Estratificação: significado e tipos

A estratificação é um conceito fundamental da sociologia que se refere à divisão da sociedade em diferentes camadas ou estratos com base em diversas características, como renda, educação, ocupação, status social, entre outros. Essa divisão ajuda a entender a desigualdade social e as disparidades de poder, privilégios e oportunidades entre os diferentes grupos sociais. Existem diversos tipos de estratificação, como a estratificação econômica, social, de gênero, étnica, entre outras, que influenciam diretamente a posição e as experiências dos indivíduos na sociedade. Neste contexto, compreender os diferentes tipos de estratificação é essencial para analisar e combater as desigualdades existentes em nossa sociedade.

Os 3 principais tipos de estratificação social: conheça suas características e diferenciações.

A estratificação social é um fenômeno presente em todas as sociedades e consiste na divisão da população em diferentes camadas ou classes sociais, de acordo com critérios como renda, educação, ocupação e poder. Existem três principais tipos de estratificação social, cada um com suas características e diferenciações específicas.

O primeiro tipo é a estratificação econômica, que se baseia principalmente na distribuição de riqueza e recursos materiais. Nesse sistema, os indivíduos são classificados de acordo com sua posição econômica, como ricos, classe média e pobres. A desigualdade econômica é uma das principais formas de estratificação social e pode resultar em disparidades significativas de acesso a oportunidades e qualidade de vida.

O segundo tipo é a estratificação educacional, que se refere à divisão da sociedade com base no nível de educação alcançado. Nesse sistema, os indivíduos são classificados de acordo com seu grau de instrução, que pode influenciar diretamente suas oportunidades de emprego, renda e status social. A educação é considerada um dos principais fatores de mobilidade social, podendo permitir que indivíduos de classes sociais mais baixas melhorem sua posição na hierarquia social.

O terceiro tipo é a estratificação ocupacional, que se baseia na divisão da sociedade de acordo com a ocupação profissional de cada indivíduo. Nesse sistema, as pessoas são classificadas em diferentes categorias profissionais, como trabalhadores manuais, profissionais liberais, empresários, entre outros. A ocupação de um indivíduo pode influenciar diretamente seu status social, seu poder e sua posição na hierarquia social.

A estratificação econômica, educacional e ocupacional são os três principais tipos de estratificação social, cada um com suas características e diferenciações específicas que influenciam a vida e as oportunidades dos indivíduos em uma determinada sociedade.

Entendendo o significado de estratificação na sociedade e sua importância para a desigualdade.

A estratificação na sociedade refere-se à divisão hierárquica das pessoas em diferentes camadas ou níveis, com base em critérios como renda, educação, ocupação e status social. Essa divisão cria desigualdades entre os grupos e indivíduos, influenciando diretamente suas oportunidades e acesso a recursos.

Existem diversos tipos de estratificação social, sendo os principais o sistema de castas, sistema de classes e sistema de estratos. Cada um desses sistemas possui suas próprias características e formas de classificar as pessoas, contribuindo para a manutenção da desigualdade na sociedade.

A importância da estratificação na sociedade está diretamente relacionada à perpetuação da desigualdade. Quando determinados grupos têm mais acesso a recursos e oportunidades do que outros, a desigualdade se torna mais evidente e difícil de ser superada. Isso gera um ciclo vicioso em que os mais privilegiados continuam a se beneficiar, enquanto os menos favorecidos têm suas chances limitadas.

Relacionado:  Mercearia: conceito, definição e história

Portanto, é fundamental compreender o significado da estratificação na sociedade e seus diferentes tipos, a fim de identificar as barreiras que impedem a igualdade de oportunidades e buscar formas de promover a justiça social e a equidade. Somente através do reconhecimento e da desconstrução das estruturas de poder e privilégio é possível construir uma sociedade mais justa e igualitária para todos.

Conheça os principais tipos de mobilidade social em apenas 4 categorias distintas.

Para compreender a estratificação social, é importante conhecer os principais tipos de mobilidade social que existem. A mobilidade social refere-se à capacidade dos indivíduos ou grupos de subir ou descer na hierarquia social. Existem quatro categorias distintas de mobilidade social: mobilidade vertical ascendente, mobilidade vertical descendente, mobilidade horizontal e mobilidade intrageracional.

A mobilidade vertical ascendente ocorre quando um indivíduo ou grupo melhora sua posição social em relação à geração anterior. Por exemplo, quando alguém de uma família de classe baixa consegue obter uma educação superior e alcançar um cargo de destaque, está ocorrendo mobilidade vertical ascendente. Já a mobilidade vertical descendente é o oposto, ocorrendo quando há uma queda na posição social em relação à geração anterior.

A mobilidade horizontal, por sua vez, refere-se à mudança de posição social dentro da mesma categoria. Um exemplo disso é quando um profissional troca de emprego dentro da mesma área, mantendo o mesmo nível de status social. Por fim, a mobilidade intrageracional ocorre ao longo da vida de um indivíduo, como quando alguém consegue melhorar sua posição social durante sua carreira profissional.

É importante compreender esses conceitos para analisar a estratificação social e as oportunidades de ascensão ou queda na hierarquia social.

Os três tipos de estratificação social de acordo com sua caracterização.

A estratificação social é um fenômeno que se refere à divisão da sociedade em diferentes camadas ou classes, com base em critérios como renda, educação, ocupação e status social. Existem três tipos principais de estratificação social, cada um com suas próprias características distintas.

O primeiro tipo é a estratificação aberta, onde a mobilidade social é relativamente fácil e as pessoas têm a oportunidade de mudar de uma classe para outra ao longo de suas vidas. Nesse tipo de estratificação, as fronteiras entre as camadas sociais são mais fluidas e permeáveis, permitindo que os indivíduos possam ascender ou declinar em termos de status social. A meritocracia é um princípio comum nesse tipo de estratificação, onde o mérito e o esforço individual são considerados os principais fatores para alcançar sucesso e reconhecimento na sociedade.

O segundo tipo é a estratificação fechada, onde as fronteiras entre as camadas sociais são rígidas e a mobilidade social é limitada. Nesse tipo de estratificação, a posição social de uma pessoa é determinada principalmente pela herança familiar, ou seja, pela classe social em que ela nasceu. As oportunidades de ascensão social são escassas e as desigualdades são mais acentuadas. A casta é um exemplo de sistema de estratificação fechada, onde a posição social de uma pessoa é determinada desde o nascimento e dificilmente pode ser alterada ao longo da vida.

O terceiro tipo é a estratificação de classe, onde a sociedade é dividida com base nas relações de produção e no acesso aos recursos econômicos. Nesse tipo de estratificação, as pessoas são classificadas de acordo com sua posição na estrutura econômica, como proprietários, trabalhadores assalariados ou desempregados. As desigualdades econômicas são o principal critério para a divisão da sociedade em classes, e as relações de poder desempenham um papel fundamental na manutenção dessa estrutura.

Compreender esses tipos de estratificação é fundamental para analisar as desigualdades sociais e buscar formas de promover uma sociedade mais justa e igualitária.

Estratificação: significado e tipos

A palavra estratificação vem do verbo estratificar e significa dividir ou organizar em estratos, que se referem a camadas ou níveis.A estratificação pode ocorrer em diferentes áreas. Sempre se refere a essa diferenciação por partes e se aplica a itens muito diferentes, que podem variar de sociologia, geologia ou até medicina.

A palavra «estrato» vem do latim «estrato», que significa «cama», «capa de cama» ou «pedra pavimentada», e o Dicionário da Real Academia Espanhola indica várias definições de estrato.

Estratificação: significado e tipos 1

Fonte Pixabay.com

Por um lado, define os estratos como elementos que acabaram se integrando graças a certos componentes comuns e que formam uma entidade, um fato ou mesmo uma linguagem.

Portanto, ele pode ser definido em um nível geral, mas a palavra estrato é aplicável a diferentes itens ou ramificações. Vamos ver

Estratificação social

Não é nem mais nem menos do que a ordem das classes sociais, embora possa se aprofundar mais do que as classes alta, média e baixa clássicas. Em cada um dos estratos, é constituído por um grupo de pessoas que compartilham uma das faixas sociais porque possuem valores, estilos e atos de vida semelhantes.

Embora a base da estratificação seja o nível de renda e posses, também se pode formar como resultado da idade, etnia e gênero.

É claro que, com o tempo, o modo de dividir a sociedade murmurou significativamente. Por exemplo, nos tempos antigos, a divisão consistia em mestre e escravo. Mais tarde, começaram a se diferenciar por castas, que eram grupos de pessoas cujo pertencimento a um ou outro estava de acordo com fatores étnicos.

Depois foi a vez da sociedade das propriedades, que possuía uma definição bastante ampla, menos clara para seus membros e determinada pelas funções sociais que cada uma tinha.

Atualmente, a divisão dos estratos sociais é baseada em classes, que baseiam suas posições de acordo com a renda ou propriedade econômica e são organizadas nas classes alta, média e baixa. Ao contrário do anterior, os membros de cada uma de suas camadas são muito claros aos quais pertencem.

Estratificar uma terra

Estratificação: significado e tipos 2

Fonte Pixabay.com

É sobre como o solo é composto em suas diferentes camadas, constituídas por rochas, minerais, água e bolhas de ar. Assim, no solo existem elementos sólidos (argilas, areia e restos de seres vivos), líquidos (sais minerais e água) e gases.

Relacionado:  Fusível: significado, para que serve e escala

Na camada mais externa ou superficial existe argila, areia, ar ou húmus. À medida que desce, há fragmentos cada vez maiores de rochas e pedaços dela, enquanto a quantidade de seres vivos presentes diminui até que atinjam sua ausência no estrato mais profundo.

Cada uma dessas camadas ou estratos também é chamada de “horizontes”, variando do O ao E, do mais superficial ao mais profundo da terra.

Estratificação aquática

É assim que as águas devem ser ordenadas em diferentes camadas, de acordo com sua densidade e dependendo de fatores externos. Entre as causas dessas diferenciações estão os agentes físicos (temperatura) e sua composição (elementos sólidos em suspensão ou dissolvidos).

Isso é muito claro em lagos localizados em áreas muito frias durante o inverno, cuja superfície congela devido às temperaturas externas muito baixas, enquanto sob essa camada a água é líquida e, quanto mais profunda, mais alta será a temperatura.

Estratificação da córnea

Estratificação: significado e tipos 3

Fonte Pixabay.com

Ao contrário dos cães e de outras espécies que possuem a córnea composta de quatro estratos, tanto em humanos quanto em primatas, a córnea consiste em seis camadas:

Epitélio da córnea

O epitélio é um tecido formado por células muito aderentes que alinham alguns tecidos internos do corpo. Nesse caso, é a parte mais anterior da córnea e representa 10% de sua composição.

Por sua vez, é dividido em quatro estratos: camadas celulares escamosas (dispersa e retém o filme lacrimal), camadas celulares aladas (promove o crescimento), membrana basal e camada basal (confere maior adesão à camada Browman).

Browman Stratum

Consiste principalmente em fibras de colágeno irregularmente organizadas. Com uma espessura de 14 micrômetros, sua função é proteger o estroma da córnea.

Estroma da córnea

Representa 90% da estrutura da córnea, é formada por 80% de água (o restante por materiais sólidos) e possui 200 folhas. As fibras de colágeno que o compõem são separadas uma da outra pela mesma distância uma da outra e dão transparência à córnea.

Manto de Dua

Separe a última linha de queratócitos na córnea. Sua descoberta é bastante recente, pois sua existência foi proposta em uma publicação científica de 2013 por Harmider Dua.

Membrana Basal Posterior (ou Descida)

É como uma membrana basal do epitélio posterior, carece de células e sua espessura varia ao longo do tempo, mais precisamente a cada dez anos.

Endotélio da córnea

É uma camada única que possui um arranjo semelhante ao de um favo de mel. Está em contato permanente com o humor aquoso (líquido incolor que nutre e oxigena as estruturas do globo ocular) e a câmara anterior do olho (entre a córnea e a íris).

Referências

  1. Inés Martin-Lecave. (2005). «Atlas prático de histologia» . Recuperado de: books.google.mk
  2. Ing. Agr. Miguel Scalone Echave. (2012). «Morfologia do solo» . Recuperado de: fing.edu.uy
  3. Estratos. (2019). Dicionário da Academia Real Espanhola. Recuperado de: dle.rae.es
  4. Camilo Sémbler. (2006). «Estratificação social e classes sociais: uma análise analítica dos setores médios» . Recuperado de: books.google.mk
  5. Rodolfo Stavenhagen (1969). «Classes sociais nas sociedades agrárias». Recuperado de: books.google.mk

Deixe um comentário