Declaração unilateral de vontade: características, exemplos

A declaração unilateral de vontade é um ato legal voluntário que exige uma ou duas vontades para ser executado.Se houver apenas uma vontade expressa, é um ato pelo qual uma pessoa, graças ao poder fornecido pelo sistema jurídico, se torna devedora em um relacionamento legal, sem considerar a opinião do credor.

A declaração unilateral de vontade é uma fonte de obrigações reguladas no Código Civil nos artigos 1860 a 1881, seguindo a linha marcada pelo Código Civil Alemão de 1896, que afirma o valor e a força obrigatória da expressão da vontade unilateral. .

Declaração unilateral de vontade: características, exemplos 1

Caracteristicas

Fonte da obrigação

A declaração unilateral de vontade é caracterizada por ser uma das fontes de obrigações. É essencial determinar se a declaração de intenção de cumprir um benefício pode ser a origem de uma obrigação.

Em alguns casos, a jurisprudência dá à declaração unilateral da vontade o poder de ser a fonte de uma obrigação.

Normalmente – nos casos em que a declaração unilateral produz uma obrigação ou dívida para a pessoa que a faz – é necessária uma aceitação específica da outra parte: o credor. Em seguida, o caso é direcionado para um contrato gerado com a aceitação do credor.

É importante entender que quem entra em um concurso com um prêmio específico, de alguma forma aceita a recompensa e as regras do concurso. Dessa maneira, novamente, ele é orientado para a figura de um contrato.

No entanto, em alguns casos, o concurso público como uma declaração unilateral de vontade não pode forçar a pessoa que executa a conduta do objeto a fazê-lo conscientemente.

Se isso acontecer, é possível pensar que é uma obrigação que se origina da declaração unilateral de vontade, através da qual o concurso é divulgado.

Conflito com o pensamento clássico

A noção de que a declaração unilateral de vontade é uma fonte de obrigações entra em conflito total com o pensamento clássico, segundo o qual apenas vontades comuns podem ter esse efeito.

Apesar disso, contemplar o cenário jurídico evidencia que existem muitas obrigações que emanam apenas da declaração unilateral de uma pessoa.

Força de ligação

Em relação à força vinculativa, cada sistema jurídico pode expressar regulamentos diferentes.

Por exemplo, o sistema jurídico mexicano em sua esfera civil entende que as promessas fazem parte das declarações unilaterais de vontade. O artigo 1860 estabelece que o proprietário será obrigado a cumprir a oferta, desde que tenha feito uma oferta pública a um preço fixo.

No entanto, no sistema jurídico argentino nenhuma força vinculativa é concedida, uma vez que em seu artigo 1148 afirma que a promessa só é exigível se for feita a pessoas específicas. Nesse caso, há exceções, como a assunção da promessa de recompensa.

Eficácia obrigatória

A eficácia obrigatória da declaração unilateral de vontade é outro elemento que pode ser confuso.

As dúvidas que surgem têm a ver com o tempo para estabelecer o prazo em que a obrigação será gerada como resultado do cumprimento de uma conduta planejada.

No caso de duas pessoas que cumpriram a conduta, também surgem dúvidas sobre qual dos dois indivíduos recebe o crédito certo.

Essas dúvidas surgem porque a solução ainda não foi corrigida na declaração de vontade. Normalmente, tentamos redirecionar o assunto, usando critérios habituais e boa fé.

Tipos

Estipulação a favor de terceiros

Trata-se de uma declaração unilateral de vontade segundo a qual uma das partes de um contrato estabelece uma cobrança, o que implica que outra promete que irá obter um benefício específico em favor de uma terceira parte.

Ofertas ao público

É uma declaração unilateral de vontade dirigida a quem a conhece. A referida declaração deve incluir os elementos básicos de um benefício que está disposto a cumprir, formulado com a vontade de satisfazer. Esses elementos são:

Promessa de uma recompensa.

-Oferta da venda.

-Concurso da promessa de venda.

Documentos civis devidos ao portador ou ordem

A promessa de um documento civil pagável ao pedido ou ao portador é um tipo de ato de declaração unilateral. É necessário fornecer o documento ao portador ou endossado, para validar e solicitar o prometido.

O poder

É um documento através do qual um indivíduo fornece a outro (o procurador) o poder de representá-lo em certos atos legais. Eles são normalmente concedidos antes de uma escritura pública.

Exemplos

Oferta de venda de amostra

Quando você deseja vender uma casa, é feita uma oferta de venda em vários sites imobiliários. É uma oferta de uma parte aberta a quem estiver interessado.

Exemplo de poder

Um idoso decide conceder uma procuração a um terceiro (seu advogado) para que ele possa fazer acordos financeiros em seu nome. É uma declaração unilateral da vontade de transferir sua representação para outra.

Exemplo de promessa de recompensa

Uma pessoa oferece uma recompensa a quem encontrar sua raça de cachorro, que foi perdida em um passeio em família para o centro da cidade.

É uma declaração unilateral de vontade de dar dinheiro àqueles que entregam ou conhecem o paradeiro do animal.

Referências

  1. Rodrigo Bercovitz Rodríguez-Cano. A declaração unilateral de vontade. infoderechocivil.com
  2. Legalmag (2016). Declaração unilateral de vontade. definicionlegal.blogspot.com
  3. Hilda (2009). A declaração unilateral de vontade. Right.laguia200.com
  4. Obrigações civis (2016) Declaração unilateral de vontade. Obligationscivilesuvmtuxtla.blogspot.com.
  5. Enciclopédia Jurídica Vontade unilateral.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies