Como é possível alcançar o desenvolvimento nos países pobres?

Como é possível alcançar o desenvolvimento nos países pobres?

É possível alcançar o desenvolvimento para os países pobres com políticas públicas de desenvolvimento econômico e social que melhorem a qualidade de vida dos habitantes.

O desenvolvimento é o resultado de um processo complexo no qual múltiplos fatores estão envolvidos. Entre os fatores que determinam o desenvolvimento humano sustentável estão econômicos, sociais, políticos, ambientais e culturais.

Como existe uma diversidade de condições econômicas, culturas e experiências, cada país deve levar em conta suas próprias necessidades, prioridades e obstáculos ao definir suas estratégias de desenvolvimento.

No entanto, como existe um vínculo estreito entre desenvolvimento e redução da pobreza, pode-se discernir princípios gerais que os países pobres devem priorizar para avançar no caminho do desenvolvimento. 

Políticas públicas de qualidade

É essencial que os países pobres iniciem um processo de melhoria da qualidade de suas políticas públicas. 

Ter políticas econômicas sólidas, instituições sólidas e democráticas que respondam às necessidades da população e melhor infraestrutura é essencial para o crescimento, a erradicação da pobreza e o desenvolvimento sustentável.

Assim, a construção de um estado ‘s capacidade de entregar resultados para os principais problemas em termos não significa apenas sociais e económicos sua organização burocrática, mas também seu sistema político.

Paz, liberdade, respeito aos direitos humanos e equidade, entre outros, também são fatores básicos que devem ser complementados por políticas públicas.

Uma das políticas públicas que atravessa a maioria desses fatores – e, portanto, é descritiva do processo de desenvolvimento e de sua complexidade – é a educação.

Políticas educacionais de qualidade

A educação é uma das principais estratégias para avançar em direção ao desenvolvimento dos países pobres, porque contribui direta ou indiretamente para todos os outros fatores que interferem no desenvolvimento.

Melhores empregos

A escolaridade fornece habilidades que permitem melhores empregos e, portanto, melhor remuneração.

Da mesma forma, a educação é decisiva para quebrar o ciclo da pobreza crônica, para que não seja transmitida de uma geração para outra.

Tem um impacto benéfico na saúde

Quando os pais são educados, eles podem adotar práticas adequadas de higiene e alimentação.

Dessa maneira, a desnutrição infantil é evitada e as doenças são prevenidas. As práticas de amamentação, bom uso da água e saneamento reduzem as mortes infantis.

Contribui para a igualdade de gênero

A educação pode desencadear o processo pelo qual meninos e meninas constroem uma sociedade com maior igualdade entre os sexos. Além disso, fornece ferramentas para as mulheres evitarem o casamento infantil e a gravidez na adolescência.

O empoderamento das mulheres melhora as condições de vida de seus filhos e torna a sociedade mais justa.

Promover a segurança alimentar

A educação alimentar desempenha um papel importante na erradicação da fome e no trabalho na produção de alimentos.

Ambas as questões estão intimamente ligadas nas populações rurais, uma vez que a fome impede que a população trabalhe para produzir alimentos e a baixa produção, por sua vez, acentua a fome.

conclusão

O processo de desenvolvimento dos países pobres implica uma melhoria na qualidade das políticas públicas destinadas a satisfazer as necessidades atuais sem comprometer as necessidades das gerações futuras.

Além disso, essas políticas devem considerar o crescimento econômico como um instrumento para o bem-estar de seus cidadãos.

A educação é, portanto, uma das estratégias fundamentais para alcançar o desenvolvimento.

Referências

  1. HOPKINS, M. (1991). Revisado o desenvolvimento humano: Um novo relatório do PNUD. World Development, 19 (10), 1469-1473.
  2. RELATÓRIO DA CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE COMÉRCIO E DESENVOLVIMENTO SOBRE SUA DÉCIMA SESSÃO. São Paulo, Brasil, de 13 a 18 de junho de 2004. Recuperado de unctad.org.
  3. CHABBOTT, C., & RAMIREZ, FO (2000). Desenvolvimento e educação. No  Manual da Sociologia da Educação  (pp. 163-187). Springer US.
  4. OXAAL, Z. (1997). Educação e pobreza: Uma análise de gênero  (Vol. 53). Sussex: Instituto de Estudos de Desenvolvimento da Universidade de Sussex .
  5. GASPERINI, L. (2000, setembro). Da educação agrícola à educação para o desenvolvimento rural e a segurança alimentar: tudo pela educação e comida para todos. Na  Quinta Conferência Européia sobre Educação Superior Agrícola: da produção agrícola ao desenvolvimento rural: desafios para o ensino superior no novo milênio, Universidade de Plymouth, Reino Unido . Recuperado de fao. org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies