tenta evitar o pagamento de imposto de renda.

– No capitalismo financeiro moderno de hoje, lucros substanciais não são obtidos pela exploração do trabalho assalariado, conforme indicado por Karl Marx, mas pela mobilização e utilização de fundos de pensão, previdência social e outras formas de poupança investidas em ações do mercado de ações, Títulos e imóveis.

Consequências

– Crescimento acelerado e desordenado da economia por meio de um processo de aumento exponencial do sistema financeiro em nível internacional, sem uma coordenação eficaz de políticas ou uma arquitetura financeira correta e menos uma regulamentação internacional correta de novos produtos financeiros.

– O “superaquecimento” da economia é outra consequência do capitalismo financeiro. Isso ocorre quando há um influxo maciço de capital, causando uma expansão da demanda agregada tão excessiva que gera desequilíbrios macroeconômicos.

– A influência do sistema financeiro internacional não se limitou à mera intermediação na atividade da economia capitalista moderna, mas também permeou o sistema político e influencia os objetivos da política econômica de um país.

– Houve várias crises financeiras com conseqüências terríveis para a economia. Os dois casos mais emblemáticos dos últimos anos foram a Segunda-Feira Negra (19 de outubro de 1987), que resultou na queda da Bolsa de Nova York; e a crise financeira de 2008 nos Estados Unidos e na Europa.

– Essas crises recorrentes foram uma conseqüência direta da natureza das operações bancárias e das bolhas causadas pelo capitalismo financeiro internacional. Devido a suas características e recorrência, esse processo foi chamado de crise sistêmica do capitalismo financeiro.

– Após o desastre financeiro causado pela bolha imobiliária e pelos “títulos tóxicos” nos Estados Unidos e na Europa, foi necessária assistência financeira em larga escala. Durante esse processo, vários bancos e outras empresas financeiras falidas foram nacionalizados para recuperá-los.

– O chamado Big Bank financeiro também envolveu o desembolso de centenas de bilhões de dólares pelos bancos centrais. O objetivo era pagar os clientes dos bancos afetados e evitar mais danos econômicos. Mais liquidez monetária foi criada e as taxas de juros foram reduzidas, entre outros mecanismos.

– O capitalismo financeiro gerou uma economia baseada em especulações e valores fictícios. Por exemplo, na crise imobiliária de 2008, as hipotecas pertencentes a bancos americanos foram revendidas a outros intermediários financeiros de fundos de investimento.

Eles também foram vendidos para fundos de pensão e hedge funds, que foram “colateralizados” (lastreados) pelos mesmos pagamentos de hipoteca ou com o imóvel comprometido.

– A especulação e a busca pelo lucro máximo prejudicaram os atores econômicos reais (empresários, industriais, trabalhadores e consumidores).

Crises financeiras mais importantes dos últimos anos

A crise sistêmica causou nos últimos 48 anos a queda do mercado de ações global e a falência dos bancos. A recuperação do sistema financeiro levou à intervenção dos bancos centrais dos países afetados.

– Queda da Bolsa de Nova York em 19 de outubro de 1987. Com isso, as bolsas da Europa e do Japão também caíram. O índice Dow Jones entrou em colapso naquele dia 508 pontos.

– crise do peso mexicano (1994), crise asiática (1997) e crise do rublo (1998).

– A grande recessão dos Estados Unidos entre 2007 e 2010.

– Crise da dívida europeia e bolha imobiliária 2008 – 2010.

– A guerra cambial e os desequilíbrios financeiros globais em 2010.

Referências

  1. Capitalismo financeiro Recuperado em 4 de maio de 2018 de socialsciences.mcmaster.ca
  2. Capitalismo Financeiro v. Capitalismo Industrial Consultado em michael-hudson.com
  3. Capitalismo: o que é, causas e evolução como conceito básico. Consultado em capitalibre.com
  4. Ascensão e domínio do capitalismo financeiro: causas e implicações. Consultado em politicaexterior.com
  5. Revolução na era do capitalismo financeiro. Consultado em financeandsociety.ed.ac.uk
  6. Grandes fluxos de capital: causas, consequências e opções de políticas. Consultado em imf.org
  7. A crise sistêmica do capitalismo financeiro e a incerteza da mudança. Consultado em scielo.br
  8. Cronologia das crises financeiras do século passado. Consultado em libertaddigital.com
  9. Capitalismo financeiro Consultado em wikipedia.org

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies