Cenários modificados: o que são e 10 estratégias de sustentabilidade

Os cenários modificados são aqueles espaços que foram afetados pelo desenvolvimento industrial, crescimento demográfico e produtos e instrumentos fabricados pelo homem.

O conhecimento do ser humano é essencial nessa prática, pois pode impulsionar ou afetar o progresso socioeconômico e, portanto, o espaço físico. Os cenários modificados são os campos que permitem o desenvolvimento das atividades dos indivíduos; isto é, eles influenciam diretamente o trabalho que realizam.

Cenários modificados: o que são e 10 estratégias de sustentabilidade 1

Estratégias de sustentabilidade são essenciais para o uso adequado dos espaços modificados. Fonte: pixabay.com

Por sua vez, esses espaços visam o desenvolvimento das comunidades através de invenções ou criações que foram estabelecidas. Por esse motivo, sua origem pode ser influenciada pela Revolução Industrial , um movimento que ocorreu ao longo dos séculos XVIII e XIX.

Quais são os cenários modificados?

Os cenários modificados são aqueles espaços que sofreram uma transformação estrutural. Essas mudanças nem sempre são perceptíveis, mas irreversíveis, e geralmente geram falhas ou nova estabilidade ecológica.

Entre essas paisagens estão rurais e urbanas. A seguir, descreveremos as principais características dos dois cenários:

Cenários rurais

As paisagens rurais são caracterizadas por terem sido exploradas por indivíduos para extrair minerais de depósitos. Em várias ocasiões, esse processo causou o colapso da terra, expresso por devastação natural.

É um território que é usado como meio de produção, razão pela qual foi bastante transformado.

Ou seja, é um espaço onde são realizadas práticas como agricultura e pecuária, através das quais se originam os suprimentos alimentares.

A partir desses cenários, também são obtidos os recursos necessários para a construção de obras de infraestrutura e a elaboração dos produtos. Essas características determinam que é um cenário que foi profunda e constantemente alterado.

Cenários urbanos

Os espaços urbanos ou industrializados são identificados como aqueles que sofreram grandes modificações realizadas por indivíduos, pois é o setor em que ocorrem renovações estruturais contínuas.

Diferentemente das paisagens rurais, esses meios dependem menos das condições naturais devido aos mecanismos implementados para manter a qualidade de vida.

Os cenários urbanos representam a geografia humana: eles mostram como o homem está ligado ao espaço histórico e também são um espaço que permite o desenvolvimento cultural e arquitetônico.

Componentes

Crescimento populacional

Crescimento populacional é a mudança gerada em uma região durante um estágio específico, que reflete como e por que o número de habitantes das populações mudou. Um fator que afeta o espaço demográfico é a mobilização causada por emigrantes e imigrantes.

Para os cenários modificados, é essencial conhecer os dados obtidos nessa área, pois o objetivo é forjar uma população que possa ser mantida em equilíbrio e que não exceda os limites, pois isso afetaria as condições de distribuição espacial e de subsistência.

Industrialização

A industrialização é um dos elementos essenciais da sociedade, pois impulsiona o horizonte econômico e favorece o desenvolvimento dos Estados; Também representa a transição de um mundo agrícola para um mundo tecnológico.

Esse campo de produtividade se concentra nos desafios internos e externos de uma região para garantir níveis de bem-estar.

Além de orientar os desenvolvimentos comerciais, a indústria deve expandir o campo de trabalho, aumentar e agilizar a produção de itens manufaturados e ajudar a combater a desigualdade.

O objetivo da industrialização e urbanização é participar do desenvolvimento dos cenários sociais, administrativos e ambientais da comunidade, promovendo a modernização.

O setor industrial é caracterizado pelo uso de energia e várias matérias-primas na preparação de seus produtos. Essas substâncias podem afetar o meio ambiente através do desperdício de material e das emissões contínuas que poluem a atmosfera, prejudicando a saúde dos indivíduos.

Fluxo de energia

O uso da energia é uma das heranças da antiguidade, pois deriva do momento em que o fogo foi descoberto, quando o homem não possuía a capacidade de dominá-lo à vontade.

No campo de cenários modificados, a energia permitiu o desenvolvimento de novos sistemas de produção e armazenamento muito úteis para as indústrias, como é o caso da resistência nuclear.

O fluxo de energia é importante porque criou uma nova maneira de ver o mundo. No entanto, tem inúmeras consequências graves, como danos ambientais causados ​​por materiais químicos e resultando em aquecimento global e desequilíbrio ecológico.

Impacto ambiental

Apesar das vantagens e benefícios gerados nos espaços modificados, eles originam deslocamentos territoriais e, em muitos casos, comprometem a vitalidade dos indivíduos.

A modificação dos cenários implica a alteração do meio ambiente através dos edifícios e o uso de materiais sintéticos nocivos. O impacto maciço do crescimento populacional, energia e substâncias artificiais transformou a posição e a composição da crosta.

Entre as principais conseqüências ambientais causadas pela criação de cenários modificados, destacam-se:

-Perda de biodiversidade.

– Aumento do nível do mar e fusão de camadas polares.

– Aumento de fenômenos naturais, como deslizamentos de terra, terremotos, furacões e erupções vulcânicas.

– Mudança climática global.

– Vulnerabilidade de nações com menos recursos.

Participação do Estado

Para a formação dos cenários modificados, é necessária a participação do Estado, cuja tarefa é organizar e manter a ordem social.

Os Estados são construções institucionais que têm a função de exercer sua autoridade por meio de leis, para regular a soberania e os cuidados nacionais.

10 estratégias de sustentabilidade

Faça um estudo exaustivo do terreno

Mecanismos adequados devem ser garantidos antes da transformação de um território, pois pode acontecer que a terra não seja adequada para tolerar essa transfiguração.

Da mesma forma, para fazer uma modificação, deve ser elaborado um estudo logístico que forneça dados sobre a região a ser transformada e as espécies que a habitam. O principal desafio é harmonizar o progresso (referente ao campo da construção da estrutura) com o meio ambiente.

Ter um aparato legal apropriado

As leis de proteção de superfícies e habitats permitem garantir a sustentabilidade de um cenário modificado.

O principal objetivo é combater os danos dos locais reformados e proteger o meio ambiente ecológico. Essa ação deve ser acompanhada por um controlador de ferro, que permita um acompanhamento eficaz das atividades realizadas e aplique as sanções necessárias para manter o equilíbrio.

Prefere produtividade limpa

O principal objetivo é proteger o meio ambiente através de métodos práticos. Para isso, foi promovida a chamada produtividade mais limpa, que visa implementar ações para reduzir o impacto ambiental das indústrias.

Por exemplo, um dos objetivos da produtividade mais limpa é reduzir o uso de elementos tóxicos e garantir que todo o processo industrial – da extração à entrega do produto – tenha a menor quantidade de efeitos negativos no meio ambiente.

Essa estratégia busca criar políticas estaduais, explorar opções tecnológicas eficazes e enfatizar a responsabilidade no gerenciamento de recursos naturais.

Incentivar a participação do cidadão

Um elemento que pode garantir a sustentabilidade de um cenário modificado na inclusão real dos cidadãos.

Em sua função de autoridade, o Estado não pode implementar ou estabelecer soluções concretas sobre a modificação cênica sem antes consultar as pessoas que serão afetadas.

Leve em consideração a opinião de especialistas

A implementação de um projeto requer opiniões múltiplas e justificadas, por isso também é necessário envolver especialistas da área que contribuam com seus conhecimentos e ajudam a gerar um resultado favorável.

No momento da transformação, deve ser apresentado um estudo da área e estrutura a ser modificada, bem como dos produtos e tecnologias que serão utilizados.

Promover o cuidado dos espaços urbanos

O cuidado com os espaços urbanos deve ser promovido para ser preservado e não ter que ser restaurado continuamente.

O objetivo é proteger o meio ambiente e evitar intervenções constantes no campo, para que as placas tectônicas não continuem se movendo.

Criar reservas

As reservas ajudam muito a proteger os espaços naturais e artificiais, para que possam permanecer parte do Estado como patrimônio nacional.

Graças à criação de reservas, foi possível salvar espécies ameaçadas, promover o cuidado do solo e dar mais valor a áreas específicas, entre outras realizações.

Estruturar planos de desenvolvimento econômico-ecológico

Todo o planejamento estadual deve considerar os campos econômico e ecológico.

Esses planos devem ser apoiados por pesquisas científicas e devem prever as maneiras pelas quais a restauração do meio ambiente deve ser realizada em caso de acidente antrópico ou natural que possa desestabilizar ou destruir os espaços.

O desenvolvimento de resíduos industriais, especialmente os de maior toxicidade, deve ser considerado no planejamento do desenvolvimento. Da mesma forma, mudanças climáticas, gestão da água e proteção de áreas verdes são importantes, entre outros elementos.

Promover a eco-eficiência

O termo ecoeficiência refere-se àquelas práticas pelas quais busca gerar bens e serviços com preços competitivos e cujos efeitos sobre o meio ambiente sejam mínimos.

O que essa prática busca é a diminuição progressiva do impacto das indústrias no planeta, o que se reflete no uso consciente e eficiente dos recursos.

Promover educação ambiental

Na medida em que os cidadãos estão mais informados sobre as formas de usar os recursos, eles podem tomar decisões benéficas para a conservação do meio ambiente.

A exposição de crianças desde cedo à educação ambiental pode se traduzir em gerações inteiras, mais comprometidas com a sustentabilidade, que adotam práticas mais amigáveis ​​em relação ao planeta.

Referências

  1. Álvarez, M. (2015). A gestão de espaços naturais . Retirado em 28 de abril de 2019 do Instituto Superior del Medio Ambiente: ecoavant.com
  2. Díaz, R. (2014). Espaços modificados e administração . Retirado em 29 de abril de 2019 de Study Notebooks: academia.edu
  3. Duch, GJ (2005). O conceito de ambiente geográfico . Retirado em 28 de abril de 2019 da Geographic Magazine: lisis.edu.mx
  4. Orozco, HE (2009). A diversidade dos sistemas espaciais . Retirado em 29 de abril de 2019 do Anuário da Faculdade de Geografia: uaem.mx
  5. Rodríguez, M. (2001). História da paisagem. Recuperado em 28 de abril de 2019 de Academia: academia.edu
  6. Desenvolvimento sustentável . Recuperado em 28 de abril de 2019 no Instituto Tecnológico de Villahermosa: itvh5desarrollosustentable.wordpress.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies