Clinomania (ou clinofilia): o que é, sintomas, causas e tratamento

Clinomania, também conhecida como clinofilia, é um distúrbio psicológico caracterizado pela compulsão excessiva por permanecer na cama. Os indivíduos que sofrem desse transtorno apresentam dificuldades em levantar da cama, mesmo quando há tarefas importantes a serem realizadas.

Os sintomas da clinomania incluem procrastinação, preguiça extrema, dificuldade de concentração, falta de motivação e sensação de exaustão constante. As causas desse distúrbio podem estar relacionadas a questões psicológicas, como depressão, ansiedade, estresse crônico, problemas de sono e até mesmo hábitos de procrastinação.

O tratamento da clinomania geralmente envolve terapia cognitivo-comportamental, que ajuda o indivíduo a identificar e modificar padrões de pensamento e comportamento disfuncionais. Além disso, a prática de hábitos saudáveis de sono, a realização de exercícios físicos regulares e o estabelecimento de uma rotina diária podem auxiliar no controle dos sintomas. Em casos mais graves, pode ser necessário o uso de medicação para regularizar o sono e tratar possíveis transtornos psicológicos associados. É importante buscar ajuda de um profissional de saúde mental para um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado.

Atração por camas: entenda o que é a clinofilia e seus significados.

A clinomania, também conhecida como clinofilia, é um transtorno psicológico caracterizado pela atração excessiva por camas e pela dificuldade em sair dela. As pessoas que sofrem desse distúrbio têm uma forte vontade de ficar na cama por longos períodos de tempo, muitas vezes ignorando suas responsabilidades e compromissos.

Os sintomas da clinomania incluem a procrastinação constante, a dificuldade em manter uma rotina saudável, o cansaço extremo e a falta de motivação para realizar tarefas diárias. As causas desse transtorno podem estar relacionadas a questões emocionais, como o estresse, a ansiedade e a depressão, ou a problemas físicos, como distúrbios do sono.

O tratamento da clinomania geralmente envolve a combinação de terapia cognitivo-comportamental, medicamentos e mudanças no estilo de vida. É importante que as pessoas que sofrem desse transtorno busquem ajuda profissional para lidar com seus sintomas e melhorar sua qualidade de vida.

Se você suspeita que pode estar sofrendo de clinomania, não hesite em procurar um psicólogo ou psiquiatra. Com o acompanhamento adequado, é possível superar esse transtorno e retomar o controle de sua vida.

Sugestões de como agir quando o corpo anseia por descanso e relaxamento profundo.

Quando o corpo anseia por descanso e relaxamento profundo, é importante ouvir os sinais que ele está enviando e agir de acordo. Para lidar com a clinomania, ou clinofilia, que é o desejo excessivo de ficar na cama, algumas sugestões podem ser úteis.

Uma das maneiras de lidar com esse desejo é estabelecer uma rotina de sono saudável. Isso inclui ir para a cama e acordar sempre nos mesmos horários, criando assim um padrão de sono regular. Além disso, é importante garantir que o ambiente de sono seja propício para o relaxamento, com um colchão confortável e um ambiente escuro e silencioso.

Praticar técnicas de relaxamento, como a meditação e a respiração profunda, pode ajudar a acalmar a mente e o corpo, facilitando o sono e o descanso profundo. Além disso, evitar o consumo de cafeína e telas eletrônicas antes de dormir pode contribuir para uma noite de sono mais tranquila.

Se mesmo com essas medidas o desejo de ficar na cama persistir e interferir nas atividades diárias, é importante buscar ajuda profissional. Um psicólogo ou psiquiatra pode ajudar a identificar as causas subjacentes da clinomania e recomendar um tratamento adequado, que pode incluir terapia cognitivo-comportamental ou o uso de medicamentos, se necessário.

Relacionado:  Medo de desordem (ataxofobia): causas, sintomas e tratamento

Estabelecer uma rotina de sono saudável, praticar técnicas de relaxamento e buscar ajuda profissional quando necessário são passos importantes para garantir o descanso e o relaxamento profundo que o corpo precisa.

Dicas para lidar com a dificuldade de levantar da cama pela manhã.

Levantar da cama pela manhã pode ser um desafio para muitas pessoas, especialmente para aquelas que sofrem de clinomania, também conhecida como clinofilia. Essa condição é caracterizada pela dificuldade extrema de sair da cama e pela vontade constante de permanecer nela.

Os sintomas da clinomania incluem a necessidade excessiva de sono, dificuldade para acordar de manhã, sonolência durante o dia e a sensação de que a cama é o lugar mais confortável do mundo. As causas dessa condição podem estar relacionadas a distúrbios do sono, como insônia, ansiedade, depressão ou até mesmo problemas físicos, como dores crônicas.

Para lidar com a dificuldade de levantar da cama pela manhã, é importante seguir algumas dicas que podem ajudar a melhorar a qualidade do sono e a disposição ao acordar. Uma delas é estabelecer uma rotina de sono regular, indo para a cama e acordando sempre no mesmo horário.

Outra dica importante é criar um ambiente propício para o sono, com um colchão confortável, roupas de cama adequadas e um ambiente escuro e silencioso. Evitar o uso de eletrônicos antes de dormir e praticar atividades relaxantes, como meditação ou leitura, também pode ajudar a melhorar a qualidade do sono.

Se mesmo seguindo essas dicas a dificuldade de levantar da cama persistir, é importante buscar ajuda médica. Um profissional de saúde poderá avaliar a situação, identificar as causas da clinomania e recomendar um tratamento adequado, que pode incluir terapias cognitivo-comportamentais, medicamentos ou outras abordagens terapêuticas.

Lidar com a clinomania pode ser desafiador, mas é possível melhorar a qualidade do sono e a disposição ao acordar com algumas mudanças de hábitos e a busca por ajuda especializada. Não deixe que a dificuldade de levantar da cama pela manhã afete sua qualidade de vida, procure ajuda e cuide da sua saúde.

Por que meu corpo só deseja descanso e o sono parece irresistível?

A clinomania, também conhecida como clinofilia, é um distúrbio do sono caracterizado por um desejo excessivo de permanecer na cama e dormir, mesmo quando a pessoa já teve horas suficientes de descanso. Isso pode levar a dificuldades em cumprir responsabilidades diárias e compromissos, afetando significativamente a qualidade de vida.

Os sintomas da clinomania incluem uma forte atração pela cama e pelo sono, dificuldade em sair da cama pela manhã, sonolência excessiva durante o dia e falta de energia. As causas desse distúrbio ainda não são totalmente compreendidas, mas podem estar relacionadas a desequilíbrios químicos no cérebro, problemas de saúde mental como a depressão e o estresse crônico, ou mesmo a falta de sono de qualidade.

O tratamento da clinomania pode envolver terapia cognitivo-comportamental, medicamentos para regular o sono e a vigília, e mudanças no estilo de vida para promover hábitos saudáveis de sono. É importante procurar ajuda de um profissional de saúde se você suspeitar que está sofrendo de clinomania, para receber o diagnóstico correto e o tratamento adequado.

Então, se você se encontra constantemente desejando descanso e o sono parece irresistível, é importante considerar a possibilidade de estar lidando com a clinomania. Busque ajuda, cuide da sua saúde e busque formas de melhorar a qualidade do seu sono e, consequentemente, a sua qualidade de vida.

Clinomania (ou clinofilia): o que é, sintomas, causas e tratamento

Clinomania (ou clinofilia): o que é, sintomas, causas e tratamento 1

Clinomania ou clinofilia é a obsessão ou extrema necessidade de permanecer na cama por muitas horas do dia sem que haja uma doença orgânica que o justifique.

A seguir, veremos em que consiste esse distúrbio de ansiedade incapacitante.

Como saber se você sofre de clinomania

O fato de querer deitar em nossa cama ou ter preguiça de levantar não implica automaticamente que temos um distúrbio como a clinomania. É relativamente normal, especialmente em sociedades como a nossa, com um ritmo de vida tão frenético, que muitas vezes estamos cansados ​​e queremos dormir por horas.

O problema surge quando o desejo de permanecer na cama se torna uma obsessão que acaba afetando nossa vida profissional, social ou familiar. É nesse momento que se deve preocupar e aumentar a necessidade de visitar um profissional de saúde mental .

Sintomas

Uma boa maneira de saber se alguém pode estar sofrendo dessa patologia é estar ciente dos sinais que apresentamos durante o dia, em nosso tempo livre, com a família etc.

Os sintomas mais comuns em uma pessoa que sofre de clinomania são os seguintes:

  • Nosso lazer e tempo livre estão constantemente na cama. Nós não saímos com nossos amigos ou temos planos de qualquer tipo. Passamos o dia todo na cama sem nos levantar, exceto para ir ao banheiro.

  • Começamos a ter mudanças repentinas de humor. Sentimos tristeza ou tristeza quando um membro da família nos visita ou quando está um dia ensolarado; e vice-versa, ficamos felizes quando temos alguma desculpa para ficar em casa e deitada na cama, como quando neva ou quando temos o carro avariado.

  • Começamos a ficar obcecados com tudo o que tem a ver com a nossa cama: travesseiro, lençóis, almofadas, colchas, etc. E não podemos nos livrar do desejo de permanecer nele.

  • Toda vez que você tenta sair da cama, existe um tipo de gravidade que o puxa e não sai. Parece que sua força de vontade é anulada.

  • Deitar na cama oferece um grande conforto. Isso ocorre porque seu cérebro gerou um padrão de recompensa que implica que toda vez que você for para a cama secretará dopamina e outras substâncias que lhe causam intenso prazer.

Sintomas psicológicos

Além de prestar atenção aos sinais, é aconselhável observar a si mesmo e detectar qualquer tipo de sintomas incomuns .

Estes são alguns dos sintomas psicológicos mais comuns quando a clinomania é sofrida:

  • Tristeza e desmotivação : Como já mencionamos, a característica mais comum da clinomania é a obsessão ou o desejo exagerado de permanecer na cama. Além disso, a pessoa começa a ver o mundo exterior como hostil ou desprovido de estímulos, de modo que não encontra motivação para se relacionar com seu ambiente.

  • Sentir-se culpado : o fato de estar constantemente deitado na cama em vez de cumprir as obrigações da vida cotidiana, pode fazer com que o paciente se sinta culpado. Isso, adicionado à tristeza e desmotivação, fortalece ainda mais o humor depressivo.

  • Isolamento social : o verdadeiro indicador de que estamos diante de um caso de clinomania é que o sujeito começa a ver sua vida se deteriorar devido ao excesso de tempo gasto em sua cama. Nesse sentido, as áreas mais afetadas são geralmente relações sociais e trabalho.

  • Incompreensão e solidão : porque, às vezes, esse distúrbio não é bem compreendido socialmente, os pacientes podem se sentir sozinhos ou incompreendidos e podem perder amigos e familiares.

Relacionado:  Parafrenia: tipos, sintomas e tratamento desse distúrbio

Tratamento

Como qualquer outro transtorno de ansiedade, a clinomania geralmente requer psicoterapia para aliviar os sintomas, geralmente cognitivo-comportamentais . Em casos mais graves, pode ser necessária intervenção farmacológica com medicamentos ansiolíticos ou antidepressivos.

O principal objetivo do tratamento é garantir que os pacientes que sofrem de clinomania possam recuperar as rédeas de sua vida; isto é, que eles são capazes de trabalhar, interagir com amigos e familiares, etc. Em suma, levar uma vida estruturada e autônoma.

Fazer mudanças no estilo de vida é essencial para essas pessoas, pois facilita a redução da obsessão por ficar na cama. Incentivá-los a realizar exercícios físicos e outras atividades ao ar livre é uma maneira de ajudá-los a modificar seu comportamento e minimizar os sintomas obsessivos.

Distúrbios associados

Embora a clinomania seja considerada um distúrbio de ansiedade, seus sintomas podem estar presentes em outras doenças mentais, como depressão ou esquizofrenia .

A tendência de permanecer na cama indefinidamente geralmente ocupa o período terminal de alguns pacientes depressivos não tratados. A clinomania é apresentada como outro sintoma desadaptativo, juntamente com outra sintomatologia característica da depressão, como irritabilidade, tristeza persistente, anedonia (incapacidade de sentir prazer) ou choro frequente.

Outra doença mental na qual a clinomania pode aparecer como sintoma é a esquizofrenia. Em um certo subtipo de esquizofrenia, catatônico, é comum o paciente experimentar períodos de imobilidade ou catalepsia, com a consequente rigidez corporal. Às vezes, isso os leva a deitar na cama ou no sofá por inúmeras horas.

Clinomania e disania: diferenças

Já falamos sobre clinomania, o que implica uma obsessão e uma extrema necessidade de continuar deitado na cama. Mas existe algum outro distúrbio semelhante?

Dysania é um distúrbio psicológico que faz com que as pessoas que sofrem com isso se sintam confusas ao acordar , mostrando sinais de irritabilidade e raiva por ter que se levantar.

Isso ocorre porque seus corpos lhes pedem para dormir mais e prolongam o tempo de descanso na cama, sabendo que, ao mesmo tempo, chegou a hora de levantar e seguir em frente.

Esse fato lhes causa ainda mais frustração, o que aumenta porque, segundo os especialistas, essa falta de descanso está associada a uma desmotivação (para trabalho, família, pessoal etc.) que dificulta ainda mais a separação dos lençóis.

Segundo os especialistas, a disania é um distúrbio crescente devido à mudança nos padrões de sono que temos: cada vez que vamos dormir mais tarde e, geralmente, o fazemos depois de ser exposto a todos os tipos de telas digitais, como smartphones e tablets, que torna mais difícil adormecer.

Embora a disania não seja considerada uma doença em si mesma, como ocorre com a clinomania (que é tratada como um transtorno de ansiedade), é importante resolver esse problema o mais rápido possível, para não prolongar o tempo: Por exemplo, dormir o suficiente para o corpo descansar quando o alarme tocar.

Referências bibliográficas:

  • Blatner Adam (1997). “As implicações do pós-modernismo na psicoterapia”. Psicologia Individual

  • Compas, Bruce e Gotlib, Ian. (2002) Introdução à Psicologia Clínica. Nova York, NY: McGraw-Hill Higher Education.

  • Evans, Rand. (1999). Psicologia clínica nascida e criada em controvérsia. Monitor APA, 30 (11).

  • Groth-Marnat, G. (2003). Handbook of Psychological Assessment, 4a ed. Hoboken, NJ: John Wiley & Sons.

Deixe um comentário