Delirium tremens: sintomas, causas, tratamentos

Delirium tremens, também conhecido como DT, é um estado grave de confusão mental que ocorre em algumas pessoas que param de beber álcool após um uso excessivo e prolongado. Este distúrbio pode ser potencialmente fatal e requer tratamento médico imediato. Neste artigo, discutiremos os sintomas, causas e opções de tratamento disponíveis para o delirium tremens.

Principais causas do delirium tremens: alcoolismo, abstinência e desequilíbrio de neurotransmissores no cérebro.

Delirium tremens é uma condição grave que pode ocorrer em pessoas que sofrem de alcoolismo e param de consumir álcool subitamente. Os sintomas podem incluir confusão, agitação, alucinações e tremores intensos. As principais causas do delirium tremens estão relacionadas ao alcoolismo, à abstinência e ao desequilíbrio de neurotransmissores no cérebro.

O alcoolismo crônico pode levar a alterações na estrutura e função do cérebro, o que pode predispor uma pessoa ao desenvolvimento do delirium tremens. Quando uma pessoa que consome álcool em excesso para de beber, o corpo entra em um estado de abstinência, o que pode desencadear sintomas graves, como os observados no delirium tremens.

Além disso, o desequilíbrio de neurotransmissores, como o GABA e o glutamato, no cérebro também pode contribuir para o desenvolvimento do delirium tremens. Esses neurotransmissores desempenham um papel importante na regulação do humor, do sono e da ansiedade, e alterações em seus níveis podem levar a sintomas psicológicos e físicos graves.

O tratamento do delirium tremens geralmente envolve a administração de medicamentos para controlar os sintomas, bem como a internação em uma unidade de terapia intensiva para monitorar de perto a condição do paciente. É essencial procurar ajuda médica imediatamente se alguém apresentar sintomas de delirium tremens, pois a condição pode ser potencialmente fatal se não for tratada adequadamente.

Principais abordagens terapêuticas para o delirium: o que considerar no tratamento dessa condição?

O Delirium tremens é uma condição grave que pode ocorrer em pacientes que sofrem de abstinência alcoólica. Caracteriza-se por sintomas como confusão mental, agitação, alucinações e tremores. O tratamento do Delirium tremens envolve várias abordagens terapêuticas que visam controlar os sintomas e prevenir complicações.

Uma das principais abordagens terapêuticas para o Delirium tremens é a administração de medicamentos sedativos, como benzodiazepínicos, para controlar a agitação e as alucinações. Além disso, é importante manter a hidratação e corrigir distúrbios eletrolíticos, que muitas vezes estão presentes nesses pacientes.

Outra estratégia importante no tratamento do Delirium tremens é a identificação e tratamento de possíveis causas subjacentes, como infecções, desequilíbrios metabólicos ou uso de outras substâncias psicoativas. Além disso, é fundamental proporcionar um ambiente calmo e tranquilo para o paciente, a fim de minimizar o estresse e a ansiedade.

Em casos graves de Delirium tremens, pode ser necessário o acompanhamento em uma unidade de terapia intensiva, onde o paciente recebe monitoramento constante e cuidados intensivos. Em situações extremas, a utilização de ventilação mecânica pode ser necessária para garantir a oxigenação adequada do paciente.

Com uma intervenção adequada e oportuna, é possível controlar os sintomas do Delirium tremens e prevenir complicações graves.

Qual é a duração do delirium tremens?

O delirium tremens é um estado grave de abstinência alcoólica que pode ocorrer em pessoas que têm o hábito de consumir grandes quantidades de álcool por um longo período de tempo. Os sintomas do delirium tremens incluem tremores intensos, alucinações, confusão mental, sudorese, taquicardia e agitação.

Uma das dúvidas mais comuns sobre o delirium tremens é a sua duração. Em geral, os sintomas do delirium tremens começam a se manifestar entre 48 e 96 horas após a última ingestão de álcool. A duração do delirium tremens pode variar de pessoa para pessoa, mas geralmente dura de 2 a 5 dias. Em casos mais graves, o delirium tremens pode durar até uma semana.

Relacionado:  Substâncias psicoativas: características e tipos

É importante ressaltar que o delirium tremens é uma condição médica que requer tratamento imediato. O tratamento do delirium tremens geralmente envolve a administração de medicamentos para controlar os sintomas, bem como a monitorização constante da pessoa afetada. Em casos graves, a pessoa pode precisar ser hospitalizada para receber cuidados intensivos.

Portanto, se você ou alguém que você conhece está enfrentando sintomas de delirium tremens, é essencial procurar ajuda médica imediatamente. O delirium tremens pode ser uma condição potencialmente fatal se não for tratada adequadamente.

Quais são as causas do delirium?

As causas do delirium tremens podem variar, mas geralmente estão relacionadas ao consumo excessivo e prolongado de álcool. O abuso do álcool pode levar a uma série de alterações químicas no cérebro, resultando em sintomas como confusão, alucinações, agitação e tremores.

Além do consumo de álcool, outras causas do delirium tremens podem incluir problemas de saúde mental, como transtornos de ansiedade e depressão, ou condições médicas preexistentes como doenças hepáticas ou renais. A interação de medicamentos também pode desencadear o delirium tremens em algumas pessoas.

É importante ressaltar que o delirium tremens é uma condição grave que requer atenção médica imediata. O tratamento pode incluir a administração de medicamentos para controlar os sintomas, terapia intravenosa para repor os nutrientes perdidos e suporte psicológico para ajudar o paciente a lidar com as consequências do delirium.

Delirium tremens: sintomas, causas, tratamentos

O delirium tremens é uma síndrome de abstinência causada quando uma pessoa viciada em ingestão de álcool esta substância pára de repente. Geralmente aparece dois ou três dias após a data em que o indivíduo abandona o consumo de álcool e seus efeitos normalmente duram aproximadamente na mesma hora.

Delirium tremens é uma das síndromes de abstinência mais perigosas que existem. Os efeitos mais comuns causados ​​por ele incluem tremor, calafrios, alterações no ritmo cardíaco, suores, alucinações, paranóia e extremo desconforto físico. Além disso, em muitos casos, o aparecimento de aumentos repentinos na temperatura corporal ou convulsões pode causar a morte da pessoa.

Delirium tremens: sintomas, causas, tratamentos 1

Ao contrário do que acontece com outras drogas, o aparecimento de delirium tremens requer um consumo extremamente alto de álcool por um período prolongado de tempo. Considera-se geralmente que o indivíduo deve ingerir doses muito altas desta substância diariamente por pelo menos um mês para começar a correr um risco real de desenvolver essa síndrome.

O tratamento do delirium tremens não é fácil e geralmente está comprometido com a prevenção para torná-lo mais gerenciável. No entanto, uma vez que apareceu, é necessário realizar uma intervenção muito agressiva para que a pessoa tenha o máximo de chances de sobreviver e se recuperar. Freqüentemente, essa intervenção envolve a administração de ansiolíticos e antipsicóticos, vitaminas, eletrólitos e sedativos.

Considera-se que quase metade das pessoas com alcoolismo acabará desenvolvendo sintomas relacionados à abstinência. Destes, entre 3 e 5% terão delirium tremens propriamente dito; e entre 15 e 35% deles morrerão devido a seus sintomas.

Sintomas

Delirium tremens: sintomas, causas, tratamentos 2

A maioria dos sintomas do delirium tremens está relacionada ao aumento da atividade do sistema nervoso simpático, que é deprimido durante os períodos em que o álcool é consumido em grandes quantidades. Portanto, a maioria tem a ver com um aumento de atividade, tanto cerebral quanto puramente física.

Entre os sintomas mais comuns estão: pesadelos, agitação ou ansiedade, desorientação, confusão global, febre, aumento da pressão arterial, sudorese, aumento da frequência cardíaca e estado de nervosismo geral. Além disso, muitos pacientes relatam o aparecimento de alucinações visuais, auditivas e táteis. De fato, o nome da síndrome deriva precisamente desse sintoma.

Relacionado:  Como prevenir vícios em adolescentes e adultos

Em algumas ocasiões, os sintomas do delilrium tremens podem aparecer imediatamente quando a pessoa para de beber; mas na maioria dos casos elas se desenvolvem a partir do segundo ou terceiro dia de abstinência, atingindo seu pico no quarto e no quinto. Por outro lado, a maioria dos pacientes afirma que seus sintomas são mais intensos à noite.

Alucinações e paranoias

Como já vimos, alucinações e paranóia estão entre os sintomas mais comuns do delirium tremens. Além disso, geralmente são muito desagradáveis, gerando extremo desconforto entre os pacientes que têm a infelicidade de sofrer.

Por exemplo, muitos que sofrem de delirium tremens afirmam ver animais desagradáveis ​​ou perigosos em seu ambiente, como ratos, cobras ou baratas. Eles também podem ouvir sons perturbadores que realmente não existem, ou têm a sensação de que as sombras se movem na periferia de sua visão.

Além disso, um grande número de pacientes com síndrome de abstinência alcoólica sofre um fenômeno conhecido como “treinamento”, que faz com que sintam insetos correndo pela pele.

Por outro lado, todas essas alucinações são geralmente acompanhadas de idéias extremamente desagradáveis. Algumas das mais comuns incluem a sensação de que algo horrível vai acontecer em breve, ou a ideia de que a pessoa vai morrer de repente. Além disso, os pacientes geralmente também sofrem ataques de ansiedade e pânico muito fortes.

Sintomas físicos extremos

Em algumas ocasiões, os sintomas físicos causados ​​pelo delirium tremens podem ficar fora de controle e se tornar extremamente fortes. Por exemplo, alguns pacientes sofrem convulsões ou tremores nas extremidades que os tornam incapazes de controlá-los ou de se mover adequadamente.

Em casos mais extremos, essas convulsões podem generalizar e levar a pessoa a perder a consciência. Nos casos em que esse sintoma aparece próximo a febre alta, mais de um terço das pessoas afetadas morrem se não receberem tratamento imediatamente.

Tipos

Delirium tremens: sintomas, causas, tratamentos 3

Embora os sintomas sejam muito semelhantes na maioria dos casos de delirium tremens, algumas vezes são definidos três subtipos distintos: hiperativo, hipoativo e misto. A seguir, veremos as características de cada um deles.

Subtipo Hiperativo

As pessoas que sofrem desse tipo de delirium tremens têm um quadro sintomático caracterizado por um maior estado de ativação. Assim, em geral essas pessoas são inquietas, com maior tendência à paranóia e alucinações positivas; isto é, aqueles em que vêem objetos ou seres que não estão realmente lá.

Ao mesmo tempo, o humor desses pacientes geralmente é irritável, e eles mostram um excesso de energia que resulta em movimentos irregulares, fala mais rápido e outros sintomas semelhantes.

Subtipo hipoativo

Os sintomas presentes no delirium tremens hipoativo são opostos aos do subtipo anterior. Assim, as pessoas que o desenvolvem geralmente se movem lenta e pesadamente e têm uma menor necessidade de interagir com o ambiente ou com outros indivíduos.

Ao mesmo tempo, o nível de alerta também diminui, o que significa que eles não são tão paranóicos quanto os do tipo anterior. Eles geralmente têm apatia e um achatamento considerável de emoções; e se houver alucinações, elas geralmente são negativas (ou seja, a pessoa não vê um objeto que esteja realmente lá).

Esse subtipo de delirium tremens é muito menos comum que os outros dois, aparecendo apenas em uma pequena porcentagem das pessoas afetadas.

Subtipo misto

Uma pessoa que sofre de delirium tremens misto terá sintomas típicos dos outros dois subtipos, geralmente de maneira entrelaçada. Assim, é possível que o indivíduo tenha, por exemplo, menos necessidade de falar e interagir normalmente, mas, ao mesmo tempo, precisa se mover e executar ações de maneira irregular.

Relacionado:  Dependência móvel: sintomas, causas, consequências, tratamento

Causas

Delirium tremens: sintomas, causas, tratamentos 4

O delirium tremens, como todos os outros tipos de síndromes de abstinência existentes, é causado pela presença de um período prolongado de tempo durante o qual a pessoa bebe excessivamente e é interrompida subitamente. Outros fatores, como um ferimento na cabeça, uma infecção ou alguns tipos de doença, podem tornar sua aparência mais provável.

Alguns profissionais médicos acreditam que a síndrome de abstinência causada por alguns tranqüilizantes, como barbitúricos ou benzodiazepínicos, também pode ser considerada um tipo de delirium tremens. Isso ocorre porque os efeitos de ambas as substâncias são muito semelhantes aos do álcool no nível do cérebro, e parar de tomá-los ativa as mesmas áreas do córtex.

Quando uma pessoa tem consumo excessivo de álcool ou tranqüilizantes, seu sistema nervoso simpático (responsável por ativar o corpo) fica cronicamente deprimido. Portanto, quando o indivíduo para de tomar o medicamento, seu corpo não consegue se regular adequadamente e esse sistema é ativado em excesso.

No entanto, para chegar a esse ponto, é necessário que a pessoa tenha abusado muito do álcool. De acordo com alguns estudos a esse respeito, a maioria dos casos de delirium tremens ocorre em indivíduos com histórico de pelo menos 10 anos de consumo excessivo de álcool e que tentam parar subitamente.

Tratamentos

Como já vimos, o delirium tremens pode ser extremamente perigoso, pois, se nenhum tratamento for recebido, mais de 30% das vítimas morrerão nas fases mais complicadas da síndrome. Portanto, é extremamente importante que um indivíduo que sofra disso seja transferido o mais rápido possível para um hospital.

Durante o tratamento, existem três objetivos principais: salvar a vida das pessoas que sofrem de delirium tremens, diminuir a intensidade dos sintomas para facilitar a experiência e tentar evitar todos os tipos de complicações que possam surgir devido à situação.

Para isso, a parte mais importante do tratamento é a restituição do equilíbrio químico dentro do corpo. Freqüentemente, os médicos colhem amostras de sangue e as analisam e depois administram ao paciente qualquer substância necessária para atingir um estado estável. Alguns dos mais comuns são líquidos, eletrólitos e vitaminas de todos os tipos.

Por outro lado, sinais vitais como respiração, pressão arterial, temperatura corporal e freqüência cardíaca também serão verificados. Se aparecerem sintomas perigosos, como convulsões ou febre muito alta, diferentes tipos de medicamentos serão administrados para remover o paciente do perigo.

Em geral, o tratamento é realizado com o paciente em estado de coma induzido, pois os sintomas podem ser extremamente desagradáveis ​​para a pessoa. Normalmente, também são administrados benzodiazepínicos ou barbitúricos, que ativam as mesmas áreas do cérebro que o álcool, para reduzir ao máximo os efeitos do delirium tremens.

Finalmente, se a síndrome ocorrer com a presença de alucinações ou paranóia grave, também é possível administrar ao paciente medicamentos antipsicóticos, como o haloperidol.

Referências

  1. “Delirium tremens” em: Medline Plus. Retirado em: 02 de outubro de 2019 de Medline Plus: medlineplus.gov.
  2. “Delirium tremens” em: Consultas na Web. Retirado em: 02 de outubro de 2019 de Web Consultas: webconsultas.com.
  3. “Delirium tremens: uma séria síndrome de abstinência alcoólica” em: Psicologia e Mente. Retirado em: 02 de outubro de 2019 de Psicologia e mente: psicologiaymente.com.
  4. “Delirium Tremens” em: Medline Plus. Retirado em: 02 de outubro de 2019 no Medline Plus: funsepa.net.
  5. “Delirium tremens” em: Wikipedia. Retirado em: 02 de outubro de 2019 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário