Como está organizada a Constituição Política da Colômbia?

A Constituição Política da Colômbia está organizada em um preâmbulo e 13 títulos. São compostos por 380 artigos constitucionais e 67 transitórios.A Constituição Política da Colômbia (CPC) descreve os três ramos do poder nos quais o governo colombiano está estruturado.

Assim, cada ramo trata de um título da constituição e cobre uma série de artigos encarregados de governar a República da Colômbia. Os três ramos do poder são chamados executivo, legislativo e judicial (Colômbia, 1991).

Como está organizada a Constituição Política da Colômbia? 1

Imagem recuperada de: constitucionpuj.wordpress.com.

Na Colômbia, o CPC é a fonte e a origem de todas as leis e é responsável por controlá-las completamente. Houve relativamente poucas constituições desde que este país se tornou uma nação independente em 1830. As primeiras versões da constituição foram promulgadas nos anos de 1832, 1852 e 1858 e reconheceram algum grau de autonomia local.

Foi após a guerra civil de 1885 que o estado estabeleceu uma forma definida de governo e a constituição passou por uma série de emendas em 1910, 1936 e 1968. Finalmente, em 1991, uma nova carta constitucional foi promulgada e estruturada com o divisão hoje conhecida (Alzate, 2011).

Ajustes foram feitos periodicamente à Constituição de 1991. A versão atual deste documento data de 2005 e é a que está atualmente em vigor (Universidade, 2017).

Você também pode estar interessado em ver o significado das cores da bandeira colombiana . Outro símbolo nacional deste país na América Latina.

Divisão da Constituição Política da Colômbia

O CPC de 1991 é dividido em 13 títulos consecutivos e subdividido em capítulos e artigos. Seu principal objetivo é garantir a organização política do país e dar conhecimento formal dos direitos e deveres dos indivíduos na Colômbia.

Dentro deste documento, estatutos internacionais como Direitos Humanos, o reconhecimento da nação como soberana, a divisão de poderes e a existência de um sistema representativo recebem reconhecimento total. Por outro lado, o CPC também possui disposições transitórias.

Relacionado:  Para que serve a estratificação?

A Colômbia possui uma estrutura de leis baseada em uma jurisdição civil. Isso significa que a constituição representa o grupo supremo de regras sobre as quais a nação é governada.

Sob esse esquema, o Congresso é responsável por aprovar as leis em sua estrutura hierárquica para que sejam aprovadas. A maioria das leis é comum e baseia-se nos princípios comuns do mundo (Universidade R., 1991).

Seção Dogmática

É a primeira seção do CPC e contém o preâmbulo, algumas declarações filosóficas e definições de termos importantes a serem levadas em consideração ao longo da redação. Ele contém os primeiros títulos do CPC (I e II), onde é descrito o objetivo fundamental da constituição, bem como os direitos, deveres e garantias de todos os cidadãos colombianos.

Os primeiros 95 artigos do documento estão incluídos nos dois primeiros títulos do CPC.

Seção Orgânica

Esta seção inclui os seguintes títulos (de III a XII) e artigos até 227. Dentro desses títulos, são discutidos os tópicos sobre nacionalidade, participação democrática, partidos políticos, estrutura e organização estatal e todas as conceitos relacionados aos ramos do poder político na Colômbia.

Dentro da seção orgânica, a maioria do desenvolvimento constitucional e as leis mais representativas do povo colombiano estão contidas.

Reforma

O título XIII é o conteúdo mais recente do CPC e refere-se aos mecanismos e instâncias endossados ​​constitucionalmente para fazer qualquer reforma no CPC. Dentro deste título, dois tipos de reforma são contemplados: flexível e rígido.

Uma reforma flexível é facilmente executável pelo poder legislativo da República, ou seja, os congressistas podem realizá-la. Uma reforma rígida, por outro lado, requer a aplicação de mecanismos legítimos para os quais é necessário executar um procedimento específico.

Relacionado:  Os 5 artesanatos típicos mais populares de Campeche

Normas e Neutros

Nesta seção do CPC, não há títulos. No entanto, outros artigos com o seguinte nome podem ser encontrados:

  • Ordenanças: São proclamações de cada Assembléia Departamental.
  • Bloco de constitucionalidade: garante tratados internacionais, como fronteiras e direitos humanos.

Ramos do poder

Poder Executivo

O poder executivo domina os ramos do governo relacionados ao presidente, vice-presidente, ministros e diretores de agências administrativas. De acordo com a constituição de 1991, o presidente deve ser eleito pela maioria dos cidadãos colombianos (mais de 50%) por sufrágio.

De acordo com a estrutura do PCC, o presidente é o chefe de governo e chefe de estado, e é responsável pela administração do país e por proteger os interesses da nação. É apoiado pela estrutura do CPC para declarar estados de emergência e convocar reuniões extraordinárias do Congresso da República.

Poder Legislativo

Segundo o CPC, o ramo legislativo é controlado pelo Congresso. É composto pelo Senado e pela Câmara dos Deputados. Senadores e representantes são eleitos pelo voto popular e devem permanecer no cargo por quatro anos. Esses indivíduos devem realizar sessões legislativas anualmente no dia da independência da Colômbia.

O processo legislativo pelo qual o CPC é reestruturado compreende sete etapas: iniciativa, debate, votação, aprovação, sanção, promulgação e publicação.

Existem certas limitações sobre como esse processo pode iniciar, no entanto, o poder legislativo é responsável por endossar quaisquer alterações que ocorram na estrutura do CPC (CASTILLO, 2012)

Poder judicial

O Supremo Tribunal de Justiça da Colômbia é a entidade que está à frente do judiciário do país. Este órgão decide se deve ou não apelar para os erros que podem ser encontrados em uma lei, com base em sua lógica, propósito e funções.

Relacionado:  15 Exemplos de cooperação em destaque

Segundo o CPC, existem três câmaras responsáveis ​​por filtrar questões relacionadas à adoção de leis: Civil, Penal e Trabalhista.

Da mesma forma, é o responsável por reforçar a aplicação dos artigos constitucionais em todos os indivíduos da república, inclusive nos que o representam (Ramírez, 2007).

Referências

  1. Alzate, JC (3 de julho de 2011). O espectador . Obtido no Caminho árduo do constituinte de 1991: elespectador.com.
  2. CASTILLO, CA (2012). Universidade Pontifícia Javeriana . Obtido em GERENCIAMENTO DA CONSTITUIÇÃO DE 1991. PAPEL DA SOBERANIA POPULAR E DISCUSSÕES SOBRE ELA: epository.javeriana.edu.co.
  3. Colômbia, R. d. (1991). CONSTITUIÇÃO POLÍTICA DA COLÔMBIA 1991. Bogotá.
  4. Ramírez, A. (maio de 2007). Balão Lex . Obtido de Introdução às instituições governamentais da Colômbia e às fontes legais principais: nyulawglobal.org.
  5. University, O. (28 de março de 2017). Constituir . Obtido da Constituição da Colômbia de 1991 Com alterações até 2005: constitproject.org.
  6. University, R. (1991). Obtido do Texto de Constituição da Colômbia: confinder.richmond.edu.
Conteúdo relacionado:

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies