Crise parlamentar no Chile: causas, consequências

A crise do parlamentarismo no Chile começou em 1910, quando uma série de circunstâncias começou a enfraquecer o sistema político chileno implantado após a guerra civil de 1891. Apesar disso, o parlamentarismo ainda resistiu a mais uma década, até que, em 1924 , os militares tomaram o poder.

No final do conflito civil no Chile, os vencedores adaptaram a atual Constituição para implementar um sistema em que o Parlamento tinha primazia sobre a figura presidencial. No começo, isso permitiu que o país proporcionasse estabilidade, embora não fosse sem problemas.

Crise parlamentar no Chile: causas, consequências 1

Primeira presidência de Arturo Alessandri Palma – Fonte: Biblioteca do Congresso Nacional [CC BY 3.0 cl (https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/cl/deed.en)]

Assim, a oligarquia permaneceu uma força importante que interrompeu algumas reformas consideradas importantes, principalmente na esfera social. Da mesma forma, as fraudes eleitorais foram muito frequentes. No final, isso causou o surgimento de novos atores políticos, especialmente partidos de esquerda e organizações de trabalhadores.

Em 1924, um grupo de militares assumiu o poder após a interrupção de algumas medidas sociais solicitadas. Depois de alguns meses, Arturo Alessandri retornou à presidência, promulgando uma Constituição que restaurou o sistema presidencial.

Causas

O regime parlamentar no Chile foi estabelecido após a guerra civil de 1821. Apesar da mudança de sistema, não houve reforma da Constituição de 1833, mas simplesmente começou a ser interpretada de maneira diferente.

Assim, os governantes aumentaram o poder dos partidos políticos presentes no Congresso, reduzindo os poderes presidenciais.

Por vários anos, o parlamentarismo funcionou bem, apesar de alguns problemas recorrentes. Não foi até 1910 quando os críticos começaram a aparecer em direção ao sistema, especialmente, para a paralisia de várias leis de natureza social.

Questão social

Quando a crise do parlamentarismo começou, uma das questões mais debatidas no Chile foi a chamada questão social. As leis sociais e trabalhistas eram muito desfavoráveis ​​para os trabalhadores e setores menos favorecidos, que começaram a se mobilizar para obter a aprovação de nova legislação.

Relacionado:  Capitulação de Ayacucho: Principais Características

No início do século XX, o governo havia aprovado algumas das leis que os trabalhadores alegavam. Por exemplo, o domingo foi estabelecido como um dia de descanso e a lei sobre os quartos dos trabalhadores foi promulgada.

No entanto, essas medidas não foram suficientes para aliviar os problemas sofridos pelas classes populares, surgindo novas organizações políticas lutando para melhorar seus direitos.

Oposição da oligarquia às reformas

O parlamentarismo falhou em acabar com o poder que a oligarquia chilena tradicionalmente possuía. De fato, o Congresso estava cheio de membros dessa oligarquia e foi criticado que muitas decisões foram tomadas nos centros elitistas da época, como o Clube Equestre ou nas reuniões dos altos cargos da Igreja.

Durante sua primeira presidência, Jorge Alessandri tentou reformar as leis trabalhistas e o funcionamento do parlamento. Sua intenção era impedir um surto entre classes populares. No entanto, a oligarquia paralisou essas reformas, o que causou um aumento do mal-estar em relação ao sistema.

Corrupção

Outra causa que causou a crise do parlamentarismo chileno foi a chamada lei da comuna autônoma, incluída na lei eleitoral aprovada após a guerra civil.

Com essa legislação, as autoridades locais deixaram de ser controladas pelo governo central. Eles foram, a partir desse momento, os partidos políticos que venceram as eleições que tomaram todas as decisões. Esses partidos poderiam até intervir em todos os aspectos relacionados ao papel eleitoral.

O resultado foi um aumento na fraude. Segundo as crônicas, aqueles que queriam ser eleitos prefeitos ou parlamentares poderiam conseguir a posição pagando grandes quantias de dinheiro.

Barulho de sabre

Em 4 de setembro de 1924, um grupo e militares deram um golpe no Chile. A causa, além das anteriores, foi a não aprovação de uma série de reformas legais que melhoraram as condições de trabalho e vitais dos soldados.

Relacionado:  República Liberal: Antecedentes, Características e Presidentes

Caracteristicas

Durante o estágio em que o sistema parlamentar estava em vigor, o país desfrutou de alguma estabilidade política. Liberais e conservadores se alternaram no poder, emergindo de suas fileiras presidenciais como Jorge Montt, Germán Riesco, Ramón Barrón ou Arturo Alessandri, entre outros.

Sociedade durante o período parlamentar

A sociedade chilena durante esse período foi claramente dividida em três grupos. No topo da pirâmide social estava a oligarquia, com a classe média abaixo. Finalmente, havia uma classe baixa com baixo poder de compra e poucos direitos trabalhistas.

Rotary Ministerial

Como os fundadores do parlamentarismo no Chile decidiram não revogar a Constituição de 1833, que era marcadamente presidencial, era necessário dar uma interpretação diferente. A solução foi a chamada imprensa ministerial, que deu ao Congresso o poder de dissolver o governo.

Com esta imprensa presidencial, cada gabinete ministerial era formado pelo partido majoritário da Câmara.

No entanto, o aspecto negativo que essa prática trouxe foi a dificuldade de aprovar leis. Os gabinetes de ministros costumavam durar muito pouco tempo, apenas alguns meses, por isso era muito difícil para eles aprovar seus projetos.

Surgimento de novos atores

Apesar da aprovação da primeira legislação favorável aos trabalhadores nos primeiros anos do século XX, as condições de vida das classes populares continuaram muito ruins.

Isso motivou o surgimento de várias organizações políticas de esquerda, de algumas com ideologia anarquista ao Partido Socialista dos Trabalhadores.

Governo de Arturo Alessandri

A crise do parlamentarismo começou a ser notada desde 1910, aproximadamente. Uma década depois, as eleições de 1920 levaram Arturo Alessandri Palma ao poder.

Esse político baseara sua campanha em promessas de melhorar as condições das classes populares e da mídia. Graças ao apoio que obteve nesses setores, ele conseguiu derrotar seu oponente.

Uma vez na presidência, Alessandri tentou manter as promessas feitas. Assim, ele escreveu uma série de propostas para modernizar a legislação trabalhista e social. Apesar disso, o Congresso, dominado pela oligarquia política, se recusou a aprovar as novas leis.

Relacionado:  10 Próceres da Independência da Guatemala

Consequências

O ambiente político no país continuou se deteriorando durante os anos seguintes. Finalmente, em setembro de 1924, ocorreu o chamado Sabre Noise, quando um grupo de forças militares forçou o Congresso a aprovar uma série de leis já apresentadas, mas paralisadas pela própria Câmara.

Os golpistas criaram uma Junta Militar para governar o país. Alessandri foi para o exílio e o Congresso foi dissolvido.

Governo militar

Os militares nomearam o general Luis Altamirano como a mais alta autoridade do país, que permaneceu no cargo até janeiro de 1925.

Finalmente, o Conselho de Administração solicitou a Alessandri, em março daquele ano, que voltasse para terminar o mandato que havia sido interrompido.

Alessandri volta e nova Constituição

O retorno de Alessandri à presidência foi marcado pela preparação e aprovação de uma nova Constituição. Isso reforçou o papel do governo na frente do parlamento, razão pela qual é considerado o fim do parlamentarismo no país. Além disso, a nova Magna Carta consagrou a separação definitiva entre o Estado e a Igreja.

Em outros campos, durante esse período, o Banco Central foi fundado, além de reformar os regulamentos fiscais.

Em geral, a legislatura presidencial de Alessandri ganhou considerável apoio na sociedade. No entanto, os militares não estavam do lado deles e pressionaram até a demissão. A presidência era, então, do coronel Carlos Ibáñez del Campo.

Referências

  1. Memória chilena A república parlamentar (1891-1925). Obtido de memoriachilena.gob.cl
  2. Vi-Educacional. Parlamentarismo no Chile. Obtido de vi-e.cl
  3. Biblioteca do Congresso Nacional do Chile. Período 1891-1925. Obtido de bcn.cl
  4. Biblioteca do Congresso dos EUA República Parlamentar, 1891-1925. Recuperado de countrystudies.us
  5. Este é o Chile. História Obtido em thisischile.cl
  6. Buchot, Emmanuel. Chile no século XX: guerra civil e uma república parlamentar. Obtido de voyagesphotosmanu.com
  7. A Biografia Biografia de Arturo Alessandri Palma (1868-1950). Obtido em thebiography.us

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies