Como colaborar para a conservação de espécies endêmicas

Algumas das formas de colaborar para a conservação de espécies endêmicas estão evitando a caça e a pesca, com programas de conservação de espécies e com o turismo sustentável.

As espécies endêmicas são as espécies da flora e fauna típicas de uma área geográfica, consideradas exclusivas para uma região, pois não existem em nenhum outro lugar do mundo e representam uma das maiores riquezas da paisagem, além de um dos melhores indicadores de patrimônio. Biológico de um país.

Como colaborar para a conservação de espécies endêmicas 1

Regularmente, espécies endêmicas estão localizadas em territórios de difícil acesso ou isolamento geográfico, como ilhas, montanhas, rios, lagos ou cavernas, entre outros, afetando sua carga genética, até a geração de novas espécies únicas a partir desse ambiente.

Mas como as espécies endêmicas podem ser protegidas?

Conservação de espécies endêmicas

Em geral, as espécies endêmicas são geralmente classificadas como espécies vulneráveis , pois sua localização restrita e população limitada os tornam mais suscetíveis a ameaças.

Eles enfrentam riscos moderados de extinção ou deterioração da população a médio prazo, por isso é necessário aplicar medidas que contribuam para a conservação de espécies endêmicas, dentre as quais podemos citar:

1 – Proibir caça e pesca

A caça e a pesca, esportivas, recreativas ou comerciais, bem como a exploração madeireira, devem ser proibidas ou restringidas como parte de estratégias para proteger os habitats de espécies endêmicas.

É aconselhável adotar leis que penalizem severamente os caçadores e traficantes, bem como qualquer pessoa que tente de uma forma ou de outra contra a vida selvagem.

2 – Programas de conservação

Os programas de conservação buscam proteger os ecossistemas naturais, reduzindo o impacto das ameaças, por meio de estratégias governamentais e projetos abrangentes de conservação e preservação de espécies endêmicas.

Esses programas incentivam a redução das taxas de desmatamento e contêm planos de reflorestamento e recuperação de habitats naturais para melhorar o manejo dos recursos naturais.

3 – Planejamento territorial e áreas protegidas

O planejamento territorial deve respeitar e proteger os habitats naturais das espécies endêmicas, enfatizando o controle da expansão urbana e agrícola, que altera e degrada os ecossistemas naturais.

Nesse sentido, as reservas naturais ou áreas naturais protegidas podem ser declaradas para as áreas onde habitam espécies endêmicas, para que sejam protegidas e controladas pelo Estado, reduzindo assim o impacto produzido pelas atividades humanas.

4 – Turismo sustentável

O turismo sustentável ou o ecoturismo busca aumentar os esforços que impactam positivamente a biodiversidade, compatibilizando o gozo da natureza e o respeito ao meio ambiente.

O turismo sustentável promove a conscientização da população local e dos turistas, com práticas consistentes com o desenvolvimento sustentável, transmitindo conhecimento por meio de experiências naturais, com visitas guiadas para observar a natureza e suas espécies endêmicas.

5 – Consciência

Uma das principais soluções individuais para a conservação de espécies reside na colaboração e conscientização do meio ambiente.

Com o apoio de centros de pesquisa, organizações civis, empresas privadas e agências governamentais, devemos procurar promover educação e cultura ambiental para as comunidades locais e para a população em geral.

Referências

  1. Associação Espanhola de Cultura, Arte e Educação. ASOCAE. (s / f). CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Conservação 3ª parte. Natureduca: natureza educacional. Portal educacional ASOCAE de Ciências Naturais e Aplicadas. Extraído em 19 de setembro de 2017 de: natureduca.com
  2. Ciência e Biologia (s / f). ESPÉCIES ENDÊMICAS Endemismos. PLANTAS E ANIMAIS. Ciência e Biologia Portal de biologia e ciências afins: divulgação, notícias, curiosidades e notas. Extraído em 19 de setembro de 2017 de: Cienciaybiologia.com
  3. Comissão Nacional para o Conhecimento e Uso da Biodiversidade. CONABIO (s / f). ESPÉCIES ENDÊMICAS DO MÉXICO. Portal Mexicano da Biodiversidade. Direcção de Comunicação Científica. Extraído em 19 de setembro de 2017 de: biodiversity.gob.mx
  4. Consuelo Lorenzo, Miguel Briones-Salas e Sergio Ticul Álvarez-Castañeda. (2016). O ESTADO ATUAL DAS ESPÉCIES DE MAMÍFEROS MICRO ENDÊMICOS E SUAS PERSPECTIVAS DE CONSERVAÇÃO NO MÉXICO DO SUL. Therya, vol. 7, n. 3. Associação Mexicana de Mastozoologia. Baja California Sur, México. Sistema de Informação Científica Redalyc. Rede de Revistas Científicas da América Latina e Caribe, Espanha e Portugal. Extraído em 19 de setembro de 2017 de: redalyc.org
  5. Universidade Nacional Autônoma do México. UNAM (s / f). CONSERVAÇÃO: ESPÉCIES AMEAÇADAS. Instituto de Biologia Departamento de Zoologia Coleta Nacional de Peixes (CNPE). Extraído em 19 de setembro de 2017 de: ib.unam.mx

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies