Como ajudar uma pessoa com ansiedade: 7 dicas sobre o que fazer

A ansiedade é um problema de saúde mental que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Muitas vezes, é difícil saber como ajudar alguém que está passando por um episódio de ansiedade. Neste artigo, vamos apresentar sete dicas sobre o que fazer para ajudar uma pessoa com ansiedade a se sentir melhor e a lidar com seus sintomas. Através de pequenos gestos e atitudes, é possível oferecer apoio e suporte para quem está enfrentando esse desafio.

Como auxiliar alguém que está sofrendo com ansiedade: dicas e orientações importantes.

Quando alguém próximo está sofrendo com ansiedade, é importante saber como ajudar e oferecer o suporte necessário. A ansiedade pode ser um problema debilitante para muitas pessoas, afetando sua qualidade de vida e bem-estar emocional. Por isso, é essencial saber como auxiliar alguém que está passando por esse tipo de situação. Neste artigo, vamos compartilhar sete dicas importantes sobre o que fazer para ajudar uma pessoa com ansiedade.

1. Esteja presente e ouça: Uma das maneiras mais eficazes de ajudar alguém com ansiedade é simplesmente estar presente e ouvir o que essa pessoa tem a dizer. Faça com que ela se sinta compreendida e acolhida, mostrando empatia e apoio.

2. Evite julgamentos: É fundamental evitar fazer julgamentos ou minimizar os sentimentos da pessoa que está sofrendo com ansiedade. Em vez disso, ofereça seu apoio incondicional e demonstre que está ali para ajudar.

3. Incentive a busca por ajuda profissional: Encoraje a pessoa a buscar ajuda profissional, como um psicólogo ou psiquiatra, para lidar com a ansiedade de forma mais eficaz. Procure informações sobre profissionais qualificados e ofereça suporte durante o processo.

4. Pratique a escuta ativa: Demonstre interesse genuíno pelo que a pessoa está passando, praticando a escuta ativa e mostrando que você se importa com seus sentimentos. Evite interromper ou tentar resolver os problemas dela de forma precipitada.

5. Ajude a identificar gatilhos: Auxilie a pessoa a identificar os gatilhos que desencadeiam a ansiedade, ajudando-a a reconhecer padrões de pensamento e comportamento que podem estar contribuindo para o problema.

6. Ofereça atividades relaxantes: Sugira atividades relaxantes, como meditação, yoga, exercícios físicos ou hobbies que possam ajudar a aliviar o estresse e a ansiedade. Mostre que você está disposto a apoiá-la nesse processo.

7. Esteja disponível para apoio emocional: Esteja disponível para oferecer apoio emocional sempre que necessário, mostrando que você se importa e está presente para ajudar no que for preciso. Lembre-se de que sua presença e apoio podem fazer toda a diferença na vida de alguém que está lutando contra a ansiedade.

Seguindo essas dicas simples, você pode ser uma fonte importante de suporte para alguém que está sofrendo com ansiedade. Lembre-se de que cada pessoa é única e pode responder de maneira diferente ao apoio oferecido, portanto, esteja sempre atento às necessidades e sentimentos da pessoa que você está ajudando. Com compreensão, empatia e paciência, você pode fazer a diferença na vida de alguém que está passando por um momento difícil.

Como auxiliar alguém que sofre com ansiedade: estratégias para oferecer suporte e compreensão.

Quando alguém próximo está sofrendo com ansiedade, é importante oferecer suporte e compreensão para ajudá-lo a lidar com essa condição. Existem várias estratégias que você pode adotar para auxiliar essa pessoa a enfrentar seus medos e preocupações de forma mais saudável.

Primeiramente, é essencial demonstrar empatia e escuta ativa. *Deixe que a pessoa saiba que você está presente para apoiá-la e que está disposto a ouvir suas preocupações. Evite julgamentos e críticas, e ofereça seu apoio incondicionalmente.

Além disso, ajude a pessoa a identificar gatilhos de ansiedade e a desenvolver estratégias para lidar com eles. *Encoraje-a a praticar técnicas de relaxamento, como respiração profunda e meditação, que podem ajudar a reduzir a ansiedade no momento presente.

Outra dica importante é incentivar a pessoa a buscar ajuda profissional, como um psicólogo ou psiquiatra, para receber tratamento adequado. *Lembre-a de que não há vergonha em pedir ajuda e que a terapia pode ser fundamental para o controle da ansiedade.

Além disso, *lembre-se de que é importante cuidar de si mesmo também. Ajudar alguém que sofre com ansiedade pode ser desgastante, por isso é fundamental buscar apoio emocional e não se sobrecarregar com as preocupações da outra pessoa.

Com essas estratégias, você pode ser um apoio fundamental para ajudar essa pessoa a lidar com sua ansiedade de forma mais saudável e equilibrada.

Como controlar a ansiedade: estratégias eficazes para acalmar o nervosismo e preocupações.

É natural sentir ansiedade em certas situações da vida, mas quando ela se torna constante e paralisante, é importante buscar maneiras de controlá-la. Existem várias estratégias eficazes para acalmar o nervosismo e preocupações, que podem ajudar a pessoa a lidar melhor com esse problema.

Uma das dicas mais importantes é praticar a respiração profunda e consciente. Isso ajuda a acalmar o corpo e a mente, diminuindo a sensação de ansiedade. Além disso, é importante identificar os gatilhos que desencadeiam a ansiedade e tentar evitá-los ou lidar com eles de forma mais saudável.

Outra estratégia eficaz é praticar atividades físicas regularmente, pois elas ajudam a liberar endorfina, o hormônio do bem-estar. Meditar e praticar mindfulness também são técnicas comprovadas para reduzir a ansiedade e acalmar a mente.

Além disso, é importante manter uma rotina saudável, com horários regulares de sono e alimentação, e buscar apoio emocional de amigos, familiares ou profissionais especializados. Evitar o consumo de substâncias estimulantes, como café e álcool, também pode ajudar a controlar a ansiedade.

Relacionado:  eBook: Realidade virtual na prática clínica

Com determinação e as estratégias certas, é possível acalmar o nervosismo e preocupações, melhorando assim a qualidade de vida.

Como ajudar alguém que está passando por um momento de ansiedade?

É comum nos depararmos com situações em que pessoas próximas estão passando por momentos de ansiedade. Nesses momentos, é importante saber como ajudar e oferecer suporte para que a pessoa se sinta acolhida e compreendida. Confira a seguir 7 dicas sobre o que fazer para auxiliar alguém que está enfrentando ansiedade:

1. Escute atentamente: Quando alguém está ansioso, é fundamental oferecer um ombro amigo e estar disponível para ouvir. Escutar sem julgamentos e com empatia pode ajudar a pessoa a se sentir mais tranquila.

2. Ofereça apoio: Mostre que você está presente e disponível para ajudar no que for preciso. Demonstre apoio emocional e esteja disposto a auxiliar nas tarefas do dia a dia, se necessário.

3. Incentive a busca por ajuda profissional: Se a ansiedade persistir e estiver atrapalhando a qualidade de vida da pessoa, incentive-a a buscar ajuda de um profissional de saúde mental, como um psicólogo ou psiquiatra.

4. Pratique a calma: Demonstre calma e tranquilidade durante as conversas e interações com a pessoa ansiosa. Isso pode ajudá-la a se acalmar e a se sentir mais segura.

5. Evite minimizar os sentimentos da pessoa: Não diga frases como “não precisa se preocupar” ou “é só uma fase”. Reconheça os sentimentos da pessoa e mostre compreensão em relação ao que ela está passando.

6. Estimule atividades relaxantes: Sugira atividades que ajudem a pessoa a relaxar, como meditação, yoga, exercícios físicos ou hobbies que ela goste. Essas práticas podem ser benéficas para aliviar a ansiedade.

7. Esteja presente: Mostre que você se importa e está ao lado da pessoa, mesmo nos momentos difíceis. Ofereça seu apoio incondicional e esteja presente para ajudá-la a superar a ansiedade.

Com essas dicas, você pode se tornar um apoio importante para alguém que está passando por um momento de ansiedade. Lembre-se de que cada pessoa é única e pode reagir de forma diferente, por isso é essencial estar atento às necessidades e aos sinais da pessoa que você está ajudando. Juntos, é possível superar a ansiedade e encontrar formas saudáveis de lidar com as emoções.

Como ajudar uma pessoa com ansiedade: 7 dicas sobre o que fazer

Como ajudar uma pessoa com ansiedade: 7 dicas sobre o que fazer 1

Todos ou quase todos nós sentimos ansiedade em algum momento de nossa vida. Assim, sabemos que esse estado de mal-estar, inquietação, hiperativação e nervosismo é altamente punitivo e aversivo, e geralmente é algo que não queremos experimentar.

Agora, sair de um estado de ansiedade pode não ser tão fácil quanto parece. De fato, é algo complicado, especialmente se o que nos dá é uma crise de ansiedade. Imagine agora que quem sofre não é nós, mas outra pessoa que é importante para nós. O que podemos fazer? Como ajudar uma pessoa com ansiedade? Vamos falar sobre isso ao longo deste artigo.

Ansiedade: o que é isso?

Para pensar em como ajudar uma pessoa com ansiedade, precisamos primeiro conhecer e entender o tipo de situação pela qual ela está passando. E é por isso que uma breve explicação sobre o que é a ansiedade pode ser útil.

Damos o nome de ansiedade a um estado de profundo mal-estar subjetivo de origem emocional, caracterizado pela presença de um forte efeito negativo, juntamente com um alto nível de atividade ou ativação fisiológica, que, por sua vez, afeta o comportamento.

Estamos diante de um estado que geralmente é definido como uma reação apreensiva que aparece sem a necessidade de uma situação ameaçadora hoje, mas que tende a estar ligada à antecipação de uma ameaça futura ou a um transbordamento ou incapacidade de lidar com as demandas ambientais. , embora nem sempre esteja ciente de sua origem.

É importante ter em mente que, na ansiedade, existe uma interação entre um componente subjetivo ou cognitivo-emocional, que permite perceber emoções e o estado de desconforto, um componente biológico ou fisiológico no qual a afetação emocional gera uma série de sintomas físicos. (Palpitações, taquicardias e acelerações respiratórias são as mais comuns, embora possa haver outras, como dor, boca seca, suor ou tremor) e, finalmente, um componente comportamental que inclui o conjunto de ações realizadas nesse estado. .

Crises de ansiedade

A existência de um certo nível de estresse e ansiedade é comum em nossa sociedade, mas a verdade é que a ansiedade costuma aumentar de tal maneira que pode transbordar, às vezes até de maneira surpreendente e sem aviso prévio. . É o caso do que acontece conosco quando temos uma crise de ansiedade.

Nessas crises, um grande desconforto surge repentinamente e o pânico aparece junto com palpitações e taquicardia, sensação de asfixia e hiperventilação, dor abdominal ou torácica, tontura , sudorese, tremor, sensação de sofrer um ataque cardíaco, morrer, enlouquecer ou estar perdendo o controle do corpo.

Também é comum que apareça uma sensação de estranheza e irrealidade, conhecida como despersonalização.

Portanto, quando se trata de ajudar uma pessoa com ansiedade que está passando por um estágio de crise frequente, é importante saber que você precisa intervir durante e quando ela não está ocorrendo, para evitá-la .

Relacionado:  A projeção: quando criticamos os outros, falamos sobre nós mesmos

Ansiedade e distúrbios derivados dele

Ansiedade não é uma emoção ou reação incomum. De fato, a maioria das pessoas sentiu ao longo de suas vidas algum grau de ansiedade, e uma alta porcentagem da população mundial viveu ou viverá ao longo de suas vidas alguma crise de angústia em algum momento.

Isso não é patológico por si só , mas às vezes a persistência da ansiedade ou seu aparecimento repetido, ligado ou não a algum tipo de situação ou estímulo, pode se tornar um distúrbio altamente incapacitante. De fato, o conjunto de transtornos de ansiedade é o tipo mais frequente de distúrbio que existe, junto com a depressão maior .

Existem muitos transtornos de ansiedade, mas provavelmente os mais conhecidos são o transtorno do pânico e o transtorno de ansiedade generalizada.

No primeiro, o sujeito sofre repetidamente vários episódios de crise de ansiedade, o que gera o aparecimento de ansiedade antecipatória antes do possível surgimento de uma nova crise que normalmente o leva a mudar seu modo de vida e até evitar a exposição. a situações habituais em que ele considera que poderia experimentá-las novamente .

No transtorno de ansiedade generalizada, sintomas como inquietação, fadiga, irritabilidade, tensão, problemas de sono e incapacidade de relaxar derivam da existência de ansiedade quando confrontados com preocupações sobre vários aspectos da vida ou mesmo com uma preocupação geral inespecífica e contínua .

Além desses, outros distúrbios, como o conjunto de fobias, também estão relacionados à ansiedade, bem como outros distúrbios, como os obsessivos.

Também na depressão, transtorno bipolar ou distúrbios devido ao estresse agudo ou pós-traumático também são comuns. De fato, a ansiedade é geralmente comum em vários problemas psiquiátricos e psicológicos .

Como ajudar em caso de crise de ansiedade

Como você pode imaginar pela descrição, a crise de ansiedade ou angústia é um fenômeno muito incapacitante que tende a fazer com que o foco do paciente se concentre nos sintomas. Também é fácil confundir os sintomas com os de um problema cardíaco, algo que leva a pessoa a viver com muito medo.

Ajudar uma pessoa nessa situação não é fácil quando já estamos imersos nela , embora seja possível. Como fazê-lo?

A maneira de ajudar seria tentar reduzir o foco no desconforto ou reduzir alguns dos sintomas fisiológicos mais controláveis, como a respiração. Além disso, lembre-se de que as crises de ansiedade geralmente têm uma duração relativamente curta, de alguns minutos , para que acabem desaparecendo por conta própria.

A seguir, veremos algumas pequenas indicações a serem lembradas se encontrarmos alguém no meio da crise de ansiedade. Obviamente, é importante ter em mente que, em primeiro lugar, é preciso excluir que se trata de um verdadeiro ataque cardíaco.

1. Não diga a ele para se acalmar

É relativamente comum que quando uma pessoa entra em uma crise de angústia ou de ansiedade, outras não sabem como reagir. Nesse sentido, é comum tentar indicar que ele se acalma.

Esses tipos de indicações são totalmente contraproducentes : se a pessoa pudesse se acalmar apenas desejando, faria isso imediatamente e não passaria pela crise.

Você também pode adicionar o ônus ou a tensão que pode sentir-se recriminado por não conseguir sair da situação. A reação provavelmente não é positiva, pois aumenta o nervosismo e a sensação de oprimir e sufocar.

2. Deixe espaço, mas ofereça sua ajuda

A pessoa que sofre de uma crise de ansiedade geralmente se sentirá mais segura se sentir que há alguém por perto que pode ajudálo e ajudá-lo naquele momento.

No entanto, é necessário que você tenha um determinado espaço, no sentido de que não é conveniente para um grande número de pessoas se reunir ao seu redor, pois isso torna mais fácil ficar ainda mais nervoso (algo que pode acontecer, por exemplo, se você nos fornecer na rua).

3. Ajude-o a se concentrar em um estímulo fixo diferente de seus sentimentos de afogamento ou sofrimento

Quem sofre de uma crise de ansiedade está experimentando uma série de sintomas muito intensos que geralmente focam a atenção.

Uma maneira de ajudá-los seria tentar fazê-los se concentrar em algum tipo de estímulo diferente. Nesse sentido, pode ser útil tentar manter contato visual com você e ajudá-lo a concentrar a atenção em aspectos como sua própria respiração, a fim de imitá-la.

Você também pode tentar distraí-los de outras maneiras, como conversar com eles, para que eles se concentrem no que estamos dizendo, em vez dos sintomas, embora isso possa não funcionar.

4. Tente ajudá-lo a respirar fundo

Uma das estratégias que podem ser úteis para ajudar uma pessoa no meio da crise de ansiedade é ajudá-la a controlar a respiração, pois nessas crises um dos principais sintomas é a existência de hiperventilação .

Nesse sentido, pode ser útil tentar fazer com que a outra pessoa preste atenção nela e tente respirar fundo, tanto na inspiração quanto na expiração. Se disponível, também pode ajudar a usar um saco de papel para que você possa se concentrar em enchê-lo e esvaziá-lo.

  • Você pode estar interessado: ” 8 exercícios respiratórios para relaxar em um momento “
Relacionado:  Paralisia de Bell: sintomas, causas e tratamento

5. Não entre em pânico

Viver uma crise de ansiedade não é exatamente agradável e gera muito sofrimento, a ponto de a pessoa sentir que está morrendo ou enlouquecendo. Nessa circunstância, ter alguém que reaja com pânico e nervosismo e sem saber o que fazer com o que acontece pode aumentar a ansiedade.

Por isso, é necessário tentar manter a calma e agir de forma decisiva , para que o modo de agir do outro seja um estímulo tranquilizador para quem sofre o ataque.

6. Fale de forma clara e calma

Embora a pessoa em meio a uma crise de ansiedade possa reagir com certa hostilidade, o fato é que o fato de falar com uma voz firme e serena e de uma maneira clara pode ajudar a diminuir o nível de ativação , principalmente se estiver processando e entendendo O que dizemos a ele.

7. Lembre-o de que a ansiedade acaba acontecendo

Este ponto é aplicável apenas se a pessoa já teve outras crises de ansiedade antes. Trata-se de tentar lembrá-lo de que, embora as sensações sejam muito intensas e aversivas, essas crises não são perigosas para sua vida e que seus sintomas desaparecerão gradualmente .

Certamente, devemos sempre avaliar que é realmente uma crise de ansiedade, pois poderíamos enfrentar outro tipo de problema.

Como ajudar pessoas com ansiedade (sofram ou não de um distúrbio)

Apoiar alguém que está sentindo um certo nível de ansiedade requer uma abordagem adequada à sua situação. Antes de tudo, é necessário avaliar se existe uma razão para essa reação emocional, a fim de poder agir gradualmente para reduzir seu nível de tensão. Nesse sentido, podemos fazer algumas recomendações.

1. Incentive-o a comunicar seus sentimentos

Muitas vezes, sentimentos e emoções considerados negativos, como tristeza ou ansiedade, tendem a ser ocultos ou mal expressados. Uma boa maneira de reduzir o nível de tensão daqueles que estão ansiosos é permitir que essa emoção seja expressa de alguma maneira . Nesse sentido, pode ser útil conversar com ele sobre sua situação.

2. Atividades expressivas e sem energia

Provavelmente, quando estamos ansiosos, uma das maneiras de reduzir esse desconforto é fazer algo que nos permita desabafar. Isso também pode ajudar outras pessoas a fazê-lo.

Entre as diferentes atividades a serem realizadas estão aquelas que nos permitem realmente baixar nossos instintos, como realizar exercícios, boxe, cantar, gritar ou dançar. Também pode ser útil escrever ou pintar, evitar a racionalização excessiva, mas permitir que as coisas surjam e fluam naturalmente .

3. Ajude-o a avaliar suas preocupações

Existem muitos aspectos da nossa vida que podem gerar ansiedade. Entretanto, algumas vezes o foco nesses aspectos pode se tornar extremamente desadaptativo e impedir que funcionemos normativamente. Pode ser útil ajudá- lo a avaliar suas preocupações, bem como a maneira como você se relaciona com elas e como elas afetam você .

É importante não fazer isso com críticas ou diminuindo a importância de seus pensamentos (pois, afinal, se eles geram ansiedade, é porque eles se importam), mas de maneira reflexiva e propondo se realmente se preocupa ou evita situações é uma vantagem ou Uma desvantagem no seu dia a dia.

4. Propor interpretações alternativas

Outro aspecto que pode ser útil e que de fato é usado na terapia é propor a busca de interpretações alternativas de nossos pensamentos e preocupações, bem como possíveis pensamentos perturbadores que sejam disfuncionais ou especialmente limitantes.

5. Use técnicas de relaxamento

Uma das técnicas mais comuns em relação à ansiedade são as de relaxamento, entre as quais as de respiração e as de relaxamento muscular.

Esses tipos de técnicas nos permitem focar a atenção em certas sensações ou nos acostumarmos a passar de estados de tensão para outros de relaxamento , de forma que diminua e impeça a possibilidade de sofrer uma crise enquanto reduz a atividade nervosa e tranquilizar o corpo e a mente.

Nesse sentido, é possível indicar a possibilidade de realizar alguma variante desse tipo de técnica, mesmo em grupo.

6. Mindfulness: Mindfulness

Embora a atenção plena pareça a nona moda em termos de práticas de meditação de origem oriental, a verdade é que foi demonstrado que essa técnica tem efeitos muito benéficos no tratamento da ansiedade.

Freqüentemente chamado de técnica de relaxamento, o que se pretende com esse tipo de metodologia é focar no aqui e agora , além de observar nossos pensamentos e sentimentos e permitir que eles fluam sem julgá-los. É muito útil ajudar uma pessoa com ansiedade e não leva muito tempo para aprender o básico.

7. Recomendar ajuda profissional

No caso de estarmos enfrentando um transtorno de ansiedade, essas recomendações podem ficar um pouco abaixo e geralmente é aconselhável procurar ajuda profissional. Nesse sentido, pode ser uma boa idéia tentar ajudar a encontrar um psicólogo ou recomendar fazer isso , já que muitas pessoas podem não ousar dar o passo.

Referências bibliográficas:

  • O’Connell, ME, Boat, T., Warner, KE, orgs. (2009). Tabela E-4 Fatores de risco para ansiedade. Prevenção de transtornos mentais, abuso de substâncias e comportamentos problemáticos: uma perspectiva de desenvolvimento. National Academies Press. p. 530
  • Rynn, MA, Brawman-Mintzer, O. (2004). Transtorno de ansiedade generalizada: tratamento agudo e crônico. Espectros CNS 9 (10): 716-723.

Deixe um comentário