Cordilheira Central da Colômbia: características, formação, relevo

A Cordilheira Central da Colômbia é uma importante cadeia de montanhas que se estende ao longo do território colombiano, atravessando os departamentos de Caldas, Risaralda, Quindío, Tolima, Cundinamarca e Boyacá. Com uma altitude média de 3.000 metros, a Cordilheira Central é uma das principais formações geográficas do país, sendo responsável por grande parte da diversidade e riqueza natural da região.

A formação da Cordilheira Central da Colômbia é resultado da movimentação das placas tectônicas ao longo de milhões de anos, que resultou na elevação do terreno e na formação de picos, vales, rios e lagos. O relevo da região é bastante acidentado, com montanhas íngremes, vales profundos e picos nevados, como o famoso Nevado del Ruiz.

Além disso, a Cordilheira Central da Colômbia é lar de uma grande diversidade de ecossistemas, que abrigam uma rica biodiversidade de flora e fauna. A região também é importante para a agricultura, sendo responsável pela produção de café, frutas, flores e outros produtos agrícolas.

Em resumo, a Cordilheira Central da Colômbia é uma importante formação geográfica que influencia diretamente o clima, a flora, a fauna e a economia do país, sendo um verdadeiro tesouro natural e cultural da Colômbia.

Tipos de relevo presentes na Colômbia: montanhas, planícies e planaltos.

Na Colômbia, podemos encontrar uma grande diversidade de relevo, que inclui montanhas, planícies e planaltos. Essa variedade de formas de terreno torna o país um lugar único, com paisagens deslumbrantes e ecossistemas diversificados.

Cordilheira Central da Colômbia: características, formação, relevo

A Cordilheira Central da Colômbia é uma das principais cadeias de montanhas do país. Ela se estende por cerca de 1.000 quilômetros ao longo do centro da Colômbia, dividindo o país em duas regiões distintas. A cordilheira é formada por uma série de picos imponentes, vales profundos e rios caudalosos, tornando-a uma das áreas mais espetaculares da Colômbia.

As características da Cordilheira Central incluem uma grande diversidade de flora e fauna, devido à variação de altitude e clima ao longo da cadeia de montanhas. Montanhas cobertas de neve, planícies férteis e planaltos verdejantes são apenas algumas das paisagens que se pode encontrar nessa região.

A formação da Cordilheira Central da Colômbia é resultado do movimento das placas tectônicas, que ao longo de milhões de anos foram se chocando e elevando a região. Esse processo geológico deu origem às montanhas, vales e rios que caracterizam a cordilheira.

Em resumo, a Cordilheira Central da Colômbia é uma das mais importantes cadeias de montanhas do país, com uma grande diversidade de relevo e ecossistemas. Suas características únicas a tornam um destino imperdível para os amantes da natureza e da aventura.

Quais são as principais características do país colombiano?

A Colômbia é um país localizado na América do Sul, conhecido por sua diversidade cultural, riqueza natural e paisagens impressionantes. Uma das principais características do país é a sua Cordilheira Central, que desempenha um papel fundamental na formação do relevo colombiano.

A Cordilheira Central da Colômbia é uma cadeia de montanhas que se estende por cerca de 1.000 quilômetros ao longo do país. Ela é formada por uma série de picos e vales, resultando em um relevo bastante acidentado e montanhoso. A formação da cordilheira é resultado de processos geológicos que ocorreram ao longo de milhões de anos, incluindo o choque de placas tectônicas e atividades vulcânicas.

Uma das características mais marcantes da Cordilheira Central da Colômbia é a sua biodiversidade. A região abriga uma grande variedade de ecossistemas, que vão desde florestas tropicais até paramos, proporcionando um habitat ideal para uma ampla gama de espécies vegetais e animais. Além disso, a cordilheira é lar de diversas comunidades indígenas que mantêm tradições ancestrais e um profundo respeito pela natureza.

O relevo acidentado da Cordilheira Central também influencia o clima e a agricultura da região. As montanhas atuam como barreiras naturais, influenciando os padrões de vento e chuva e criando microclimas específicos em diferentes altitudes. Isso permite a produção de uma variedade de culturas agrícolas, como café, frutas tropicais e flores, que são importantes para a economia colombiana.

Relacionado:  Patrimônio Natural do Chile: Zona Norte, Central e Sul

Em resumo, a Cordilheira Central da Colômbia é uma das principais características do país, influenciando sua geografia, biodiversidade, clima e economia. Sua formação complexa e sua riqueza natural a tornam um dos destinos mais fascinantes e importantes da Colômbia, atraindo turistas, cientistas e amantes da natureza de todo o mundo.

Descubra a altitude média da Colômbia em poucas palavras.

A Cordilheira Central da Colômbia é uma cadeia de montanhas que se estende ao longo do país, formando parte do relevo colombiano. Com altitudes que variam entre 2.500 e 4.000 metros acima do nível do mar, a altitude média da Colômbia é de aproximadamente 2.500 metros. Essa região montanhosa é conhecida por sua beleza cênica e por abrigar uma grande diversidade de flora e fauna.

Oceano que faz fronteira com a Colômbia: Qual é o nome dele?

A Cordilheira Central da Colômbia é uma importante cadeia de montanhas que se estende ao longo do país, dividindo as regiões do país em dois. Esta cordilheira possui características únicas e desempenha um papel fundamental no relevo colombiano.

Formada há milhões de anos por processos tectônicos, a Cordilheira Central da Colômbia é composta por uma série de picos, vales e planaltos. Com altitudes que variam de 2.000 a 5.000 metros, esta cordilheira é um dos principais sistemas montanhosos da América do Sul.

O relevo da Cordilheira Central da Colômbia é marcado por sua diversidade. Grandes rios como o Magdalena e o Cauca têm suas nascentes nesta região montanhosa. Além disso, vulcões como o Nevado del Ruiz e o Nevado del Tolima são encontrados ao longo da cordilheira, contribuindo para a paisagem única da região.

Com uma grande variedade de ecossistemas, a Cordilheira Central da Colômbia é o lar de uma rica biodiversidade. Espécies como o condor dos Andes, o jaguar e o páramo são encontradas nesta região montanhosa, tornando-a um local de grande importância para a conservação da natureza.

Em relação ao oceano que faz fronteira com a Colômbia, o nome dele é o Oceano Pacífico. Este oceano banha a costa oeste do país, proporcionando uma grande variedade de recursos naturais e influenciando o clima da região. Com suas águas ricas em vida marinha, o Oceano Pacífico desempenha um papel vital na economia e na cultura colombiana.

Cordilheira Central da Colômbia: características, formação, relevo

A Cordilheira Central da Colômbia é uma cordilheira que forma o eixo dos Andes colombianos ao lado da Cordilheira Oriental e da Cordilheira Ocidental.Em seu desenvolvimento, começando no sul, no maciço colombiano e até a cordilheira de San Lucas, ao norte, ele consegue percorrer aproximadamente 1023 km, ocupando uma área total aproximada de 129 737 km2, com uma largura máxima de 449 km.

Nesta cordilheira de altas nevascas e vulcões ativos está o chamado Eixo do Café da Colômbia e, em sua rota, atravessa vários departamentos colombianos importantes, onde se estabeleceram algumas das principais cidades do país.

Cordilheira Central da Colômbia: características, formação, relevo 1

Por Colombia_relief_location_map.jpg: Grundkarte Shadowxfox, Relief Alexrk2divivative: Dr Brains (Colombia_relief_location_map.jpg) [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], via Wikimedia Commons

Como esperado, esta cordilheira apresenta uma gama de possibilidades em termos de fauna e flora, clima e recursos, tudo isso aprimorado pela mudança de relevo que vai das planícies, passando pelo nível da floresta tropical até escalar a alturas de neve perpétua .

Caracteristicas

Juntamente com os Ocidentais e os Orientais, a Cordilheira Central da Colômbia suporta 70% da população total do país. Embora seja verdade que a topografia acidentada da paisagem tenha sido uma limitação no crescimento populacional em escalas maiores, também é verdade que trouxe à tona o melhor de seus habitantes para adaptar e pesquisar seus recursos lá.

Delimitada a oeste pelo rio Cauca e a leste pelo rio Magdalena, importantes cidades da Colômbia são estabelecidas lá. Alguns deles são: Medellín, Popayán, San Juan de Pasto, Ibagué, Armênia, Manizales e Pereira.

Principais atividades econômicas

Exploração de petróleo

Essa atividade foi desenvolvida desde 1986 e é a base da economia atual do país.

Pecuária e agricultura

Até 1000 metros acima do nível do mar, são cultivadas bananas, bananas, arroz, algodão, tabaco, cacau e cana de açúcar.

Entre 1000 e 2000 de masl, milho, café e frutas como frutas cítricas, peras, abacaxi e tomate são cultivados; e entre 2000 e 3000 metros acima do nível do mar, são cultivados trigo, cevada, batata e flores.

Mineração

Eles destacam esmeraldas, platina, prata e ouro para exportação. Cimento, carvão, argila, sal, areia, cascalho e sílica são produzidos para o mercado interno.

Turismo

Essa atividade é uma das mais prósperas da região, dada a biodiversidade que possui e que é uma atração turística óbvia.

Treinamento

A superfície do nosso planeta está em constante movimento, e do movimento e encontro das placas tectônicas todos os acidentes topográficos que podemos ver ao nosso redor surgiram.

É essa orogênese que é responsável pela criação da Cordilheira dos Andes e da Colômbia. Esse processo geológico de dobrar a crosta terrestre ao longo de uma vasta extensão é o que oferece a oportunidade de apreciar as neves perpétuas ou fendas profundas próximas às planícies onde desaparecem.

O último dobramento orogênico foi o Andino-Alpino, que se estima ter ocorrido no período Cretáceo Médio e Superior. A primeira cordilheira colombiana a emergir foi a Central, durante o período Triássico-Jurássico, entre 225 e 145 milhões de anos atrás.

Durante o período em que essa cordilheira se elevou (era mesozóica), o mega continente da Pangeia foi separado em todo o mundo. Outros processos geológicos ocorreram em paralelo devido à intensa atividade vulcânica; estes são atualmente visíveis nas faixas grossas de cores intensas de vermelho ou preto nas áreas expostas da estrutura da montanha.

Alívio

Esta formação permite ir de 0 a quase 6000 metros acima do nível do mar, onde está localizado o ponto mais alto conhecido como Nevado de Huila.

A formação nasce ao sul, no chamado Nudo de Almaguer ou maciço colombiano, e desce ao norte para desaparecer nas planícies e planícies da cordilheira de San Lucas.

Nesta estrada, de sul a norte, e enquanto se separa nas três cadeias montanhosas que compõem os Andes colombianos, deixa diferentes acidentes, picos, nevascas e vulcões. Abaixo descreveremos os mais importantes:

-Neve

Nevado del Huila (5750 msnm)

É um vulcão ativo localizado entre os departamentos Huila, Tolima e Cauca.

Tolima com neve (5216 msnm)

É um vulcão localizado no departamento homônimo e faz parte do Parque Nacional Los Nevados.

Neve de Quindío (5150 msnm)

Vulcão inativo que também faz parte do Parque Nacional Los Nevados

Santa Isabel com neve (4965 msnm)

Formação montanhosa localizada entre os departamentos de Risaralda, Caldas e Tolima. Faz parte do Parque Nacional Los Nevados

Cisne-das-neves (4800 msnm)

É um vulcão inativo, também parte do Parque Nacional Los Nevados.

-Vulcões

Vulcão Puracé (4646 msnm)

Vulcão ativo localizado no departamento de Cauca. Faz parte do Parque Nacional Puracé.

Vulcão Pão de Açúcar (4670 msnm)

Vulcão inativo localizado no departamento de Huila

-Outras formações geológicas

Maciço colombiano

Também chamado Nudo de Almaguer, é o ponto de partida da cordilheira colombiana e de muitos dos rios que banham a região. Existem alturas que variam entre 2600 e 4700 metros.

Platô de Santa Rosa de Osos

Está localizado no departamento de Antioquia, com alturas entre 1000 e 3000 metros

Serranía de San Lucas

É uma formação montanhosa cujas alturas variam de 0 a 2600 metros acima do nível do mar. Está localizado entre os departamentos de Antioquia e Bolívar.

Tempo

A Cordilheira Central da Colômbia oferece a possibilidade de desfrutar de todos os climas possíveis, passando de um calor intenso a um clima frio apenas viajando ao longo de seus vales e montanhas. Podemos identificar os seguintes tipos de clima:

Quente

Está presente até 1000 metros acima do nível do mar e tem uma temperatura média superior a 24 ° C. É dominante nas planícies das montanhas e é fundamental para a produção de certos frutos.

Relacionado:  Quais são os princípios da geografia?

Selva tropical

Implica temperaturas que excedem 27 ° C e com uma umidade muito alta. Estas áreas estão preferencialmente localizadas em direção à face norte da formação geológica.

Leve / médio

As áreas de baixa montanha entre 1000 e 2000 metros são aquelas que mantêm esse tipo de clima, em que as temperaturas podem estar entre 17 e 24 ° C.

Frio

Entre 2000 e 3000 metros, encontraremos as temperaturas que definem essa faixa climática: elas variam de 12 a 17 ° C.

Wasteland

Quando excedermos 3000 e até 4000 metros acima do nível do mar, encontraremos temperaturas entre 6 e 12 ° C. A umidade é baixa neste momento e aparece no tipo de vegetação predominante.

Glacial

Os viajantes que ousarem ultrapassar os 4000 metros acima do nível do mar encontrarão temperaturas abaixo de 6 ° C e dificuldades respiratórias.

Hidrografia

A riqueza da biodiversidade da área anda de mãos dadas com os rios e corpos de água encontrados em toda a cordilheira. Muitos deles nascem no maciço da Colômbia e deixam seus nutrientes por milhares de quilômetros.

Existem várias bacias hidrográficas identificadas em sua jornada do sul para o norte. A principal é a chamada inclinação do Caribe, a mais longa e mais importante para o país.

Nisto existem vários buracos, que nada mais são do que o conjunto de rios e massas de água que fluem nessa encosta.

Alguns dos rios mais importantes da cordilheira central da Colômbia são os seguintes:

– Magdalena (rio principal da Colômbia).

Cauca.

– Caquetá.

– Patía.

– Saldaña.

Nima.

Amaime.

– Tulúa.

– Amoyá

Cambrín.

– Anamichú.

Otún.

– Totarito.

Moinhos.

Medellín.

Vale ressaltar que esses corpos d’água constituem um canal de comunicação vital para o crescimento da economia e, com a construção de barragens e reservatórios, é dado um impulso adicional à qualidade de vida dos habitantes das áreas em que atuam.

A energia elétrica produzida pelas barragens mencionadas é praticamente uma fonte natural inesgotável de recursos que só seria afetada se as medidas ecológicas e de manutenção necessárias não fossem tomadas.

Outro ponto interessante é a existência de muitas correntes de águas subterrâneas, minerais e vulcânicas. Os primeiros funcionam como provedores do líquido vital em condições ideais de consumo; os outros constituem uma fonte de energia para as minas de enxofre.

As fontes termais, muito freqüentes graças à atividade vulcânica de vários elementos da região, são uma fonte de renda graças à exploração turística.

Ameaças

A vida floresce sem restrições, graças à existência de várias massas de água doce que nascem nesta cordilheira, a mesma que permitiu no passado o surgimento de muitas populações que hoje são mantidas e crescem graças aos recursos daquela terra. .

A maior ameaça na região é a caça ilegal e a exploração de recursos intensivamente e sem planos de recuperação para as áreas afetadas. Grandes áreas de floresta estão desaparecendo gradualmente e a diversidade da vida selvagem está diminuindo.

No entanto, a criação de áreas de proteção e parques nacionais, juntamente com regulamentos mais rígidos, ajudará no reflorestamento a médio e longo prazo dos locais mais sensíveis e no retorno de espécies que garantam o equilíbrio da biodiversidade.

Referências

  1. “Hidrografia na Colômbia.” Recuperado em 4 de novembro de 2018 da Colombia Manía: colombiamania.com
  2. “As três cadeias de montanhas.” Retirado em 4 de novembro de 2018 da Publications Week: Semana.com
  3. “Clima na Colômbia.” Retirado em 4 de novembro de 2018 da Colombia Travel: colombia.travel
  4. “Cordilheira central da Colômbia”. Recuperado em 4 de novembro de 2018 da Wikipedia: en.wikipedia.org
  5. “América do Norte do Sul: Colômbia Central.” Recuperado em 4 de novembro de 2018 de World Wild Life: worldwildlife.org
  6. “Orogenia das cordilheiras colombianas”. Recuperado em 4 de novembro de 2018 de Geologia e Geomorfologia: geoloygeomorfoubosque.blogspot.com

Deixe um comentário