Carbonato de zinco (ZnCO3): estrutura, propriedades, usos

O carbonato de zinco (ZnCO3) é um composto químico formado pela combinação do zinco com o íon carbonato. Sua estrutura é composta por um átomo de zinco ligado a um átomo de carbono e três átomos de oxigênio. Este composto possui propriedades físicas e químicas únicas, sendo utilizado em diversas aplicações industriais e comerciais. Entre seus principais usos estão na fabricação de pigmentos, na produção de medicamentos e na indústria de plásticos. Além disso, o carbonato de zinco também é empregado na fabricação de cosméticos e como aditivo em alimentos. Considerado seguro e não tóxico, é amplamente utilizado em diversas áreas devido às suas propriedades e versatilidade.

Atributos do zinco: características e benefícios para a saúde e indústria.

O zinco é um metal essencial para o corpo humano, pois desempenha diversas funções vitais, como a regulação do sistema imunológico, a síntese de proteínas e o metabolismo de carboidratos. Além disso, o zinco é um antioxidante poderoso, ajudando a combater os radicais livres e prevenir o envelhecimento precoce.

Na indústria, o zinco é amplamente utilizado na fabricação de ligas metálicas, galvanização de metais e na produção de baterias. Sua resistência à corrosão e sua maleabilidade o tornam um material muito versátil e de grande importância para diversos setores.

O carbonato de zinco (ZnCO3) é um composto químico formado por íons de zinco e íons de carbonato. Sua estrutura cristalina é geralmente encontrada na forma de cristais brancos ou incolores. Este composto possui propriedades interessantes, como a capacidade de absorver a umidade e ser insolúvel em água.

Os usos do carbonato de zinco são variados, sendo comumente utilizado na fabricação de pigmentos, em cosméticos, em medicamentos e até mesmo como aditivo alimentar. Sua capacidade de agir como agente anti-inflamatório e cicatrizante o torna um componente importante em diversas formulações de produtos para a pele.

Principais aplicações do zinco na indústria, construção civil e saúde.

O zinco é um elemento químico amplamente utilizado em diversas áreas devido às suas propriedades únicas. Na indústria, o zinco é empregado na fabricação de ligas metálicas, revestimentos galvânicos e na produção de pilhas e baterias. Além disso, o zinco é fundamental na construção civil, sendo utilizado em telhas, tubulações e estruturas metálicas, devido à sua resistência à corrosão. Na área da saúde, o zinco é essencial para o funcionamento do sistema imunológico, sendo utilizado em suplementos vitamínicos e medicamentos.

Carbonato de zinco (ZnCO3): estrutura, propriedades, usos

O carbonato de zinco é um composto químico formado pela ligação do zinco com o radical carbonato. Sua estrutura cristalina é composta por íons de zinco e íons de carbonato, formando um sólido branco e inodoro. Entre as propriedades do carbonato de zinco, destacam-se sua baixa solubilidade em água e sua capacidade de atuar como pigmento em tintas e vernizes.

Dentre os principais usos do carbonato de zinco, destacam-se sua aplicação na indústria de cosméticos, onde é utilizado em protetores solares e maquiagens, devido às suas propriedades de proteção contra raios UV. Além disso, o carbonato de zinco é empregado na produção de aditivos alimentares, atuando como agente antiaglomerante em diversos produtos.

Conheça as propriedades do óxido de zinco e sua importância em diferentes aplicações.

O óxido de zinco é um composto químico com diversas propriedades interessantes que o tornam muito versátil em diferentes aplicações. Este óxido é um pó branco comummente utilizado em protetores solares devido às suas propriedades de proteção contra raios ultravioleta. Além disso, o óxido de zinco também é utilizado em medicamentos para tratar queimaduras e irritações na pele, devido às suas propriedades anti-inflamatórias e cicatrizantes.

Relacionado:  Vendas ternárias: nomenclatura, propriedades e exemplos

Além disso, o óxido de zinco é utilizado como pigmento em tintas, plásticos e borrachas, devido à sua cor branca e opaca. Também é utilizado na indústria de cerâmica, como catalisador em reações químicas e como aditivo em alimentos e suplementos vitamínicos.

Por sua vez, o carbonato de zinco (ZnCO3) é um composto químico menos conhecido, mas igualmente importante. Este composto possui uma estrutura cristalina e é utilizado em uma variedade de aplicações. O carbonato de zinco é utilizado na fabricação de tintas, plásticos, borrachas e cerâmicas, devido às suas propriedades de resistência e durabilidade.

Além disso, o carbonato de zinco é utilizado na indústria de cosméticos, em produtos como cremes, pós e maquiagem, devido às suas propriedades de absorção de óleo e suor. Também é utilizado na fabricação de materiais de fricção, como pastilhas de freio, devido à sua resistência ao desgaste.

Seja na proteção solar, na indústria de cosméticos, na fabricação de tintas ou na produção de cerâmicas, o zinco desempenha um papel fundamental em nossa sociedade.

Qual a importância do zinco para a saúde do corpo humano?

O zinco é um mineral essencial para o bom funcionamento do corpo humano. Ele desempenha um papel crucial em diversas funções, como a síntese de proteínas, a regulação do sistema imunológico e a cicatrização de feridas. Além disso, o zinco é importante para a saúde da pele, dos cabelos e das unhas.

O Carbonato de zinco (ZnCO3) é uma forma de zinco que possui uma estrutura cristalina e propriedades únicas. Esta substância é amplamente utilizada em diversos setores, como na indústria química, na fabricação de medicamentos e na produção de cosméticos. O Carbonato de zinco também pode ser encontrado em suplementos alimentares, ajudando a suprir a necessidade diária deste mineral essencial.

O zinco desempenha um papel fundamental na manutenção da saúde do corpo humano, sendo necessário para diversas funções vitais. A falta deste mineral pode levar a diversos problemas de saúde, como atraso no crescimento, enfraquecimento do sistema imunológico e problemas de pele. Portanto, é importante garantir a ingestão adequada de zinco por meio da alimentação ou de suplementos, como o Carbonato de zinco.

Carbonato de zinco (ZnCO3): estrutura, propriedades, usos

Carbonato de zinco (ZnCO3): estrutura, propriedades, usos

O carbonato de zinco é um composto inorgânico composto pelos elementos zinco (Zn), carbono (C) e oxigênio (O). Sua fórmula química é o ZnCO 3 . O zinco tem um estado de oxidação de +2, carbono +4 e oxigênio -2.

É um sólido incolor ou branco encontrado na natureza, formando o mineral Smithsonite, no qual pode estar sozinho ou com outros elementos, como cobalto ou cobre, que dão uma coloração violeta ou verde, respectivamente.

ZnCO 3 é quase insolúvel em água, mas dissolve-se facilmente em ácidos diluídos, uma vez que o ião carbonato numa formas ácidas médias de ácido carbónico (H 2 CO 3 ), que é então convertido em CO 2 a gás e água.

É usado como anti-séptico em feridas de animais e às vezes é fornecido na dieta para evitar doenças causadas pela deficiência de zinco.

Serve para atrasar a queima de certas fibras, plásticos e borrachas quando elas entram em contato com o fogo. Permite a separação segura de minerais tóxicos de arsênico de outras rochas.

Ele tem sido usado em cremes dentais para recuperar a dentina nos dentes que estão branqueando.

Relacionado:  Ligação covalente não polar: características, formação, tipos

Estrutura

O ZnCO 3 é constituído por um cátion Zn 2+ e um ânion CO 3 2- . O carbono no íon carbonato tem um estado de oxidação de +4. Este íon tem uma estrutura plana com os três átomos de oxigênio que cercam o átomo de carbono.

Nomenclatura

  • Carbonato de zinco
  • Monocarbonato de zinco
  • Sal de zinco do ácido carbônico
  • Smithsonite
  • Espaçador de zinco

Propriedades

Estado físico

Sólido incolor ou branco cristalino. Cristais rômbicos.

Peso molecular

125,4 g / mol

Ponto de fusão

A 140 ºC decompõe-se sem derreter.

Densidade

4,398 g / cm 3 a 20 ° C.

Solubilidade

Praticamente insolúvel em água: 0.000091 g / 100 g de H 2 O a 20 ° C. Solúvel em soluções de ácidos diluídos, álcalis e sal de amônio. Insolúvel em amônia, álcool e acetona.

Propriedades quimicas

Reage com ácidos para formar dióxido de carbono:

ZnCO 3 + 2 H + → Zn 2+ + H 2 O + CO 2

Ele se dissolve em bases formando o hidróxido, que se dissolve parcialmente formando um íon zinco:

ZnCO 3 + 2 OH → Zn (OH) 2 + CO 3 2-

Zn (OH) 2 + H 2 O + OH → [Zn (OH) 3 (H 2 O)]

Não é inflamável. Quando aquecido até a decomposição, produz óxido de zinco e dióxido de carbono, mas pode emitir monóxido de carbono (CO).

ZnCO 3 + calor → ZnO + CO 2

Obtenção

É obtido pela moagem do mineral Smithsonita, anteriormente chamado de longarina de zinco.

Também pode ser preparado misturando uma solução de carbonato de sódio com um sal de zinco, como sulfato de zinco. O sulfato de sódio permanece dissolvido e o carbonato de zinco precipita:

ZnSO 4 + Na 2 CO 3 → ZnCO 3 ↓ + Na 2 SO 4

Formulários

Em tratamentos médicos

Este composto permite obter alguns produtos farmacêuticos. É aplicado à pele inflamada na forma de pó ou loção.

Em aplicações veterinárias

O ZnCO 3 serve como um protetor adstringente, anti-séptico e tópico de feridas em animais.

Também ajuda a prevenir doenças causadas pela deficiência de zinco, razão pela qual é usado como suplemento na dieta de alguns animais, desde que as quantidades administradas estejam dentro dos padrões estabelecidos pelas organizações de saúde.

Nos surtos de paraqueratose em porcos, é adicionado à dieta destes. Esta doença é uma alteração da pele na qual a camada córnea não se forma corretamente.

Como retardador de chamas

É usado como enchimento à prova de fogo para borrachas e plásticos expostos a altas temperaturas. Protege as fibras têxteis do fogo.

No caso de tecidos de algodão, ele é aplicado ao tecido juntamente com alguns álcalis. Isso ataca diretamente os grupos hidroxila primários (–CH 2 OH) da celulose e os converte em celulose de sódio (–CH 2 ONa).

A repartição dos títulos de celulose pelos favorece alcalinos uma maior penetração das cadeias da estrutura celulósica compacto, de modo que mais ZnCO 3 consegue entrar na zona amorfa deste e sua dispersão é facilitada.

Como resultado, a quantidade de gás inflamável que pode ser produzido pelo fogo é reduzida.

Em tratamentos odontológicos

Certos cremes dentais à base de nanocristais de carbonato de zinco e hidroxiapatita aplicados regularmente à prótese reduzem a hipersensibilidade mais efetivamente do que aqueles à base de flúor.

ZnCO 3 e hidroxiapatita nanocristais têm um tamanho, forma, composição química e cristalinidade semelhante à da dentina, de modo que os túbulos dentinários pode ser fechada com a aplicação destes materiais.

Relacionado:  Sorbato de potássio: alimentos, usos e contra-indicações

Este tipo de creme dental foi útil após os processos de clareamento dos dentes.

Para separar minerais perigosos do arsênico

Os métodos de separação de minerais de sulfureto de arsénio de rochas (por exemplo, galena, calcopirite e pirite) foram testados usando ZnCO 3 . O mineral rico em arsênico deve ser separado dos demais, porque esse elemento é um poluente muito tóxico e venenoso para os seres vivos.

Para conseguir isso, a mistura das rochas moídas é tratada com uma solução de sulfato de zinco e carbonato de sódio a um pH de 7,5-9,0 e um composto xantato.

A eficácia da fórmula é atribuído à formação de pequenas ZnCO 3 partículas sobre a superfície da arsenopirita, tornando-hidrofílico (relacionada com a água), de modo que não possa aderir a bolhas de ar e não pode flutuar, precipitar e separar. dos outros minerais.

Na obtenção de outros compostos de zinco

O carbonato de zinco foi utilizado para obter nanoestruturas hidrofóbicas de borato de zinco da fórmula 3ZnO • 3B 2 O 3 • 3,5H 2 O. Este material pode ser usado como aditivo retardador de chama em polímeros, madeira e têxteis.

Na recuperação de zinco de efluentes residuais

Águas sintéticos ricos em iões de zinco descartados por processos de galvanização pode ser tratado por tecnologia de leito fluidizado utilizando carbonato de sódio para precipitar ZnCO 3 .

Ao precipitar o Zn 2+ na forma de carbonato, sua concentração diminui, o sólido obtido é filtrado e as águas podem ser descartadas com segurança. O precipitado ZnCO 3 é de elevada pureza.

Outros aplicativos

Permite preparar outros compostos de zinco. É usado em cosméticos. Serve como pigmento e é usado na fabricação de porcelana, cerâmica e cerâmica.

Riscos

A inalação de pó de ZnCO 3 pode causar garganta seca, tosse, desconforto no peito, febre e sudorese. A ingestão causa náusea e vômito.

Efeitos no meio ambiente

O principal risco é seu efeito no meio ambiente, portanto evite espalhá-lo por lá. É muito tóxico para a vida aquática, com conseqüências que perduram nos organismos vivos.

Referências

  1. Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA. (2019). Carbonato de zinco. Recuperado de pubchem.ncbi.nlm.nih.gov.
  2. Lide, DR (editor) (2003). Manual CRC de Química e Física. 85 a CRC Pressione.
  3. Cotton, F. Albert e Wilkinson, Geoffrey. (1980). Química Inorgânica Avançada. Quarta edição. John Wiley & Sons.
  4. Sharma, V. et ai. (2018). Síntese de nanoneedulas de carbonato de zinco, um potencial retardador de chama para tecidos de algodão. Cellulose 25, 6191-6205 (2018). Recuperado de link.springer.com.
  5. Guan, Y. et al. (2020). ZnCO3 coloidal como um poderoso depressor do arsenopirita na polpa fracamente alcalina e no mecanismo de interação. Minerals 2020, 10, 315. Recuperado de mdpi.com.
  6. Doenças da pele, olhos, conjuntiva e ouvido externo. (2017). Em Medicina Veterinária (Décima Primeira Edição). Recuperado de sciencedirect.com.
  7. Hannig, M. e Hannig, C. (2013). Nanobiomateriais em Odontologia Preventiva. Em Nanobiomateriais em Odontologia Clínica. Capítulo 8. Recuperado de sciencedirect.com.
  8. Tugrul, N. et al. (2015). Síntese de nanoestruturas hidrofóbicas borato de zinco a partir de carbonato de zinco e caracterização do produto. Res Chem Intermed (2015) 41: 4395-4403. Recuperado de link.springer.com.
  9. de Luna, MDG, et al. (2020). Recuperação de grânulos de zinco de águas residuais de galvanoplastia sintética usando processo de cristalização homogênea em leito fluidizado. Int. J. Environ. Sci. Technol. 17, 129-142 (2020). Recuperado de link.springer.com.

Deixe um comentário