Doença de Peyronie: o que é, sintomas, causas e tratamento

A doença de Peyronie é uma condição que afeta o pênis, causando a formação de tecido cicatricial no órgão, resultando em curvatura anormal durante a ereção. Os principais sintomas incluem dor durante a ereção, curvatura do pênis, dificuldade em manter uma ereção e diminuição do tamanho do pênis. As causas exatas da doença de Peyronie não são totalmente compreendidas, mas acredita-se que lesões repetidas no pênis, inflamação e predisposição genética possam desempenhar um papel. O tratamento da doença de Peyronie pode incluir medicamentos, terapia de ondas de choque, injeções de colágeno, cirurgia e dispositivos de tração peniana. É importante procurar ajuda médica se você suspeitar de ter essa condição, pois o tratamento precoce pode ajudar a minimizar os sintomas e prevenir complicações.

Possíveis causas da doença de Peyronie: fatores genéticos, traumas penianos e doenças autoimunes.

A Doença de Peyronie é uma condição caracterizada pela formação de tecido cicatricial no pênis, causando curvatura anormal durante a ereção. Embora a causa exata ainda não seja totalmente compreendida, existem algumas possíveis causas que podem estar relacionadas ao desenvolvimento da doença.

Um dos fatores que podem contribuir para a Doença de Peyronie são os fatores genéticos. Estudos indicam que a predisposição genética pode desempenhar um papel importante na manifestação da condição. Indivíduos com histórico familiar da doença têm maior probabilidade de desenvolvê-la.

Além disso, traumas penianos repetidos ou significativos também podem desencadear a Doença de Peyronie. Lesões no pênis, como aquelas causadas por atividade sexual vigorosa ou incidentes traumáticos, podem levar à formação de tecido cicatricial e curvatura peniana.

Outra possível causa da Doença de Peyronie são as doenças autoimunes. Distúrbios autoimunes, nos quais o sistema imunológico ataca o próprio corpo, podem desencadear processos inflamatórios e cicatrização anormal no pênis, contribuindo para o desenvolvimento da condição.

Compreender essas possíveis causas é fundamental para o diagnóstico e tratamento adequado da condição.

Descubra os sinais da doença de Peyronie e como identificá-la rapidamente.

A doença de Peyronie é uma condição que afeta o pênis, causando a formação de placas fibrosas no tecido que reveste o órgão. Essas placas podem resultar em curvatura anormal durante a ereção, dor durante o ato sexual e dificuldade em manter uma ereção. É importante saber identificar os sinais dessa doença para buscar tratamento adequado o mais rápido possível.

Alguns dos sintomas da doença de Peyronie incluem curvatura anormal do pênis durante a ereção, dor durante o ato sexual, nódulos ou placas endurecidas no pênis, diminuição da elasticidade do pênis e dificuldade em manter uma ereção. Se você notar algum desses sinais, é importante procurar um médico especialista em saúde sexual para um diagnóstico preciso.

As causas da doença de Peyronie ainda não são totalmente compreendidas, mas acredita-se que fatores genéticos, traumas repetitivos no pênis, inflamação e distúrbios do sistema imunológico possam contribuir para o seu desenvolvimento. O diagnóstico é feito com base nos sintomas apresentados pelo paciente, exame físico e, em alguns casos, exames de imagem.

Relacionado:  Os 7 tipos de corpo (ou somatotipos): o que são?

O tratamento da doença de Peyronie pode incluir terapias medicamentosas, terapias físicas, injeções no pênis, dispositivos de tração peniana e, em casos mais graves, cirurgia. É importante buscar orientação de um médico especializado para determinar o melhor tratamento para o seu caso específico.

É possível reverter a doença de Peyronie através de tratamentos médicos específicos.

A Doença de Peyronie é uma condição caracterizada pela formação de tecido cicatricial no pênis, o que pode resultar em curvatura anormal durante a ereção. Os sintomas incluem dor durante a ereção, curvatura do pênis e dificuldade em manter relações sexuais. As causas dessa condição ainda não são totalmente compreendidas, mas acredita-se que lesões no pênis, predisposição genética e certas condições médicas possam desempenhar um papel na sua ocorrência.

O tratamento da Doença de Peyronie pode incluir o uso de medicamentos, terapia de ondas de choque, injeções de colagenase e, em casos mais graves, cirurgia. Alguns estudos mostraram que a combinação de terapia de ondas de choque e injeções de colagenase pode ajudar a reduzir a curvatura do pênis e melhorar os sintomas. É importante consultar um médico para obter um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado.

Embora a Doença de Peyronie possa ser desconfortável e impactar a vida sexual de um indivíduo, é possível reverter essa condição com os tratamentos médicos certos. É fundamental procurar ajuda médica assim que os sintomas surgirem para iniciar o tratamento o mais cedo possível e evitar complicações a longo prazo.

Duração da doença de Peyronie: Qual o tempo de duração da condição?

A doença de Peyronie é uma condição em que ocorre o desenvolvimento de tecido cicatricial no pênis, resultando em curvatura e deformidades durante a ereção. A duração da doença de Peyronie pode variar de pessoa para pessoa, com alguns casos apresentando uma progressão lenta ao longo de vários meses ou anos, enquanto outros casos podem ter uma evolução mais rápida.

Em geral, a doença de Peyronie tende a ser mais ativa nos primeiros 12 a 18 meses após o início dos sintomas. Durante esse período, as placas de tecido fibroso podem se tornar mais pronunciadas e a curvatura do pênis pode se agravar. Após esse período inicial, a doença de Peyronie pode estabilizar e os sintomas podem se tornar mais estáveis.

É importante ressaltar que a doença de Peyronie é uma condição crônica e que, em alguns casos, os sintomas podem persistir ao longo da vida do paciente. No entanto, existem opções de tratamento disponíveis que podem ajudar a aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Se você está enfrentando sintomas da doença de Peyronie, é fundamental procurar a orientação de um médico especialista para receber um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado. Com o acompanhamento médico correto, é possível controlar os sintomas e minimizar o impacto da doença de Peyronie na sua vida.

Doença de Peyronie: o que é, sintomas, causas e tratamento

Doença de Peyronie: o que é, sintomas, causas e tratamento 1

A sexualidade é uma parte importante do nosso ser, sendo parte do nosso desenvolvimento socioafetivo e da nossa identidade e assumindo uma das fontes mais poderosas e habituais de gratificação física.

No ato sexual, uma grande variedade de órgãos e partes do corpo entra em cena, estando entre eles (e mesmo sendo os únicos considerados relevantes) os órgãos genitais.

Essa parte do corpo, assim como as demais, pode sofrer diferentes alterações que dificultam seu funcionamento. Um exemplo deles no caso dos homens é a doença de Peyronie (ou ‘doença de La Peyronie’), uma alteração capaz de gerar muita dor e impossibilitar o sexo com penetração peniana. É sobre esta doença que vamos falar ao longo deste artigo.

  • Artigo recomendado: “Os 9 principais distúrbios sexuais e psicossexuais”

O que é a doença de Peyronie?

A doença de Peyronie, também chamada de endurecimento peniano plástico (ou de uma maneira popular “doença do pênis torcido / pênis”), é uma condição ou problema médico em que o pênis se desvia ou se curva devido ao aparecimento de uma banda fibrosa ou placa nos corpos cavernosos . Essa faixa de tecido fibroso, benigna e não cancerosa, pode ser entendida como um tecido cicatricial cujo endurecimento impede que o pênis se estenda normalmente durante a ereção.

A curvatura do membro geralmente causa uma ereção desviada e anômala que pode ser dolorosa para o sujeito e que também impossibilita a manutenção do sexo com penetração, algo que implica disfunção sexual. A dor pode aparecer durante a ereção ou mesmo sem a necessidade, e é comum que, com o passar do tempo, a curvatura gerada aumente com o tempo até atingir uma fase de estabilização.

É importante ter em mente que existem morfologias penianas que tendem a se curvar sem ter que apresentar esta doença e sem inconvenientes para seus proprietários, sendo a banda fibrosa e a curvatura extrema da doença de Peyronie a mais definidora pênis

Doença de Peyronie: o que é, sintomas, causas e tratamento 2

Sintomas e consequências

Em alguns casos, a doença de Peyronie pode levar à disfunção erétil (na verdade, é uma de suas possíveis causas primárias de origem biológica), e há uma perda de fluxo sanguíneo para a glande devido ao estrangulamento causado pelo tecido fibroso. Às vezes, há também um encurtamento ou estreitamento do pênis, principalmente devido à curvatura.

Esta doença geralmente aparece em homens caucasianos entre 40 e 50 anos , não sendo frequente antes dela (embora existam casos). Essa é uma alteração mais frequente do que parece: outros tipos de população, como os de origem africana e asiática, mal registram casos.

Relacionado:  O que é um marcador genético? Para que serve?

O conjunto de alterações causadas pela doença de Peyronie pode levar a um comprometimento psicológico significativo: a dor e a disfunção é sexual podem levar à ansiedade e evitar o contato emocional e sexual, ansiedade, sentimentos de perda de valor, agitação e até depressão .

Causas desta doença

As causas da doença de Peyronie não são totalmente identificadas e é geralmente aceito que essa alteração tenha origem multifatorial .

No entanto, uma das causas consideradas mais comuns para esse distúrbio é a provocação de micro lesões no pênis (por exemplo, um golpe ou o produto de uma relação sexual súbita) que esporadicamente ou ao longo da vida por causar o aparecimento de tecido cicatricial nos corpos cavernosos.

Também houve casos relacionados à realização de cirurgias penianas prévias ou após tratamentos para câncer de próstata. Idade, história familiar (algo que poderia indicar a existência de predisposição genética) ou problemas / distúrbios anteriores do tecido conjuntivo foram observados como fatores de risco. A diabetes , a hipertensão e o tabagismo também pode influenciar e facilitar esta desordem por afectar a resistência e flexibilidade dos vasos sanguíneos, que podem conduzir a hematomas fechando chumbo a criação de tecido cicatricial.

Tratamento

Embora existam alguns casos em que ocorre remissão espontânea, estes são muito poucos. Na maioria dos casos, a doença de Peyronie requer algum tipo de intervenção médica ou farmacológica , que geralmente visa reduzir a curvatura do pênis e devolver sua funcionalidade, de modo que não gere dor e permita relações de penetração. .

Entre as diferentes alternativas, uma delas é a cirurgia . Nesse sentido, pode ser necessária a ressecção completa do tecido fibroso ou a realização de cortes na placa, com enxerto de colágeno-fibrinogênio-trombina para preencher a lesão e ajudar a recuperar a funcionalidade do membro. Esses tipos de procedimentos têm sido altamente eficazes, embora possam ter efeitos indesejáveis, como o encurtamento do pênis.

Outra opção é a aplicação de ondas de choque que enfraquecem a placa e favorecem a recuperação da área lesionada. Medicamentos como colchicina, vitamina E, tamoxifeno ou paraeminobenzoato de potássio também são utilizados, embora sua eficácia seja limitada.

Deve-se notar também que pode ser necessária assistência psicológica, especialmente quando há sentimentos de inadequação ou presença de sintomas ansiosos ou depressivos. Em alguns casos , a terapia de casal também pode ser necessária .

Referências bibliográficas:

  • Cortés-González, JR e Glina, S. (2010). Tratamento conservador da doença de Peyronie: colchicina versus colchicina mais vitamina E. Spanish Urological Records, 34 (5)

  • Hauck, EW e Weiner, W. (2001) François de la Peyronie e a doença em homenagem a ele. The Lancet, vol. 357

Deixe um comentário