Ecossistema florestal: características, flora, fauna, exemplos

Os ecossistemas florestais são áreas naturais que abrigam uma grande diversidade de vida, incluindo plantas, animais, fungos e microorganismos. Caracterizados pela presença de árvores e vegetação densa, esses ecossistemas desempenham um papel fundamental na regulação do clima, na conservação da biodiversidade e na manutenção do equilíbrio ecológico.

A flora dos ecossistemas florestais é composta por uma grande variedade de espécies de árvores, arbustos, plantas herbáceas e vegetação epífita, que se adaptam às condições específicas do ambiente. Já a fauna é igualmente diversificada, com a presença de mamíferos, aves, répteis, anfíbios, insetos e outros animais que desempenham papéis importantes na cadeia alimentar e na dispersão de sementes.

Alguns exemplos de ecossistemas florestais incluem a Floresta Amazônica, a Mata Atlântica, as florestas temperadas da América do Norte e da Europa, as florestas tropicais da África e da Ásia, entre muitos outros. Cada um desses ecossistemas apresenta características únicas, adaptadas às condições climáticas, geográficas e geológicas específicas de cada região.

Exemplos de fauna e flora: o que são e como identificar na natureza.

Para entender melhor o ecossistema florestal, é importante primeiro compreender o que são fauna e flora. A fauna se refere ao conjunto de animais que habitam determinada região, enquanto a flora representa as plantas presentes nesse mesmo ambiente. Ambos desempenham papéis essenciais na manutenção do equilíbrio ecológico.

Na natureza, a fauna pode ser identificada através da observação de animais como aves, mamíferos, répteis, anfíbios e insetos. Cada espécie possui características únicas que permitem sua identificação, como padrões de cores, formas do corpo e comportamentos específicos. Já a flora pode ser reconhecida através da observação de diferentes tipos de plantas, como árvores, arbustos, flores e musgos. A identificação das plantas geralmente é feita com base em características como folhas, flores, frutos e caules.

Ecossistema florestal: características, flora, fauna, exemplos

O ecossistema florestal é um dos mais ricos e diversificados do planeta, abrigando uma grande variedade de espécies de fauna e flora. Caracteriza-se pela presença predominante de árvores de diferentes tamanhos e espécies, que formam um ambiente propício para o desenvolvimento de diversas formas de vida.

A fauna do ecossistema florestal inclui animais como macacos, jaguares, tucanos, cobras, borboletas e uma infinidade de insetos. Essas espécies desempenham papéis fundamentais na cadeia alimentar e na dispersão de sementes, contribuindo para a manutenção da biodiversidade da floresta.

A flora do ecossistema florestal é igualmente diversificada, com espécies de árvores como a samaúma, o ipê, a castanheira e o cedro. Além disso, é comum encontrar uma grande variedade de plantas rasteiras, trepadeiras e epífitas, que se adaptam às condições específicas desse ambiente.

A preservação desse ecossistema é fundamental para garantir a sobrevivência de inúmeras espécies de plantas e animais que dependem dele para viver.

Qual a definição de biodiversidade em relação à fauna e flora?

A biodiversidade se refere à variedade de espécies de plantas e animais que habitam um determinado ecossistema. Em relação à fauna e flora, a biodiversidade se manifesta na quantidade e diversidade de seres vivos que compõem um ambiente natural, como é o caso do ecossistema florestal.

O ecossistema florestal é caracterizado pela presença de uma grande diversidade de árvores, arbustos, plantas e animais. Essa variedade de espécies contribui para a manutenção do equilíbrio ecológico, pois cada ser vivo desempenha um papel fundamental na regulação do ecossistema.

Na fauna do ecossistema florestal, podemos encontrar uma grande variedade de animais, como aves, mamíferos, répteis e insetos. Cada espécie desempenha um papel específico na cadeia alimentar e na dinâmica do ecossistema.

Um exemplo de ecossistema florestal é a Floresta Amazônica, que abriga uma imensa diversidade de espécies de plantas e animais. Nesse ambiente, a interação entre os diferentes seres vivos é fundamental para a sobrevivência e o funcionamento saudável do ecossistema.

Portanto, a biodiversidade em relação à fauna e flora em um ecossistema florestal se refere à variedade de espécies de plantas e animais que coexistem e interagem em um ambiente natural, contribuindo para a manutenção da vida e da saúde do ecossistema como um todo.

Conheça a diversidade de animais e plantas na Mata Atlântica.

O ecossistema florestal da Mata Atlântica é conhecido por sua rica diversidade de animais e plantas. Esta floresta tropical localizada ao longo da costa leste do Brasil abriga uma grande variedade de espécies, muitas das quais são endêmicas e não são encontradas em nenhum outro lugar do mundo.

Relacionado:  Estratosfera: características, funções, temperatura

A flora da Mata Atlântica é composta por uma grande variedade de árvores, arbustos, plantas herbáceas e epífitas. Espécies como a palmeira juçara, a araucária e a bromélia são exemplos de plantas que podem ser encontradas nesta floresta exuberante. A diversidade de plantas na Mata Atlântica é fundamental para a manutenção do equilíbrio ecológico do ecossistema.

Quanto à fauna, a Mata Atlântica abriga uma grande diversidade de animais, incluindo mamíferos, aves, répteis, anfíbios e invertebrados. Espécies como o mico-leão-dourado, a onça-pintada, o tucano e a preguiça são apenas alguns dos exemplos de animais que habitam essa floresta tropical.

Além disso, a Mata Atlântica é lar de uma grande variedade de animais ameaçados de extinção, tornando-se um importante refúgio para a conservação da biodiversidade. A preservação deste ecossistema é essencial para garantir a sobrevivência de inúmeras espécies de plantas e animais que dependem dele para viver.

Principais características da fauna: conheça os aspectos mais marcantes dos animais.

O ecossistema florestal é um ambiente rico em biodiversidade, abrigando uma grande variedade de espécies de plantas e animais. Na fauna, encontramos uma série de características marcantes que contribuem para a manutenção do equilíbrio ecológico.

Uma das principais características da fauna é a sua diversidade de espécies, que se adaptam às diferentes condições ambientais presentes na floresta. Essa variedade de animais inclui desde pequenos insetos até grandes mamíferos, cada um desempenhando um papel importante na cadeia alimentar e na regulação do ecossistema.

Além disso, a fauna florestal também se destaca pela sua capacidade de se camuflar e se mimetizar no ambiente, tornando-se mais difícil de ser detectada por predadores. Essa adaptação é essencial para a sobrevivência das espécies na floresta, onde a competição por recursos é acirrada.

Outra característica marcante da fauna é a sua interação com a flora, formando um sistema complexo de relações ecológicas. Os animais desempenham um papel crucial na dispersão de sementes, na polinização das plantas e na ciclagem de nutrientes, contribuindo para a manutenção da biodiversidade e da saúde do ecossistema.

A sua diversidade, capacidade de adaptação e interação com a flora são aspectos fundamentais para a manutenção da biodiversidade e do equilíbrio ambiental.

Ecossistema florestal: características, flora, fauna, exemplos

Ecossistema florestal: características, flora, fauna, exemplos

Um ecossistema florestal é uma extensão em que elementos bióticos (seres vivos) e elementos abióticos (clima, solo, água) interagem, com o biótipo da árvore predominando em seu componente vegetal. Nestas árvores predominam outras formas de vida do ecossistema em densidade, frequência e cobertura.

Entre os ecossistemas florestais estão florestas tropicais, florestas sazonais e úmidas. Da mesma forma, os ecossistemas florestais são florestas mediterrâneas, florestas temperadas, florestas mistas, florestas de coníferas, além de plantações florestais e pomares de frutas.

Esses ecossistemas requerem um mínimo de condições ambientais, relacionadas aos requisitos da forma biológica das árvores. Essas condições incluem profundidade adequada do solo, disponibilidade de água e temperaturas acima de 10 ºC, pelo menos em um período do ano.

O elemento árvore determina uma série de características dos ecossistemas florestais, como a distribuição da luz no gradiente vertical do ecossistema e a umidade relativa do ambiente. Por tudo isso, são considerados os ecossistemas terrestres com maior diversidade biológica, que aumentam com a latitude.

Assim, os ecossistemas de florestas tropicais são mais biodiversos e a diversidade biológica diminui nas florestas temperadas e ainda mais na floresta boreal. Além disso, essa biodiversidade oferece uma estrutura complexa com vários estratos e plantas subindo ou vivendo nas árvores.

Características do  ecossistema florestal

Requerimentos ambientais

O estabelecimento de ecossistemas florestais requer um mínimo de condições que permitam o crescimento das árvores. Os fatores limitantes incluem a profundidade e a temperatura do solo, pois em temperaturas recorrentes abaixo de 10 ° C, as árvores não prosperam.

Por outro lado, a disponibilidade de água também é um fator determinante para a existência de um ecossistema florestal. Portanto, não há ecossistemas florestais em torno do paralelo 70º da latitude norte ou sul, acima de 3.500 a 4.000 masl ou em áreas com solos rasos e muito pedregosos.

Além disso, esses tipos de ecossistemas não podem se desenvolver em solos muito pobres em nutrientes ou com um longo déficit hídrico.

Estrutura da planta

Os ecossistemas florestais têm uma estrutura vegetal complexa com várias camadas, incluindo um sub-bosque e dois a cinco níveis de vegetação lenhosa. O sub-bosque é a parte inferior onde crescem gramíneas e arbustos, bem como juvenis de espécies arbóreas.

A estrutura vegetal mais simples desse tipo de ecossistema ocorre na floresta boreal, com uma vegetação rasteira esparsa, um ou dois estratos de árvores e pouca diversidade específica. As árvores podem atingir 30 a 60 m de altura e pertencem a poucas espécies.

Por seu lado, a floresta tropical quente é o ecossistema florestal mais complexo em estrutura, como a Amazônia. Isso apresenta uma vegetação rasteira de arbustos dispersos, ervas e juvenis de árvores, uma série de até 5 estratos e abundantes alpinistas, lianas e epífitas.

Influência no meio ambiente

Os ecossistemas florestais transformam o ambiente físico onde se desenvolvem, tornando-se geradores de matéria orgânica e receptores de água. Nesse sentido, o solo é enriquecido com matéria orgânica da serapilheira e um complexo ecossistema subterrâneo é estabelecido.

Oxigênio e água

É geralmente apontado que ecossistemas florestais como a Amazônia são os pulmões do mundo, mas isso não está correto. Assim, a floresta amazônica consome quase todo o oxigênio que gera.

No entanto, tanto a Amazônia quanto qualquer outro ecossistema florestal desempenham um papel determinante no ciclo da água. Eles formam uma barreira que intercepta ventos úmidos e condensa a água, gerando chuvas.

Além disso, os ecossistemas florestais regulam o escoamento e a infiltração de água, filtram-no pelo seu metabolismo e devolvem-no à atmosfera por evapotranspiração.

A rizosfera

No solo dos ecossistemas florestais, existe uma complexa relação entre as raízes e os fungos do solo. Esses fungos são chamados micorrizas e vivem em estreita ligação simbiótica com as raízes.

A simbiose é uma relação ecológica na qual os dois organismos participantes se beneficiam. Nesse sentido, os fungos recebem nutrientes das raízes e, por sua vez, expandem a capacidade de absorção de água e minerais pela árvore.

Nichos e biodiversidade

A estrutura complexa que as comunidades de árvores constroem, bem como sua alta produtividade primária, são a base do ecossistema florestal. Isso se deve ao alto número de nichos ecológicos que eles geram, o que permite o desenvolvimento de uma grande diversidade de outros organismos.

Uma árvore no dossel superior da floresta tropical pode ser interpretada como um ecossistema porque um grande número de outras plantas vive nela. Da mesma forma, bactérias, fungos, musgos, líquenes, insetos, pássaros e mamíferos parecem interagir com seu microclima.

Flora

Isto é caracterizado pela abundância de espécies arbóreas, que variam dependendo da zona climática. A maior diversidade de árvores é encontrada nos ecossistemas de florestas tropicais, especialmente nas florestas tropicais.

Por sua vez, na taiga (ecossistema florestal subártico), a diversidade de espécies é baixa, mas o número de árvores é muito grande. De tal maneira que a taiga representa o ecossistema florestal mais extenso do planeta.

Ecossistemas de florestas temperadas e frias

As coníferas são o grupo de plantas mais importante nas florestas dos hemisférios norte e sul, representadas por pinnáceos e cupresáceos no primeiro e por araucárias no sul. Assim, esse grupo de plantas domina os ecossistemas florestais da floresta boreal ou taiga e as florestas de coníferas.

Da mesma forma, espécies de angiospermas, como carvalhos, faias e outras, são frequentes em florestas decíduas temperadas, florestas tropicais temperadas e florestas mediterrâneas. Algumas espécies cultivadas, como o louro e a oliveira, têm origem nas florestas do Mediterrâneo.

Ecossistemas de florestas tropicais

Nestas diversas espécies de angiospermas de árvores predominam e coníferas são raras. As famílias dominantes são as leguminosas, bem como as anacardiáceas, moráceas e lauráceas.

Várias árvores frutíferas cultivadas hoje em pomares são originárias de florestas tropicais, como manga (Índia), cacau (América do Sul) e fruta-pão (África).

Animais selvagens

Nos ecossistemas florestais, a fauna é muito diversa e, como a flora, varia de acordo com a localização geográfica do ecossistema.

Ecossistemas de florestas temperadas e frias

Ursos, alces, veados, javalis e lobos ocorrem em florestas temperadas e florestas de coníferas. Pássaros como corujas, cucos, corvos e várias aves canoras também abundam nessas florestas.

Ecossistemas de florestas tropicais

As florestas tropicais americanas são o habitat da onça-pintada, do queixada, do cervo e da anta e de pássaros como a harpia, o quetzal e a guacharaca. Entre os primatas estão o araguato e o macaco-aranha, além de espécies abundantes de cobras venenosas dos gêneros Bothrops e Lachesis .

Relacionado:  Química ambiental: campo de estudo e aplicações

Por seu lado, nos ecossistemas florestais da África, destaca-se a diversidade de primatas antropóides, como o chimpanzé e o gorila. Além disso, o leopardo e o elefante da selva vivem nessas florestas, enquanto no sudeste da Ásia há o orangotango, o tigre e o elefante hindu.

Exemplos de  ecossistemas florestais

A floresta tropical sazonal das planícies colombiano-venezuelanas

São florestas sujeitas a duas estações do ano, uma chuvosa com chuvas abundantes e outra seca quente. As árvores superam a estação seca, perdendo a folhagem em diferentes proporções, o que define dois tipos de florestas sazonais.

A floresta decídua ou decídua é caracterizada por um déficit hídrico na estação seca extrema, de modo que mais de 80% das árvores perdem sua folhagem. Por outro lado, na selva semi-decídua, apenas metade ou menos das árvores são decíduas, porque aproveitam as reservas de água subterrânea.

Flora

Nas florestas semidecíduas das planícies colombiano-venezuelanas, existem árvores com 30 a 40 m de altura. Nestas florestas estão o mijao ( Anacardium excelsum ), o rastejamento ( Astronium graveolens ), o índio nu ( Bursera simaruba ) e o kapok ( Ceiba pentandra ).

Além disso, existem árvores de madeira fina, como o cedro americano ( Cedrela odorata ), o mogno ( Swietenia macrophylla ) e o linho ( Cordia alliodora ).

Animais selvagens

Nestas selvas habitam a onça-pintada ( Panthera onca ), o cervo caramerudo ( Odocoileus virginianus apurensis ) e a diversidade de pássaros, cobras e insetos.

A floresta mediterrânea

Existem 5 regiões florestais do Mediterrâneo no mundo, a principal na bacia do Mediterrâneo. Além disso, no cone sul da África, no sudoeste da Austrália, na Califórnia (EUA e México) e na costa do Pacífico no Chile.

Esses ecossistemas florestais são caracterizados por um clima com outonos quentes, invernos amenos e chuvosos, nascentes variáveis ​​e verões secos (quentes ou amenos).

Flora

A floresta mediterrânea no sul da Península Ibérica é uma formação vegetal de árvores de tamanho médio, com folhas duras e casca grossa. As espécies comuns incluem sobreiro ( Quercus suber ), carvalho ( Quercus coccifer ), azinheira ( Quercus ilex ) e louro ( Laurus nobilis ).

Na vegetação rasteira, existem muitos arbustos ericáceos (urze) e labiados, como o alecrim ( Rosmarinus officinalis ), bem como arbustos de buxo ( Buxus sempervirens ). Também são encontradas gimnospermas como o pinheiro Aleppo ( Pinus halepensis ) e o zimbro ( Juniperus spp.).

Animais selvagens

O lince ibérico ( Lynx pardinus ), a raposa ( Vulpes vulpes ), o javali ( Sus scrofa ) e o esquilo vermelho ( Sciurus vulgaris ) vivem aqui.

Plantação florestal

Uma plantação florestal destinada à produção de madeira ou polpa de papel é um ecossistema florestal projetado e controlado por seres humanos. Geralmente é uma plantação de monocultura (uma espécie) ou, na melhor das hipóteses, algumas espécies com alto valor florestal.

Floresta de Uverito

Um exemplo é a plantação de pinus do Caribe ( Pinus caribaea ) de Uverito, nas savanas da mesa Guanipa, na Venezuela. É a maior plantação florestal do mundo, com quase 600.000 hectares.

Originalmente, era uma savana onde predominavam as gramíneas de Trachypogon , onde esses pinheiros da América Central eram plantados. O objetivo do plantio é a produção de celulose para a produção de papel e madeira, para que o ecossistema florestal seja simplificado com um alto grau de intervenção humana.

A plantação foi criada em 1961 e se estabilizou como um ecossistema produzido pela atividade humana. Dessa forma, o clima e o solo da área mudaram, impedindo a região de se tornar um deserto.

Referências

  1. Calow, P. (Ed.) (1998). A enciclopédia de ecologia e gestão ambiental.
  2. Hernández-Ramírez, AM e García-Méndez, S. (2014). Diversidade, estrutura e regeneração da floresta tropical sazonalmente seca da Península de Yucatán, México. Biologia tropical.
  3. Izco, J., Barreno, E., Brugués, M., Costa, M., Devesa, JA, Frenández, F., Gallardo, T., Llimona, X., Prada, C., Talavera, S. Y Valdéz , B. (2004). Botânica.
  4. Margalef, R. (1974). Ecologia. Edições Omega.
  5. Purves, WK, Sadava, D., Orians, GH e Heller, HC (2001). Vida. A ciência da biologia.
  6. Rangel, JO (Ed.) (2008). Colômbia. Diversidade biótica VII. Vegetação, palinologia e paleoecologia da Amazônia colombiana. Universidade nacional da Colômbia.
  7. Raven, P., Evert, RF e Eichhorn, SE (1999). Biologia das plantas.
  8. Vida selvagem mundial (vista em 12 de março de 2020). Retirado de: worldwildlife.org/biomes/

Deixe um comentário